Assé Lechá Rav Chanucá: 8 dias, 8 . ?· Todas as noites, após o sol se pôr, é o momento ideal…

Download Assé Lechá Rav Chanucá: 8 dias, 8 . ?· Todas as noites, após o sol se pôr, é o momento ideal…

Post on 24-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

  • Ass Lech Rav

    Chanuc: 8 dias, 8 valores.

    A Mishn nos d o seguinte conselho: Ass Lech Rav. A interpretao tradicional desta mxima : "obter-se um professor". nosso dever procurar

    um professor e um guia para nos ajudar a ser melhor a cada dia. Outra possvel interpretao desta mxima, dependendo de onde se coloca a vrgula : "torne-se um professor".

    No s devemos buscar a sabedoria fora de ns, como tambm ns mesmos devemos tornar-nos sbios, cada um de ns deve tambm se tornar um professor.

    Nesta srie de entregas buscamos que cada um possa se transformar em um professor em sua prpria casa. Em uma linguagem simples e moderna encontraras todo o necessrio para dominar e poder realizar junto a sua famlia ou amigos, algum ritual do calendrio judaico ou

    do ciclo de vida do nosso povo.

    Nesta edio apresentamos: Chanuc, 8 dias, 8 valores. Voc vai encontrar aqui toda a cerimnia, detalhadamente explicada,

    do acendimento da chanuki, em conjunto com 8 propostas para reflexo e estudo, para compartilhar com a famlia e amigos

    durante a festividade.

  • Seminario Rabnico

    Marshall T. Meyer

    Durante as oito noites de Chanuc uma mitzv estabelecida pelos rabinos, acender luzes a cada dia, em memria ao milagre do azeite e a vitria de poucos sobre muitos, do povo judeu liderado pelos Macabeus sobre os gregos.

    Todas as noites, aps o sol se pr, o momento ideal para acender as luzes, embora estas possam ser acendidas a qualquer hora da noite.

    Podem ser acesas velas de cera ou lamparinas de leo para honrar a festividade, costuma-se usar o melhor dos azeites ou as melhores velas que se tenha.

    Se voc no tiver velas ou se encontra em um lugar onde no se pode acender um fogo, podem ser usadas "velas" eltricas ao invs das tradicionais de cera ou azeite para cumprir o mandamento. As luzes devem ficar acesas por pelo menos meia hora aps o pr do sol.

    Devemos colocar a chanuki (candelabro) a uma altura mdia aonde todos da casa possam v-la. O costume colocar a chanuki no dentro, mas fora da casa, por essa razo, que alguns a colocam junto da janela com vista para o espao pblico, j outros a colocam na porta das casas do lado oposto ao da mezuz.

    As chanukiot podem ter diversas formas, mas o ponto mais impor-tante que todas as velas (exceto o Shamash, a que acende as demais) devem ficar na mesma altura e que cada uma possa ser distinguida da outra.

    A cada dia deve-se ir aumentando a luz e , por isso que no primeiro dia acendemos uma luz, no segundo duas e assimpor diante. Se colocarmos a chanuki na nossa frente, no primeiro dia colocamos a primeira pea na extremidade direita.

    O segundo dia recolocamos uma vela onde havamos colocado no primeiro dia e uma nova a sua esquerda e esta ser a primeira a ser acesa e, em seguida a do primeiro dia. Isto repetido a cada dia da festividade. As velas so colocadas da direita para a esquerda, mas o acendimento da esquerda para a direita.

    Com fsforo ou acendedor, acendemos primeiramente o Shamash, as bnos so recitadas, e com esta vela acesa, acendemos as outras j colocadas cada uma em seu lugar. O shamash ento colocado em seu prprio local, para brilhar junto com as outras.

    No Shabat primeiramente acendemos as velas de Chanuc e depois as do Shabat. Homens e mulheres do povo de Israel podem realizar as bnos prvias ao acendimento das luzes, j que todo o povo fez parte do milagre e da vitria dos Macabeus.

    Halaj y Minhaguim - Leyes y tradiciones

    Este ao 5776-2015 comienza el domingo 6 de diciembre al anochecer.

    Debemos aumentar la santidad y no disminuirla (Talmud, Shabat 21a)Si las tradiciones siguieran siempre al pie de la letra la historia, cada da de Januc debiramos disminuir la luz, el primer da tendramos que encender ocho luminarias y el ltimo da tan solo una. Eso fue lo que ocurri. El aceite encontrado el primer da deba haber ardido muy fuerte pero cada da el mismo se consuma un poco ms. Sin embargo nuestros sabios nos ensean que no debemos emular el proceso de aquel aceite sino invertirlo, comenzar con poca luz y luego ir aumen-tando. En la vida debemos siempre aumentar la luz, aumentar la santidad, aumen-tar la compasin y aumentar el amor. Debemos empezar con poco, con una luminaria a la vez, para terminar finalmente iluminando todo el mundo con la fuerza de nuestra luz.

    Seminario Rabnico

    Marshall T. Meyer

    Halaj y Minhaguim - Leyes y tradiciones

    Este ao 5776-2015 comienza el domingo 6 de diciembre al anochecer.

    Debemos aumentar la santidad y no disminuirla (Talmud, Shabat 21a)Si las tradiciones siguieran siempre al pie de la letra la historia, cada da de Januc debiramos disminuir la luz, el primer da tendramos que encender ocho luminarias y el ltimo da tan solo una. Eso fue lo que ocurri. El aceite encontrado el primer da deba haber ardido muy fuerte pero cada da el mismo se consuma un poco ms. Sin embargo nuestros sabios nos ensean que no debemos emular el proceso de aquel aceite sino invertirlo, comenzar con poca luz y luego ir aumen-tando. En la vida debemos siempre aumentar la luz, aumentar la santidad, aumen-tar la compasin y aumentar el amor. Debemos empezar con poco, con una luminaria a la vez, para terminar finalmente iluminando todo el mundo con la fuerza de nuestra luz.

    Seminario Rabnico

    Marshall T. Meyer

    Halaj y Minhaguim - Leyes y tradiciones

    Este ao 5776-2015 comienza el domingo 6 de diciembre al anochecer.

    Debemos aumentar la santidad y no disminuirla (Talmud, Shabat 21a)Si las tradiciones siguieran siempre al pie de la letra la historia, cada da de Januc debiramos disminuir la luz, el primer da tendramos que encender ocho luminarias y el ltimo da tan solo una. Eso fue lo que ocurri. El aceite encontrado el primer da deba haber ardido muy fuerte pero cada da el mismo se consuma un poco ms. Sin embargo nuestros sabios nos ensean que no debemos emular el proceso de aquel aceite sino invertirlo, comenzar con poca luz y luego ir aumen-tando. En la vida debemos siempre aumentar la luz, aumentar la santidad, aumen-tar la compasin y aumentar el amor. Debemos empezar con poco, con una luminaria a la vez, para terminar finalmente iluminando todo el mundo con la fuerza de nuestra luz.

    Seminario Rabnico

    Marshall T. Meyer

    Halaj y Minhaguim - Leyes y tradiciones

    Este ao 5776-2015 comienza el domingo 6 de diciembre al anochecer.

    Debemos aumentar la santidad y no disminuirla (Talmud, Shabat 21a)Si las tradiciones siguieran siempre al pie de la letra la historia, cada da de Januc debiramos disminuir la luz, el primer da tendramos que encender ocho luminarias y el ltimo da tan solo una. Eso fue lo que ocurri. El aceite encontrado el primer da deba haber ardido muy fuerte pero cada da el mismo se consuma un poco ms. Sin embargo nuestros sabios nos ensean que no debemos emular el proceso de aquel aceite sino invertirlo, comenzar con poca luz y luego ir aumen-tando. En la vida debemos siempre aumentar la luz, aumentar la santidad, aumen-tar la compasin y aumentar el amor. Debemos empezar con poco, con una luminaria a la vez, para terminar finalmente iluminando todo el mundo con la fuerza de nuestra luz.

    Seminario Rabnico

    Marshall T. Meyer

    Halaj y Minhaguim - Leyes y tradiciones

    Este ao 5776-2015 comienza el domingo 6 de diciembre al anochecer.

    Debemos aumentar la santidad y no disminuirla (Talmud, Shabat 21a)Si las tradiciones siguieran siempre al pie de la letra la historia, cada da de Januc debiramos disminuir la luz, el primer da tendramos que encender ocho luminarias y el ltimo da tan solo una. Eso fue lo que ocurri. El aceite encontrado el primer da deba haber ardido muy fuerte pero cada da el mismo se consuma un poco ms. Sin embargo nuestros sabios nos ensean que no debemos emular el proceso de aquel aceite sino invertirlo, comenzar con poca luz y luego ir aumen-tando. En la vida debemos siempre aumentar la luz, aumentar la santidad, aumen-tar la compasin y aumentar el amor. Debemos empezar con poco, con una luminaria a la vez, para terminar finalmente iluminando todo el mundo con la fuerza de nuestra luz.

    Halach e Minhaguim - Leis e tradies

    Este ano 5777-2016 comea no, 24 de dezembro ao anoitecer.

    Devemos aumentar e no diminuir em santidade (Talmud, Shabat 21a)

    Se as tradies seguirem sempre risca a histria, a cada dia de Chanuc deve-ramos diminuir a luz, no primeiro dia teramos que acender oito luzes e no ltimo dia somente uma. Isso foi o que aconteceu. O azeite encontrado no primeiro dia deveria ter queimado muito forte, mas a cada dia o mesmo era consumido mais e mais. No entanto, os nossos sbios nos ensinam que no devemos imitar o processo daquele azeite, mas inverte-lo, comeando com pouca luz e, em seguida, ir aumentando gradualmente. Na vida devemos sempre aumentar a luz, aumentar a santidade, aumentar a compaixo e aumentar o amor. Devemos comear com pouco, uma luminria de cada vez, para finalmente terminar ilumi-nando o mundo inteiro com a fora da nossa luz.

  • Baruch Ata Adonai Eloheinu Melech Haolam Asher Kideshanu Bemitzvotav Vetzivanu Lehadlik Ner Chanuc.

    Bendito s Tu, Adonai, Nosso Deus, Rei do Universo, Que nos santificaste com Teus preceitos e nos ordenaste acender a vela de Chanuc.

    Cerimonia de Chanuc:

    Baruch Ata Adonai Eloheinu Melech Haolam Sheassa Nissim LaAvoteinu (uLeImoteinu) Baiamim Hahem Bazman Haze.

    Bendito s Tu, Adonai, nosso Deus, Rei do Universo, Que fizeste milagres para nossos antepassados, naqueles dias, nesta poca.

    (Antes do acendimento das luzes se recita em voz alta as seguintes bnos)

    Baruch Ata Adonai Eloheinu Melech Haolam Shehecheianu Vekiemanu Vehiguianu Lazman Haze.

    Bendito s Tu, Adonai, nosso Deus, Rei do Universo, Que nos deste vida, nos sustentou e nos fez chegar at o presente momento.

    Na primeira noite da festividade adiciona-se a seguinte beno ou no primeiro dia que se acende a Chanuk, mesmo que no tenha sido

    o primeiro dia da festividade

  • Fortaleza, rocha da salvao, louvar a Ti conveniente. Defina a casa de minhas oraes, e ofereceremos um sacrifcio em agradecimento. Quando tiveres preparado o abate do opressor

    que ladra, ento vou concluir com uma cano (Salmo) a inaugurao do altar. Gregos se reuniram contra mim, nos dias de Chasmonaim e as muralhas de minhas torres,

    contaminaram a todos os azeites; e o que restou das garrafas e se fez um milagre as "rosas" e as crianas entenderam, o estabelecimento de oito dias com msica e alegria.

    (Ao finalizar a cerimonia nos saudamos com a seguinte saudao tradicional:)Chag Urim Sameach

    (Depois do acendimento das luzes, recita-se)

    Hanerot Halalu Anu Madlikin Al Hanissim Veal Haniflaot Veal Hateshuot Veal Hamiliamot. Sheasita Laavoteinu, Baiamim Hahem, Bazman Haze. Al Iedei

    Kohanecha Hakedoshim, Vechol Shmonat Iemei Chanuc Hanerot Halalu Kodesh Hem Veein Lanu Reshut Lehishtamesh Bahem, Ela Lirotam Bilvad, Kedei Lehodot

    Ulehalel Leshimcha Hagadol Al Nissecha Veal Niflotecha Veal Ieshuatecha.

    Acendemos estas luzes em virtude das redenes, milagres e feitos maravilhosos que realizaste para nossos antepassados, naqueles dias, nesta poca, por intermdio de Teus santos sacerdotes. Estas luzes so sagradas durante os oito dias de Chanuc, estas luzes so sagradas, e no nos permitido fazer qualquer uso delas, apenas observa-las, para

    agradecer e louvar. Teu grande nome, por Teus milagres, Teus feitos maravilhosos e Tuas salvaes.

    (Um costume adicional terminar a cerimonia do acendimento das luzes cantando este poema medieval)

    Maoz Tzur Ieshuati, Lecha Nae Leshabeach. Tikon Bei Tefilati, Vesham Toda Nezabeach. Leet Tachin Matbeach Mitzar Hamnabeach. Az Egmor Beshir

    Mizmor, Chanucat Hamizbeach.Ievanim Nikbetzu Alai, Azai Bimei Chashmanim. Ufartzu Chomot Migdalai, Vetimeu Kol Hashemanim. Uminotar Kankanim Naasa Nes Lashoshanim.

    Benei Vina Iemei Shmona Kaveu Shir Urenanim.

  • Halaj y Minhaguim - Leyes y tradiciones

    Chag Urim Sameach8 dias, 8 valores

    A cada noite de Chanuc, convidamos desde o Seminrio, para que depois de ter acendido as luzes, continuemos a comemorar com a famlia ou amigos, mediante o estudo de um texto curto sobre um valor alusivo a festividade. Para cada dia voc vai encontrar um valor ou uma ideia central de Chanuc, juntamente com uma breve explicao e questes-chave.

    PRIMEIRO DIA: LUZTodos devem saber e compreender que dentro de si mesmo queima uma vela. Que no existe uma vela idntica outra. E no h ser humano sem a sua vela. Todos devem saber e entender que voc obrigado a trabalhar para revelar a luz de

    sua vela para muitos, e transform-la em uma tocha para assim iluminar o mundo inteiro.(HaRav Abraham Ytzjak Hacohen Kook)

    Rav Kook (o primeira Gran Rabino Ashkenazi da Terra de Israel no incio do sculo XX) dedicou um pequeno poema luz interior. Chanuc a festa das luzes na tradio judaica. Cada povo e cultura da antiguidade (re) criou uma celebrao da luz no incio do inverno no hemisfrio norte.

    Chanuc "nossa" festa de luz. Ns convidamos voc esta noite de Chanuc para discutir o significado da luz e, espe-cialmente, da luz interior.

    O que voc acha qual foi a mensagem que Rav Kook desejou transmitir? Qual a relao entre este poema e Chanuc? Como fazemos para revelar nossa luz interior? Voc pode identificar a luz que queima dentro de voc?

    Seminario Rabnico Latinoamericano

    Marshall T. Meyer

    Seminario Rabnico Latinoamericano

    Marshall T. Meyer

  • SEGUNDO DIA: HEROSMO

    Quem forte? O que domina seus instintos. (Pirkei Avot 4:1)

    Quem o heri dos heris? (1) aquele que domina seus instintos ... e todo aquele que domina seus instintos consid-erado como se tivesse conquistado uma cidade inteira. (2) No h heris, seno os heris da Tor.

    (3) Alguns dizem: aquele que faz de seus inimigos sua amado. (Avot deRabi Natan 23:1)

    Pirkei Avot, o Tratado de tica dos sbios da Mishn, fala sobre quem um Guibor, sobre quem um heri e quem forte. Avot deRabi Natan, comentrio do sculo VI-VII ao tratado de Pirkei Avot, amplia a resposta e apresenta outras opes sobre quem um heri para o pensamento rabnico.

    A festividade de Chanuc definitivamente a festa de herosmo, da Gvur, na tradio judaica. A festa na qual celebramos a coragem de uma famlia, dos Macabeus em sua revolta contra o imprio grego, que dominava a Terra de Israel. Ns convidamos voc esta noite de chanuk para discutir sobre herosmo.

    Que um heri (personagem real ou fictcia) para voc? Qual seria a sua definio de um heri? Qual de todas as respostas Avot deRabi Natan voc mais se identifica?

    Por que os rabinos no identificam como heris grandes lderes militares ou polticos? O que significa "no h heris, seno os heris da Tor? O que significa "dominar os prprios instintos"? Por que herosmo transformar o inimigo em um amigo?

  • Ensina a criana o seu caminho, e quando ele for velho, no se desviar dele.

    (Mishlei-Provrbios 22:6)

    Tudo depende da pessoa que esta a frente da classe. O professor no uma fonte automtica a partir de onde o sabor do conhecimento pode ser obtido. O professor ou uma testemunha ou um estranho.

    Para orientar o aluno para a terra prometida, o professor tem que ter estado l por si mesmo. Quando perguntado: Eu sou a favor de que eu ensino? Eu acredito no que eu digo? O professor deve ser capaz de responder de forma afirmativa. O que necessrio mais do que qualquer coisa no so livros didticos (textbooks), mas das pessoas que vivem de texto (textpeople). (Abraham Joshua Heschel, I Asked for Wonder)

    Chanuc (), compartilha com a raiz verbo hebraico Lechanech (). Chanuc literalmente "abertura" est relacionada com a noo de "educao" (Chinuch). Educar abrir por o outro um novo mundo de conhecimento e significados.

    Durante a nossa vida, somos todos educadores e educandos, professores e alunos, pais e filhos. Ns o convdamos, hoje noite para discutir sobre educao.

    Voc acha que existe alguma outra relao entre o termo Chinuch (educao) e o termo Chanuc (abertura)? Como entender o versculo de Provrbios? Acreditam que se cumpre este princpio? Por que se diz "em seu caminho" e no "no caminho"?

    O que opinio sobre o texto de Heschel? Vocs ensinaram alguma vez sobre o que no estavam de acordo? Como lidaram com isso? Deve-se ensinar apenas aquilo em que realmente se acredita? O que significa ser pessoas "que vivem o texto (textpeople)"?

    TERCEIRO DIA: EDUCAO

  • QUARTO DIA: OS MILAGRES

    No nos apoiemos em milagres (Talmud Babilnico, Shabat 32a)

    Chanuc a festa do "milagre". O milagre "tradicional", como entendido pelo Talmud, foi o azeite que era para durar um dia, durou oito.

    O milagre, de acordo com o entendimento sionista moderno foi que os "poucos" (Os Macabeus junto com outro grupo de rebeldes judeus) venceu os "muitos" (guarnies inteiras do imprio selucida).

    A tradio bblica e rabnica ambivalente em relao aos milagres, por um lado se relatam alguns milagres, mas os mesmos no so habituais. Por outro lado, a terminao hebraica Nes significa tanto milagre como estandarte. Ns convidamos voc nesta noite a refletir sobre os milagres de Chanuc.

    Como voc definiria o termo "milagre"? Voc acredita em milagres? Os milagres tm explicaes cientficas? Voc se lembra de algum evento em sua vida que voc pode classificar como um "milagre"?

    Como voc entende esse princpio talmdica? Por que no se deve apoiar (ou seja, esperando o momento de agir) que ocorra um milagre? Podemos depender de milagres?

  • E todos os servos que estavam porta do rei ajoelharam-se e curvaram-se perante Aman, porque assim o rei havia ordenado; Mas Mordechai no se inclinava nem se humilhava. (Ester 3:2)

    Matitiahu respondeu em voz alta: "Ainda que todas as naes, sob o domnio do rei, obedeam e abandonem o culto de seus ancestrais para se submeter s suas ordens, eu, meus filhos e meus irmos nos manteremos fieis ao pacto

    de nossos pais." (Macabeus I 2:19-20)

    Chanuc a festa por excelncia da "identidade judaica". A luta poltica, militar e cultural contra a assimilao. Os Macabeus lutaram em duas frentes. Por um lado, a luta militar contra as autoridades

    Selucidas que tentavam impor o estilo de vida grego em Jud e por outro lado uma luta cultural contra os judeus helenistas, judeus que tinham abandonado a tradio de seus pais pelos ideais gregos.

    Contra esse ambiente de extrema assimilao, se enfren-taram os Macabeus. Uma atitude semelhante tambm foi adotada por Mordechai na histria de Esther por se recusar a se ajoelhar diante de Aman (j que nico digno de ser louvado Deus).

    Esta atitude de manter a tradio e os costumes de Israel custou a vida de milhes de judeus ao longo da histria. Ns convidamos voc nesta noite para refletir sobre a identidade judaica e a assimilao.

    O que tm em comum as atitudes de Mordechai e Matityahu? Por no se ajoelhar diante de Aman, Mordechai colocou em perigo toda a comunidade judaica da sua cidade? Voc acha que Mordechai ainda assim agiu corretamente? Como voc definiria a identidade judaica?

    Quais so os valores judaicos e tradies mais importantes para voc? Voc acha que se deve "lutar" contra a assimilao? Se pode? De que maneira? Todos elas so vlidas?

    QUINTO DIA: IDENTIDADE JUDAICA

  • A guerra no incio como uma bela senhora com quem todos querem flertar. Ao final como uma bruxa depreciada trazendo lgrimas e tristezas a quem a encontrar.

    (Shmuel HaNaguid Ismail ibn Nagrela- 993-1055, sabio judeu, poeta e comandante militar de um exrcito muulmano)

    Explicao: De todos as festividades judaicas a nica na qual a guerra que tem lugar como protagonista Chanuc.

    Ao contrrio de outros povos e culturas em que as grandes vitrias militares tornaram-se as mais impor-tantes em seus calendrios, a tradio judaica clssica (at a criao do Estado de Israel), participou de muitas guerras ao longo da histria, mas s comemora uma vitria militar: a dos Macabeus contra a Selucidas. Abra-ham, Mosh, Ioshua, os Juzes, Saul, David e inmeros outros personagens da histria bblica tambm foram grandes lderes militares e enfrentaram intensas batal-has, mas nenhuma delas lembrado como Chanuc.

    Inspirado pelas palavras de Shmuel HaNaguid os convida-mos nesta noite de Chanuc a refletir sobre a guerra e seu lugar no pensamento judaico.

    Qual, acreditam vocs, o lugar que ocupa a "guerra" nos pensamentos bblicos e rabnicos? o povo judeu um povo "guer-reiro"? Algo mudou com a criao do Estado de Israel? Por que outras batalhas clssicas da histria judaica no so lembradas ou comemoradas, mas apenas as guerras recentes que o Estado de Israel enfrentou? Qual o grande ensinamento de Shmuel HaNa-guid? Esto de acordo com ele?

    SEXTO DIA: A GUERRA.

  • Pouco que sejas o meu servo, para restaurar as tribos de Jacob e para trazer os remanescentes de Israel; tambm te dei para luz das naes (Or LaGoym) para seres a minha salvao at os confins da terra. (Isaas 49: 6)

    "Perguntou Rab: [Se um no tem dinheiro suficiente para comprar] vinho para o Kidush e velas para Chanuc. Qual tem prioridade? Talvez o vinho para o kidush, porque mais frequente ou talvez vela de Chanuc para Pirsumei Nisa (divulgao

    do milagre)? As velas de Chanuc tem prioridade. (Talmud Babilnico, Shabat 23b)

    Explicao: O Shulchan Aruch (Orach Chaim, 671: 6-7) sustenta que ns devemos colocar o chanuki em um lugar para que "todo mundo veja". Um lugar que permita divulgar o milagre (Pirsumei deNisa). A chanuki deve ser visto por judeus e igualmente para no-judeus. A luz do chanuki deve tornar-se um paradigma e uma bandeira para as naes.

    O profeta Isaas, por outro lado, chama o povo judeu para ser Or LaGoym, uma luz para as naes.

    Ns convidamos voc esta noite para refletir sobre a relao do povo judeu com os de outras naes, sobre ser uma luz para as naes e do mandamento para divulgar o milagre de Chanuc.

    Qual voc acredita seja a relao entre Or LaGoym e Nisa Pirsumei? Qual o milagre que precisa ser divulgado em Chanuc? Por que queremos que todos conheam a nossa histria? Qual a mensagem que outras naes podem aprender com a histria de Chanuc?

    Acredita que o povo judeu uma luz para as naes? Em que sentido pensam que o povo judeu pode ser "uma luz para as naes"? O que cada um de vocs far para isso acontecer?

    STIMO DIA: LUZ PARA AS NAES.

  • "Sustentava o candelabro de Chanuc em sua mo e pensava:" Esta chanuki deve ter passado de gerao em gerao, uma velinha acendendo outra. De onde teria tomado a forma, o artista que criou a primeira chanuki? Talvez de uma rvore: do meio do seu tronco, quatro galhos de cada lado, todos iguais, e ao lado um galhinho chamado de "shamash", o servidor. Quantas mensagens secretas foram decifradas pelas geraes desta forma to simples, retiradas da natureza! " Estava difcil soltar a chanuki. Ele a levou para casa. A primeira velinha j queimava quando contou a seus filhos o milagre do azeite que queimava e queimava muito mais do que se poderia esperar. Com a segunda velinha contou aos seus filhos como os judeus retornaram do exlio da babilnia; Ele contou-lhes sobre o Segundo Templo, sobre os Chasmonaim. Com a terceira e quarta velinha foram as prprias crianas que voltaram a relatar estas belas histrias ouvidas da sua boca. Agora, esperava todo o dia para chegada da noite para acender as velinhas, cercado pelos seus filhos, sentindo-se ele mesmo um pai e um filho ao mesmo tempo. Chegou a oitava noite. Agora oito velas estavam queimando e prximo, o shamash que sem ser igual havia acendido a todas. Parecia que um fluxo de luz que brotava da chanuki. Olhos infantis brilhavam e ele vislumbrou na chanuki acessa o incio do renascimento de seu povo. Primeiro, houve uma nica chama, uma chama solitria em meio a pesada escurido reinante. Logo depois, a chama conseguiu uma compan-heira, e sendo duas, poderiam tentar atravessar a escurido sombria. Mas no dia seguinte a elas se agregou uma outra companheira, e depois outra. E a escurido comeou a entrar em pnico, para se esconder nos cantos, a ser obrigada a fugir. No incio, s queimam os coraes dos jovens e dos pobres; depois se agregam outros que tambm amam a justia, a verdade, a liberdade, a beleza e o progresso. E quando todas as chamas esto queimando, todos as rodeiam e se alegram com elas. Feliz aquele que tem o privilgio de ser o shamash, o servidor, o provocador, aquele que acende as chamas! " (O Shamash, Theodore Herzl. Traduo Bama adaptado).

    Explicao: A liderana poltica, militar e religiosa o ponto central da histria de Chanuc e do livro dos Maca-beus. A famlia dos Chasmonaim / Macabim foram grandes lderes e incentivadores da revolta judaica em 164 A.E.C., e durante mais de 100 anos, foram os criadores e lderes da independncia judaica na Terra de Israel.

    Shimon, Iehuda, Matitiahu, Ionatan e como muitos "Macabeus" so smbolo de liderana na histria judaica, e, especialmente, foram recuperados no alvorecer do sionismo no final do sculo XIX. Ns os convidamos nesta ltima noite de Chanuc a refletir sobre o valor da liderana com esta bela histria de Theodore Herzl, pai do sionismo, que atravs do Shamash (a vela que acende as demais a cada noite da festividade), ele nos fala sobre o valor e o desafio dos lderes.

    O que voc acha da histria "O Shamash"? Alguma vez j haviam pensado sobre o Shamash desta maneira? Como se define liderana nesta histria? Se consideram lderes? Quem um bom lder para voc? Que qualidades deveria ter um lder ideal?

    OITAVO DIA: LIDERANA. O SHAMASH

Recommended

View more >