atlas schindler - tjmmg.jus.br  · atlas schindler razões de recorrente de elevadores atlas...

Download Atlas Schindler - tjmmg.jus.br  · Atlas Schindler Razões de Recorrente de Elevadores Atlas Schindler

Post on 16-Dec-2018

223 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Atlas Schindler

ILMO. SR. PREGOEIRO DO PREGO PRESENCIAL N 15/2012, DO TRIBUNAL DE

JUSTIA MILITAR DO ESTADO DE MINAS GERAIS

Prego Presencial n 15/2012

ELEVADORES ATLAS SCHINDLER S.A., j qualificada, vem, respeitosamente, por seu

representante infra assinado, com fundamento no artigo 4. inciso XVIII. da Lei

10.520/02 c/c o artigo 109. l. "a" da Lei n 8.666/93. apresentar

RECURSO ADMINISTRATIVO,

com efeito suspensivo,

contra a deciso que considerou vencedora da presente licitao a licitante SEME -

SERV. ESP. MANUTENO DE ELEVADORES LTDA ME.

Requer, outrossim, seja reconsiderada a r. deciso recorrida ou, caso contrrio, seja o

presente, com as anexas razes, encaminhado autoridade superior competente para

julg-las, na forma do 54 do art. 109 da Lei n 8.666/93.

Nestes termos,

P. Deferimento.

Belo Horizonte, 05 d /f\ovembro de 2012.

ELEVADORES ATL INDLERS.A

tnio Rodrigues S. Neto"'SOR GERAL DE OPERAES

TJM-MG

30587201217

PROTOCOLO

n LI n i :i iillllllllllililll!!

CPROT

Atlas Schindler

Razes de Recorrente

de

Elevadores Atlas Schindler S.A.

DO PROCEDIMENTO LICITATQRIO

A presente licitao tem por objeto a "contratao de empresa especializada em

prestao de servios de manuteno preventiva e corretiva, e implementao da

norma atual, com incluso de peas em 02 (dois) elevadores da marca Atlas Schindler

instalados no Prdio Sede da Justia Militar do Estado de Minas Gerais, localizado

Rua Tomaz Gonzaga, n, 686, Bairro de Lourdes, Capital" (O destaque no do

original)

No dia 31/10/2012, compareceram sesso pblica de licitao as empresas (a)

Elevadores Atlas Schindler S.A.; (b) FHALL Elevadores e Servios Ltda-ME; e (c) SEME -

Serv. Esp. Manuteno de Elevadores Ltda. .

Realizada a etapa dos lances, a licitante SEME foi declarada vencedora, oportunidade

em que a Atlas Schindler manifestou sua inteno de recorrer.

Conforme restar demonstrado, a licitante SEME jamais poderia ter sido considerada

habilitada, eis que apresentou atestado de capacidade tcnica insuficiente para o

objeto da licitao em apreo, violando as disposies contidas no item 7.1.4.2 do

Edital e no art. 30. inciso II. da Lei n 8.666/93

DA NECESSIDADE DE REFORMA DA

DECISO RECORRIDA

ll.a) Da Violao ao Item 7.1.4.2 do Edital

A licitante SEME no poderia ter sido declarada vencedora da disputa, uma vez que o

atestado de capacidade tcnica apresentado pela referida licitante no atende ao

requisito estabelecido no item 7.1.4.2 do Edital, que assim exige:

Atlas Schindler

"7.1.4- Para a comprovao da qualificao tcnica:

(...)

7.1-4.2 - Atestado de Capacidade Tcnica Operacional, expedido por pessoa jurdica

de direito pblico ou privado, devidamente registrado no Conselho Regional de

Engenharia, Arquitetura e Agronomia - CREA da regio onde os servios foram

executados, que comprove ter a Empresa prestado servio em elevadores compatveis

corn.o objeto destajiqtao poi um penndo mnimo do 01 (um) ano. (O destaque no

do original)

Como se sabe, a referida exigncia visa conferir aplicabilidade ao art. 30, inciso II, da

Lei n 8.666/93, que assim dispe:

"Art, 30. A documentao relativa qualificao tcnica limitar-se- a:

(...)

II - comprovao de aptido para desempenho de atividade pertinente e compatvel em

CARACTERSTICAS, quantidades e prazos com o objeto da licitao, e indicao das

instalaes e do aparelhamento e do pessoal tcnico adequados e disponveis para a

realizao do objeto da licitao, bem como da qualificao de cada um dos membros da

equipe tcnica que se responsabilizar pelos trabalhos" (O destaque no do original)

De acordo com o referido dispositivo legal, somente poderia ser considerada

habilitada, no presente certame licitatrio, a empresa que comprovasse, mediante a

apresentao de atestado, estar apta a prestar servio pertinente e compatvel em

caractersticas, quantidades e prazos com o objeto da licitao (art. 30. inciso II, da Lei

n 8.666/93).

Nada mais lgico, portanto, que, sendo os servios licitados especficos, a licitante

vencedora tivesse que comprovar, especificamente, a prestao de tais servios, no

caso, manuteno preventiva e corretiva, com incluso de peas, em elevadores de

tecnologia Atlas Schindler.

Ocorre que a licitante SEME no conseguiu comprovar a referida experincia, uma vez

que o atestado apresentado pela mesma no permite aferir se o servio inclua o

fornecimento de peas por parte da contratada, conforme exigncia do presente

Edital.

Atlas Schindler

Ademais, no possvel sequer cogitar de eventual diligncia, visando complementar

os dados fornecidos pelo insuficiente atestado tcnico apresentado pela licitante SEME,

sob pena de flagrante violao do item 5.4 do Edital, que dispe:

"5.4 - Aps a abertura das propostas, no ser admitido cancelamento, incluso ou

excluso de documentos, retirada da proposta ou alterao nas suas condies, ficando o

licitante sujeito suspenso ou cancelamento de seu registro, de acordo com as previses

legais, alm da incluso no Cadastro de Fornecedores Impedidos de Licitar e Contratar

com a Administrao Pblica Estadual, institudo pela Lei n 13.994, de 18/09/2001." (O

destaque no do original)

Desse modo, verifica-se que o aludido atestado no atende ao disposto no item

7.1.4.2 do Edital, pois ele se refere, apenas, prestao de servios de manuteno de

elevadores, sem a aplicao de peas, sendo incontestvel, todavia, que uma parcela

de grande relevncia do objeto da presente licitao , justamente, o fornecimento e a

instalao das peas necessrias regular realizao do servio licitado e ao bom

funcionamento dos equipamentos

Com efeito, o Edital da presente licitao traz um minucioso regramento relativamente

ao fornecimento de peas pela contratada, revelando a importncia da atividade em

questo. Nesse sentido, merecem destaque os itens abaixo transcritos, do Anexo l do

Termo de Referncia:

"3. FORNECIMENTO DE MATERIAIS, PEAS E COMPONENTES

3.1. Todos os materiais/peas/componentes a serem utilizados obedecero

rigorosamente s especificaes das normas tcnicas vigentes e esto includos no

escopo de fornecimento da CONTRATADA sem nus adicional para o TRIBUNAL.

3.2. Todas as peas e componentes de reposio devero ser novos, originais e no

sero aceitas, em hiptese alguma, peas ou componentes recondicionados.

3.3. Todas as peas e materiais com maior frequncia de reposio tais como: fusveis,

escovas, correias, terminais, chaves contadoras, mancais, rolamentos, filtros, leo,

juntas, correias, etc, devero ficar em estoque na CONTRATADA. O fornecimento

tempestivo de insumos e a disponibilidade de local para guarda destes insumos

necessrios a realizao de manutenes preventivas e corretivas, ser de exclusiva

responsabilidade da CONTRATADA.

(...)

Atlas Schindler

3.7. Equivalncia de especificaes e qualidade:

3.7.1. Todo material/pea de reposio utilizado pela CONTRATADA dever guardar

absoluta equivalncia quanto s especificaes e qualidade em relao ao que for

substitudo;

3.7.2. A aplicao por parte da CONTRATADA de qualquer material/pea que no

apresente equivalncia construtiva, ou seja, de qualidade inferior ao substitudo,

ensejar na obrigao da CONTRATADA em efetuar a devida regularizao

imediatamente, sem quaisquer nus ao TRIBUNAL.

3.8. Garantia dos materiais/peas utilizados:

A CONTRATADA dar garantia aos materiais/peas utilizados, atendendo em especial o

disposto no Cdigo Civil e no Cdigo de Defesa do Consumidor e legislao

pertinente."

As disposies editalcias, acima transcritas, que estipulam, contratada, em sntese, o

dever de empregar peas novas e originais, compatveis com os normativos tcnicos e

equivalentes qualidade das substitudas; o dever de manter, em estoque, os

componentes de emprego mais frequente; e, ainda, o dever de garantir as peas e

componentes nos termos da legislao aplicvel, revelam, cabalmente, a importncia e

complexidade desse aspecto do objeto licitado.

Em outros termos, por ser o servio de manuteno, com fornecimento de peas,

muito mais complexo do que a manuteno ordinria de elevadores, sem aplicao de

peas, a habilitao da SEME esbarra no 53 do art. 30 da Lei n 8.666/93. que assim

dispe:

" 3Q Ser sempre admitida a comprovao de aptido atravs de certides ou

atestados de obras ou servios similares de complexidade tecnolgica e

operacional equivalente ou superior."

(O destaque no do original)

importante ressaltar que as tecnologias dos elevadores so diferenciadas e

complexas, e o emprego de peas inadequadas ou de qualidade inferior, acarreta,

necessariamente, uma manuteno incorreta, o que, conseqentemente, pode gerar

instabilidade nos equipamentos, resultando na falta de segurana para os usurios.

Atlas Schindler

A ttulo de curiosidade, vale ressaltar que um elevador tem, em mdia, mais de 20.000

(vinte mil) peas!

Desse modo, a insuficincia do atestado de capacidade tcnica apresentado pela

SEME, que no permite verificar se a mesma detm a necessria experincia em

manuteno de elevadores, com fornecimento de peas, colocar e

Recommended

View more >