ASON Sumários das Disciplinas

Download ASON Sumários das Disciplinas

Post on 09-Feb-2016

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1

    MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS

    CURSO DE ADAPTAO PARA 2 OFICIAL DE NUTICA (ASON)

    DISCIPLINA: ARQUITETURA E CONSTRUO NAVAL JUN/2011

    SIGLA: ARQ-71 CARGA HORRIA: 50 HORAS

    SUMRIO

    1) OBJETIVO GERAL DA DISCIPLINA Proporcionar ao aluno conhecimentos necessrios para aplicar os conceitos fundamentais de arquitetura e de construo naval, na interpretao de planos operacionais e no planejamento das operaes de responsabilidade do Oficial de Nutica.

    2) LISTA E PROPSITOS DAS UNIDADES DE ENSINO

    1. NOMENCLATURA DO NAVIO MERCANTE ............................................................06 HORAS

    1.1 - Identificar as principais partes do navio; 1.2 - identificar os principais compartimentos de carga de uma embarcao; 1.3 - definir o significado de: proa, popa, bordos, boreste, bombordo, meio-navio, obras vivas,

    obras mortas, linha dgua, costado, escovm, paiol da amarra, cavernas, vaus, sicordas, borboletas, braolas, contrabraolas, tampas de escotilhas, agulheiros, bochecha, alheta, a vante, a r, ante-a-vante e ante-a-r etc; e

    1.4 - identificar os vrios tipos de embarcaes, como: Roll-On/Roll-Off, petroleiro, transportador de gs liquefeito, transportador de produtos qumicos, graneleiros, graneleiros combinados O/O (Ore Oil) e OBO (Ore Bulk Oil), Full Container, embarcaes offshore, rebocador, empurrador, chata e demais embarcaes da rea fluvial e de pesca.

    2. ELEMENTOS ESTRUTURAIS DO NAVIO ................................................................ 02 HORAS

    2.1 - distinguir os tipos de chapeamento empregados na construo de navios mercantes; 2.2 - descrever as caractersticas mecnica, os tipos de perfilados, empregados na construo de navios mercantes; e 2.3 - citar os principais elementos estruturais da proa, popa, meio-navio e superestrutura.

    3. EMBARCAES MIDAS.......................................................................................... 04 HORAS

    3.1 - Conceituar os tipos das embarcaes midas tradicionais; 3.2 - listar as principais partes da estrutura de uma embarcao mida; 3.3 - citar os tipos de costados de uma embarcao mida (liso, trincado e diagonal); 3.4 - listar os componentes da palamenta de uma embarcao salva-vidas; 3.5 - relacionar os tipos de velas existentes numa baleeira ou escaler; e 3.6 - identificar lemes, bancadas, paineiro e as posies dos remadores.

    4. CABOS, NS E VOLTAS .............................................................................................02 HORAS

    4.1 - Nomear os tipos de cabos existentes, quanto sua formao (vegetal, sinttico e arame); 4.2 - citar a formao dos cabos de fibra vegetal, sinttico e de arame; 4.3 - listar as principais fibras, especificando as suas respectivas utilizaes; 4.4 - demonstrar como feita a medio dos cabos; e 4.5 - demonstrar os principais ns e voltas utilizados nas fainas de convs.

  • 2

    5. UTENSLIOS MARINHEIROS .....................................................................................02 HORAS

    5.1 - Citar os utenslios a serem usados em cada faina de costura de cabos e espelho; e 5.2 - identificar cada utenslio usado a bordo.

    6. POLEAME, APARELHOS DE LABORAR E ACESSRIOS......................................04 HORAS

    6.1 - Definir poleame, citando o seu emprego; 6.2 - listar os tipos de poleames (surdo e de laborar); 6.3 - enumerar as partes componentes de um moito ou cadernal; 6.4 - especificar as dimenses do poleame (comprimento da caixa, espessura e dimetro

    da roldana); 6.5 - conceituar o sistema, nomeando os seus componentes; 6.6 - enumerar os tipos diversos dos aparelhos, citando suas respectivas formaes; 6.7 - empregar as frmulas usadas para calcular o rendimento de um aparelho de laborar; 6.8 - citar as vantagens e desvantagens de um aparelho diferencial; e 6.9 - executar, com exatido, uma faina de aparelhagem de um teque e de uma talha singela.

    7. APARELHOS DE FUNDEAR, SUSPENDER E DE AMARRAO .........................04 HORAS 7.1 - Descrever a constituio do aparelho de fundear e suspender; 7.2 - relacionar os tipos bsicos de ncoras, citando a nomenclatura e as particularidades de

    cada uma delas; 7.3 - especificar as denominaes das ncoras de acordo com a sua utilizao a bordo (de leva,

    de roa, da roda, de popa e ancorotes) e os termos utilizados nas atividades de offshore; 7.4 - citar como constituda uma amarra (elos, elo kenter, anete, tornel), fazendo referncia

    sua dimenso e utilizao; 7.5 - citar os tipos de provas que so submetidas as amarras (trao e ruptura); 7.6 - definir o significado de filame da amarra; 7.7 - explicar como utilizada uma boia de arinque, sua amarrao, comprimento e finalidade; 7.8 - identificar os mordentes e as boas usados no fundeio; 7.9 - enumerar os tipos de mquinas existentes; 7.10 - distinguir, por suas funes e caractersticas, o molinete, o cabrestante e o guincho; 7.11 - descrever, sucintamente, um molinete; 7.12 - relacionar os cuidados que se deve ter com as diversas mquinas de suspender

    (eltrica e hidrulica); e 7.13 - citar as vozes de manobra, de comando, de execuo e de informao.

    8. EQUIPAMENTOS DO PASSADIO ............................................................................02 HORAS

    8.1 - Identificar os seguintes acessrios e equipamentos martimos: timo, telgrafo da mquina, apito, agulha giroscpica, agulha magntica, ecobatmetro, GPS, DGPS, odmetro de fundo, registrador de rumo, AIS etc.

    9. MASTREAO ............................................................................................................ 02 HORAS

    9.1 - Definir o significado de mastreao, citando seus componentes; 9.2 - identificar os diversos tipos de mastros, citando suas respectivas funes; 9.3 - identificar a nomenclatura e a estrutura dos mastros; e 9.4 - identificar os aparelhos fixos da mastreao.

    10. APARELHOS DE CARGA E DESCARGA ................................................................02 HORAS

    10.1 - Especificar os tipos de aparelhos utilizados nas operaes com carga geral, solta e unitizada, granis slidos e lquidas.

    11. AMARRAO DO NAVIO ........................................................................................02 HORAS

    11.1 - Especificar os cabos usados na amarrao e no reboque do navio; e 11.2 - identificar os principais acessrios usados na faina de atracao e desatracao do

    navio.

  • 3

    12. SOCIEDADES CLASSIFICADORAS ...................................................................... 02 HORAS

    12.1- Citar a finalidade das Sociedades Classificadoras; 12.2 - citar os tipos de vistorias que as Sociedades Classificadoras efetuam; e 12.3 - relacionar as mais importantes Sociedades Classificadoras.

    13. PROJETO E CONSTRUO NAVAL .......................................................................06 HORAS

    13.1- Citar como feito o planejamento computadorizado de construo; 13.2- descrever as fases de construo de um navio, na carreira ou no dique de construo; 13.3- identificar os principais desenhos de linhas e planos de formas dos navios; 13.4- explicar a importncia da construo modular; 13.5- detalhar os elementos que atuam na resistncia estrutural do navio; 13.6- citar a finalidade dos seguintes elementos: curvas de Bonjean, expanso do chapeamento;

    plano de docagem; e 13.7- especificar as provas de mar e de cais.

    14. AULAS PRTICAS EM NAVIOS MERCANTES.....................................................04 HORAS

    14.1- Identificar os principais compartimentos e acessrios da embarcao: passadio, tijup, praa de mquinas, paiis, mquina de suspender, guinchos, cabrestantes, embarcaes de salvamento, aparelhos de laborar, massame, poleame e outros equipamentos usados a bordo; e

    14.2- identificar as partes estruturais do navio: cavernas, longarinas, vau seco, vau lata, sicordas, borboletas, astilhas, ps de carneiro, braolas, contrabraolas, tampas de escotilhas, agulheiros, diamantes das escotilhas, cabeos, tamancas, buzinas, rodetes etc.

    15. PINTURA E CONSERVAO DO NAVIO...............................................................02 HORAS

    15.1- Justificar a finalidade da pintura do navio; 15.2- citar os componentes da tinta; 15.3- relacionar os tipos de tinta, citando como e onde devem ser aplicadas cada uma delas; 15.4- explicar as fases de preparao para pintura, identificando os utenslios usados para

    execuo do servio; 15.5- citar os esquemas de pintura utilizados nos navios; e 15.6- calcular o consumo das tintas a bordo em funo das reas a serem pintadas.

    3) DIRETRIZES ESPECFICAS a) As unidades de ensino foram definidas de forma a atender ao que estabelecido nos

    Captulos II e III, Sees A-II/1, Tabelas A-II/1 da STCW/78 e emendas; b) as aulas prticas, que constam na UE 14.0, devero ser realizadas em funo da

    disponibilidade dos navios mercantes nos estaleiros navais; c) as aulas expositivas, sempre que possvel, devero conter exemplos prticos sobre os

    contedos abordados; e d) com objetivo de aprofundar o conhecimento dos contedos propostos para estudo, deve ser

    estimulado o trabalho de pesquisa por parte dos alunos.

    4) AVALIAO DA APRENDIZAGEM a) Ser realizada por meio de duas provas escritas, de acordo com a seguinte distribuio:

    1 prova - UE 1.0 a 6.0; e 2 prova - todas as UE.

    b) sero destinados quatro tempos-aula para avaliao, sendo dois tempos para cada prova; e c) o resultado final ser obtido por meio da mdia aritmtica das provas realizadas.

    5) RECURSOS INSTRUCIONAIS

  • a) Conjunto multimdia; b) laboratrio de estabilidade; c) planos operacionais, diagramas e tabelas de navios mercantes nacionais; d) material didtico: manuais, apostilas, folhas de informao e livro-texto; e) filmes; e f) outros, a critrio do instrutor.

    6) REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS a) CONVENO INTERNACIONAL SOBRE NORMAS DE FORMAO DE

    MARTIMOS, EXPEDIO DE CERTIFICADOS E SERVIO DE QUARTO STCW/78 e emendas. Edio em Portugus: Rio de Janeiro: DPC. 2010.

    b) FONSECA, Maurlio M. Arte Naval. 6. ed. Rio de Janeiro: Servio de Documentao Geral da Marinha., 2002.

    c) INTERNATIONAL MARITIME ORGANIZATION. Consolidated Texto of the International Convention for the Safety of at Sea, 1974 and Its Protocol of 1988 - SOLAS. Edition 2009.

    d) ______. Master and Chief Mate - Model Course 7.01. Revised edition 1999 . London:IMO, 1999, 336 p.

    e) ______. Officer in Charge of a Navigation Watch - Model Course 7.03. Revised edition 1999. London:IMO, 1999, 248 p.

    f) ______. Officer in Charge of an Engineering Watch (Model Course 7.04) London: IMO, 1999.

    FRANCISCO CARLOS ORTIZ DE HOLANDA CHAVES Contra-Almirante (RM1)

    Superintendente do Ensino Profissional Martimo

    4

  • 1

    MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS

    CURSO DE ADAPTAO PARA 2 OFICIAL DE NUTICA (ASON)

    DISCIPLINA: INTRODUO MARINHA MERCANTE JUN/2011

    SIGLA: IMM-71 CARGA HORRIA: 50 HORAS

    SUMRIO

    1) OBJETIVO GERAL DA DISCIPLINA Proporcionar ao aluno conhecimentos para analisar a complexidade e a importncia das atividades da Marinha Mercante, levando-se em considerao o processo histrico relacionado aos aspectos polticos, sociais, econmicos e filosficos.

    2) LISTA E PROPSITOS DAS UNIDADES DE ENSINO

    1. INTRODUO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 04 HORAS 1.1 - Explicar, com base histrica, as origens das atividades da Marinha Mercante,

    justificando a sua importncia; 1.2 - identificar os principais segmentos da Marinha Mercante; e 1.3 - citar as caractersticas principais dos elementos que compem o meio aquavirio.

    2. A EVOLUO DA MARINHA MERCANTE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12 HORAS

    2.1 - Explicar a evoluo do transporte aquavirio quanto aos aspectos filosfico, social, econmico e tecnolgico;

    2.2 - citar as principais caractersticas dos primeiros marinheiros; 2.3 - fazer distino entre os povos antigos que se destacaram na navegao; 2.4 - comparar as primeiras embarcaes empregadas no trfego comercial quanto aos

    aspectos filosfico, social, econmico e tecnolgico; 2.5 - destacar a importncia de Constantinopla na expanso martima; 2.6 - justificar a importncia das grandes expedies martimas que propiciaram os

    descobrimentos; 2.7 - citar os motivos que fizeram dos povos ibricos serem os principais responsveis pela

    expanso das fronteiras martimas; 2.8 - distinguir os pases que se destacaram como potncias martimas na Idade Mdia e

    Moderna; 2.9 - destacar as principais atividades martimas no perodo de colonizao do Novo Mundo; 2.10 - explicar a evoluo dos sistemas de propulso; 2.11 - destacar os progressos alcanados na navegao: bssola, astrolbio e as alteraes

    fsicas introduzidas nas embarcaes; 2.12 - relacionar Revoluo Industrial inglesa com a expanso martima; 2.13 - diferenciar poder naval de poder martimo; 2.14 - destacar as potncias martimas contemporneas; 2.15 - analisar a importncia da Marinha Mercante nos conflitos mundiais; 2.16 - citar os avanos tecnolgicos contemporneos introduzidos nos meios martimos; 2.17 - analisar a importncia do meio martimo na atividade comercial globalizada; e 2.18 - citar as principais rotas martimas que viabilizam o comrcio internacional.

  • 2

    3. A ATIVIDADE MARTIMA NO BRASIL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 08 HORAS 3.1 - Explicar a atividade martima no perodo pr-colonial e colonial; 3.2 - justificar a Abertura dos Portos como fator de impulso s atividades martimas; 3.3 - destacar a importncia da Marinha do Brasil na consolidao da Independncia do

    Brasil, at aos dias atuais; 3.4 - citar os principais segmentos do setor martimo; 3.5 - justificar a importncia do Visconde de Mau na atividade econmica e na expanso do

    transporte martimo; 3.6 - analisar a poltica martima dos governos brasileiros republicanos; 3.7 - citar as caractersticas das principais companhias de navegao do Brasil; e 3.8 - distinguir os rgos administrativos da Marinha Mercante Brasileira.

    4. A AUTORIDADE MARTIMA E A LEGISLAO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 08 HORAS 4.1 - Relacionar os principais rgos que atuam como Autoridade Martima Nacional; 4.2 - definir a competncia da Diretoria de Portos e Costas (DPC) com relao atividade da

    Marinha Mercante; 4.3 - relacionar as Normas da Autoridade Martima para Aquavirios NORMAM, citando

    suas principais caractersticas; 4.4 - explicar a funo da Organizao das Naes Unidas (ONU); 4.5 - citar as principais Agncias Especializadas da ONU; 4.6 - citar a funo dos seguintes rgos: GATT (Acordo Geral de Tarifas e Comrcio),

    BIRD (Banco Internacional para Reconstruo e Desenvolvimento), Banco Mundial, FMI (Fundo Monetrio Internacional), UNICEF (Fundo das Naes Unidas para a Infncia), UNHCR (Alto Comissariado para Refugiados) e PNUD (Programa de Desenvolviment...

Recommended

View more >