Aspectos da análise de conjuntura

Download Aspectos da análise de conjuntura

Post on 01-Jul-2015

754 views

Category:

News & Politics

5 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Texto que sintetiza os elementos de uma anlise de conjuntura.

TRANSCRIPT

  • 1

    Aspectos Gerais de uma Anlise de Conjuntura1

    1. Anlise de conjuntura:

    Definio, segundo Souza:

    A anlise de conjuntura uma mistura de conhecimento e descoberta, uma leitura especial da realidade e que se faz sempre em funo de alguma necessidade ou interesse. Nesse sentido no h anlise de conjuntura neutra, desinteressada: ela pode ser objetiva, mas estar sempre relacionada a uma determinada viso do sentido e do rumo dos acontecimentos (Souza, 1988: 8).

    A anlise de conjuntura de modo geral uma anlise interessada em produzir um tipo de interveno na poltica; um elemento fundamental na organizao da poltica, na definio das estratgias e tticas das diversas foras sociais em luta (Idem: 17).

    O principio bsico de qualquer ao poltica, seja de efeito a curto ou longo prazo, a anlise de conjuntura. Atravs da leitura dos acontecimentos, relaes e indivduos envolvidos, se passa a conhecer um pouco mais da realidade em movimento, do quadro geral da situao, ou seja, da conjuntura. Por isso, importante no s fazer a anlise da conjuntura, mas entend-la em seus aspectos principais para que seja eficaz nos resultados.

    Como esse documento apenas uma sugesto de quais so esses aspectos principais para uma razovel anlise conjuntural, optou-se por dividir em duas partes: categorias para a anlise da conjuntura e as diferenas bsicas entre estratgia e ttica.

    2. So as categorias para a Anlise de Conjuntura:

    2.1. Acontecimento - o fato que mereceu considerao especial pela sua importncia para um grupo, partido ou nao. Fatos so cotidianos, um acontecimento, entretanto, um fato importante. Mas, no basta identificar o fato como acontecimento, para efetivar a anlise o mesmo deve ser classificado segundo sua importncia frente a outros acontecimentos e assim apreender sua verdadeira influncia sobre a conjuntura. Para Souza: a importncia da anlise a partir dos acontecimentos que eles indicam sempre certos sentidos e revelam tambm a percepo que uma sociedade ou grupo social, ou classe tem da realidade e de si mesmos (Idem: 11).

    2.2. Cenrio - O cenrio traduz sempre como a luta social pode transcorrer. A luta em um parlamento diferente da luta nas ruas - cada cenrio corresponde s fraquezas e

    1 . Alexandre Reinaldo Protsio (arprotasio@yahoo.com.br).

  • 2

    foras dos competidores: cada cenrio apresenta particularidades que influenciam o desenvolvimento da luta e muitas vezes o simples fato de mudar de cenrio j uma indicao importante de uma mudana no processo (Ibidem).

    2.3. Atores - Quem est realizando a ao? Essa pergunta respondida apenas quando mencionamos os atores que esto agindo no determinado momento histrico. Atores podem ser classes sociais, indivduos, instituies, entidades, etc.

    2.4. Relao de Foras - Saber quais so os grupos, atores sociais, que esto engajados contra ou a favor de uma campanha e saber como articulam-se entre si, resulta em um maior entendimento da realidade poltica. Portanto, uma anlise bilateral, das foras contra e a favor, essencial. Segundo Souza: as classes sociais, os grupos, os diferentes atores sociais esto em relao uns com os outros. Essas relaes podem ser de confronto, de coexistncia, de cooperao e estaro sempre revelando uma relao de fora, de domnio, igualdade ou de subordinao (Idem: 13).

    2.5. Relao entre Estrutura e Conjuntura - Uma conjuntura um conjunto de fatores, aparentemente desconexos, mas na realidade, profundamente interligados. A estrutura , por sua vez, onde as diversas conjunturas histricas se formam. Saber fazer uma anlise de conjuntura tambm relacion-la com a estrutura scio-econmica real.

    fundamental perceber o conjunto de foras e problemas que esto por detrs dos acontecimentos. To importante quanto apreender o sentido de um acontecimento perceber quais as foras, os movimentos, as contradies, as condies que o geraram. Se o acontecimento aparece diretamente nossa percepo este pano de fundo que o produz nem sempre est claro (Idem: 14-5).

    Assim, atravs do reconhecimento, e entendimento, desses fatores (Acontecimentos, Cenrios, Atores, Relao de foras e Relao entre Estrutura e Conjuntura) podemos viabilizar uma anlise de conjuntura minimamente coerente e eficaz.

    3. As diferenas entre estratgia e ttica:

    3.1. Estratgia - o conjunto de aes, relaes, linhas gerais, articulaes, comportamentos, sejam individuais, de classe ou mesmo institucionais, que objetivam a construo de projetos hegemnicos de determinados grupos ou classes sociais. Estratgia, portanto, no apenas o "como ir", mas tambm "para onde ir".

    3.2. Ttica - So as aes concretas, de menor vulto, relativamente subordinadas a estratgia. As tticas nem sempre objetivam a realizao de uma estratgia determinada (existem as possibilidades de desvios), por isso preciso investigar as motivaes de cada movimento ttico das classes ou grupos sociais. Uma mudana de ttica mais simples de ser realizada do que uma virada na estratgia.

  • 3

    Uma advertncia importante:

    Nem sempre, porm, um acontecimento, ou um conjunto de aes aparentemente articuladas entre si constituem uma ttica ou parte de uma estratgia. Na sociedade, no processo social, o que acontece no tem que ver necessariamente com uma lgica ou um plano estabelecido. Por isso as anlises de conjuntura deveriam estar sempre abertas descoberta de vrias possibilidades e alternativas (Idem: 18).

    4. Mtodo prtico de anlise:

    Os passos para organizar a anlise seriam (adaptadas):

    4.1. Levantar as grandes questes do momento e list-las, com a participao de todos;

    4.2. Identificar e selecionar as foras sociais que esto diretamente envolvidas nestas grandes questes;

    4.3. Identificar e selecionar os atores (pessoas, lideranas) que representam estas foras sociais;

    4.4. Relacionar os atores sociais identificados com a estrutura social, econmica, cultural e poltica nacional e internacional.

    4.5. Listar, sem parcialidade, as virtudes e fraquezas dos adversrios;

    4.6. Listar os cenrios (locais, entidades, instituies, etc.) onde os atores sociais listados operam, identificando os terrenos onde suas virtudes/fraquezas se ampliam;

    4.7. Construir uma sntese (definio) que agregue todos os elementos elencados, objetivando uma leitura complexa dos fenmenos sociais.

    ______________________

    Bibliografia:

    SOUZA, Herbert Jos de. Como se faz Anlise de Conjuntura. 6 ed., Petrpolis-RJ: Ed. Vozes, 1988.

Recommended

View more >