aula 08 oab xx prodesso civil estrat‰gia

Download AULA 08 OAB XX PRODESSO CIVIL ESTRAT‰GIA

Post on 20-Jan-2017

264 views

Category:

Law

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Aula 08

    Direito Processual Civil p/ XX Exame de Ordem - OAB

    Professores: Equipe Gabriel Borges, Gabriel Borges

  • Direito Processual Civil Teoria e Exerccios comentados

    Prof. Gabriel Borges Aula 08

    Prof. Gabriel Borges www.estrategiaconcursos.com.br Pgina 2 de 93

    DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ OAB

    AULA 08: DA AUDINCIA DE INSTRUO E JULGAMENTO. DAS PROVAS; DA

    SENTENA E DA COISA JULGADA; DA LIQUIDAO DE SENTENA; DO

    CUMPRIMENTO DA SENTENA.

    SUMRIO PGINA

    1. Captulo IX: Audincia de conciliao ou de mediao. Audincia de

    instruo e julgamento. Da audincia de instruo e julgamento. Das

    provas; da sentena e da coisa julgada; da liquidao de sentena; do

    cumprimento da sentena.

    02

    2. Resumo 62

    3. Questes comentadas 63

    4. Lista das questes apresentadas 87

    5. Gabarito 93

    CAPTULO IX: DA AUDINCIA DE INSTRUO E JULGAMENTO. DAS PROVAS; DA SENTENA E DA COISA JULGADA; DA LIQUIDAO DE SENTENA; DO CUMPRIMENTO DA SENTENA.

    AUDINCIA DE CONCILIAO OU DE MEDIAO

    As formas consensuais de soluo de conflitos foram valorizadas no

    CPC/2015. Como consequncia desta valorizao, houve a extino do

    procedimento sumrio e a existncia, agora, somente do procedimento ordinrio.

    Na estrutura do CPC/2015, no procedimento ordinrio, a resposta ocorre

    posteriormente citao do ru. No artigo 334 criou-se uma audincia de

    conciliao ou de mediao (que pode ser realizada no por meio eletrnico) que

    ocorre antes do momento de apresentao da resposta do ru e aps a citao

    deste.

  • Direito Processual Civil Teoria e Exerccios comentados

    Prof. Gabriel Borges Aula 08

    Prof. Gabriel Borges www.estrategiaconcursos.com.br Pgina 3 de 93

    Art. 334. Se a petio inicial preencher os requisitos essenciais e no for o caso de improcedncia liminar do pedido, o juiz designar audincia de conciliao ou de mediao com antecedncia mnima de 30 (trinta) dias, devendo ser citado o ru com pelo menos 20 (vinte) dias de antecedncia. [...]

    4 A audincia no ser realizada:

    I - se ambas as partes manifestarem, expressamente, desinteresse na composio consensual;

    II - quando no se admitir a autocomposio. [...]

    6 Havendo litisconsrcio, o desinteresse na realizao da audincia deve ser manifestado por todos os litisconsortes.

    Reparem que tanto no 4 e 6 demonstram a importncia de que a

    composio consensual tomou no CPC/2015. O autor, j na petio inicial, deve

    indicar seu desinteresse na realizao da audincia. J o ru tem o prazo de 10 dias

    antes da audincia para se manifestar. Se as duas partes se manifestarem no

    sentido da no realizao da audincia, o prazo de resposta do ru ter incio do

    protocolo do pedido de cancelamento da audincia, de acordo com inciso II do art.

    335 do CPC/2015.

    Art. 335. O ru poder oferecer contestao, por petio, no prazo de

    15 (quinze) dias, cujo termo inicial ser a data: [...]

    II - do protocolo do pedido de cancelamento da audincia de

    conciliao ou de mediao apresentado pelo ru, quando ocorrer a hiptese do

    art. 334, 4, inciso I [as duas partes se manifestarem contrariamente realizao

    da audincia de conciliao ou mediao].

    Se a petio inicial preencher os requisitos essenciais e no for o caso de

    improcedncia liminar do pedido, o juiz designar audincia de conciliao ou de

    mediao com antecedncia mnima de 30 dias, devendo ser citado o ru com

    pelo menos 20 dias de antecedncia.

    A pauta das audincias de conciliao ou de mediao ser organizada de

    modo a respeitar o intervalo mnimo de 20 minutos entre o incio de uma e o incio

    da seguinte. permitida a realizao de mais de uma sesso destinada

  • Direito Processual Civil Teoria e Exerccios comentados

    Prof. Gabriel Borges Aula 08

    Prof. Gabriel Borges www.estrategiaconcursos.com.br Pgina 4 de 93

    conciliao e mediao, no podendo exceder a 2 meses da data de realizao da

    primeira sesso, desde que necessrias composio das partes.

    Ainda que o autor manifeste seu desinteresse na realizao da audincia, o

    ru ser citado (integrar o processo) e intimado da audincia j designada. A

    realizao da audincia ficar na dependncia da manifestao do ru quanto ao

    seu desinteresse de realizao.

    5 O autor dever indicar, na petio inicial, seu desinteresse na

    autocomposio, e o ru dever faz-lo, por petio, apresentada com 10 (dez)

    dias de antecedncia, contados da data da audincia.

    Para compreender este pargrafo preciso trabalhar duas situaes

    distintas. Se o autor no indicar, na petio inicial, o seu desinteresse da audincia,

    dever ser imediatamente intimado da audincia, na presena do seu advogado. Isto

    porque mesmo que o ru no pretenda sua realizao, a audincia ocorrer. Assim,

    ao determinar a citao e a intimao do ru, cabe ao juzo determinar a intimao

    do autor. De outro modo, se o autor manifestar seu desinteresse na petio inicial,

    no ser intimado de imediato, pois poder o ru com ele concordar (com a no

    realizao) e, dessa forma, a audincia no ser realizada.

    As partes devem estar acompanhadas por seus advogados ou defensores

    pblicos. O 9 do art. 334 do CPC/2015 apesar de criar um dever no menciona a

    consequncia do descumprimento. Doutrinadores tm-se manifestado no sentido de

    no se tratar de um dever, mas de uma faculdade da parte. Isto porque o ato de

    autocomposio ou mediao ato da parte, independente de capacidade

    postulatria, no sendo, assim, a ausncia do patrono da parte um empecilho

    soluo consensual e homologao desta pelo juiz.

    Permite-se a constituio de um representante, por meio de uma procurao

    com poderes para negociar e transigir, caso a parte no queira comparecer

    audincia. Este representante poder ser um terceiro ou o advogado, j que na

    audincia s haver a tentativa de soluo consensual, no existindo, portanto, real

    empecilho a que a parte outorgue poderes a terceiros.

  • Direito Processual Civil Teoria e Exerccios comentados

    Prof. Gabriel Borges Aula 08

    Prof. Gabriel Borges www.estrategiaconcursos.com.br Pgina 5 de 93

    O 8 foi muito comentado e por muitos considerado lamentvel prev

    que a ausncia injustificada do autor ou do ru ser considerada ato

    atentatrio dignidade da justia, passvel de sano processual.

    8 O no comparecimento injustificado do autor ou do ru audincia

    de conciliao considerado ato atentatrio dignidade da justia e ser

    sancionado com multa de at dois por cento da vantagem econmica

    pretendida ou do valor da causa, revertida em favor da Unio ou do Estado.

    DAS PROVAS

    O direito prova tem origem nos princpios do contraditrio e de acesso

    justia. Por meio desse direito, busca-se garantir adequada participao do cidado

    no processo. Produzida a prova, ela se desprende de quem a apresentou e

    integrada aos autos. Torna-se irrelevante saber quem a produziu, inclusive, podendo

    ser utilizada contra quem a encaminhou ao processo.

    O juiz ir valorar e considerar as provas sem se preocupar com a sua

    origem, a menos que seja ilcita. Ademais, elas tm efeito extensivo aos

    litisconsortes. Assim, os fatos provados podem alcanar as partes e litisconsrcios,

    ainda que para prejudicar.

    Art. 371. O juiz apreciar a prova constante dos autos, independentemente do

    sujeito que a tiver promovido, e indicar na deciso as razes da formao de seu

    convencimento.

    Ora, obviamente um fato no pode ser entendido de uma forma para um

    sujeito e de outra para outro, seno no se estaria privilegiando a verdade dos fatos.

    O fato verdadeiro ou falso para todos os sujeitos do processo. No estamos,

    contudo, afirmando que uma prova surtir os mesmos efeitos a todos os sujeitos.

    Isso nem sempre ocorrer e depender de como o fato que est sendo provado, ou

    no, atinge, especificamente, cada pessoa.

    1. TEORIA GERAL DA PROVA

  • Direito Processual Civil Teoria e Exerccios comentados

    Prof. Gabriel Borges Aula 08

    Prof. Gabriel Bor