atps filosofia aplicada ao serviço social

Download Atps Filosofia Aplicada Ao Serviço Social

Post on 15-Jan-2016

8 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Atps Filosofia Aplicada ao Serviço Social

TRANSCRIPT

Slide 1

ATIVIDADE PRTICA SUPERVISIONADA

UNIVERSIDADE ANHANGUERA - UNIDERPCENTRO EDUCACIONAL A DISTNCIAPOLO JARDIM-MS/ UNIDADE 1CURSO SUPERIOR DE SERVIO SOCIALFilosofia Aplicada ao Servio SocialNome do(s) Alunos (s) e RA(s):* RA 411095 - Fabiana da Costa Ribeiro Gonalves;* RA 430675 Joo Henrique Rios de Castilho;* RA 426431 - Ivone Duarte Ferreira;* RA 443460 - Tnia Mirleyn Lopes Marchado;* RA 438742 Mainara Aliendre Garcia.

Nome do tutor presencial: Mara Tibiri MonteiroNome do tutor distncia: Ma. Mariciane Moraes NunesJARDIM MS, 25 de Novembro de 2013

Objetivos:Compreenso do significado social da profisso e de seu desenvolvimento scio histrico, nos cenrios internacional e nacional, ao desvelar as possibilidades de aes contidas na realidade.

Identificao das demandas presentes na sociedade, visando a formular respostas profissionais para o enfrentamento da questo social.

Utilizao dos recursos da informtica na rea do Servio Social.21. IntroduoA atividade nos foi posta em forma de desafio, desmembrando-se em etapas. Em sentido geral, Atividade Supervisionada ATPS, constitui-se em exerccio reflexivo do conceito de filosofia, outras formas de conhecimento envolvendo o senso comum e a conscincia filosfica do mundo, acrescida de estudos sobre as correntes filosficas e suas influncias no Servio Social.Em termos especficos as etapas do desafio se constituem no passo a passo sobre o contedo geral da disciplina. Especificado da seguinte forma:Etapa 1, explicitar as concepes iniciais sobre a constituio do ser humano;Etapa 2, compreender o conceito de Filosofia; Etapa 3, compreender e refletir sobre as tarefas da Filosofia;Etapa 4 estabelecer um paralelo entre o conhecimento prvio apresentado na Etapa 1 desta ATPS e as vivncias e estudos das etapas seguintes.O objetivo do desafio a elaborao de um relatrio final sobre a Filosofia aplicada ao Servio Social.Nesta Atividade Prtica Supervisionada - ATPS procura-se atravs das diretrizes do desafio passo a passo compreender o significado social da profisso do Assistente Social e de seu desenvolvimento scio histrico, nos cenrio internacional e nacional, ao aprimorar as possibilidades de aes contidas na realidade.

32. Desenvolvimento

2.1 REFLEXO SOBRE O CONTEDO GERAL DA DISCIPLINA:2.1.1 O que o mundo e realidade?O mundo distingue o planeta inteiro ou a populao de qualquer pas ou regio em particular: negcios mundiais so esses que pertencem no s a um lugar, mas ao mundo inteiro, e histria mundial um campo de histria que examina acontecimentos de uma perspectiva global (alm do aspecto nacional). A terra, por outro lado, refere-se a planeta como uma entidade fsica, e distingue de outros planetas e objetos fsicos.Realidade (do latim realitas isto , "coisa") significa em uso comum "tudo o que existe". Em seu sentido mais livre, o termo inclui tudo o que , seja ou no perceptvel, acessvel ou entendido pela cincia, filosofia ou qualquer outro sistema de anlise. O real tido como aquilo que existe, fora da mente. Ou dentro dela tambm. A iluso, a imaginao, embora no esteja expressa na realidade tangvel extra-mentis, existe ontologicamente, oticamente* (relativa ao ente - vide Heidegger in "Ser e tempo")*, ou seja: intra-mentis. E, portanto real, embora possa ser ou no ilusria. A iluso quando existente real e verdadeira em si mesma. Ela no nega sua natureza. Ela diz sim a si mesma. A realidade interna ao ser, seu mundo das ideias.

2.1.2 O que ser humano?Quando temos que definir palavras (palavras-conceitos) s vezes as coisas no so to simples quanto imaginamos. A filosofia conhecida como existencialismo tem suas razes no sculo 19, mas a maioria dos seus textos apareceu no sculo 20. Existencialistas preferem responder a essa pergunta com outra pergunta, o que significa existir como um ser humano? Eles procuram a condio nica do ser humano, contrastando com a existncia que caracteriza objetos no humanos. A viso existencialista tpica refletida no slogan existncia precede essncia

42. Desenvolvimento2.1.3 O que viver em sociedade?A sociedade humana formada de pessoas que tm necessidade umas das outras para continuar a espcie, buscar seus objetivos e realizar sonhos. Sem as comunidades o homem no se organizaria e no sobreviveria. o outro que ajuda na busca por alimento e abrigo. Seja da forma mais simples, quando o pequeno agricultor planta e colhe. Seja atravs do que constri, do que cuida de doenas, do que educa. Enfim, uma imensa corrente permite que o ser humano nasa, cresa, viva. O mundo moderno exige cada vez mais que essa ajuda seja diria, porm ela imperceptvel para muitos. Seres humanos tm necessidades materiais e espirituais. Cada um precisa de afeto, ateno, carinho, respeito. Todos tm uma f e esperana que o ajudam no dia-a-dia. Com isso adquirem foras, muitas vezes, at sobrenaturais. E conseguem transpor montanhas. Viver em sociedade uma necessidade vital para o ser humano. Uma pessoa rica que se isola em uma ilha, porque l tem alimentos suficientes para seu sustento, no estar bem. Ela sentir falta de algum para lhe fazer companhia. Ser triste e sozinha, necessitar de algum.

2.1.4 Qual a grande finalidade da vida social?A grande finalidade da vida social o contato com amigos, o conhecimento de novas pessoas e a viso que os outros tm sobre a pessoa na sociedade, que o motiva a aprender coletivamente e perceber responsabilidades e compromissos sociais. Vida social um padro de comportamento que envolve o indivduo e a sociedade, caracterizado pela suas inter-relaes.52. Desenvolvimento2.1.5 O que conhecimento e para que ele serve na vida dos seres humanos?Conhecimento o ato ou efeito de abstrair uma determinada ideia ou a noo de alguma coisa. Conhecimento tambm inclui descries, hipteses, conceitos, teorias, princpios, procedimentos e outros, e o estudo do conhecimento chamado de gnosiologia, ou seja, aqui que se sabe de algo ou algum. O conhecimento dividido em uma srie de categorias: conhecimento sensorial, que o conhecimento comum entre seres humanos e animais, conhecimento intelectual que o raciocnio; pensamento do ser humano, conhecimento popular, que a forma de conhecimento de uma determinada cultura, conhecimento cientfico que so anlises baseadas em provas, conhecimento filosfico que est ligada construo de idias e conceitos, conhecimento teolgico que o conhecimento adquirido a partir da f, e muitos outros.Pode-se responder que serve para resolver problemas prprios da vida cotidiana das pessoas. Ou que possibilita ao homem melhor conhecer a si mesmo, ao seu ambiente e sociedade. Ou at que pode contribuir para melhoria da formao humana dos sujeitos. Ou, numa ltima possibilidade apontada nesse momento, apontar procedimentos que visem sobrevivncia da espcie humana.

2.1.6 O que e ser cidado?Ser cidado ter direito vida, liberdade, propriedade, igualdade perante a lei: ter direitos civis. tambm participar no destino da sociedade, votar, ser votado, ter direitos polticos. Os direitos civis e polticos no asseguram a democracia sem os direitos sociais, aqueles que garantem a participao do indivduo na riqueza coletiva: o direito educao, ao trabalho justo, sade, a uma velhice tranquila.62. Desenvolvimento2.1.7 Existe uma relao intima entre cidadania e qualidade de vida dos seres humanos? JustifiqueSim. Porque cidadania e qualidade de vida um direito do ser humano. Envolve o bem fsico, mental, psicolgico e emocional, alm de relacionamentos sociais, como famlia e amigos e tambm asade,educao,poder de compra,habitao, saneamento bsicoe outras circunstncias da vida. No deve ser confundida compadro de vida, uma medida que quantifica a qualidade e quantidade de bens e servios disponveis.

2.1.8 As condies de vida so termmetro de nossa situao de cidado. D um exemplo.Sim as condies de vida de um cidado revela a sua situao. Exemplo: Os trabalhadores rurais no Brasil, trabalhadores empobrecidos, socialmente marginalizados e intoxicados pelos agrotxicos. Entretanto, apesar da veracidade e dessa triste realidade ser ainda muito frequente em nosso meio, necessrio conhecer melhor o problema, na perspectiva da mudana desse quadro, oferecendo condies de trabalho seguro e digno.

2.1.9 O bem-estar pessoal e coletivo tambm sinnimo de uma vida cidad?Sim, se todos respeitarem uns aos outros, a individualidade e o direito de cada um, colaboraram para uma vida cidad.

72. Desenvolvimento2.1.10 O preconceito amplo no meio social. Vocs poderiam citar um preconceito que faz parte do cotidiano da nossa sociedade? Qual seu posicionamento em relao a ele? Sim. Um preconceito que faz parte do cotidiano o tratamento diferencial entre classes sociais. A aparncia, o modo de vestir e mesmo de se comunicar influencia muito na forma como voc tratado. O ser humano vale o que tem e no o que .Outro seria preconceito contra homossexuais:Inmeros so os exemplos, de agresses fsicas e verbais, passando por comentrios maliciosos ou ofensivos. Ainda no contexto, diversos so aqueles que se veem obrigados a esconder a opo sexual, temendo, por exemplo, uma retaliao dos familiares. No sou a favor mais respeito cada um.

2.2 RELATRIO SOBRE O QUESTIONRIO:A filosofia conhecida como existencialismo tem suas rtextos apareceu no sculo 20. Existencialistas preferem responder a essa pergunta com outra pergunta, o que significa existir como um ser humano? Eles procuram a condio nica do ser humano, contrastando com a existncia que caracteriza objetos no humanos. A viso existencialista tpica refletida no slogan existncia precede essncia.

uma viso antiga da filosofia que a essncia de algo o conjunto de propriedades que fazem a coisa ser o que ela . Objetos no podem perder essas propriedades sem se tornarem objetos diferentes ou tipos diferentes de objetos. A essncia de uma rvore de cereja, por exemplo, consiste na sua estrutura firme, estrutura da raiz, construo gentica e as flores que