auditoria operacional nos hospitais: estudo comparativo ...· auditoria operacional nos hospitais:

Download Auditoria Operacional nos Hospitais: Estudo Comparativo ...· Auditoria Operacional nos Hospitais:

Post on 17-Nov-2018

215 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Auditoria Operacional nos Hospitais: Estudo Comparativo entre o Setor

    Pblico e o Privado

    Mariana de Jesus de Almeida Ferreira

    2090263

    Dissertao de Mestrado

    Mestrado em Auditoria

    Porto 2015

    INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAO DO PORTO

    INSTITUTO POLITCNICO DO PORTO

  • ii

    Auditoria Operacional nos Hospitais: Estudo Comparativo entre o Setor

    Pblico e o Privado

    Mariana de Jesus de Almeida Ferreira

    2090263

    Dissertao de Mestrado

    apresentado ao Instituto Superior de Contabilidade e Administrao do Porto para a

    obteno do grau de Mestre em Auditoria, sob orientao da Professora Doutora

    Susana Adelina Moreira Carvalho Bastos

    Porto 2015

    INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAO DO PORTO

    INSTITUTO POLITCNICO DO PORTO

  • iii

    Resumo:

    Dada a sua estrutura organizacional complexa e a natureza delicada do servio prestado, os

    hospitais carecem de uma gesto eficaz e eficiente que os transforme em organizaes de

    excelncia. Fatores externos derivados das atuais imposies governamentais, como a

    necessidade de reorganizao dos servios no sentido de conteno de custos, a obteno de

    resultados econmicos positivos e, a incessante necessidade dos utentes em obter um

    atendimento de qualidade, so fatores que no simplificam o problema.

    As melhorias da qualidade dos servios de sade tm sido difceis de implementar em

    Portugal, no s porque estas exigem uma mudana fundamental na forma de pensar e de

    agir que conduzam alterao de comportamentos, hbitos e de prticas estabelecidas, mas

    tambm, porque estes processos requerem tempo, resilincia e uma participao ativa do

    Estado, e demais entidades reguladoras. A exigncia neste processo torna-se fundamental ao

    nvel da segurana, flexibilidade e da atuao sobre fatores estruturais e comportamentais,

    dado que os conceitos de economia, eficincia e eficcia so transversais a todos os

    procedimentos, desde o ato de atendimento, qualidade dos servios prestados por todos os

    profissionais e performance global dos atores envolvidos.

    No entanto, apesar da importncia de que se reveste um processo de mudana, o

    conhecimento de facto, por si s, no suficiente para desencadear e manter esta

    transformao, ainda no existe uma clara e concreta a correlao entre anlise e ao.

    Entende-se por isso, a necessidade do desenvolvimento do benchmarking hospitalar,

    integrado na filosofia do Balanced Scorecard, complementado com a opinio dos utentes e

    dos profissionais destes servios de sade, comparando o setor pblico com o privado.

    Aps efetuada a anlise aos dados recolhidos, recorrendo utilizao das metodologias

    previamente identificadas, concluimos que, a generalidade das hipteses formuladas se

    verificaram, tendo, por isso, alcanado os objetivos a que nos propusemos nesta

    investigao.

    Palavras chave: Hospitais; Balanced Scorecard; Desempenho; Auditoria.

  • iv

    Abstract:

    Due to its complexe organizational structure and to the delicacy of the service provided, the

    hospitals need and efficient and effective management that tranforme them into excelence

    organizations. External factors derivated from the actual governamental impositions, as the

    need to reorganize the services in order to contain the costs, the obtention of positive

    economic results and, the incessant need of the users in obtaining an attendance of quality,

    are factors that do not simplify the problem.

    The improvements of quality of the health services have been hard to implement in Portugal,

    not only because these require a fundamental change in the way of thinking and acting that

    conduct to the change of behavious, habits and of established practices, but also, because

    these processes require time, resilience and an active participation of the Government, and

    other regulator entities. The exigency in this process becomes fundamental at the level of

    security, flexibility and action upon structural and behavioral factors, given that the concepts

    of economy, efficiency and effectiveness are transversal to all the procedures, since the act

    of attendance, to the quality of the services provided for all the professionals and to the

    global performance of the involved actors.

    However, despite the importance in which is coated a process of change, the knowledge of

    fact, by itself, is not enough to initiate and maintain this tranformation, there isnt still a clear

    and concrete correlation between analyses and action. Therefore, it is understood that the

    need of the development of the hospitalar benchmarking, integrated in the philosophy of the

    Balanced Scorecard, complemented with the opinion of the users and the professionals of

    these health services, comparing the public system with the private.

    Once performed the analyses of the collected data, using the methodologies previously

    identified, weve concluded that, the generality of the formulated hypothesis have been

    verified, having, therefore, achieved the objectives to which weve purposed ourselves on

    this investigation.

    Key-words: Hospitals; Balanced Scorecard; Performance; Auditory.

  • v

    memria do meu pai,

    do meu Av Carpinteiro, Meu Velho, Meu Amigo

    e da minha querida av Irene.

  • vi

    Agradecimentos

    minha famlia:

    minha me, pelo amor, apoio, carinho, compreenso e sobretudo por me mostrar como

    ser uma lutadora.

    minha irm, por estar sempre onde eu mais preciso dela e por desfazer sempre todos os

    ns.

    minha madrinha, por tudo o que j fez por mim e por me ter dado a mais linda e querida

    inspirao, a Kika.

    Ao Daniel, por todo o amor, por toda a pacincia, sem ti este percurso tinha sido bem mais

    escuro e triste.

    minha fantstica orientadora:

    Pelo dom que ela possui. Saber ensinar, saber ter pacincia, e querer o melhor dos outros,

    so virtudes de poucos!

    Sem vocs isto no seria possvel,

    A todos o meu muito obrigado.

  • vii

    Muitos, por exemplo, pensam que as mudanas e as reformas podem acontecer em pouco

    tempo. Eu creio que ser sempre necessrio tempo para lanar as bases de uma mudana

    verdadeira e eficaz. Este o tempo do discernimento.

    Papa Francisco, 2013

  • viii

    Lista de Abreviaturas

    ACS Agente Comunitrio de Sade

    ACSS Administrao Central do Sistema de Sade

    ADM Assistncia na Doena aos Militares

    ADSE - Assistncia na Doena aos Servidores Civis do Estado

    APHP Associao Portuguesa de Hospitalizao Privada

    ARS Administrao Regional de Sade

    BSC Balance Scorecard

    CA Conselho de Administrao

    CAE Cdigo de Classificao das Atividades Econmicas

    CE Comisso Europeia

    CEAOB Committe of European Audit Oversight Bodies

    CEE Comunidade Econmica Europeia

    CHSJ Centro Hospitalar de So Joo

    CLC Certificao Legal de Contas

    CMVM Comisso do Mercado de Valores Mobilirios

    CMVMC Custo das Mercadorias Vendidas e Matrias Consumidas

    CNSA Conselho Nacional de Superviso de Auditoria

    CP Contrato-Programa

    CSC Cdigo das Sociedades Comerciais

    CT Cdigo do Trabalho

    DF Demonstraes Financeiras

    DGS Direo Geral de Sade

    DL DecretoLei

    EIP Empresas de Interesse Pblico

    EPE Empresas Pblicas Empresariais

    ERS Entidade Reguladora da Sade

    EU OSHA Agncia Europeia para a Segurana e Sade no Trabalho

    EUA Estados Unidos da Amrica

    EUROFOUND Fundao Europeia para a Melhoria das Condies de Vida e de Trabalho

    FSE Fornecimentos e Servios Externos

    GDH Grupos de Diagnstico Homogneo

    GJMS Grupo Jos Mello Sade

    ICM ndice de Case-Mix

    IFAC International Federation of Accountants

    INE Instituto Nacional de Estatstica

    INFARMED - Autoridade Nacional do Medicamento e dos Produtos de Sade

    INTOSAI - International Organization of Supreme Audit Institutions

    INTOSAI - The International Organization of Supreme Audit Institutions

    IPAI Instituto Portugus de Auditores Internos

    IPSS Instituies Particulares de Solidariedade Social

    IRAR ndice de Readmisses Ajustadas pelo Risco

    ISA International Standard on Auditing

    ISCAP Instituto Superior de Contabilidade e Administrao do Porto

    KMO Kraiser-Meyer-Olkin

    KPI Key Performance Indicators

  • ix

    MCDT Meios Complementares de Diagnstico e Teraputica

    MEP Mtodo da Equivalncia Patrimonial

    MLP Mdio e Longo Prazo

    MSA Medidas de Adequao de Amostragem

    NA No Aplicvel

    NPM New Public Management

    OCDE Organizao para a Cooperao e Desenvolvimento Econmico

    OMS Organizao Mundial de Sade

    ONU Organizao das Naes Unidas

    OPSS Observatrio Portugus de Sade Pblica

    PET/TAC Tomografia de Emisso de Positres com Tomografia Axial Computarizada

    PIB Produto Interno Bruto

    PMP Prazo Mdio de Pagamentos

    PMR Prazo Mdio de Recebimentos

    PNS Plano Nacional de Sade

    POCMS Plano Oficial de Contabilidade do Ministrio Pblico

    PPP Parcerias Pblico-Privadas

    PWC PricewaterhouseCoopers

    RLP Resultado Lquido do Perodo

    ROC Revisores Oficiais de Contas

    ROI Return on Investment

    ROS Return on Sales

    SAD Sade e Assistncia na Doena

    SAI Sistema de Auditoria Interna

    SAMS Servios de Assistncia Mdico-

Recommended

View more >