aula 3 assunto: origens dos recursos para · pdf file3) em cada orçamento, demonstre o...

Click here to load reader

Post on 08-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • AULA 3Assunto: ORIGENS DOS RECURSOS PARA

    INVESTIMENTOS

    Professora Keilla LopesGraduada em Administrao pela UEFSEspecialista em Gesto Empresarial pela UEFSMestre em Administrao pela UFBA

  • Origem dos recursos para projetos

    1 - Capital prprio

    2 - Capital de terceiros (bancos, mercado de capitais,etc)

  • Balano Patrimonial

    ATIVO

    AC Disponibilidades (cx (empresa e

    bancos), invest. disponveis)Contas a receberEstoques

    Ativo realizvel a longo prazo

    Ativo permanente Investimentos.Imobilizado.Diferido (despesas pr-operacionais)

    PASSIVO

    PC

    Passivo exigvel a longo prazo

    Patrimnio LiquidoCapital social integralizadoReservas de capitalReserva de LucrosLucros ou prejuzos acumulados

  • Gesto de caixa

    1.1 - Como se administra o caixa de uma empresa?Resposta: com planejamento.

    O planejamento do caixa tem como principal instrumento a projeo decaixa. Tambm denominado Oramento ou Previso de caixa.

    O oramento, previso ou projeo de caixa conhecido, tambm, comosangue da empresa.

    Este instrumento permite a empresa no somente calcular as entradas esadas de caixa, mas, tambm, o saldo remanescente que diante dasua interpretao identifica a necessidade de financiamento ou adisponibilidade para investimentos.

    Geralmente o oramento de caixa elaborado para um ano com intervalosmensais ou como exigir a natureza do negcio (trimestrais,semestrais,anuais,etc).

  • 1.2 - Composio do oramento de caixa(Recebimentos;pagamentos;fluxo liquido de caixa;saldo final em caixa)

    1.2.1 - Recebimentos:a)Vendas vistab) Cobranas: vendas em meses anteriores que sero recebidas

    neste perodo. J abatido ndice mdio de inadimplncia.c) Outros recebimentos (dividendos;juros;vendas de

    equipamentos;vendas de aes ou ttulos;aluguis;franquias)

    1.2.2 - Pagamentos:Compras vista Dividendos (em dinheiro)Duplicatas Pagamentos de jurosAluguis LeasingSalrios Recompra de aesAquisio de equipamentos Emprstimos

  • 1.2.3 - Fluxo liquido de caixaObtm-se pela subtrao dos recebimentos e pagamentos em

    cada perodo.

    1.2.4 - Saldo final de caixaSomando o saldo inicial de caixa ao fluxo liquido chega-se ao

    saldo final de caixa para o perodo em questo.

    Obs> No esto includas no oramento de caixa despesasque no envolvem desembolso, como: depreciao,amortizao e exausto. Para efeito de oramento decaixa, o administrador financeiro est mais preocupado comos fluxos de caixa do que com os lucros lquidos apuradosna demonstrao do resultado

  • INTERPRETAO DO ORAMENTO DE CAIXA

    1.2.5 - Financiamento necessrio ou saldo excedente de caixa

    Finalmente subtraindo do saldo final de caixa o saldo mnimo ouapropriado de caixa chega-se a um financiamento necessrioou a um saldo excedente de caixa. Se o saldo final de caixafor menor que o saldo apropriado de caixa requer-se umfinanciamento. Se o saldo final de caixa for maior que o saldoapropriado h um saldo excedente de caixa que dever serinvestido.

    Obs>Vale salientar que o tipo de financiamento ouinvestimento escolhido pela empresa requer umaanlise minuciosa posterior.

  • 1. 3 Modelos para calculo de saldo apropriado ou mnimo de caixa

    Para determinar o saldo apropriado de caixa pode-se de utilizar tanto deabordagens subjetivas como de modelos quantitativos. Mas, a escolhadentre as diversas abordagens depende muito mais da estratgiafinanceira da empresa (agressiva ou conservadora).

    A) 10% da previso de vendas para o perodo seguinte.B) Mdia da diferena entre as entradas e sadas do mesmo perodo (dia, ms

    ou ano anterior).C) Previso de recebimentos para o perodo abatida do ndice mdio de

    inadimplncia.D) Percentual de PDDE) Desembolsos totais de caixa esperados no perodo dividido pelo giro de

    caixa do mesmo perodo. (nada mais que o saldo mdio)

    Obs: O administrador financeiro deve considerar os riscos e/ou as incertezasprprias do seu negcio na escolha dentre os diversos modelos dedefinio do saldo apropriado de caixa, como: sazonalidade; a prpriagerao de lucro ao longo do exerccio; custo de oportunidade(remuneraes financeiras ao longo do perodo;etc.

  • E quando no temos o valor das vendas (recebimentos)?

  • Quando no temos o valor das vendas (recebimentos) usamos a

    Previso de Vendas

    A Previso de vendas um item meramenteinformativo. No transcrito no oramento decaixa. Contudo, um componente bsico queserve como subsdio as projees derecebimentos e pagamentos nos mesesprojetados que compe o oramento de caixa.

  • A previso de vendas pode ser:a) Interna (projetada pelos canais de

    vendas da empresa);b) Externa (baseadas em indicadores

    econmicos);c) Combinada (combinaes de dados

    projetados internos e externos).

    Quem pode exemplificar cada uma?

  • RISCOS E INCERTEZAS DO ORAMENTO DE CAIXA

    O oramento de caixa,embora parea uma tcnica exata, impossvel eliminar totalmente as variveis incertezas eriscos. Mas, alguns fatores podem favorecer a convivnciacom estas variveis:

    necessrio muita cautela no preparo das previses devendas e outras estimativas includas no oramento de caixa.

    Uma alternativa pra se reduzir os riscos no oramento decaixa elaborar vrios oramentos. Ao menos trs cenriosdevem ser respeitados: pessimista; provvel; otimista. Diantedestes trs cenrios o administrador financeiro faz a escolhade um deles ou ao menos se prepara para as trs situaescom antecedncia.

  • O uso de inmeras alternativas (oramentos de caixa)possibilita ao administrador financeiro uma percepodo risco das alternativas de modo que possa tomardecises financeiras racionais a curto prazo.

    Computadores e planilhas eletrnicas simplificamenormemente tais anlises supra citadas.

    Os fluxos de caixa apresentados no oramento so ostotais mensais e no o fluxo dirio de recebimentos epagamentos da empresa. Assim, no possvelgarantir que h caixa suficiente para pagar as contasno vencimento. necessrio monitorar diariamente osfluxos de caixa.

  • O ORAMENTO DE CAIXA PERMITE:

    Controlar o capital de giro; Identificar, com antecedncia, o volume de fundos que

    ser procurado em fontes de crditos; Captar a confiana dos credores ao procur-los com

    antecedncia; Controlar os eventuais desvios identificados, em

    relao aos planos traados; Prever possveis aplicaes para excesso de fundos e o

    uso eficiente e racional dos recursos disponveis. Estudar a viabilidade de um projeto de investimento.

  • POR QUE ALGUMAS EMPRESAS IGNORAM O ORAMENTO DE CAIXA?

    Sua elaborao difcil, exige tempo eacompanhamento dirio.

    Cada empresa tem sua prpria metodologia edinmica de previso de entradas e de sadas o quedificulta fazer previses adequadas.

  • CONSIDERAES Geralmente a gesto de caixa obrigao da tesouraria que

    est ligada ao departamento financeiro. Contudo, para umaeficiente gesto de caixa h uma necessidade latente de umtrabalho conjunto com os departamentos que forneceminformaes (vendas;contabilidade,sistemas;etc) e osdepartamentos que se utilizam dos dados encontrados noplanejamento de caixa(estoques,controles,oramentos;etc).

    Manter nveis mais baixo possveis de saldo em caixa umfato possvel atravs do controle de pagamentos erecebimentos.

    Em empresas que atuam em diversos pases a variaocambial mais um fator a ser acompanhado no planejamentode caixa e conseqentemente no planejamento financeiro. Asvezes, recebe-se em uma moeda e paga-se com outra e nemsempre as transaes entre pases so on line

  • Mesmo no cenrio atual (baixas taxas de juros) dormircom sobras de caixa (float) pode prejudicar arentabilidade da empresas ou representar certosprejuzos. Diante deste fato percebe-se a importncia doplanejamento de caixa.

    Ao gestores de caixa fica a necessidade de ter basecontbil; conhecimento geral donegcio(cobrana;vendas;habilidade no campo detecnologia de informao; bom relacionamentointerpessoal.

  • Caixa o centro dos resultados para tomada de decisesfinanceiras pois representa a disponibilidade imediata derecursos. Da a origem do apelido de sangue da empresa.

    O lucro de uma empresa pode ser diferente do resultadofinanceiro que gerao de caixa.

    No mercado financeiro utiliza-se o termo Cash-flow paradesignar o fluxo de caixa.

    Qualquer empresa,seja ela de micro, pequeno, mdio ou grande porte,deve utilizar o fluxo de caixa. Este no uma ferramenta restrita s grandes empresas

  • REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS

    Assaf Neto, Alexandre. Finanas corporativas e valor. Ed 2. So Paulo. Atlas,2006

    BRAGA,Roberto . Fundamentos e tcnicas de administrao financeira. So Paulo:Atlas,1989.

    GITMAN, Lawrence J. Principios de administrao Financeira. Ed 10. So Paulo: Pearson Addison Wesley,2004

  • ATIVIDADE DE CLASSE I(Adaptada do livro Finanas Corporativas e Valor de Alexandre Assaf Neto)

    1) Descreva resumidamente o formato bsico de um oramento de caixa.2) Com base nos dados abaixo descritos sobre uma empresa elabore

    CINCO oramentos de caixa para o segundo semestre deste ano. Cadaoramento deve considerar um dos modelos expostos em sala de aulapara calculo do saldo apropriado (mnimo) de caixa.

    3) Em cada oramento, demonstre o saldo final de caixa e comente sobrea necessidade da empresa de financiamento ou de investimento.Guarde estes dados que sero reutilizados em uma outra aula.

    Empresa Anjos Empreendimentos Imobiliriosa) O saldo de caixa existente no inicio do semestre era de R$ 1.800,00.b)Vendas previstas de R$ 15.000,00.c) As compras de estoque previstas para o perodo sero R$ 6.000,00.d) As despesas operacionais desembolsveis somam R$ 3.000,00.e) Despesas financeiras de R$ 3.000,00f) No perodo ter uma integraliza