atps internacionalização

Download Atps Internacionalização

Post on 18-Dec-2015

11 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

ATPS

TRANSCRIPT

O que internacionalizao

Internacionalizar significa atuar em diferentes naes conduzindo movimentos de fatores de produo como transferncias de capital, desenvolvendo projetos em cooperao com parceiros estrangeiros ou simplesmente comercializando os seus produtos e/ou prestando servios noutros pases.

A internacionalizao , presentemente, um dos vetores chave do modelo por que se regem as relaes econmicas internacionais. J no pois possvel encarar a atividade de uma empresa somente no contexto do seu mercado nacional. A crescente interligao entre naes induziu o aumento do comrcio internacional, a expanso do investimento alm-fronteiras, a homogeneidade acrescida dos padres de consumo e, em ltima anlise, a maior aproximao entre os povos. Em resultado, as empresas tm de penetrar nos mercados externos para tirar partido das novas oportunidades de negcio.

Se, at h poucos anos, internacionalizar representava uma aventura solitria para a empresa e que obrigava, inevitavelmente, passagem dos seguintes estgios:

a) Exportao ocasional;

b) Exportao por intermdio de um agente;

c) Exportao por intermdio de uma filial comercial;

d) Implantao produtiva que se substitui, total ou parcialmente ao fluxo de exportao.

Internacionalizar , cada vez mais, integrar-se numa rede de acordos inter-empresariais erigidos por cima das fronteiras polticas. Por esta razo, a seleo de parceiros e de modelos contratuais passaram a ser um aspeto chave na estratgia internacional da empresa.

A supresso das fronteiras econmicas nacionais abre outras potencialidades cooperao que passa a substituir a lgica tradicional da prevalncia dos movimentos de internacionalizao. J no se trata de se mover de um mercado para outro. Trata-se primeiro de sobreviver e depois de triunfar num mercado integrado.

A estratgia a desenvolver deve, portanto, assentar no na interveno individualizada da empresa mas sim numa associao que permita uma maior interveno no mercado global.

Nesta viso do que a internacionalizao e de quais as estratgias a adoptar est includa a nova vertente da digitalizao da economia, que proporciona enormes economias de rede e em que a rede se configura muito bem com uma lgica de alianas, as empresas portuguesas no se podero alhear deste novo modo de operar nos mercados internacionais que, com maior rigor, devero ser substitudos por mercado global.

H que no esquecer esta espcie de novo mercado geogrfico, a Internet, que pode permitir a um tempo uma presena mundializada de qualquer empresa e uma mais fcil concretizao das redes ou das alianas desejadas.

Claro que todas estas novas orientaes estratgicas criam novos desafios organizao empresarial, portanto s modalidades de gesto de projectos, impe mesmo, que se arrisque na busca de novas estratgias.

A questo da internacionalizao de uma indstria ou de uma empresa moderna deixou de ser uma opo para se tornar numa questo de sobrevivncia.

Fontes:

Manual Internacionalizao, AIMinho

Modelos de Internacionalizao

1- A Exportao

2- Licenciamento

3- Joint-Venture

4- Contrato de Gesto

5- Investimento directo no estrangeiro

As estratgias de internacionalizao podem ser diversificadas, envolvendo um leque de opes que vo desde as aes de exportao abertura de filiais, podendo passar pelo estabelecimento de alianas com parceiros externos.

Formas de internacionalizar:

1 - Exportao

Quando um produto ou servio transportvel, o processo de internacionalizao inicia-se geralmente pela exportao. Esta a forma de internacionalizao utilizada pela grande maioria das PME portuguesas.

O dinamismo de gesto, o conhecimento dos mercados, os recursos mobilizveis, a obteno gradual de capacidade criativa e o estabelecimento de relaes de confiana ou parceria com certos clientes so os fatores que mais contribuem para a consolidao da atividade exportadora de uma empresa.

O risco inerente ao processo limitado e poder ser controlado mais facilmente. A rendibilidade razovel e a necessidade de controlo dos produtos ao longo dos canais de distribuio normalmente reduzida.

2 - Licenciamento

Nesta forma de internacionalizao no existe transferncia de produtos mas de know-how. O licenciamento prev o estabelecimento de um contrato entre duas empresas, pelo qual uma delas, sendo detentora de determinado know-how, se compromete a transferi-lo outra mediante uma retribuio acordada. Associados a estes processos normalmente esto uma marca protegida e j implementada no mercado ou uma tecnologia devidamente patenteada. O recurso a contratos de licena uma importante forma de rentabilizar a capacidade tecnolgica de uma empresa.

Este tipo de internacionalizao, atualmente em rpida expanso, nomeadamente na sua forma de franchising, permitire aos franchisados uma rpida expanso para o seu negcio, conferem ao licenciador um controlo mais efetivo dos produtos ao longo dos canais de distribuio. Tm algum risco para os licenciadores, bastante atenuado no caso dos sistemas de franchising, mas a rendibilidade de todo o processo mais reduzida do que no sistema anterior. Normalmente, esto associados a um processo de licenciamento fortes investimentos em publicidade, a fim de ser provocada uma forte notoriedade da marca e um prazo de retorno de investimento relativamente longo at que o negcio esteja a funcionar em pleno.

3-Joint-Ventures

So alianas que se estabelecem entre empresas de diferentes pases, visando a partilha do conhecimento dos mercados, do Know-how, dos investimentos e do risco. Neste processo poder haver um maior controlo sobre os produtos at ao mercado. O risco maior para os intervenientes, mas os rendimentos tambm so mais substanciais.

4 - Contrato de gesto

O contrato de gesto um modo de internacionalizao que permite combinar capital local e know-how estrangeiro. Esta a forma mais rpida de internacionalizar um servio que exige infra-estruturas pesadas (hotelaria, instalaes desportivas, etc.) ou de contornar as situaes em que a legislao de um pas obriga a que maioria das aes de determinada empresa seja detida por nacionais.

5 - Investimento Direto no Estrangeiro

a forma de internacionalizao pela qual uma empresa decide entrar em determinado mercado por sua conta e risco. A perspetiva de obteno de lucros maiores supera os riscos inerentes.

O investimento direto no estrangeiro pode assumir as seguintes formas:

- Deslocalizao da produo: normalmente, tem por base os aliciantes da mo-de-obra ou das matrias-primas a preos mais baixos. So muito poucas as empresas portuguesas que optam por esta forma de internacionalizao, talvez pelo risco associado ou por questes de incapacidade financeira ou, simplesmente, porque Portugal mantm-se como um bom local de produo.

- Investimento comercial: trata-se de um importante salto qualitativo face mera atividade exportadora. A empresa envolve os seus prprios recursos e constitui uma nova empresa no pas estrangeiro, permitindo-lhe por um lado um maior controlo sobre o processo de comercializao e respectivos canais de distribuio e, por outro, a reduo dos intermedirios na sua relao com o mercado externo;

- Expanso empresarial: neste caso, so constitudas empresas no estrangeiro, imagem da empresa nacional, como forma de facilitar a penetrao em certos mercados. Estas filiais no tm apenas funes comerciais, mas tambm de concepo do produto, engenharia do produo, processo produtivo, etc.

Fontes:

Manual Internacionalizao,

Riscos e Vantagens

Como se faz

1- Identifique as oportunidades e ameaas internacionais2- Identifique os pontos fortes e fracos da empresa3 - Estabelea objectivos e elabore a estratgia A exemplo de outras estratgias definidas para a empresa, tambm a estratgia de internacionalizao passa por uma anlise do mercado, da concorrncia, dos potenciais clientes e dos pontos fracos e fortes da nossa estrutura, por forma a podermos definir objetivos e linhas de ao.

1. Identificao das oportunidades importante montar um sistema de vigilncia a nvel internacional, de forma a poder eliminar partida os espaos geogrficos internacionais que no tenham potencial de expanso ou nos quais a concorrncia j domine o mercado. uma fase complexa, em que deve fazer uma anlise do ambiente concorrencial internacional e que inclui:a) Anlise da atractividade da indstria a definio da dinmica internacional do setor, das presses externas (regulamentares, scio-econmicas, tecnolgicas, grau de proteccionismo, etc.) e da segmentao da indstria internacional (identificao e seleco dos critrios de segmentao).b) Agressividade concorrencial visa fazer uma anlise das caratersticas do sistema concorrencial internacional e as reestruturaes observadas ou previstas, bem como proceder identificao das foras da concorrncia internacional (ameaa de novos concorrentes ou de produtos substitutos e o poder negocial dos fornecedores e dos clientes).c) Definio dos fatores crticos de sucesso da indstria dever analisar estes fatores, quer do ponto de vista da oferta quer da procura nos mercados internacionais. De seguida, dever criar cenrios de evoluo possveis e quais as estratgias vencedoras em cada um dos cenrios.Esta fase requer que se faa um estudo prvio e cauteloso no s dos potenciais clientes e das condies concorrenciais prevalecentes no novo destino (vulgarmente designado, por estudo de mercado), mas tambm das possibilidades de retaliao no mercado de origem das empresas (ou at dos produtos) que se vem confrontados com um novo desafio.Esta anlise vai permitir selecionar o mercado onde actuar baseado em critrios lgicos. De uma maneira geral, e para conhecer melhor o mercado onde se pretende vender, a recolha de dados como o PIB e PIB per capita, populao, ndices de poder de compra, distri