arinos - edi†ƒo 951

Download ARINOS - EDI‡ƒO 951

Post on 22-Mar-2016

232 views

Category:

Documents

5 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

DESDE 1997 o Jornal Arinos e Mais expressivo o Veículo de Comunicação de Nova Mutum (MT), tendão acompanhado o Desenvolvimento Social, Político e Econômico da Região.

TRANSCRIPT

  • A verdade letra a letra

    Distribuio Gratuita Nova Mutum, 07 a 13 de Maro de 2013 - Ano 15 - Edio 951

    www.grupoarinos.com.brjornalarinos@grupoarinos.com.br jornalarinos@hotmail.com.br www.twitter.com/grupoarinos

    Menor apreendido com 87 gramas pasta base de cocana em rodoviria de Nova Mutum

    Os produtores esto preocupados com o aumento no frete da soja, outra preocupao que devido as chuvas no estado o preo da saca prevista no comeo da safra j no a mesma.

    O Grupo Arinos de Comunicao lanou a promo-o Me sob Medida. Para participar muito f-cil, basta comprar nas lojas parceiras da promoo e exigir o seu cupom.

    Ao todo mais de 40 municpios se classificaram para os desafios municipais, pois tiveram cinco ou mais inscritos no Desafio Nacional de Produtivida-de da Soja.

    A corrida pela gua no municpio de Lucas do Rio Verde, trs como tema: Tenha um pingo de cons-cincia. Diversas atividades sero criadas, onde os alunos recebero orientaes sobre o sistema de preservao, coleta seletiva do lixo e o tratamento ideal da gua.

    Um rapaz acusado de duplo homicdo e foragido da justia foi apturado pela Polcia de Arenpolis, com o apoio da Polcia de Nova Mutum. O mesmo j tem passagens no municpio. Se condenado pelo crime de homicdio ele pode pegar de 30 a 25 anos de priso.

    A Polcia Civil soube do menor atravs de ligaes annimas. Diante das informaes que recebe-ram se deslocaram at a rodoviria do municpio e abordaram o menor, ele no reagiu e disse que a droga sria entregue para uma segunda pessoa.

    Pgina 03

    Pgina 03

    Pgina 04

    Pgina 04Pgina 04Pgina 03

    AGRONEGCIO CIDADES PROmOO

  • www.grupoarinos.com.brjornalarinos@grupoarinos.com.br jornalarinos@hotmail.com.br www.twitter.com/grupoarinos

    OPINIO 07 A 13 DE MARO DE 201302

    (65) 3308.2222 Redao/Comercial

    EXPEDIENTEDiretor Geral. Claudio Prestes Diretor Administrativo. Andrei Mariotti Diagramao. Bruna AlvesReportagem. Ana Paula Dias, Chico Tello e Poliana Chaves Fotos. Djeferson Kronbauer, Kacio Henrique, William Eduardo e Willyeser Dias

    Editado e distribudo porBFF Grfica e Comunicao. Endereo: Rua dos Ce-dros, 39 N, Centro, CEP 78450-000, Nova Mutum, MT. O Jornal Arinos impresso na Grfica e Editora Re-gional.

    Circulao. Nova Mutum e regio. Tiragem. 1 mil exemplares.

    SEMENTE DE F

    Igreja Casa da Bno de Nova mutum | Av. das Araras, 480 W Centro | www.icbnovamutum.com.br

    ULTRAPASSADO, EU?Se o ferro est embotado, e no se afia o corte, preciso redobrar a fora; mas a sabedoria resolve com bom xito muito comum permitir que as ferramentas de nosso trabalho fiquem velhas e obsoletas. Isto motivo de um bocado de frustrao. Ningum gosta de trabalhar cada vez mais para alcanar cada vez menos resultados. Faa uma lista de todo seu equipamento e verifique cada pea para saber o que precisa ser substitudo. Avalie em que condies esto os computadores, os softwares, as impressoras e os aparelhos de fax e todo maquinrio da empresa. Pergunte a si mesmo: est tudo funcionando a contento? O que deve ser desativado e substitudo? Com o tempo, at mesmo as melhores ferramentas podem deteriorar. A modernizao de sua empresa tornar cada membro da equipe mais eficiente e cada dia mais produtivo. Lembre-se: profissionais usam sempre o melhor equipamento. Agora pense nisso: quem j tentou cortar lenha com um machado cego sabe como a tarefa difcil. No entanto, quando a ferramenta afiada, o trabalho exige um esforo bem menor. O segredo est em saber quando parar para afiar a lmina. O mesmo principio valido no ambiente de trabalho. Se voc se mantm preso ao hbito de fazer as mesmas coisas todos os dias e acha que est se tornando um profissional ultrapassado, talvez seja a hora de parar e afiar a lmina do machado. Participe de seminrios e congressos para empresrios, leia livros e revistas sobre o mundo corporativo, v a feiras e eventos relacionados a seu tipo de trabalho. Tome a iniciativa e recupere a melhor produtividade. Mantenha-se motivado e no aceite justificativas para negligenciar sua eficincia e eficcia. Muitas vezes, dizemos que no temos tempo para mais treinamento ou leitura porque temos trabalho demais, mas sempre bom parar de vez em quando para afiar o machado.

    Pr Christian Piovesan

    Eu no sei fazer msicaPor Kallil Dib*

    Escrevo nessas linhas que me dedi-caram palavras que refletem a meu cora-o, so expresses que no fariam parte de um lindo bolero. Talvez nem a melodia fnebre e desgraada pudesse expressar o que esses versos que-rem dizer, e a cano mais licenciosa con-seguisse dar sentido s minhas letras.

    Escrevo, pois, no sei fazer msica, mas se soubesse, eu no me ousaria nessas linhas tortas e anal-fabetas, dizendo, a cada trs palavras, sobre o amor. Afinal, meu bem, o que de um autor, ou de um texto desses, se no a sua perenidade? Res-pondo a essa pergun-ta: nada.

    E assim como em canes, uma letra ou melodia, textos como este se precisa de pe-renidade. necess-rio fazer de sua obra um motivo de lem-brana. No domingo chuvoso, no sbado perdido, na solido de seu quarto, na lem-brana de uma vida. No h nada mais

    prazeroso a um autor ou a essas palavras do que ser lembrado num momento qual-quer.

    E vamos convir de que muito mais sim-ples uma msica per-manecer no imagin-rio de algum do que um texto literrio. Cer-tamente voc se lem-bra de como comea e termina a msica que marcou a sua in-fncia, mas no faz o mesmo com o primei-ro livro que leu.

    E isso a cultura da nossa sociedade. Um hit musical faz to e mais sucesso do que uma obra prima liter-ria. E voc que teima em escrever, se acos-tume com isso. No ter reconhecimento em todas as casas de seu bairro e nem quei-ra tentar enfrentar um texto com uma melo-dia de fundo, nem que seja a pior que j ou-viu. Eles tm alguma coisa que impregnam na cabea desse povo sem cultura.

    O sucesso vem da-quele que faz o dife-rencial na area em que atua, ou seja, a mesmice te leva ao comodismo e ao ine-rente caminho da de-

    siluso profissional. Chato mesmo fazer a mesma coisa todos os dias, agradar a seu chefe e nem sequer se preocupar em trans-formar o mundo, esse hipcrita mundo em que voc faz parte.

    Seja o diferente, meu caro. Escreva di-ferente, fale diferente, viva diferente. Deixa chover, e se a tem-pestade no passar, dance na chuva. No se esconda dos pro-blemas e nem os colo-que debaixo do tape-te, a sujeira uma hora aparece (e triplicada).

    E por isso que escrevo. Mas no sei fazer msica. E se soubesse ler partitu-ras e articular notas harmnicas eu canta-ria minhas obras, se-ria um sucesso ao seu corao.

    Mas tento ser dife-rente, escrevo o que penso e no tenho medo das restries. Talvez assim eu consi-ga transformar o mun-do, ou chamar a aten-o para essas linhas que me dedicaram.

    *Jornalista e es-critor. Site: www.kallil.com.br

    Artigo/Crnica

    - O isqueiro foi inven-tado antes do fsforo.

    - Tal como as im-presses digitais, a su-perfcie da lngua di-ferente de pessoa para pessoa .

    - 23% das avarias em mquinas de xerox, so causadas por pes-soas que se sentam no aparelho para xeroca-rem o traseiro .

    - Os camares tm o corao alojado na cabea.

    - Os porcos no so fisicamente capazes de olhar para o cu.

    - Mais de 50% das pessoas, no mundo in-teiro, nunca fizeram nem receberam chamadas telefnicas.

    - Se voc espirrar com muita fora pode partir uma costela.

    - O p de arroz inclui quase sempre escamas de peixe na sua compo-sio.

    - comprovadamen-te impossvel voc lam-ber o prprio cotovelo.

    -Um estudo, que

    abrangeu cerca 200 mil avestruzes durante mais de 80 anos, no regis-

    trou um nico caso em que um deles fosse vis-to enfiando a cabea na areia.

    - Os ratos e os ca-valos no conseguem vomitar.

    - No Bahrain, um mdico pode legalmen-te examinar a genit-lia feminina, mas ele proibido de olhar direta-mente para ela durante o exame. Ele pode ape-nas olhar atravs de um espelho.

    - Na Grcia, quem dirige mal-vestido pode perder a carteira de ha-bilitao.

  • www.grupoarinos.com.brjornalarinos@grupoarinos.com.br jornalarinos@hotmail.com.br www.twitter.com/grupoarinos

    CIDADES 07 A 13 DE MARO DE 201303

    Menor detido com pasta base em rodoviria

    Ana Paula Dias/Chico Tello

    Na tarde de segun-da-feira (4) a Polcia Civil de Nova Mutum recebeu uma denn-cia annima de que um garoto havia em-barcado da cidade de Nobres, com destino ao municpio de Nova Mutum, com suspeita de trazer entorpecen-tes para uma segunda pessoa.

    Diante das informa-es, os policiais se deslocaram at a ro-doviria e aguardaram a chegada do nibus, conforme as caracte-rsticas repassadas pelo denunciante.

    Na chegada, ao abordar o suspeito, o mesmo confirmou que estava com a droga e que entregaria para um rapaz, porm ressaltou

    que no o conhecia.Foram encontrados

    com o menor, que no teve sua identidade re-velada, 12 envelopes, somando 87 gramas de pasta base.

    A delegada Ange-lina Andrade, afirmou que ele ir responder pelo crime diante a

    vara da infncia e ju-ventude.

    Assim como qual-quer outro menor, ser aplicada todas as me-didas scio educati-vas, finalizou.

    A polcia ir investi-gar para saber a pro-cedencia do entorpe-cente.

    A Polcia recebeu uma ligao annima e se deslocou at a rodoviria para tentar localizar o menor

    Nova Mutum ter um campeo municipal no Desafio Nacional de Mxima Produtividade da Soja

    Ao todo, mais de 40 municpios se classificaram para os desafios municipais, pois tiveram cinco ou mais inscritos no Desafio Nacional

    C o m u n i c a o CESB

    Pela primeira vez, desde o lanamento do Desafio Nacional de Mxima Produtivi-dade de Soja, na sa-fra 2009/2010, o Co-mit Estratgico Soja Brasil (CESB) pre-miar os maiores pro-dut