as duas faces tÁcticas da vecchia signora

Download AS DUAS FACES TÁCTICAS DA VECCHIA SIGNORA

Post on 20-Aug-2015

446 views

Category:

Sports

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  1. 1. JOGO 1 (3x5x2) JOGO 2 (4x3x1x2) JOGO: Juventus 1x0 Genoa LOCAL: Juventus Stadium, Turim (Itlia) DATA: 22 Maro 2015 14h:00m MARCADORES: C. Tvez (25) COMPETIO: Serie A 14/15 28 Jornada JOGO: Borussia Dortmund 0x3 Juventus LOCAL: Signal Iduna Park, Alemanha DATA: 18 Maro 2015 19h:45m MARCADORES: Tvez (2, 78); Morata (69) COMPETIO: Champions League 1/8 de final (2mo)
  2. 2. JUVENTUS ESTATSTICAS GENOA 13 REMATES 9 4 AO ALVO 1 5 CANTOS 4 11 FALTAS 17 54% POSSE DE BOLA 46% 52% SUC. TACKLE 54% 81% PASSES COMP. 82%
  3. 3. TRANSIO OFENSIVA (DEFESA -> ATAQUE): Recuperao dos centrais que jogam por fora leva a conduo num 1 momento e em seguida a bombardear na frente. Bonucci o menos esclarecido (lento na tomada de deciso pressionar!). Procuram Llorente quando saem longo. Os mdios tem tendncia tal como Tvez para assumir aces de conduo de frente para a linha defensiva. Miolo rpido a subir, com e sem bola. Enquanto que os laterais procuram tambm assumir conduo mas por espao exterior. Verticais, socorrem- se de Llorente para segurar e esperar pela subida do bloco ou para ele prprio explorar por meio de recepo orientada -> conduo provocar estragos. Dificilmente saem lento mas procuram faze-lo quando pressionados rapidamente na zona da bola. TRANSIO DEFENSIVA (ATAQUE > DEFESA): Forte reaco perda no espao intermdio do terreno (miolo forte + agressivo) com qualidade no controlo da profundidade pelos centrais (linha de 3 forte a controlar tambm o jogo areo verticalizao nas costas pelo ar). Ateno ao espao lateral: os mdios-laterais so, algumas vezes, apanhados em contra-p porque jogam subidos em organizao ofensiva e existe algum espao nas suas costas. Por dentro ser muito difcil pois a capacidade de Pereyra + Marchisio + Vidal na reaco e na presso dificultam qualquer tipo de aco (retirar logo desse espao). Quando perdem em Llorente/Tvez o 1 pressing inconstante, sendo que a raa de Tvez no o faa desistir em momento algum (bastante reactivo). Algo faltosos, de denotar alguma incapacidade de presso em zonas altas.
  4. 4. Equipa organizada em 3x5x2; Mveis e verticais com velocidade nos processos; Maior influncia do corredor central no processo ofensivo; Tvez criativo, Marchisio organizador; Lichtsteinar e Padoin conferem largura mas tambm tem capacidade para criar por dentro (em diagonais por espao interior nas costas da linha defensiva contrria); Pouca explorao da profundidade + perigosos em rupturas interiores;
  5. 5. Competentes mas pouco esclarecidos. Quando pressionados bombardeiam na frente e preferencialmente procuram Marchisio (o organizador). Apesar de Barzagli/Chiellini poderem jogar por fora, no so capazes de garantir uma 1 fase slida (pression-los). Recorrem pouco a Buffon, que quando chamado a intervir recorre ao pontap longo na maioria das vezes.
  6. 6. Nota para a liberdade de posicionamento e movimentos de Tvez bem como para as combinaes de Pereyra com Lichtsteiner (tambm visvel da 2 para a 3 fase) melhor ligao do que Vidal Padoin. Quando so verticais (procuram a profundidade) por Marchisio que tem capacidade de passe mdio/longo assinalvel e tem nas diagonais dos MLs ou de Llorente/Tvez nas costas. Enquanto que Vidal e Pereyra assumem + aces de conduo. Tvez sempre opo de passe tal como Llorente quando baixa para receber e tabelar (2 -> 3 fase, entre linhas e de costas para a baliza). Os apoios interiores de dos mdios quando os laterais em posse ou a aproximao dos avanados (Tvez naturalmente mais baixo para receber de frente para a defesa enquanto que Llorente jogar de costas para a baliza). Todava a movimentao do MC do lado da bola em direco ao corredor lateral procura abrir espao para o movimento interior, sendo que com espao so verticais. A apontar ainda: apesar do 3x5x2 e da importncia dos laterais na largura, s um dos laterais (do lado da bola) se expem realmente ora em posse ora a criar linhas de passe.
  7. 7. Os movimentos que garantem largura (ora pelo ML ora pelo MC) sendo que os MCs tem boa chegada rea ora por fora, ora por dentro e tambm so fortes na aco tcnica do cruzamento. O recuo de Llorente tem como objectivo tabelas quer para rupturas interiores dos MCs ora de Tvez, quer por fora dos MC ou dos laterais. Neste momento o mais perigoso so as rupturas de Tvez em posse ou dos MC normalmente por espaos entre corredor central e lateral sendo que os movimentos exteriores em criao no so, por ventura, dos movimentos mais perigosos. Tvez tem grande grau de influncia neste momento, sendo muito agressivo. As movimentaes entre corredores sem bola de Vidal e Pereyra, profundidade tambm perigoso (lateral em posse). Grande mobilidade e ligao intersectorial permite chegada dos mdios a zonas adiantadas. A movimentao nas costas de Tvez ou Llorente quando lanados por Marchisio tem continuidade num movimento vertical. Quando colocam entre linhas para Llorente, a recepo orientada que tem continuidade numa movimentao vertical. O movimento diagonal dos laterais, por fora, a atacar as costas da linha (normalmente lanado por Marchisio) continuam com esse movimento, caminhando dependendo da capacidade do adversrio encurtar espao para o portador, ou para a linha final e cruzar ou para a baliza.
  8. 8. O cruzamento a potenciar maior perigo dada pela capacidade fsica de Llorente ou os movimentos agressivos de Tvez sobre o espao. Por outro lado, as definies individuais de Tvez aps ruptura com remates potentes e em diagonal. As rupturas de Vidal tem maior interesse para finalizar sendo que Pereyra tem grande capacidade em jogar por fora. Lichtsteiner e Marchisio tambm contm com excelente meia-distncia tal como se deve ter em conta as finalizaes cruzadas na grande rea quer de Tvez (originou o golo!), quer de Llorente, quer dos mdios (centro ou laterais).
  9. 9. Equipa organizada sem grande rigor em termos de sistema; Variam bem os tempos de presso; Forte qualidade a tapar espao central (miolo agressivo, rotativo e intenso); Linha defensiva vive em funo do homem + adiantado; Grande capacidade de presso no corredor central; Procuram pressionar alto e jogar c/ o bloco alto; Grande participao dos mdios; Lichtsteiner baixa para defender numa linha de 4; Campo pequeno;
  10. 10. Procuram pressionar alto e com o bloco subido. So coordenados sendo que Llorente pouco participativo. Por estarem subidos e relacionado isto com a permuta intersectorial de Llorente por Pereyra, garantindo assim + intensidade na 1 fase, conseguem condicionar melhor a sada de bola do adversrio. Tvez agressivo. Compactos e prximos. No formam desde logo o 4x4x2 clssico utilizado.
  11. 11. Grande capacidade nos equilibrios, desenham o 4x4x2 tradicional mas pouco linear nas duas zonas (exterior e interior). Verificando as imagens percebemos que existe sempre uma 2 linha em cobertura. No espao interior dada por Bonucci (jogador + recuado, tira partido do bloco subido), uma vez que Marchisio-Vidal em que pressionar por dentro e Pereyra fecha no corredor. No espao exterior dado por Marchisio e pelo lateral sendo que no existe muito espao intersectorial (entre os 3 sectores neste momento). Neste momento o aconselhvel ser uma rpida circulao da bola (1 a 2 toques e rodar lado porque linha mdia est curta e podemos atacar o 1x2 com o lateral contrrio). Por dentro, os mdios controlam com facilidade a entrada da bola nesse espao (sempre prximos, agressivos, reactivos + intensos). Torna o jogo interior complexo pelo pouco tempo na tomada de deciso (receber de frente fundamental) mas ter ateno proximidade de Tvez (reactivo!)
  12. 12. Dificuldade em conseguir jogar por dentro, pouco espao interior (mdios pressionantes ainda que concedam espao intrasectorial (1 imagem tringulo mal formado). Procuram organizar- se em 4x4x2 quando defendem espao exterior mas acabam por cair em 5x3x2 quando defendem espao interior (Padoin recua para defender). Mais fcil criar por fora sendo que ser sempre difcil por via do cruzamento (explorar costas do 2 central e de Marchisio quem est ao segundo poste encurta mal o espao). Por dentro encurtam bloco largura havendo espao para sair para forar criao por fora. Destaque para a participao defensiva de Tvez que recua e para a basculao que feita pelo jogador que fecha no corredor (Pereyra na direita, Padoin na esquerda) e pelo lateral. GIGI BUFFON -> Fortssimo entre os postes: posicionamento tem nota mxima tal como a colocao do corpo (forte na mancha) e nos reflexos. Tapa bem o lance e no sendo um guarda-redes que sai da baliza (aos cruzamentos) competente quando o faz. Experiente, l na perfeio os lances ainda que denuncie a queda no 1x1 defensivo c/ os avanados (corpo inclinado).
  13. 13. Marchisio na marcao, apoio de Pereyra para canto curto. 6 na rea com Tvez na pequena. Llorente, Bonucci, Chiellini, Vidal e Barzagli so os restantes. Todos fortes no jogo areo, com excelente comportamento na disputa sendo que Chiellini e Vidal so os + agressivos. Muito perigo! Marchisio batebem em efeito, a boa altura e no muito potente.
  14. 14. Marchisio na marcao, apoio de Padoin. Colocam 5 jogadores na rea com Tvez (o menos perigoso na 1 bola!) mas com Chiellini-Vidal (os mais agressivos), Llorente-Bonucci (tecnicamente capazes, fisicamente lentos). 1 a 2 no exterior para 2 bola! Ateno aos livres cobrados na direco do 1 e do 2 poste (finalizao!!)
  15. 15. No parte com grande velocidade. Concentrado, focado e sem desviar o olhar, parte calmo mas pouco confiante. Bateu para o seu lado esquerdo, a mdia-baixa altura e pouca potncia na bola, tal como no muito colocado para a malha lateral. 5 jogadores em redor da rea (destaque para o posicionamento de Marchisio!)
  16. 16. Todos na grande rea excepto 1 a cobrirem possvel canto curto (outro tambm Padoin, no exterior). Na rea marcao individual a todos os elementos, excepto 4 homens zonais (1 deles Padoin!) sendo que Llorente e Marchisi

Recommended

View more >