Aula 06 Princípios de Contaminação

Download Aula 06 Princípios de Contaminação

Post on 04-Nov-2015

5 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

contaminao

TRANSCRIPT

Princpios de contaminao

Princpios de contaminaoguas SubterrneasIntroduoA importncia da gua pode ser avaliada pelas suas principais funes e usos.Funes:Compe 70% do corpo humano; Ambiente para vida aquticaElemento vital para os seres vivosDesempenha funes fisiolgicas.

No Corpo HumanoA gua representa 70% da massa do corpo humano.Sintomas de desidratao:Perda de 1% a 5% de guaSede, pulso acelerado, fraquezaPerda de 6% a 10% de guaDor de cabea, fala confusa, viso turvaPerda de 11% a 12% de guaDelrio, lngua inchada, morteUma pessoa pode suportar at 50 dias sem comer, mas apenas 4 dias sem beber gua.

Distribuio de gua

Princpios da guaUsos:Regular processos biolgicos;Navegao;Gerao de energia eltrica;Refrigerao de mquinas;Processos qumicos industriais;Limpeza e transporte de dejetos em geral.

O Brasil o Pas com maior oferta de gua doce no mundo69% irrigao21% industrial10% uso domsticoSendo que 35% so insustentvel

gua subterrnea: soluo diluda em elementos e compostos slidos, lquidos ou gasosos em propores diversas provenientes do ar, solos e rocha e do contato com atividades humanas.

guas subterrneas

PoluioPoluio: alterao artificial da qualidade fsico-qumica da gua, suficiente para superar os padres e limites preestabelecidos para um determinado fim. Ex.: aumento da temperatura da gua.

A poluio das guas subterrneas pode ocorrer por duas vias distintas: pelo transporte dos poluentes pelas guas de chuva, que rapidamente se infiltram at alcanar os nveis de gua subterrnea, ou quando os poluentes que j atingiram o aqufero se locomovem lateralmente (SILVA, R.B.G, 2003).gua contaminadagua Contaminada: uma gua que possui organismos patognicos, substncias txicas e ou radioativas, em teores prejudiciais a sade humana

PoluioA poluio uma das causas de impacto ambiental, mas os impactos podem ser ocasionados por outras aes alm do ato de poluir.

Toda poluio causa impacto ambiental, mas nem todo impacto ambiental tem a poluio como causa.

Distribuio espacial da poluio e contaminao:

Pontual: Concentrada em uma pequena superfcieDifusa: Quando a fonte de contaminao se estende sobre uma grande superfcie;Linear: Quando a fonte de contaminao um rio ou canal.

As origens da contaminao de gua subterrneaOs resduos domsticos, que so matria orgnica, ao contaminarem as guas, podem transformar-se em componentes prejudiciais sade e conter organismos transmissores das denominadas enfermidades de origem hdrica, que causam diarreia, tifo e clera, entre outras.Poluio de Origem Domstica

Os aquferos tambm podem ser poludos a partir de lagoas de estabilizao, rios, receptores de resduos e irrigao com guas servidas. Do mesmo modo, os aterros sanitrios e principalmente os lixes podem ser fontes de poluies de origem domstica (SILVA, R.B.G, 2003).Poluio de origem industrialMuitas indstrias podem contribuir para poluio das guas subterrneas com lanamento de metais pesados e compostos qumicos orgnicos, entre outros, que mesmo em quantidades pequenas, podem ser altamente txicos, causadores de cncer e de mutaes genticas (SILVA, R.B.G, 2003).Contaminao origem industrial

Poluio de origem Agrcola

As prticas agrcolas atuais apresentam-se como potencialmente poluidoras devido s formas mecanizadas de manejo do solo e aplicao intensiva e prolongada, em extensas reas, de fertilizantes inorgnicos, assim como ao uso de agrotxicos. Soma-se a isto a irrigao excessiva do solo, que contribui com o arraste e infiltrao de nutrientes (especialmente nitratos), sais e traos de compostos orgnicos.Poluio de origem Agrcola

guas subterrneasDo ponto de vista hidrolgico, a gua encontrada na zona saturada do solo dita subterrneaEm geral, exige menos tratamento antes do consumo do que a gua superficial, em funo de uma qualidade inicial melhor.Em regies ridas e semi-ridas pode ser o nico recurso disponvel para consumo

guas subterrneasFatores limitantesporosidade do subsolo: a presena de argila no solo diminui sua permeabilidade, no permitindo uma grande infiltrao;cobertura vegetal: um solo coberto por vegetao mais permevel do que um solo desmatado;inclinao do terreno: em declividades acentuadas a gua corre mais rapidamente, diminuindo a possibilidade de infiltrao;-tipo de chuva: chuvas intensas saturam rapidamente o solo, ao passo que chuvas finas e demoradas tm mais tempo para se infiltrarem

Percolao a passagem de gua da zona no-saturada (zona de aerao) para a zona saturada.

Ocorrncia das guas subterrneasNo mundo

Volume aprox. de 10.360.230km3( 100 vezes mais abundante que as guas superficiais)

Alguns especialistas indicam que a quantidade de gua subterrnea pode chegar at 60 milhes de km3, mas a sua ocorrncia em grandes profundidades pode impossibilitar seu uso

Por essa razo, a quantidade passvel de ser captada estaria a menos de 4.000 metros de profundidade, compreendendo cerca de 8 e 10 milhes de km3

Ocorrncia das guas subterrneasNo Brasil

as reservas de gua subterrnea so estimadas em 112.000 km3 (112trilhesdem3) e a contribuio multi anual mdia descarga dos rios da ordem de 2.400 km3/ano ( 2%do volume)

Nem todas as formaes geolgicas possuem caractersticas hidrodinmicas que possibilitem a extrao econmica de gua subterrnea para atendimento de mdias e grandes vazes pontuais

As vazes j obtidas por poos variam, no Brasil, desde menos de 1m3/h at mais de 1.000m3/h

Qualidade das guas subterrneasDurante o percurso no qual a gua percola entre os poros do subsolo e das rochas, ocorre a depurao da mesma atravs de uma srie de processos fsico-qumicos e bacteriolgicos, tais como:troca inicadecaimento radioativoremoo de slidos em suspensoneutralizao de pH em meio porosoeliminao de microorganismos devido ausncia de nutrientes e oxignio que os viabilizem

A explorao de gua subterrnea est condicionada a fatores quantitativos, qualitativos e econmicos:

Quantidade: intimamente ligada condutividade hidrulica e ao coeficiente de armazenamento dos terrenos

Qualidade: influenciada pela composio das rochas e condies climticas e de renovao das guas

Econmico: depende da profundidade do aqfero e das condies de bombeamento

O que um aqufero ?Latim : carregar gua.Unidades rochosas ou de sedimentos, porosas e permeveis, que armazenam e transmitem volumes significativos de guasubterrnea passvel de ser exploradaEm oposio ao termo aqufero, utiliza-se o termo AQUICLUDEpara definir unidades geolgicas que apesar de saturadas e com grande quantidade de gua absorvida lentamente, so incapazes de transmitir um volume significativode gua

Estrutura Aqufero

Tipos de Aqufero

Tipos de Aqufero

Aqufero poroso ou sedimentar aquele formado por rochas sedimentares consolidadas, sedimentos inconsolidados ou solos arenosos, onde a circulao da gua se faz nos poros formados entre os gros de areia, siltee argila de granulao variadaAqufero

Aqufero fraturado ou fissuralFormado por rochas gneas, metamrficas ou cristalinas, duras e macias, onde a circulao da gua se faz nas fraturas, fendas e falhas, abertas devido ao movimento tectnicoEx.: basalto, granitos, files de quartzo, etc.Poos perfurados nessas rochas fornecem poucos metros cbicos de gua por hora

Aqufero crstico Formado em rochas calcarias ou carbonticas, onde a circulao da gua se faz nas fraturas e outras descontinuidades que resultaram da dissoluo do carbonato pela gua. Essas aberturas podem atingir grandes dimenses, criando nesse caso, verdadeiros rios subterrneos

Tipos de aquferosLivresSo aqueles cujo o topo demarcado pelo nvel fretico, estando em contato com a atmosfera. Normalmente ocorrem a profundidades de alguns metros a poucas dezenas de metros da superfcieSuspensos So acumulaes de guas sobre aquicludes, na zona insaturada, formando nveis lentiformes de aqferos livres acima do nvel fretico principalConfinados ocorre quando um estrato permevel (aqufero) est confinado entre duas unidades pouco permeveis (aquiclude) ou impermeveis

Principais impactos no aquferos

QUAIS SO OS IMPACTOS?Contaminao por agrotxicos em solos que no favorece a degradao do agentes qumicos, principalmente na zona de recarga dos aqferos

Superexplorao de aquiferos, que a explorao da gua subterrnea que ultrapassa os limites de produo das reservas reguladoras ou ativas do aqfero, iniciando um processo de rebaixamento do nvel potenciomtrico do mesmo

Subsidncia de solos movimento para baixo ou afundamento do solo causado pela perda de suporte subjacente, que leva ao colapso das construes civisAvano da cunha salina avano da gua do mar em superfcie , sobre a gua doce salinizando o aqufero

No encontro subterrneo da gua doce com a gua salgada forma-se uma interface denominada cunha salina. Por ser mais densa, a gua salgada fica abaixo da gua doce, permitindo que poos bem prximos praia ainda captem gua doce

O avano da cunha salina pode salinizar no s os poos , mas tambm as estruturas de ao e concreto de edifcios prximos ao mar.

Recommended

View more >