aquino e agostinho

Download Aquino e Agostinho

Post on 03-Jul-2015

261 views

Category:

Education

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. TICA CRIST MEDIEVAL Professora Ksia Email: kesiapassos@gmail.com

2. 1 RAZO E F - Paganismo e Cristianismo * Toda a produo intelectual da Antiguidade apresentava diferenas profundas em ralao ao pensamento cristo, pois a herana cultural greco- romana era pag, contrapondo-se ao espiritualismo cristo. Pago: aquele que no foi batizado. Assim eram chamados os no cristos. 3. As diferenas... Religio Grega: politesta * Apesar de os filsofos clssicos terem refletido sobre um princpio ordenador de todas as coisas, tratava-se de um reconhecimento puramente intelectual. Por exemplo, para: Plato: Demiurgo que ordenava o caos; Aristteles: o Primeiro Motor Imvel 4. Alm disso... A lei moral para os gregos derivava da prpria natureza, para os cristos a lei um mandamento divino e a desobedincia constitui o pecado. *Novidade inserida pelo cristianismo: ressurreio dos mortos, pela qual, no final dos tempos, corpo e alma tero vida eterna no paraso e no inferno. 5. 2 - PATRSTICA * Do sculo II ao V, sendo simultnea ao perodo de declnio do Imprio Romano durante a Antiguidade. - Os primeiros padres da Igreja, os apologistas (combater as heresias e justificar a f); - o auge da patrstica, com Agostinho de Hipona (sc. IV e V). 6. 3 AGOSTINHO, bispo de Hipona O principal nome da patrstica foi Agostinho de Tagaste (354 430), ou Santo Agostinho, bispo de Hipona (frica). 7. 3.1 O homem interior Em seu livro Confisses... Agostinho relata a luta interna que culminou com sua converso ao Cristianismo. homem interior = subjetividade 8. 3.2 O livre arbtrio *Agostinho foi o primeiro a usar o conceito de livre-arbtrio. Livre-arbtrio como faculdade da razo e da vontade. Exemplo: Por mais que desejasse continuar desfrutando os prazeres mundanos, a vontade de mudar deveria prevalecer. 9. 3.2 O bem e o mal *Agostinho pertenceu seita dos maniqueus, uma religio persa fundada por Mani (ou Mane). Os maniquestas afirmavam que o mundo resulta de dois princpios antagnicos: MAL BEM 10. Para Agostinho... O mal no tem uma existncia real! O mal seria uma carncia ou ausncia de bem. De maneira que, se vemos algo ou algum que se corrompe, porque antes era bom, seno, no poderia se corromper. 11. 3.3 Deus: a teoria da iluminao *Agostinho aceita a dicotomia platnica entre mundo sensvel e mundo inteligvel, mas substitui esse ltimo pelas ideias divinas. Segundo Agostinho, a alma capaz de intuir verdades absolutas e imutveis. Deus = perfeito e imutvel Homem = Imperfeito e inconstante 12. 3.4 Prova da existncia de Deus Pois... Se a mente, que imperfeita, intui verdades imutveis, porque existe a verdade imutvel, que Deus. 13. Dessa forma... TEORIA DA ILUMINAO Segundo a qual, possumos as verdades eternas porque a recebemos de Deus. Como o Sol, Deus ilumina a razo e torna possvel o pensar correto. 14. 4 TOMS DE AQUINO - So Toms (1225 1274), nasce na cidade de Aquino; - Aquino resgata a concepo poltica do aristolelismo, onde: 15. Estado = ordenador das necessidades humanas Para justificar o poder do Estado, juntou f e razo, portanto, Estado e Igreja. 16. Para Aquino... - O Estado pode conduzir o povo as noes de justia e de ordem, que vo ao encontro da teologia catlica. 17. O poder poltico vem de Deus! Mas a lgica do poder, a razo de ser, est atrelada s necessidades do homem de prover bem-estar e sua realizao terrena. 18. A lei a orientao racional das aes humanas, evitando excessos e as desmedidas, base da felicidade do homem. Lei Eterna Plano racional de Deus Ordem existente no Universo Lei Natural Lei revelada pela natureza. Lei Divina Lei eterna revelada nas Escrituras Sagradas.Lei Humana Moral reguladora da conduta humana. Lei jurdica. 19. O poder temporal deve ento guiar o homem at certo estado de bem- estar! - O homem ter condies de se dedicar dimenso espiritual e salvao de sua alma. (a cargo da Igreja). 20. Desse modo... A obedincia moralidade crist, a subservincia ao sumo pontfice, o respeito aos ditames e o seguimentos deles e o magistrio da Igreja, eram condies de possibilidade para o exerccio da tica.