aula 01 - introd. uro

Download Aula 01 - Introd. Uro

Post on 26-Jun-2015

513 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Prof. Lus Fernando Sesti Curso de Biomedicina Aula 01Uroanlise & Lquidos Corporais - Prof Luis Sesti 1

Antes de iniciarmos a realizar os exames, necessrio entender como tudo comea...

Uroanlise & Lquidos Corporais - Prof Luis Sesti

2

Funo dos Rins: dosRins Excreo de produtos metablicos e qumicostxicos; Regulao do balano de gua e eletrlitos; Regulao da osmolaridade dos fluidos corporaise concentrao de eletrlitos; Regulao da presso arterial; Regulao do balano cido-base; Secreo, metabolismo e excreo de hormnios; Gliconeogenese;Uroanlise & Lquidos Corporais - Prof Luis Sesti 3

Fisiologia RenalCada Rim contm 1 a 1,5 milho de nfrons; nfrons Poro cortical remoo de resduos e reabsoro de nutrientes; Poro justamedular concentrao da urina.

Uroanlise & Lquidos Corporais - Prof Luis Sesti

4

Externamente, os rins so envolvidos por uma cpsula fibrosa. Internamente, cada rim contm cerca de 1 milho de pequenos tubos chamados, nfrons. no interior dos nfrons que a urina se forma. Cada nfron formado por duas partes principais: a cpsula de Bowman e os tbulos renais.

Uroanlise & Lquidos Corporais - Prof Luis Sesti

5

No interior da cpsula de Bowman se liga a um tbulo contorcido que desemboca numa ala em forma de 'U' (ala de Henle). A partir desta ala forma-se um outro tbulo contorcido. O conjunto desses tbulos forma os tbulos renais. Cada rim contm cerca de um milho de nfrons, o que torna esse rgo capaz de filtrar os excretas que circulam em nosso sangue.

Uroanlise & Lquidos Corporais - Prof Luis Sesti

6

As funes renais ocorrem por 4 processos principais: 1.Fluxo sanguneo renal; 2.Filtrao glomerular; 3.Reabsoro tubular; 4.S ecreo tubular.Uroanlise & Lquidos Corporais - Prof Luis Sesti 7

Fluxo Sanguneo Renal

Uroanlise & Lquidos Corporais - Prof Luis Sesti

8

Uroanlise & Lquidos Corporais - Prof Luis Sesti

9

Fluxo Sanguneo Renal

Uroanlise & Lquidos Corporais - Prof Luis Sesti

10

Uroanlise & Lquidos Corporais - Prof Luis Sesti

11

Filtrao Glomerular Base do processo ocorre no glomrulo; Trata-se de um filtro no seletivo, contudo relativamente impermevel a protenas (portanto o filtrado glomerular livre de protenas) e hemcias.Uroanlise & Lquidos Corporais - Prof Luis Sesti 12

Uroanlise & Lquidos Corporais - Prof Luis Sesti

13

Reabsoro tubular S omente no processo de filtrao glomerular so absorvidos aproximadamente 120 mL de gua e substncias essenciais a cada minuto! Impedindo essa perda, o corpo reabsorve atravs de processos de transporte ativo e passivo. O transporte ativo requer uma protena transmembrana e responsvel por: Glicose, AA e sais no tbulo contornado proximal; Cloreto, no ramo ascendente da ala de Henle; Sdio, no tbulo contornado distal.

Uroanlise & Lquidos Corporais - Prof Luis Sesti

14

O Transporte passivo o movimento de molculas atravs da membrana, como resultado de diferenas de potencial eltrico ou da sua [ ] nos lados da membrana; Essas diferenas fsicas so chamadas de gradientes; A reabsoro passiva de gua ocorre em todas as partes do nfron, exceto no ramo ascendente da ala de Henle, uma vez que as paredes so impermeveis gua. A uria passivamente reabsorvida nos tbulos contornados proximais e no ramo ascendente da ala de Henle e a reabsoro passiva de Na+ acompanha o transporte ativo de Cloreto no ramo ascendente da ala.Uroanlise & Lquidos Corporais - Prof Luis Sesti 15

Uroanlise & Lquidos Corporais - Prof Luis Sesti

16

Uroanlise & Lquidos Corporais - Prof Luis Sesti

17

>T anto o T como o TP so influenciados pela [ ] A da substncia a ser transportada. > Quando a [ ] plasmtica de uma substncia que, em geral, completamente reabsorvida atinge um nvel anormalmente elevado, a [ ] no filtrado excede a capacidade reabsorvida mxima (Tm) dos tbulos e a subst. comea a aparecer na urina. A [ ] plasmtica em que satura o T A denominada limiar renal.Uroanlise & Lquidos Corporais - Prof Luis Sesti 18

Concentrao no Ducto ColetorA [ ] final do filtrado atravs da reabsoro de H2O comea no final do tbulo contornado distal e continua no ductor coletor. A reabsoro depende do gradiente osmtico na medula e do hormnio vasopressina (hormnio antidiurtico [HAD]). S eria de esperar que ocorresse reabsoro passiva da H2O quando o filtrado diludo entrasse em contato com a alta [ ] osmtica do interstcio medular. No entanto, o processo controlado pela presena ou ausncia de HAD, o que torna as paredes do tbulo contornado distal e do ducto coletor permeveis ou impermeveis H2O. Hidratao Corporal = Hidratao Corporal = HAD = HAD = volume urinrio volume urinrio19

Uroanlise & Lquidos Corporais - Prof Luis Sesti

Em contraste com a reabsoro tubular, a secrec. tubular envolve a passagem de subst. do sangue nos capilares peritubulares para o filtrado tubular. Duas funes principais: Eliminao de produtos residuais no filtrados pelo glomrulo; Regulao do equilbrio cido-bsico do organismo atravs da secreo de ons de hidrognio. Muitos medicamentos so excretados por esta via j que so ligados protenas plasmticas.Uroanlise & Lquidos Corporais - Prof Luis Sesti 20

O produto final destes trs processos (FIL TRAO,REABS ORO ES ECREO) que passam atravs de tbulos coletores mais largos para os ureteres, que o transportam para a bexiga, da qual excretado atravs da uretra sob a forma de urina.Uroanlise & Lquidos Corporais - Prof Luis Sesti

21

Os constituintes da urina so os produtos da filtrao glomerular mais os produtos da secreo tubular menos as constituintes que voltam ao sangue atravs da reabsoro tubular.

Uroanlise & Lquidos Corporais - Prof Luis Sesti

22

...Aula 02 Introduo ao Exame de UrinaUroanlise & Lquidos Corporais - Prof Luis Sesti 23