Aspeto, modalidade, tipologia verbal com soluções

Download Aspeto, modalidade, tipologia verbal com soluções

Post on 29-Nov-2015

30 views

Category:

Documents

6 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<p>11 O modo imperativo tem um carcter defetivo, visto s apresentar um tempo (o presente) e uma pessoa (a segunda pessoas gramatical). Para expressar os valores associados ao imperativo em frases com sujeito gramatical diferente da segunda pessoa (frases com o sujeito voc/vocs, que formalmente uma terceira pessoa) ou para expressar frases imperativas negativas, usa-se o conjuntivo. Ex: Traga-me j o contrato!; No venhas tarde!</p> <p>As formas verbais no finitasAs formas verbais no finitas so o infinitivo (pessoal e impessoal), o gerndio e o particpio. Estas formas ocorrem normalmente associadas a outras formas verbais e no variam em tempo.</p> <p>2Infinitivo impessoalO infinitivo impessoal uma forma que pode ocorrer em oraes subordinadas substantivas com funo de sujeito (1), de complemento do verbo (2) e de complemento do nome (3), em oraes subordinadas adverbiais temporais (4) e em oraes subordinadas adverbiais causais (5):</p> <p>(1) Fumar mata.</p> <p>(2) O Pedro quer ir ao cinema.</p> <p>(3) A ideia de ir praia agrada-me.</p> <p>(4) Eles encontraram o Joo ao sair de casa. (5) Eles caram por escorregar no leo.</p> <p>Este tempo tem uma forma simples (ex: andar) e uma forma composta (ex: ter andado).</p> <p>Infinitivo pessoalO portugus possui uma forma de infinitivo pessoal ou flexionado, alm do infinitivo impessoal. Esta forma, que tem flexo de pessoa e de nmero (por exemplo, ler, leres, ler, lermos, lerdes, lerem), ocorre em certas oraes subordinadas, como as finais:</p> <p>Vim chamar-te para ires ao telefone.</p> <p>GerndioO gerndio uma das formas no finitas do verbo. Este tempo verbal tem uma forma simples, constituda pela juno do sufixo ndo ao tema verbal (andando, lendo, saindo), e uma forma composta, que associa o gerndio do verbo auxiliar ter ao particpio do verbo principal (tendo andado, tendo lido, tendo sado).</p> <p>O gerndio expressa um valor durativo e no acabado, indicando a simultaneidade das aces expressas pelo verbo no gerndio e por um verbo numa forma finita (1) ou a anterioridade da aco expressa pelo verbo no gerndio em relao aco expressa pela forma verbal finita (2).</p> <p>(1) Ela ouvia-o sorrindo.</p> <p>(2) Dizendo isto, saiu da sala.</p> <p>As construes que tm como ncleo um gerndio tm um valor adverbial.</p> <p>Dizendo isto, saiu da sala = Assim que disse isto, saiu da sala.</p> <p>ParticpioO particpio uma forma verbal no finita que entra na formao dos tempos compostos e das construes passivas. Nos tempos compostos, ocorre como forma invarivel:</p> <p>Ela tinha ido rua.</p> <p>Os rapazes tinham jantado fora.3Em construes passivas, o particpio uma forma que flexiona em gnero e em nmero:</p> <p>Estes carros foram reparados ontem.</p> <p>Existem verbos que apresentam duas formas do particpio passado: uma regular (forma fraca), habitualmente usada na formao dos tempos compostos com os auxiliares ter e haver, e outra irregular (forma forte), geralmente utilizada com os auxiliares ser e estar. O particpio regular formado pela afixao do sufixo do ao tema verbal: ama + do amado.</p> <p>Tipologia verbalVerbos regularesOs verbos regulares mantm o mesmo radical em todas as suas formas e os sufixos a ele associados seguem o paradigma da respectiva conjugao. A maioria dos verbos da primeira conjugao so regulares.</p> <p>Verbos irregularesOs verbos irregulares apresentam um conjunto de sufixos flexionais que no seguem o exemplo da conjugao a que pertencem. Em alguns casos, a irregularidade destes verbos pode afetar igualmente o radical. O verbo ser, por exemplo, apresenta mais do que um radical na sua flexo: sou, s, fui, etc.</p> <p>Verbos defetivosOs verbos defectivos so aqueles que apenas ocorrem em certas combinaes de pessoa e de nmero e de tempo, modo e aspeto. A sua conjugao , por isso, incompleta. Isto pode acontecer por razes semnticas, como no caso dos verbos impessoais, que s ocorrem na terceira pessoa (nevar, suceder, acontecer, ).</p> <p>Tambm os verbos que designam vozes de animais (ladrar, miar, zurrar, ) so considerados defectivos no seu uso normal embora possam ocorrer em qualquer pessoa num contexto adequado.</p> <p>Um verbo como falir s usado por razes de eufonia, na primeira e na segunda pessoas do plural do presente do indicativo (falimos, falis), e na segunda pessoa do plural do imperativo (fali). Outros verbos defetivos do mesmo tipo so abolir, banir, colorir, demolir, punir, etc.</p> <p>Verbos impessoaisOs verbos impessoais apenas ocorrem na terceira pessoa do singular: o caso de haver na aceo de existir, do verbo fazer quando indica tempo decorrido, do verbo tratar quando conjugado pronominalmente e dos verbos que indicam fenmenos meteorolgicos nevar, chover, trovejar, anoitecer, amanhecer, etc. As frases com estes verbos no tm sujeito expresso:</p> <p>H muitos problemas nesta cidade.4Faz cinco anos que ele emigrou.Nevou ontem noite.</p> <p>Ontem choveu torrencialmente.</p> <p>Trata-se de um projeto interessante.</p> <p>Verbos unipessoaisOs verbos ditos unipessoais apenas flexionam na terceira pessoa do singular e do plural. Esta restrio tem origem na semntica dos prprios verbos, que seleccionam sujeitos no humanos. o caso dos verbos que designam vozes ou comportamentos de animais:</p> <p>Os cavalos relincharam. O co ladrou.</p> <p>Os lobos uivaram toda a noite.</p> <p>Os pssaros chilreavam alegremente. O cavalo galopou velozmente.</p> <p>Classes abertas de palavrasVerbosOs verbos so os elementos centrais da estrutura das oraes e constituem o ncleo dos grupos verbais.</p> <p>Do ponto de vista semntico, os verbos expressam aces, estados, qualidades, processos ou eventos.</p> <p>Numa lngua como o portugus, que admite sujeitos nulos, o verbo pode ser a nica palavra a ocorrer numa orao: Cheguei!</p> <p>Verbos principaisOs verbos principais seleccionam constituintes em posies que recebem uma funo sinttica: sujeito, complemento direto, complemento indirecto, etc.</p> <p>O Pedro cumprimentou a professora de Portugus.</p> <p>SujeitoVerboComplemento direto</p> <p>A categoria e a interpretao desses constituintes determinada pelo verbo principal. Em funo do nmero de complementos que seleccionam, da natureza categorial</p> <p>desses complementos e da possibilidade de ocorrerem com um predicativo, os verbos principais podem subclassificar-se em:</p> <p> verbos transitivos;</p> <p> verbos transitivos diretos;</p> <p> verbos transitivos indirectos;</p> <p> verbos transitivos diretos e indirectos;</p> <p> verbos transitivos-predicativos.</p> <p>Dependendo do contexto em que ocorre, o mesmo verbo pode pertencer a mais do</p> <p>que uma subclasse. 5A Maria aspirou a casa. (verbo transitivo direto)</p> <p>Muitos aspiram perfeio. (verbo transitivo indirecto)</p> <p>O Joo fuma. (verbo intransitivo)</p> <p>O Joo fuma cinco cigarros por dia. (verbo transitivo direto)</p> <p>Verbos intransitivosOs verbos intransitivos no seleccionam nenhum complemento: O rapaz sorriu.</p> <p>A Ana tropeou.O Marco adoeceu.</p> <p>O grupo verbal em que estes verbos ocorrem pode ser constitudo apenas pelo verbo, como nos exemplos acima, ou pelo verbo e por um modificador:</p> <p>O rapaz sorriu naturalmente. A Ana tropeou no degrau.</p> <p>O Marco adoeceu ontem.</p> <p>Alguns verbos intransitivos admitem, excepcionalmente, construes com predicativo do sujeito (1 e 2) ou com um complemento (3).</p> <p>(1) A Rita chegou esfomeada. (2) O dia amanheceu nublado. (3) Eles dormiram a sesta.</p> <p>Verbos transitivos diretosOs verbos transitivos diretos seleccionam um complemento com a funo de complemento direto:</p> <p>A Maria comprou um livro.</p> <p>orao:</p> <p>O complemento seleccionado por estes verbos pode ser um grupo nominal ou uma</p> <p>O Miguel adora motas.</p> <p>O Diogo disse que ia ao cinema.</p> <p>GNVO</p> <p>Verbos transitivos indiretos6Os verbos transitivos indiretos seleccionam um complemento preposicionado, quepode desempenhar a funo de complemento indirecto ou de complemento oblquo:</p> <p>O Ricardo ligou me.</p> <p> Sujeito V Complemento indireto</p> <p>A Maria gosta de doces.</p> <p>SujeitoVComplemento oblquo</p> <p>Verbos transitivos diretos e indiretosOs verbos transitivos diretos e indiretos seleccionam um complemento direto e um complemento preposicionado, com a funo de complemento indireto ou de complemento oblquo:</p> <p>O Joo ofereceu uma rosa Cristina.</p> <p> Suj. V C. direto c. indirectoA Rita avisou o Joo de que no faria o jantar.</p> <p>Suj.VC. direto c. oblquo</p> <p>Verbos transitivos-predicativos2Os verbos transitivos-predicativos seleccionam um complemento direto e um predicativo do complemento direto, que pode aparecer sob a forma de grupo adjectival, grupo nominal ou grupo preposicional:</p> <p>O jri considerou a apresentao satisfatria.</p> <p>Suj.VC. diretopredicativo do c. direto</p> <p>Eles acharam as frias uma maravilha.</p> <p>Suj.VC. diretopredicativo do c. direto</p> <p>2 Exemplos de verbos transitivos-predicativos: considerar, achar, nomear, eleger, apelidar, denominar, proclamar,</p> <p>declarar, reputar, sagrar, aceitar por, dar por, ter por, haver por, tomar por.Corte o bolo em fatias.</p> <p> V C. direto predicativo do c. direto</p> <p>Verbos auxiliaresOs verbos auxiliares precedem os verbos principais numa mesma orao, mas, ao</p> <p>contrrio dos ltimos, no seleccionam nem sujeito nem complementos. Os verbos auxiliares 7mais frequentes so ser, ter e haver.</p> <p>Ter e haver auxiliam a formao dos tempos compostos.O Joo tinha/havia feito o jantar.</p> <p>Todavia, neste contexto, o verbo haver hoje pouco utilizado, reservando-se o seu uso s situaes em que ocorre como verbo principal, sinnimo de existir (conjugado unicamente na terceira pessoa do singular.</p> <p>O verbo ser usado como auxiliar da passiva.O jantar foi feito pelo Joo.</p> <p>Regra geral, os verbos auxiliares no tm significado lexical, sendo apenas portadores de informao gramatical (de tempo, modo e aspeto, e de pessoa e nmero). Por exemplo, o verbo ter no conserva o seu sentido de posse na frase Tenho de ir ao correio hoje.Alm de ter, haver e ser, outros verbos auxiliares so: estar, andar, ir, ficar, vir, dever,</p> <p>acabar, costumar, comear e continuar.</p> <p>Os verbos auxiliares podem ter um valor aspectual quando se combinam com o infinitivo ou o gerndio de um verbo principal para indicar diferentes formas de perspectivar uma situao:</p> <p> pontual: Comeou a chover.</p> <p> progressiva: Ando a ler um romance.</p> <p> habitual: As gaivotas continuam a fazer o ninho junto do mar.</p> <p> perfectiva: Acabei de ler Os Maias.Verbos auxiliares aspectuais: comear a, estar a, andar a, continuar a, deixar de, parar de,</p> <p>acabar de, e similares.</p> <p>Os verbos auxiliares podem ter um valor modal, pois, precedendo o verbo principal no infinitivo, formam um complexo verbal para expressar modalidade valores de desejo, probabilidade, dever, possibilidade, necessidade, certeza, dvida, etc:</p> <p> dever/obrigao: Os cidados tm de pagar os impostos.</p> <p> probabilidade: Ele j deve ter sado de casa.</p> <p> permisso: Podem sair.Verbos copulativosOs verbos copulativos ocorrem associados a um predicativo do sujeito: A Ana simptica.</p> <p> Suj. V predicativo do sujeito</p> <p>Estes verbos, apesar de serem sintaticamente proeminentes, no so o elemento central da orao do ponto de vista semntico, veiculando sobretudo valores gramaticais tempo, modo, aspeto, pessoa e nmero. Nas construes em que os verbos copulativos ocorrem, o predicativo do sujeito que atribui propriedades ao sujeito da orao.</p> <p>So copulativos verbos como ser, estar, ficar, parecer, permanecer ou continuar:</p> <p>8A Rita est cansada.Eu fiquei desapontada. O Joo parece triste.</p> <p>Ela permanece doente.</p> <p>A mquina continua avariada.</p> <p>Aspeto verbalAspeto a categoria gramatical que exprime a forma como a situao presente num enunciado perspectivada pelo locutor no que respeita ao seu desenvolvimento temporal.</p> <p>Os valores aspectuais podem ser expressos lexicalmente, atravs da escolha dos itens lexicais (sobretudo verbos, mas tambm perfrases verbais ou locues adverbiais), ou gramaticalmente, atravs dos tempos verbais, verbos auxiliares, quantificadores ou modificadores.</p> <p>O valor aspectual de um enunciado, por norma, no depende do seu valor temporal.Observem-se os exemplos seguintes:</p> <p>(1) O Rui conversou com a Sandra.</p> <p>(2) O Rui estava a conversar com a Sandra quando lhe liguei. (3) Dantes, o Rui conversava muito com a Sandra.</p> <p>Todas as situaes apresentadas acima podem ser localizadas temporalmente como anteriores ao momento da enunciao. No entanto, apresentam diferentes valores aspectuais: em (1), sabe-se que a conversa acabou (aspeto perfetivo); em (2), no dada informao sobre o momento em que a conversa terminou (aspeto imperfetivo); e, em (3), existe uma situao que corresponde a um hbito (aspeto habitual).</p> <p>Aspeto lexicalO aspeto lexical um valor que resulta das propriedades (semnticas) inerentes aos itens lexicais, tipicamente aos verbos. este valor que permite distinguir situaes estativas3 de situaes dinmicas:</p> <p>A Ana conhece o Joo. (situao estativa)</p> <p>A Ana cumprimentou o Joo. (situao dinmica)</p> <p>A distino entre eventos pontuais e eventos durativos tambm estabelecida com recurso ao aspeto lexical. Por exemplo, verbos como nascer ou morrer indicam um estado de</p> <p>3 Exemplos de verbos estativos (que exprimem estados): haver, existir, residir, morar, viver, ter, pertencer, saber, conhecer, ver, gostar, amar, ser, estar, ficar, etc.</p> <p>coisas pontual4 ou no durativo (por isso, pode dizer-se O Joo nasceu s trs horas, mas no O Joo nasceu durante trs horas), enquanto verbos como viajar ou dormir tm um valor durativo5:</p> <p>O Joo nasceu s trs horas. (valor pontual)</p> <p>A Lusa dormiu durante quatro horas. (valor durativo)</p> <p>Aspeto gramatical 9O aspeto gramatical combina as informaes dadas pelo aspeto lexical com as fornecidas pelos diferentes tempos verbais, verbos auxiliares, quantificadores6 ou modificadores.</p> <p>O aspeto gramatical permite, assim, distinguir diferentes situaes: perfetivas (ou acabadas), imperfectivas (ou inacabadas), habituais, genricas e iterativas.</p> <p>Os valores aspectuais perfectivo e imperfectivo esto associados aos sufixos flexionais. Os tempos verbais expressam esses valores atravs da oposio entre formas do perfeito e do imperfeito.</p> <p>Quando um estado de coisas apresentado como terminado, usam-se tempos verbais perfectivos:</p> <p>Ea de Queirs nasceu no sc. XIX.</p> <p>As formas do pretrito perfeito e os tempos compostos tm, geralmente, um valor perfectivo.</p> <p>Quando um estado de coisas apresentado como no acabado, usam-se tempos verbais imperfectivos, como o caso do pretrito imperfeito do indicativo:</p> <p>Dantes, passava as frias em casa da minha av.</p> <p>Um enunciado tem valor aspectual habitual quando descreve uma aco...</p>