Área – ciências humanas e suas tecnologias ensino médio, 3ª série a crise energÉtica mundial

Download Área – Ciências Humanas e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ª Série A CRISE ENERGÉTICA MUNDIAL

Post on 22-Apr-2015

103 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • rea Cincias Humanas e suas Tecnologias Ensino Mdio, 3 Srie A CRISE ENERGTICA MUNDIAL
  • Slide 2
  • GEOPOLTICA DA ENERGIA At a primeira metade do sculo XX, existia muita energia disponvel, o petrleo era uma fonte barata e no havia a conscincia coletiva sobre os impactos ambientais decorrentes da sua utilizao em grande escala; A difuso dos meios eletrnicos, o crescimento econmico em algumas regies do globo, o crescimento populacional verificado em alguns continentes, a elevao do nmero de automveis em circulao ampliou o consumo de energia; Os combustveis fsseis representam cerca de 80% da matriz energtica mundial; A ampliao dos recursos energticos um dos principais desafios das sociedades contemporneas; A expanso do setor deve levar em conta a preservao do ambiente, utilizando fontes renovveis e menos poluidoras. GEOGRAFIA, 3 Srie A Crise Energtica Mundial
  • Slide 3
  • OPEP OPEP (Organizao dos Pases Exportadores de Petrleo) uma organizao internacional, formada por pases que so grandes produtores de petrleo. A OPEP foi fundada em 14 de setembro de 1960 e possui sua sede na cidade de Viena (ustria). Objetivos da OPEP Estabelecer uma poltica petrolfera comum a todos os grandes produtores de petrleo do mundo (pases membros); Definir estratgias de produo; Controlar preos de venda de petrleo no mercado mundial; Analisar e gerar conhecimentos para os pases membros sobre o mercado de petrleo mundial; Controlar volume de produo de petrleo da organizao (1) ; (1) GEOGRAFIA, 3 Srie A Crise Energtica Mundial
  • Slide 4
  • O BRASIL NA OPEP? Muitos especialistas em petrleo defendem a entrada do Brasil na OPEP, aps a descoberta de petrleo na camada pr-sal na Bacia de Santos. A descoberta gerou um significativo aumento das reservas de petrleo do pas. Embora no seja um grande exportador, o Brasil j est entre os 10 pases com maiores reservas de petrleo do mundo. Para o Brasil se integrar, ter de acatar as regras da associao, que impe, por exemplo, limites de exportao e preos aos associados (2). (2) GEOGRAFIA, 3 Srie A Crise Energtica Mundial
  • Slide 5
  • A energia est presente em todas as aes que ocorrem no Universo GEOGRAFIA, 3 Srie A Crise Energtica Mundial Imagem: PX48 / Crusier / GNU free documentation license Imagem: Moscow-city at night / Dmitry A. Mottl / GNU free documentation license Imagem: Hot iron! / Tinkerbrad / Creative Commons Attribution 2.0 generic Imagem: Xingang / Luther Bailey / Creative Commons Non Comercial Attribution Share-alike 2.0 Generic
  • Slide 6
  • AS FONTES DE ENERGIA FONTES DE ENERGIA RENOVVEIS so aquelas que se renovam continuamente na natureza sendo, por isso, inesgotveis. FONTES DE ENERGIA NO RENOVVEIS so aquelas cujas reservas se esgotam, pois o seu processo de formao muito lento comparado com o ritmo de consumo que o ser humano faz delas (3). (3) GEOGRAFIA, 3 Srie A Crise Energtica Mundial
  • Slide 7
  • Petrleo Gasolina leo combustvel GLP leo Diesel, etc. Centro de Transformao Refinarias Cana de acar Fonte Primria Fonte Secundria Destilarias Acar lcool Bagao FONTES DE ENERGIA GEOGRAFIA, 3 Srie A Crise Energtica Mundial
  • Slide 8
  • FONTES DE ENERGIA NO RENOVVEIS O carvo mineral, tambm conhecido como carvo de pedra, uma substncia slida de origem orgnica resultante da transformao de restos vegetais soterrados h milhes de anos; Os principais depsitos de carvo mineral se formaram durante os perodos Carbonfero e Premiano (Era Paleozoica), h cerca de 350 milhes de anos; O carvo mineral assumiu importncia mundial a partir do sculo XVIII, com a Revoluo Industrial e se constituiu como uma fonte de energia bsica at a primeira metade do sculo XX, quando foi superado pelo petrleo. Apesar disso, continua sendo uma das mais importantes fontes de energia da atualidade (4). (4). CARVO MINERAL GEOGRAFIA, 3 Srie A Crise Energtica Mundial
  • Slide 9
  • GEOGRAFIA, 3 Srie A Crise Energtica Mundial Imagem: SEE-PE
  • Slide 10
  • Turfa: a primeira fase. Refere-se deposio e putrefao dos restos vegetais em ambientes de vrzeas ou de pntanos. Apresenta baixo teor calorfico. Linhito: o segundo estgio. Trata-se de material escuro e que ainda apresenta elevado percentual de gua e baixo percentual de carbono. Hulha: a terceira etapa, ou carvo propriamente dito. slida, tem cor negra e pode ser transformada em coque (carvo metalrgico). Antracito: o ltimo estgio. Apresenta elevado teor de carbono (90 a 96%), cor negra, brilho vtreo e elevada dureza. muito utilizado para aquecimento domstico (5). (5) GEOGRAFIA, 3 Srie A Crise Energtica Mundial
  • Slide 11
  • PETRLEO Energia poluente; Concentrao geogrfica das jazidas; Alteram os habitats naturais onde se efetuam as extraes; A queima liberta gases poluentes. GEOGRAFIA, 3 Srie A Crise Energtica Mundial Imagem: SEE-PE
  • Slide 12
  • GEOGRAFIA, 3 Srie A Crise Energtica Mundial Imagem: SEE-PE
  • Slide 13
  • A primeira fase ocorreu, em 1956, depois que o presidente do Egito Gamal Nasser nacionalizou o Canal de Suez at ento propriedade de uma empresa Anglo-Francesa. O canal uma importante passagem de exportao de produtos da regio para pases ocidentais, pelo que, em virtude dessa crise, o abastecimento foi interrompido, com o bloqueio do Canal, levando a um aumento sbito do preo do petrleo. A segunda fase aconteceu, em 1973, em protesto pelo apoio prestado pelos Estados Unidos a Israel durante a Guerra do Yom Kippur, tendo os pases rabes organizados na OPEP, aumentado o preo do petrleo em mais de 300% (6). (6) CRISE DO PETRLEO GEOGRAFIA, 3 Srie A Crise Energtica Mundial
  • Slide 14
  • A terceira fase ocorreu, na segunda metade da dcada de 1970, durante a crise poltica no Ir e a consequente deposio de X Reza Pahlevi, que desorganizou todo o setor de produo no Ir, onde os preos aumentaram em mais de 1000%. Na sequncia da Revoluo iraniana, travou-se a Guerra Ir-Iraque, tendo o preo disparado em face da sbita diminuio da produo dos dois pases. A quarta fase foi na Guerra do Golfo, em 1991, depois de o Iraque, governado por Saddam Hussein ter invadido o pas vizinho Kuwait, quando foram incendiados alguns poos de petrleo, provocando uma crise econmica e ecolgica. A quinta fase deu-se no ano de 2008, quando os preos subiram, em virtude de movimentos especulativos em nvel global (7). (7) CRISE DO PETRLEO GEOGRAFIA, 3 Srie A Crise Energtica Mundial
  • Slide 15
  • A GRANDE NOVIDADE... GEOGRAFIA, 3 Srie A Crise Energtica Mundial Imagem: SEE-PE
  • Slide 16
  • Outras estimativas apontam que o Pr-Sal pode colocar o Brasil entre os dez maiores produtores de petrleo do mundo. Maior demanda por mo de obra especializada e investimentos, com a contratao de navios-sonda e plataformas. Segundo a ANP (Agncia Nacional do Petrleo), as reservas de petrleo e gs natural da Petrobrs no Brasil ficaram em 13,920 bilhes barris de leo em 2007. Uma nova estimativa prev que a reserva recentemente encontrada no pr-sal, tem potencial para dobrar o volume de leo e de gs que poder ser extrado do subsolo brasileiro. GEOGRAFIA, 3 Srie A Crise Energtica Mundial
  • Slide 17
  • GEOGRAFIA, 3 Srie A Crise Energtica Mundial Imagem: SEE-PE
  • Slide 18
  • uma energia de origem fssil, resultado da decomposio da matria orgnica fssil no interior da Terra, encontrado acumulado em rochas porosas no subsolo, frequentemente acompanhado por petrleo, constituindo um reservatrio; GS NATURAL Possui facilidade de transporte e de manuseio, no requer estocagem, eliminando os riscos do armazenamento de combustveis. Sua distribuio feita atravs de uma rede de tubos e de maneira segura, os chamados gasodutos; A sua combusto completa, liberando como produtos o dixido de carbono e vapor de gua, sendo os dois componentes no txicos, portanto, o gs natural uma fonte de energia limpa, produzindo baixo impacto ambiental; Na rea de transportes, pode ser utilizado em nibus e automveis, substituindo o leo diesel, a gasolina e o lcool (8). (8) GEOGRAFIA, 3 Srie A Crise Energtica Mundial Imagem: John Haynes / Geograph project / Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic.
  • Slide 19
  • ENERGIA NUCLEAR limpa, porm altamente perigosa; Em caso de acidente, liberta radioatividade prejudicial aos seres vivos, permanecendo no meio ambiente durante muitos anos. GEOGRAFIA, 3 Srie A Crise Energtica Mundial Imagem: Gundremingen nuclear power plant / Felix Konig/ Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0 Unported Imagem: Nagasaki Bomb / Public Domain
  • Slide 20
  • ACIDENTES NUCLEARES O acidente na Usina Nuclear de Chernobyl, localizada na Ucrnia, ocorreu no dia 26 de abril de 1986. Este acidente considerado o pior acidente nuclear da histria e gerou uma nuvem radioativa que atingiu a Unio Sovitica, Europa Oriental, Escandinvia e Reino Unido. O acidente na Usina Nuclear de Fukushima Japo, maro de 2011, foi consequncia dos danos causados pelo abalo ssmico que provocou falhas em equipamentos e lanamentos de materiais radioativos (9). (9) GEOGRAFIA, 3 Srie A Crise Energtica Mundial Imagem: Chernobyl zone / Piotr Andrysczac / GNU Free documentation license
  • Slide 21
  • O LADO BOM DA ENERGIA NUCLEAR GEOGRAFIA, 3 Srie A Crise Energtica Mundial Imagem: MRI Phillips / Jan Ainali / Creative Commons Attribution 3.0 Unported
  • Slide 22
  • GEOGRAFIA, 3 Srie A Crise Energtica Mundial Imagem: SEE-PE
  • Slide 23
  • Maior custo de manuteno; Maior impacto ambiental; Menor investimento na c

Recommended

View more >