assistente contbil

Download assistente contbil

Post on 17-Jul-2015

320 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIANosso site: www.alvescontabilidade.com Fone/Fax:(xx11) 3229-9277

1

CURSO DE ASSISTENTE CONTBIL

CONTEDO PROGRAMTICO INTRODUO A CONTABILIDADE CONTABILIDADE GERAL CONTABILIDADE DE CUSTOS CONTABILIDADE FISCAL

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIANosso Site: www.alvescontabilidade.com

1

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIANosso site: www.alvescontabilidade.com Fone/Fax:(xx11) 3229-9277

2

CURSO: ASSISTENTE CONTBIL

INTRODUO A CONTABILDADEA contabilidade Desde os primrdios da histria humana, a necessidade de quantificao dos bens ou recursos possudos por um determinado individuo, se faz presente. A sobrevivncia do homem dependia desta informao. Posteriormente surgiu o domnio de um individuo sobre outro, ou outros. A necessidade de informao tornou-se ento o cerne desta quantificao. Por toda a Antiguidade, Idade Mdia, Idade Moderna e hoje, na Idade Contempornea, esta quantificao representa vantagem estratgica para quem dela se utiliza. Assim, a Contabilidade surge como tcnica especial de quantificao de diversos elementos, que juntos formam o Patrimnio de uma empresa. A compreenso desta quantificao permite tomar as melhores decises para a gesto deste patrimnio. Dbito / Crdito Dentro do conceito contbil, as definies de Dbito e Crdito representam sentidos diferentes daqueles que observamos no dia-a-dia. Ao ouvimos a palavra Dbito, ns imaginamos dividas que temos e pelas quais estamos obrigados a pagar. Quando ouvimos a palavra Crdito imaginamos que temos respeito e credibilidade na praa.Na verdade os sentidos de ambos devem ser entendidas quanto ao relacionamento que existe entre as contas. Algumas contas recebem valores de outras. Quando isto ocorre, aquela que recebeu valor passa a dever, enquanto que aquela cedeu, passa a ter crdito. Ativo / Passivo Dentro do sentido exposto acima, determinada contas so as que provem recursos, para que outras possam surgir. As que possuem a natureza de prover, so chamadas de origens ou Passivo. As que esperam pelos recursos para surgir, so as chamadas aplicaes, ou Ativo. conveno grfica ( nos balanos, razonetes e balancetes) de que o Ativo esteja esquerda e o Passivo Direita.

2

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIANosso site: www.alvescontabilidade.com Fone/Fax:(xx11) 3229-9277

3

Contas As contas so os elementos que compem a empresa. Aquelas que formam o Ativo (Bens e Direito) e o Passivo (As Obrigaes), so as chamadas Patrimoniais. Aqueles que participam das operaes da empresa ( as Despesas e as Receitas) so chamadas de Resultado. Lanamento Contbil o lanamento contbil o registro de toda e qualquer operao que ocorra na empresa, envolvendo qualquer dos elementos citados acima. Compem-se da conta devedora, da conta credora, do histrico contbil e do valor lanado. Graficamente, corresponde a: D conta devedora na operao a C conta credora na operao Histrico Razonetes Tambm chamado conta T , o razonete representa uma soluo grfica que permite observar o comportamento de uma determinada conta, diante dos fatos contbeis sobre ela decorridos. No razonete so registrados os valores que representam o crescimento ou a reduo de uma determinada conta, obedecendo a conveno de que no caso da conta representar um elemento de Ativo, o registro de surgimento ou aumento seja efetuado no lado esquerdo do razonete. O registro de reduo ser efetuado do lado direito dele. Da forma inversa, por analogia, quando a conta representar elemento de Passivo, o registro de surgimento ou aumento ser efetuado no lado direito do razonete. O registro de reduo ser efetuado do lado esquerdo dele. Fatos Administrativos Representam toda e qualquer operao que modifica os valores patrimoniais. Podem ser Permutativos (operaes que provocam alteraes entre elementos do Ativo ou entre os elementos do Passivo), Modificativos (operaes que alterem o Patrimnio Liquido para mais ou para menos) ou Misto (a combinao de ambos). Escriturao contbil Consiste nas tcnicas em registrar nos livros prprios, todos os fatos e ou eventos administrativos que ocorrem nas empresas. O registro de todos fatos e a sua correta interpretao, permitiro ao administrador dirigir sua empresa. Toda operao dever inicialmente ser registrada no Livro Dirio, passando depois para outros mais individualizados, e que permitiro a complementao deste registro. importante observar os elementos obrigatrios destes registros.3

------ Valor

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIANosso site: www.alvescontabilidade.com Fone/Fax:(xx11) 3229-9277

4

Dois importantes Livros Contbeis Livro Dirio A operao inicialmente registra nele. a porta de entrada da empresa para os fatos contbeis que acabam de ocorrer.O Livro Dirio, atendendo s Formalidades Extrnsecas (externas), deve ser encadernado, possuir seqncia numrica, conter termo de abertura (na primeira pgina) e tambm o termo de encerramento (na ltima pgina). Assim, atendendo s Formalidades Intrnsecas, a sua escriturao deve ser completa em idioma e na moeda nacionais, em forma mercantil, individualizao e clareza, ordem cronolgica, de ms e ano. Estas formalidades objetivam conferir credibilidade ao livro, o qual poder se vir a ser verificado por autoridade legal a qualquer momento. Livro Razo O Razo o livro que individualiza cada conta sua movimentao. Desta forma registra todos os valores lanados a dbito ou a crdito desta respectiva conta. Ao fim de cada perodo de fechamento, os confrontos destes valores a dbito e crdito, que formaro o saldo desta conta. A sua utilizao tornou-se obrigatria desde 1991 (Lei 8.218 de 29/08/9100). ONDE REGISTRAR: LIVRO DIRIO GERAL - valor dos dbitos e crditos em cada conta - histrico da transao, descrito de forma resumida CONTROLE DE CONTAS INDIVIDUAIS: LIVRO RAZO O razo representa um sistema pelo qual se controla a movimentao ocorrida individualmente em cada conta. A escriturao do mesmo pode ser feita atravs de um livro, ou pela utilizao de fichas, cada pgina ou ficha representando uma conta. Exemplos de transaes A empresa, Modelo S/C Ltda, presta servios de assistncia tcnica e iniciou suas atividades em 19XA. At 31 de julho de 19XA ocorreram s transaes descritas abaixo. 1. Cinco scios formaram a sociedade, com a participao de R$ 10.000 de cada, integralizada em dinheiro. O valor total foi entregue ao gerente da firma. Explicao: O dinheiro entrou em caixa, aumentando o ativo (por dbito). Foi tambm feito o registro do capital social (por crdito, aumentando o patrimnio lquido). 2. O dinheiro foi depositado em banco. Explicao: O ativo caixa foi diminudo (por crdito), mas o ativo banco c/ movimento aumentou (por dbito).

4

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIANosso site: www.alvescontabilidade.com Fone/Fax:(xx11) 3229-9277

5

3. Foram comprados mveis e utenslios, a prazo, no valor de R$ 1.500. Explicao: A firma adquiriu a posse de um bem (aumentando o ativo por dbito), assumindo uma obrigao (por crdito). 4. A firma prestou servios, cobrando R$ 5.000, depositados em banco. Explicao: O dinheiro recebido e depositado representa um aumento do ativo (por dbito), enquanto o registro da origem do numerrio aumenta o patrimnio lquido (por crdito). 5. Foram pagos por cheque os salrios dos empregados, R$ 1.600. Explicao: O registro do aumento das despesas (e diminuio do patrimnio lquido) feito por um dbito; a sada do numerrio (diminuio do ativo) registrada atravs de um crdito. Esquema de Contabilizao: Debita-se onde se aplica o recurso Credita-se a fonte do recurso ESTRUTURA DAS CONTAS A conta tem alguns elementos essenciais, so: Ttulo, que deve representar o componente do patrimnio que identifica. Histrico, narrao resumida do fato contbil que provocou a alterao na conta. Dbitos e Crditos, so registrados um ou outro dependendo se a conta foi debitada ou creditada. Saldo, o valor resultante da diferena entre dbitos e crditos sofridos pela conta. Coluna D/C, identifica se o saldo devedor ou credor. Essa estrutura pode ser melhor visualizada observando-se um livro razo. PLANO DE CONTAS Toda obra exige um estudo prvio, elaborao de um programa e estabelecimento detalhado de um plano de ao. O arquiteto ou engenheiro antes de iniciar a construo de um prdio ele prepara uma planta e um cronograma de obras que devera ser seguido pelo mestre de obras. Na contabiidade de uma entidade/empresa seja ela de que porte for, o plano prvio de ao chama se PLANO DE CONTAS. definido como um elenco de todas as contas previstas pelo contabilista como necessrias aos seus registros contbeis. Ele no poder ser rgido e inflexvel, devendo pelo contrrio permitir que sejam inseridas novas contas ou excludas contas que no sero mais usadas nos registros contbeis. Recomenda-se ir alterando o plano de contas durante o ano em curso e no final deste, imprimir o mesmo por ocasio do balano anual. Veja um esquema de montagem de um plano de contas: 1- Ativo 1.1 - Ativo Circulante 1.2 - Ativo Realizvel a Longo Prazo5

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIANosso site: www.alvescontabilidade.com Fone/Fax:(xx11) 3229-9277

6

1.3 - Ativo Permanente 1.4 - Compensao Ativa 2 - Passivo 2.1 - Passivo Circulante 2.2 - Passivo Exigvel a Longo Prazo 2.3 - Resultados de Exerccios Futuros 2.4 - Patrimnio Liquido 2.5 - Compensao Passiva 3 - Receitas 3.1 - Operacionais 3.2 - No Operacionais 4 - Despesas 4.1 - Operacionais 4.2 - No Operacionais 5 - Apurao de Resultado 5.1 - Resultado Bruto 5.2 - Resultado Liquido Esta a estrutura principal de um plano de contas, devendo o contabilistas ao longo de sua atividade na empresa ir inserindo ou excluindo contas dentro destes grupos. Cada empresa elabora seu plano de cntas sempre obedecendo seus interesses e principalmente as disposies previstas na lei 6.404/76 ( lei de sociedades por aes) em seu artigo 178. CLASSIFICAO DAS CONTAS A perfeita classificao das contas pressupe o conhecimento ou a definio da natu

Recommended

View more >