as unidades de decanta§£o est£o compostas por 2 ... as unidades de...

Download As unidades de decanta§£o est£o compostas por 2 ... As unidades de decanta§£o est£o compostas

Post on 20-Jul-2018

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 74

    As unidades de decantao esto compostas por 2 decantadores em cada

    etapa, equipados com mdulos tubulares para o aumento da taxa de

    decantao.

    Para homogeneizar a distribuio do fluxo de gua, h um distribuidor de fluxo,

    consistido de uma cortina de madeira com orifcios, na entrada dos

    decantadores.

    A gua coagulada colhida por calhas metlicas com borda dentada dispostas

    na metade posterior das unidades.

    Observou-se que algumas das calhas no esto niveladas produzindo fluxo

    concentrado em algumas zonas, o que pode prejudicar a eficincia do

    tratamento, criando zonas de alta velocidade com arraste dos flocos.

    As fotos que seguem ilustram as unidades de decantao da ETA II.

    Figura 50 - Decantadores de Etapa N1 (esq.) e Etapa N2 (dir.)

  • 75

    Figura 51 - Canal coletor de gua decantada Etapa N1 (esq.) e Etapa N2 (dir.)

    Filtros

    Aps a decantao a gua passa para a unidade de filtrao composta por

    filtros de fluxo vertical descendente e taxa constante, com leito de areia e

    antracito.

    A bateria de filtros do mdulo N1 compreende 4 filtros e a bateria do mdulo

    N2 composta por 4 filtros.

    A lavagem dos filtros feita por retro lavagem com gua tratada; os filtros do

    mdulo N1 ainda esto dotados de dispositivos para lavagem superficial dos

    leitos.

    As fotos que seguem ilustram os filtros da ETA II.

  • 76

    Figura 52 - Filtros de Etapa N1 (esq.) e Etapa N2 (dir.)

    As guas residuais de operao da ETA (efluente de decantadores, lavagem

    de filtros, etc.) so encaminhadas para o crrego Araariguama.

    A quantidade de gua consumida na lavagem dos filtros muito alta segundo

    os dados levantados com o pessoal do DAE, atingido cerca de 15% da gua

    tratada.

    O DAE esta considerando a possibilidade de encaminhar a gua de lavagem

    para o inicio do processo atravs de um sistema de recuperao de gua de

    lavagem.

    Estima-se necessrio e de alta prioridade analisar este problema para reduzir o

    consumo de gua de lavagem.

    Na gua filtrada adicionado cal para correo de pH, cloro para garantir a

    presena de cloro residual e a fluoretao a partir de soluo de flor a base de

    cido fluorsilcico.

    Reservatrios

    Na ETA II existem 4 reservatrios. Um reservatrio elevado chamado de Clice

    com capacidade de 500 m, um apoiado de fibra de vidro, e dois enterrados de

    capacidade de 1.000 m cada um.

  • 77

    O reservatrio elevado abastece os bairros Terras di Siena, Flamboyant, Alfa,

    Vila Aparecida, Vila Btica, Linpolis, Jardim Amrica, Vila Alves, Naidelice,

    Vila Maria e Bufford.

    O reservatrio apoiado de fibra de vidro abastece os bairros Vila Olinda,

    Antnio Prezzoto, Garrido, Vila Boldrin, Vila Galdina e parte do Centro.

    Os dois reservatrios enterrados so interligados, e abastecem por gravidade

    os bairros de Vila Borges, Vila Olinda, Antonio Prezotto, Garrido, So Luiz,

    Bortoletto, Boldrin, Santa Luzia, Laudissi e Itamarati, e por bombeamento os

    bairros Panambi, Dulce, Linpolis, Santa Luzia, Primavera, Santa Terezinha e

    Santa Cruz, e os reservatrios Vila Brasil, So Francisco, Romano, Paulista,

    Vale das Cigarras e Cruzeiro do Sul.

    As fotos que seguem ilustram os reservatrios.

    Figura 53 - Reservatrio Clice (esq.) e Reservatrios Enterrados (dir.)

    Estao Elevatria de gua Tratada

    Do lado dos dois reservatrios enterrados se localiza a estao elevatria de

    gua tratada, composta por 7 conjuntos moto bombas, sendo um deles

    reserva.

  • 78

    A estao abastece os reservatrios Vila Brasil, Vale das Cigarras, Cruzeiro do

    Sul, Romano, So Francisco, e para distribuio direta na rede.

    Figura 54 - Casa de Bombas

    Laboratrios

    Na ETA II est localizado o laboratrio central que efetua as anlises para o

    controle de qualidade da gua em todas as fases do processo de

    abastecimento, alm das anlises de rotina necessrias para o controle da

    qualidade do processo de tratamento da ETA, como pH, cor, turbidez, cloro,

    flor.

    Figura 55 - Laboratrio Bacteriolgico (esq.) e Fsico-Qumico (dir.)

  • 79

    Figura 56 - Laboratrio de Anlises de rotina (esq.) e De Reagentes Qumicos

    (dir.)

    Os produtos qumicos utilizados na ETA so:

    Sulfato de alumnio lquido;

    Cal hidratada;

    Cloro gs;

    cido fluorsilcico;

    As condies gerais utilizadas na manipulao e estocagem desses produtos

    so adequadas.

    Dispe-se de equipamento de proteo individual - EPl em lugares visveis e

    acessveis, assim como placas indicando as reas de perigo.

  • 80

    Figura 57 - Tanques de Sulfato e Flor (acima), Depsito de Cal (abaixo) e

    Tanques de Cloro (dir.)

    As unidades de reservao e bombeamento da estao de tratamento so

    totalmente automatizadas e so controladas distncia pelo Centro de

    Controle localizado na sede do DAE.

    Na ETA II trabalham duas equipes em turnos de 12 horas, cada uma composta

    por 2 operadores e 1 ajudante, responsveis pela operao das unidades e da

    realizao das anlises de rotina para o controle do processo de tratamento de

    gua.

    Tambm trabalham quatro laboratoristas no perodo diurno: dois no laboratrio

    de anlises fsico qumicas, um no laboratrio de anlises bacteriolgicas, e um

    no laboratrio de reagentes.

    3.7.3. ESTAO DE TRATAMENTO DE GUA III (ETAIII)

    A ETA III esta localizada na Rua Antnio Pedroso s/n, no bairro Santa Rita,

    prxima da estrada de ferro.

  • 81

    Trata-se da ETA de menor capacidade e menor produo de gua do sistema.

    Existe a possibilidade de desativar esta ETA, cuja rea de abastecimento seria

    atendida pela ETA IV.

    A ETA III abastecida desde a captao Usina de Cillos atravs de uma

    adutora de FoFo de 200 mm de dimetro. No existe dispositivo de medio de

    vazo de entrada, que estimada em 19l/s.

    Esta ETA tem um processo convencional simplificado de tratamento,

    compreendendo coagulao e mistura rpida, decantao simples e filtrao.

    Porm, tem a particularidade de ser a nica ETA onde adicionado carvo

    ativado antes de coagulao, devido problemas na qualidade da gua bruta

    motivado por florao de algas no manancial.

    Em termos gerais as instalaes da ETA III apresentam mal estado de

    conservao e deficincia nos processos.

    Canal de chegada

    A adutora descarrega num canal onde adicionada a cal hidratada para

    correo de pH e a soluo de sulfato de alumnio para coagulao;

    previamente dosado o carvo ativado na tubulao de gua bruta.

    A ETA no est dotada de unidade para fazer a mistura rpida, sendo que

    atualmente h um dispositivo improvisado para produzir alguma mistura.

  • 82

    Figura 58 - Adio de Sulfato no Canal de Chegada

    Floculadores

    A floculao feita em um tanque de concreto equipado com dois misturadores

    mecnicos de eixo vertical.

    A unidade de floculao foi mal dimensionada, uma vez que o tempo de

    reteno insuficiente para a formao de flocos.

    .

    Figura 59 - Floculadores Mecnicos

    Decantadores

    A gua floculada passa diretamente para as duas unidades de decantao

    contguas aos floculadores.

  • 83

    Esses tanques tm uma geometria inapropriada, causando a superposio das

    zonas de entrada e sada comprometendo a eficincia do processo de

    decantao com conseqente sobrecarga no sistema de filtrao.

    Figura 60 - Decantador

    Filtros

    A gua decantada entra diretamente na bateria de filtros composta por dois

    filtros de leito de areia e antracito, de taxa constante e fluxo descendente.

    Aparentemente a turbidez da gua na entrada dos filtros alta, e como foi dito

    anteriormente sobrecarrega o sistema de filtrao. Ao reter maior volume de

    slidos os filtros tm carreiras de filtragem mais curtas, aumentando a

    freqncia na lavagem com aumento do consumo de gua.

    A lavagem dos filtros feita por retro lavagem com gua tratada, no existindo

    sistema de recuperao de gua de lavagem.

  • 84

    Figura 61 - Filtro em operao

    As guas de operao da ETA (efluente de decantadores, lavagem de filtros,

    etc.) so encaminhadas para o crrego Lagoa dos Patos.

    Reservatrios

    Na ETA III existem 2 reservatrios de gua tratada: um reservatrio semi-

    enterrado circular de concreto com capacidade de 2000 m, e um reservatrio

    elevado de concreto com capacidade de 200 m.

    O reservatrio de 2.000 m abastece o reservatrio elevado, atravs de uma

    estao elevatria de gua tratada - EEAT.

    O reservatrio elevado abastece a rede de distribuio dos bairros Santa Rita,

    Inocoop, Jardim Paraso, So Francisco I e II, Chcara Tver, Santa Ins e

    Mariana.

  • 85

    Figura 62 - Reservatrio Elevado (Foto: Consorcio PCJ)

    Laboratrios

    O laboratrio de anlises rotineiras para controle do processo de tratamento se

    localiza na galeria de controle de filtros.

    Figura 63 - Laboratrio de Anlises de Rotina

    Os produtos qumicos utilizados na ETA so:

    Carvo ativado;

    Sulfato de alumnio lquido;

    Cal hidratada para correo de pH;

  • 86

    Cloro gs;

    cido fluorsilcico;

    As condies gerais utilizadas na manipulao e estocagem desses produtos

    so adequadas.

    Figura 64 - Preparao de Soluo de Carvo Ativado (esq.) e Cilindros de Cloro-

    18 kg (dir.)

    Figura 65 - Tanque de Sulfato de Alumnio

    As unidades de reserva

Recommended

View more >