artigo cientifico 16.10

Download Artigo Cientifico 16.10

Post on 22-Jul-2015

29 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARAN FACULDADE DE CINCIAS BIOLGICAS E DA SADE

Elo Heidemann Pr

INFLUNCIA DO PROCESSO TERAPUTICO NA QUALIDADE DE VIDA DE ACADMICOS DE PSICOLOGIA DE UMA UNIVERSIDADE EM CURITIBA

CURITIBA 2011

Elo Heidemann Pr

INFLUNCIA DO PROCESSO TERAPUTICO NA QUALIDADE DE VIDA DE ACADMICOS DE PSICOLOGIA DE UMA UNIVERSIDADE EM CURITIBATrabalho de concluso de curso apresentado para o Curso de Psicologia da Faculdade de Cincias Biolgicas e da Sade da Universidade Tuiuti do Paran. Orientador: Professora Dra. Maristela Kurowski/CRP 08/2355

CURITIBA 2011

SUMRIO1 2 INTRODUO E JUSTIFICATIVA .................................................... 4 FUNDAMENTAO TERICA ......................................................... 5 2.1 2.2 2.3 3 4 5 6 PSICOTERAPIAS ............................................................................. 5 QUALIDADE DE VIDA................................................................... 8 QUALIDADE DE VIDA E PSICOTERAPIA ................................. 11

PROCEDIMENTOS METODOLGICOS ....................................... 12 RESULTADOS E DISCUSSES ........................................................ 14 CONSIDERAES FINAIS ............................................................... 21 REFERNCIAS ................................................................................... 21

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARAN FACULDADE DE CINCIAS BIOLGICAS E DE SADECurso de Psicologia - Disciplina: Trab alho de Concluso de Curso AVAL IAO DOS MEMBROS DA BANCA Anexo 3 ALUNA: Elo Heidemann Pr TTULO: INFLUNCIA DO PROCESSO PSICOTERAPUTICO NA QUALIDADE DE VIDA DE ACADMICOS DE PSICOLOGIA DE UMA UNIVERSIDADE EM CURITIBANOTA (0,0 a 10,0 conforme Captulo VII do Regulamento de TCC): ASPECTO 1. Introduo (2,0 pontos) TPICO Justificativa da pesquisa, objeto e problemtica estudada, objetivos e metodologia utilizada Referencial terico (esta descrito em acordo com os objetos da pesquisa, texto esta adequadamente referenciado pelos autores consultados. Resultado e discusso( a analise do trabalho apresenta a articulao entre dados coletados com o corpo terico que fundamenta a sua leitura Reflexes coerentes problemtica da pesquisa e se respondeu aos objetivos. Utilizados de forma adequada, (conforme normas tcnicas da UTP) O trabalho como um todo segue os princpios metodolgicos e normas para apresentao de trabalho cientifico da UTP. Encadeamento lgico durante a apresentao do trabalho, domnio no assunto, adequao de linguagem terminologia e fluncia verbal, coerncia entre exposio oral e trabalho escrito NOTA

1.

Desenvolvimento (3,0 pontos)

2. 3.

Consideraes finais: (2.0 pontos) Referncias, apndice e anexos (0,5pontos)

4.

Normas tcnicas de trabalho cientifico (0.5) 5. Avaliao da apresentao oral (2.0pontos)

TOTAL: Observao_________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________________

Curitiba, ______/__________/______________.

Professor( a) Membro da Banca

Professor(a) Membro da Banca

________________________________________ Professor(a) Presidente da Banca

INFLUNCIA DO PROCESSO TERAPUTICO NA QUALIDADE DE VIDA DE ACADMICOS DE PSICOLOGIA DE UMA UNIVERSIDADE EM CURITIBA. Elo Heidemann Pr; Professora Dra. Maristela Kurowski(Universidade Tuiuti do Paran)

Resumo: Na Segunda folha dever constar um resumo em portugus de no mximo 300 palavras. O resumo dever especificar o objetivo, mtodo, resultados e concluses. Aps o resumo em portugus, na mesma folha, essencial uma lista de 4 palavras em portugus que descreva o contedo do trabalho. Entrelinhas simples, sem paragrafos. Palavras Chaves: Psicoterapia, Qualidade de Vida, Universidade

4 1 INTRODUO E JUSTIFICATIVA A psicoterapia reconhecida como prtica profissional pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP), rgo que regulamenta a profisso do Psiclogo, abordando, no conceito a tcnica, a cientificidade e a tica na atuao do profissional. Alm de ressaltar os pontos que a psicoterapia oferece a pessoa que a procura, como o desenvolvimento, mudanas, promover o crescimento visando a promoo da sade e o bem-estar. A qualidade de vida tem sido discutida entre autoridades e pesquisadores. Quem define o conceito de qualidade de vida (QV) a Organizao Mundial da Sade (OMS) o qual se traduz em uma percepo subjetiva, abrangendo cultura, valores, objetivos, expectativas, padres e preocupaes, envolvendo a sade fsica, estado psicolgico, nvel de independncia, relaes sociais e meio ambiente. Frente a isso, possvel pensar na psicoterapia como auxilio na obteno da melhora das condies de vida da pessoa, ou seja, na qualidade de vida, visto que autores citados no projeto fazem referncia psicoterapia como meio para obter a melhora na sade, atravs da busca de solues de problemas existenciais e ainda traz condies de melhoria na compreenso e mudana de padres e relacionamentos, alm de educar para a vida. O projeto foi idealizado com o intuito de investigar a importncia da psicoterapia na qualidade de vida das pessoas. Isto devido a uma incgnita: de que forma cientfica seria possvel mostrar a influncia da psicoterapia na vida das pessoas que a fazem? Para ser possvel, ser utilizado um questionrio para fazer levantamento entre os que fazem, nunca fizeram e os que j fizeram e no fazem mais psicoterapia,

5 concomitante com o questionrio sobre QV e o pblico a ser pesquisado sero acadmicos de psicologia de uma universidade particular localizada em Curitiba no Estado do Paran.

2 2.1

FUNDAMENTAO TERICA PSICOTERAPIAS A psicoterapia uma prtica profissional caracterizada por mtodos e tcnicas

oriundos de diferentes abordagens tericas, no qual subsidiam o manejo teraputico, cujo objetivo tratar de problemas psquicos que a pessoa no consegue lidar, ento se busca o trabalho do psicoterapeuta para reconhecer, aceitar e construir solues para esses problemas. A prtica psicoterpica regulamentada pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP) na Resoluo n10/2000 confirmando que:A Psicoterapia prtica do psiclogo por se constituir, tcnica e conceitualmente, um processo cientfico de compreenso, anlise e interveno que se realiza atravs da aplicao sistematizada e controlada de mtodos e tcnicas psicolgicas reconhecidos pela cincia, pela prtica e pela tica profissional, promovendo a sade mental e propiciando condies para o enfrentamento de conflitos e/ou transtornos psquicos de indivduos ou grupos. (2000).

Conforme a resoluo do CFP a psicoterapia tem como objetivo promover a sade mental e tornar a pessoa apta a enfrentar conflitos e/ou transtornos decorrentes de diversos fatores que lhe possa afetar. Segundo Wolberg (1972 apud RIBEIRO, 1986, p. 45), o tratamento psicolgico foca-se em problemas de natureza emocional e como o objetivo de

6 remover, modificar ou retardar sintomas, de intervir e modelos perturbados do comportamento e de promover um crescimento e um desenvolvimento positivo da personalidade. Corroborando, Rogers (1980, p. 43) fala sobre a relao que se cria durante o processo psicoteraputico e a finalidade desta relao a promoo do crescimento, desenvolvimento e maturidade, visando a melhora do funcionamento e aumento da capacidade de enfrentar a vida. Ribeiro (1986, p.51) afirma que o objetivo do tratamento permitir, atravs de uma relao a dois (psicoterapeuta e cliente) ou grupal (psicoterapeuta e vrios clientes) perceber a individualidade, oferecendo ferramentas para crescer e desenvolver positivamente, ou seja, buscar o seu lugar no mundo, conscientizandose e conhecendo suas limitaes para que se torne uma pessoa capaz de lidar, por si s, com as questes que podero aparecer durante sua vida. Corroborando com as afirmaes acima, Bloch (1989 apud SOUZA e TEIXEIRA, 2004, p. 46) diz que a inteno da psicoterapia a satisfao de necessidades de afeto e reconhecimento, bem como ajud-la a corrigir atitudes, emoes e comportamentos desadaptativos que a impedem de obter satisfaes. Ribeiro (1986, p. 29) fala sobre: a psicoterapia est deixando de ser um bem para doentes, para se transformar numa resposta para todo aquele que deseja um maior e mais profundo crescimento de si mesmo. Ainda ressalta:a psicoterapia deixa de ser algo destinado s s pessoas ditas doentes e passa a ser uma opo de todos aqueles que, atentos orientao do mundo moderno, procuram estar bem consigo mesmos, criando um ambiente em volta de si onde eles sejam e possam realizar-se como pessoas (1986, p. 13)

Rogers (1980, p. 44) tambm faz referncia da naturalidade das pessoas ditas

7 normais buscarem auxlio psicoteraputico, deixando de lado o modelo de que psicoterapia apenas para pessoas com srios problemas mentais ou psicolgicos, ou at mesmo, como se referiam anos atrs, as pessoas tidas como loucas: [h] nmero crescente dos chamados indivduos normais que se submetem ao tratamento teraputico com o objetivo de melhorar o seu prprio funcionamento ou de acelerar sua maturao pessoal. importante ressaltar que a psicoterapia pode atingir a todos, porm no so todos indicados a submeter-se ao processo psicoteraputico, Ribeiro (1986, p. 119) diz que todas as pessoas so disponveis e indicadas teoricamente para psicoterapia, mas nem todas as pessoas esto, aqui e agora, indicadas para se submeter a um processo psicoteraputico, at, porque, exige-se uma pr-disposio da pessoa em aceitar e, de certa forma, acreditar em todo o processo que est por vir. A psicoterapia ento, no tem, apenas, como foco de trabalho a pessoa doente, com problemas emocionais especficos, como a dificuldade em aceitar uma doena crnica, ou apresentar caractersticas de timidez, ou ainda, apresentar um quadro depressivo; isso so caractersticas de personalidade/comp