arte 8ª correta

Download arte 8ª correta

Post on 30-Jun-2015

549 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

1- ARTE a oportunidade de uma pessoa explorar, construir e aumentar seu conhecimento, desenvolver suas habilidades, articular e realizar trabalhos estticos e explorar seus sentimentos. O ensino de Arte deve possibilitar a todos os alunos a construo de conhecimentos que interajam com sua emoo, atravs do pensar, do apreciar e do fazer arte. Produzindo trabalhos artsticos e conhecendo a produo de outras pessoas e de outras culturas. 2 OBJETIVOS DO ENSINO DE ARTE 1. Reconhecer a arte como rea de conhecimento autntico e autnomo, respeitando o contexto scio-cultural em que est inserida. 2. Apreciar a arte nas suas diversas formas de manifestao, considerando-a elemento fundamental da estrutura da sociedade. 3. Compreender a arte no processo histrico, como fundamento da memria cultural, importante na formao do cidado, agente integrante e participativo nesses processos. 4. Proporcionar vivncias significativas em arte, para que o aluno possa realizar produes individuais e coletivas. 5. Conhecer e saber utilizar os diferentes procedimentos de arte, desenvolvendo uma relao de autoconfiana com a produo artstica pessoal, relacionando a prpria produo com a de outros. 6. Respeitar as diversas manifestaes artsticas em suas mltiplas funes, identificando, relacionando e compreendendo a arte como fato histrico contextualizado nas diversas culturas. 7. Conhecer, respeitar e poder observar as produes presentes no entorno, assim como as demais do patrimnio cultural e do universo natural, identificando a existncia de diferenas nos padres artsticos e estticos de diferentes grupos culturais. 8. Conhecer a rea de abrangncia profissional da arte, considerando as diferentes reas de atuao e caractersticas de trabalho inerentes a cada uma.

3 ESPAO E FORMA Espao e forma so um destes assuntos em que a realidade est presente, de forma que quanto mais explorado for, mais enriquecidas ficaro as aulas, havendo, portanto, maior compreenso sobre o assunto em estudo.

Noo de espao Desde a sua origem que o Homem, ao desenvolver diversas actividades, cria, organiza e define formas. Essas formas ocupam espao e o espao envolve as mesmas. O Homem organiza-se de acordo com a sua cultura, transformando as formas sua imagem e de acordo com o seu modo de vida. Conclumos que o espao organizado em relao forma, de acordo com as suas caractersticas ambientais, geogrficas e culturais de cada sociedade. Como sabes, a tua terra encontra-se situada num determinado espao geogrfico. A tua casa, a tua terra encontra-se situada num determinado espao. Sentes que o espao se torna mais limitado se te encontras, por exemplo, num meio fechado como teu quarto. Certamente que na praia ou no campo ters uma noo de espao mais vasta do que tens dentro da cidade.

Espa Humanizado 3.1 bidimensional

Espao Natural

Espao bidimensional - refere-se a tudo que realizas na tua folha de papel, ou sobre qualquer outra superfcie (desenho, pintura, escrita...) Todos elementos com ele relacionados podem estar acima ou abaixo, perto ou longe, dentro ou fora e podem ser maiores ou menores. 3.2 Espao tridimensional - refere-se a tudo o que ocupa e espao e que, por isso, tem volume. 3.3 perspectiva paralelaDefinio de perspectiva : Cincia da representao grfica dos objetos com o aspecto visto por nossos olhos.

CAVALEIRAApresenta uma face em VG e a aresta perpendicular a esta face forma um ngulo (E) qualquer e submetida a um fator de transformao (k) qualquer. Convencional: E= 30 - k= 2/3 E= 30 - k= 1/2 E= 30 - k= 1/3 - a planta aparece em VG com lados horizontais e verticais no desenho e a aresta vertical oblqua. - em geral o ngulo Eutilizado de 45 e a altura sofre reduo de 1/2. - a planta aparece em VG com lados inclinados (em geral 30 e 60 ou 45) e a aresta vertical aparece vertical no desenho. - quando usada para representao da forma, adotamse as redues convencionais. - quando usada para representao tcnica, no se reduz nenhuma aresta.

Vo de pssaro:

Militar:

AXONOMTRICA uma projeo ortogonal dos trs eixos de um triedro tri-retngulo sobre um plano de projeo. Isomtrica: - os trs eixos formam ngulos iguais com o plano de projeo k= 1:1:1. - todas as arestas aparecem em VG, mas no as faces. - dois eixos formam ngulos iguais com o plano de projeo e o fator de transformao varia de acordo com os ngulos formados pelos eixos.

Dimtrica:

- trs eixos formam ngulos iguais com o plano de projeo e o fator de transformao varia de acordo com os ngulos formados pelos eixos.3.4PERSPECTIVA CAVALEIRA 30 Os raios projetantes incidem no plano de projeo com ngulos de 30 e as faces a sofrerem distoro tero suas medidas, no plano de projeo, reduzidas dois teros do valor real. 3.5 Perspectiva Isomtrica A perspectiva do tipo isomtrica ocorre quando o observador est situado no infinito (e portanto, os raios projetantes so paralelos uns aos outros) e incidem perpendicularmente ao plano de projeo. O sistema de eixos da situao a ser projetada ocorrer na perspectiva, quando vistos no plano, de forma equi-angular (em ngulos de 120). Desta forma, possvel traar uma perspectiva isomtrica atravs de uma grelha de retas desenhadas a partir de ngulos de 30.

Trimtrica:

Tarefa: Solicitar aos alunos diversos objetos como caixas, embalagens diferentes, latas para ser iniciado o estudo sobre ESPAO E FORMA. Realizar no laboratrio de informtica algumas construes geomtricas, plantas, desenhos, etc

4- CONHECIMENTO E EXPRESSO EM ARTE AUDIOVISUALO ensino das Artes Audiovisuais institui-se como um elemento de reestruturao do conhecimento humano na atualidade, pois o contato que todos tm hoje com a imagem em movimento, conjugada com o som, representa uma mudana significativa na forma de algum se posicionar na sociedade. Portanto, o relacionamento que se tem hoje com a denominada cultura audiovisual supera, em vrias situaes, outras formas de consumo de produtos culturais; serve de exemplo a hegemonia cultural que a televiso tem conseguido nos ltimos anos, com uma produo e reproduo de imagens que influem enormemente no comportamento da populao em quase todo o mundo e quase todas as situaes sociais costumes, religio, tica, poltica etc. A imagem em movimento tem, assim, um sentido muito forte em nossa vida cotidiana A arte audiovisual uma arte atravessada pelo entre: uma arte do entre formatos, uma arte do entre meios, uma arte do entre criadores, uma arte do entre linguagens. Assim, a nica forma dos habitantes desse mundo de signos, objetos e interpretantes mveis e ilimitados se comunicarem e se entenderem usando formas tradutrias que atravessem as fronteiras. So estas formas tradutrias o prprio cerne da natureza audiovisual, so a ponte, o barco, o recheio, o religare, a comunicao que s capaz de ligar pontos aparentemente sem comunicao por meio da ambivalncia natural (o bivolt) dos objetos mestios. exato esta ambivalncia a responsvel por religar real/imaginrio, velado/revelado, maqunico/humano, como tambm por fazer se comunicarem entre si conhecimentos explcitos de

outras artes ou por agregar-se a meios como a netmdia e o videogame. No entanto, devemos atentar para o fato de que esta mestiagem no um estado excepcional que geraria um caos temporrio, mas sim uma condio permanente e determinante dessas relaes. 4.1 Cinema

inema (do grego: - kinema "movimento") inclui a tcnica de projetar imagens para criar a impresso de movimento, bem como uma arte e a indstria cinematogrfica. As obras cinematogrficas (mais conhecidas como filmes) so produzidas atravs da gravao de imagens do mundo com cmeras, ou pela criao de imagens utilizando tcnicas de animao ou efeitos visuais. Os filmes so feitos de uma srie de imagens individuais chamadas fotogramas. Quando essas imagens so projetadas de forma rpida e sucessiva, o espectador tem a iluso de que est ocorrendo movimento. A cintilao entre os fotogramas no percebida devido a um efeito conhecido como persistncia da viso, pelo qual o olho humano retm uma imagem durante uma frao de segundo aps a fonte ter sido removida. Os espectadores tm a iluso de movimento devido a um efeito psicolgico chamado movimento beta. O cinema um artefato cultural criado por determinadas culturas, que refletem as mesmas e, por sua vez, as afetam. O cinema considerado uma importante forma de arte, uma fonte de entretenimento popular e um mtodo poderoso para educar - ou doutrinar - os cidados. Os elementos visuais do aos filmes um poder de comunicao universal. Alguns filmes se tornaram mundialmente populares ao usarem tcnicas de dublagem ou legendas, que traduzem o dilogo. A origem do nome "cinema" vem do fato de que o cinematgrafo, historicamente, foi o primeiro equipamento utilizado para o registro e exibio de filmes. Por metonmia, a palavra tambm pode se referir sala de espetculos onde so projetadas obras cinematogrficas.4.2 televisao

A Computao Grfica est presente em todas as reas, desde os mais inconseqntes joguinhos eletrnicos at o projeto dos mais modernos equipamentos para viagens espaciais, passando tambm pela publicidade, com as mais incrveis vinhetas eletrnicas e pela medicina onde a criao de imagens de rgos internos ao corpo humano possibilitando o diagnstico de males que em outros tempos somente seria possvel com intervenes cirrgicas complicadas e comprometedoras. Parece existir consenso entre os pesquisadores da histria da Computao Grfica de que o primeiro computador a possuir recursos grficos de visualizao de dados numricos foi o "Whirlwind I" (furaco), desenvolvido pelo MIT. Este equipamento foi desenvolvido, em 1950, com finalidades acadmicas e tambm possivelmente militares pois logo em seguida o comando de defesa area dos EUA desenvolveu um sistema de monitoramento e controle de vos (SAGE - Semi-Automatic Ground Enviroment) que convertia as informaes capturadas pelo radar em imagem em um tubo de raios catdicos (na poca uma inveno recente) no qual o usurio podia apontar com uma canet