rea – lngua portuguesa ensino m©dio, s©rie 2 ano figuras de linguagem e...

Download rea – LNGUA PORTUGUESA Ensino M©dio, S©rie 2 Ano Figuras de Linguagem e Efeitos de Sentido

Post on 22-Apr-2015

130 views

Category:

Documents

12 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • rea LNGUA PORTUGUESA Ensino Mdio, Srie 2 Ano Figuras de Linguagem e Efeitos de Sentido
  • Slide 2
  • Lngua Portuguesa, Srie 2 ANO Figuras de Linguagem e Efeitos de Sentido FIGURAS DE LINGUAGEM Voc j deve ter notado que em muitos textos, sobretudo nos liter rios, as escolhas do autor quanto ao uso das palavras, forma como elas esto dispostas, s rela es que estabelecem entre si criam certos efeitos de sentido, de forma, de ideia ou de sonoridade, que podem contribuir para o conjunto do texto, acrescentando-lhe beleza, humor, ritmo, complexidade ou outra caracter stica qualquer. Muitos desses efeitos so obtidos atrav s de estrat gias estil sticas, as quais damos o nome de Figuras de Linguagem (1). (1)
  • Slide 3
  • As figuras de linguagem, muitas vezes, so utilizadas de tal forma que acabam at mesmo por marcar o estilo de um autor, como o caso, por exemplo, da Ironia, marca registrada de autores como Jos Simo e Luis Fernando Verssimo. A Aliterao e a Assonncia, por sua vez, marcam as obras de muitos poetas e letristas, como Chico Buarque. A Paranomsia, por sua vez, muito usada, por exemplo, nas letras dos Engenheiros do Hawaii (2). (2) Lngua Portuguesa, Srie 2 ANO Figuras de Linguagem e Efeitos de Sentido
  • Slide 4
  • Observem a letra da msica: Parablica Ela pra e fica ali parada Olha-se para nada, Paran Fica parecida paraguaia Pra-raios em dia de sol para mim Prenda minha parablica Princesinha clarablica O pecado mora ao lado O paraso... paira no ar [...] Lngua Portuguesa, Srie 2 ANO Figuras de Linguagem e Efeitos de Sentido
  • Slide 5
  • Prenda minha parablica Princesinha clarablica Paralelos que se cruzam Em Belm do Par longe, longe, longe (aqui do lado) Paradoxo: nada nos separa Eu paro e fico aqui parado Olho-me para longe A distncia no separablica (Augusto Licks - Humberto Gessinger) Lngua Portuguesa, Srie 2 ANO Figuras de Linguagem e Efeitos de Sentido
  • Slide 6
  • Repare que no decorrer da letra, o termo para, contido no ttulo da msica parablica, constantemente retomado em usos diversos, desde o verbo parar (Ela para) e a preposio para (Olho- me para longe), at o seu uso como parte de substantivos e adjetivos (paradoxo; Paran; parado). Com isso, alm de jogar com os sentidos mltiplos de para, o compositor ainda consegue um interessante efeito sonoro na sua repetio e retomada, o que colabora muito para a musicalidade de Parablica (3). (3) Lngua Portuguesa, Srie 2 ANO Figuras de Linguagem e Efeitos de Sentido
  • Slide 7
  • Agora analisem a crnica de Jos Simo: Buemba! Buemba! Macaco Simo urgente! O brao armado da gandaia nacional. Rebelio in Rio! Direto do Pas da Piada Pronta. Sabe como o nome daquela cadeia no Rio com rebelio e fuga? BENFICA! Casa de Custdia de Benfica. Malfica. A cadeia acabou de ser inaugurada, e os presos mal ficaram. Rarar! Muda pra Benfuga! E olha a placa do chargista Kemp na avenida Brasil: ''Velocidade mxima. Balas de fuzil: 110 km. Granadas de mo: 20 km. Pedras arremessadas: 15 km''. Ultrapassou, o radar multou. a RIOLNCIA! [...] Lngua Portuguesa, Srie 2 ANO Figuras de Linguagem e Efeitos de Sentido
  • Slide 8
  • Nos engraados comentrios de Simo, sobre o nome da penitenciria, fica clara toda a sua irreverncia manifestada pela ironia. Outro ponto hilrio do trecho justamente o seu final, onde o cronista ironiza os radares, fazendo uma absurda e engraada associao com as armas usadas na violncia urbana do Rio de Janeiro, chamada por ele de Riolncia. Crtica que se estende s penitencirias, no s do RJ, mas tambm de todo o pas. Lngua Portuguesa, Srie 2 ANO Figuras de Linguagem e Efeitos de Sentido
  • Slide 9
  • Agora vamos falar um pouco de cada um dos tipos de figuras de linguagem que estudaremos nesta aula, que so as Sonoras e as de Sintaxe. Para comear, vamos organiz- las nos seguintes grupos: Figuras sonoras; Figuras de sintaxe; Figuras de palavras; Figuras de pensamento. (as duas ltimas estudaremos em outro momento) (4) (4) Lngua Portuguesa, Srie 2 ANO Figuras de Linguagem e Efeitos de Sentido
  • Slide 10
  • FIGURAS SONORAS So aquelas que tm o seu efeito mais evidente justamente nos sons das palavras ou de parte delas, podendo ou no envolver diretamente o seu sentido (5). (5) Lngua Portuguesa, Srie 2 ANO Figuras de Linguagem e Efeitos de Sentido
  • Slide 11
  • Aliterao uso repetido de sons consonantais parecidos, como no exemplo: A chegada ofuscante de tantas meninas nada tinha que dever festa luzida de velas e valsas e vozes levadas de vento. (Diogo Avelino. O Baile das Debutantes) Perceba que nesse exemplo, a repetio sistemtica da consoante v torna-se ainda mais interessante por imitar o som do prprio vento citado no trecho (6). (6) Lngua Portuguesa, Srie 2 ANO Figuras de Linguagem e Efeitos de Sentido
  • Slide 12
  • Assonncia uso repetido dos mesmos sons voclicos, como no caso de: E na rala vala deitara e enterrara a bela clara. Nesse exemplo, fica claro o efeito obtido na frase pela repetio da vogal a. Contudo, fica igualmente evidente que no h efeito visvel do ponto de vista do sentido (7). (7) Lngua Portuguesa, Srie 2 ANO Figuras de Linguagem e Efeitos de Sentido
  • Slide 13
  • Paranomsia ocorre quando o autor faz uso de palavras com sons parecidos (parnimas), mas geralmente com sentidos diferentes. Veja o exemplo: No queria ir embora, embora no pudesse mais ficar. Note que na primeira ocorrncia da palavra embora, ela tem o sentido de partir e na segunda assume o sentido da conjuno adversativa embora, que sinnimo de contudo, todavia etc... (8) (8) Lngua Portuguesa, Srie 2 ANO Figuras de Linguagem e Efeitos de Sentido
  • Slide 14
  • Onomatopia a onomatopia uma palavra criada para imitar o som de alguma ao ou mesmo de alguma ocorrncia. Veja um bom exemplo disso: era um tal de potoc, potoc, potoc, potoc infernal enquanto passavam apressados os valentes soldados da cavalaria. No exemplo, fica evidente que a repetio da palavra potoc busca imitar o som que fazem as patas dos cavalos quando em trote (9). (9) Lngua Portuguesa, Srie 2 ANO Figuras de Linguagem e Efeitos de Sentido
  • Slide 15
  • FIGURAS DE SINTAXE As figuras de sintaxe so recursos que tm seu efeito mais evidente na organizao sinttica do enunciado, como a omisso de um de seus termos essenciais ou a inverso de uma ordem direta (e mais natural) entre seus termos, modificando uma norma sinttica ou o seu uso corrente (10). (10) Lngua Portuguesa, Srie 2 ANO Figuras de Linguagem e Efeitos de Sentido
  • Slide 16
  • Hiprbato: trata-se de uma troca na ordem mais corrente dos termos de uma orao ou mesmo das oraes de um perodo composto. Contudo, entre os gramticos h certa polmica sobre como chamar algumas inverses na organizao dos enunciados. Bechara, por exemplo, chamaria uma inverso simples como em chegou a menina (uma inverso de a menina chegou que enfatizaria a chegada e no a menina) de antecipao. J Rocha Lima considera que uma anstrofe (inverso entre o termo regido e o termo regente, como em do dia os raios fortes os iluminava, em vez de os raios fortes do dia os iluminava) apenas um tipo de hiprbato (11). (11) Lngua Portuguesa, Srie 2 ANO Figuras de Linguagem e Efeitos de Sentido
  • Slide 17
  • Pleonasmo: uma das figuras de linguagem mais conhecidas, trata-se da repetio enftica de um termo ou uma ideia, reforando-o no enunciado. o caso dos populares subir pra cima (quem sobe, necessariamente vai pra cima), descer pra baixo (quem desce vai pra baixo), sair pra fora (quem sai, sai sempre pra fora de alguma coisa ou lugar), que so vcios de linguagem. Contudo, h casos nos quais a repetio mais sutil e at mesmo estilstica, por assim dizer. Ex.: sorria um sorriso nervoso (neste caso, mesmo sendo evidente que quem sorri, sorri um sorriso, fica claro o efeito de nfase que obtm o produtor do enunciado ao explicitar o termo sorriso para poder qualific-lo como sendo nervoso (12). (12) Lngua Portuguesa, Srie 2 ANO Figuras de Linguagem e Efeitos de Sentido
  • Slide 18
  • Polissndeto: essa figura de linguagem ocorre quando o autor de um texto opta por repetir sistematicamente um mesmo conectivo entre oraes ou outros elementos seguidos de um mesmo perodo. o que acontece no exemplo onde a conjuno aditiva e repetida vrias vezes: De tanta alegria, a menina sorria, e chorava, e gritava, e corria, e cantava alegres canes (13). (13) Lngua Portuguesa, Srie 2 ANO Figuras de Linguagem e Efeitos de Sentido
  • Slide 19
  • Anacoluto: ocorre quando h, dentro de uma orao ou frase, um termo qualquer que parece deslocado ou que compromete, de certa maneira, a compreenso do sentido geral. muito comum, sobretudo, na oralidade, quando uma pessoa muda de opo sobre a construo sinttica do enunciado que far, ou mesmo em textos escritos que visem reproduzir este efeito caracterstico da fala. Ex.: Minha histria, tudo besteira pra enganar os outros (note que o sujeito minha histria ficou sem predicado) (14). (14) Lngua Portuguesa, Srie 2 ANO Figuras de Linguagem e Efeitos de Sentido
  • Slide 20
  • Anfora: a anfora a repetio de uma mesma palavra ou estrutura no incio de frases ou versos consecutivos em um texto, fazendo o papel de elemento coesivo (15). (15) Prestem ateno ao clip do SKANK Lngua Portuguesa, Srie 2 ANO Figuras de Linguagem e Efeitos de Sentido http://www.youtube.com/watch?v=y_V43vjYt9Y
  • Slide 21
  • [...] como mergulhar no rio e no se molhar/ como no morrer de frio no gelo polar/ ter o estmago vazio e no almoar/

View more