apresenta§£o1 odontogeriatria

Download Apresenta§£o1 odontogeriatria

If you can't read please download the document

Post on 21-Dec-2014

1.273 views

Category:

Health & Medicine

8 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

asb tsb especialidades odontologia saude bucal

TRANSCRIPT

  • 1. ODONTOGERIATRIA AULA 1
  • 2. Algumas deficincias crnicas podem ser encontradas no paciente geritrico como a alterao auditiva, catarata, deficincia ortopdica, zumbidos, deficincia visual, glaucoma, ausncia das extremidades, incapacidade para diferenciar cores, paralisia das extremidades.7 Alm disso, muitos idosos tm medo do cirurgio-dentista, muitos tm instabilidade de postura, que os impossibilitam de deitar na cadeira ou levantar dela, muitos tem a mobilidade comprometida e dependem de cadeiras de rodas, bengalas, apoio de terceiros para caminhar, ou simplesmente no andam mais
  • 3. A sade do idoso sofre forte impacto da aposentadoria, pois leva o mesmo a maior exposio a doenas associadas a inatividade fsica,tendo como principais fatores a ociosidade assim como a segregao, levando deteriorao gradual dos processos sensoriais, e tambm induzindo o indivduo a isolar-se e desenvolver enfermidades crnicas ou degenerativas pelo prprio processo de envelhecimento.
  • 4. Odontogeriatria Especialidade da odontologia que trabalha com pacientes com mais de 60 anos, que tem como objetivo a integrao social, psicolgica, funcional e preventiva de doenas bucais que podem aumentar os riscos de doenas sistmicas em idosos.
  • 5. Quanto mais longa a vida mdia da populao, mais importante se torna o conceito de qualidade de vida, e a sade bucal tem um papel relevante nesse contexto. Sade bucal comprometida pode afetar o nvel nutricional, o bem-estar fsico e mental e diminuir o prazer de uma vida social ativa.
  • 6. Essas doenas acontecem durante o processo de envelhecimento, como, por exemplo, a osteoporose, artrite, artrose, diabetes, incluindo, nessa categoria, os problemas cardiovasculares e endcrinos.
  • 7. No podemos esquecer das doenas crnicas neurodegenerativas que atingem a terceira idade, como mal de Alzheimer, demncias e doena de Parkinson. Da a importncia da especialidade. Estes idosos tambm esto retendo seus dentes e necessitam de cuidados especiais e de profissionais especializados para lidar com essas doenas.
  • 8. Cuidados especiais Existem quatro categorias de idosos: os independentes, os parcialmente dependentes, os totalmente dependentes e os paliativos (pacientes cuja cincia j esgotou seus recursos).
  • 9. Problemas como hipertenso arterial, diabetes e doenas cardacas so comuns nessa fase da vida e podem resultar em complicaes srias se no forem levadas em conta. Por isso mesmo, mdicos e dentistas devem manter um dilogo freqente, pois, no caso de cirurgia, por exemplo, o dentista deve comunicar ao mdico e se informar sobre o estado geral de sade do paciente.
  • 10. Preveno e dieta A importncia dos dentes nos dias atuais, tambm vai alm da mastigao, pois interferem tambm na fontica. Alm disso, a sociedade moderna no mais aceita o desdentado ou pessoas com esttica facial alterada por dentes mal-cuidados ou ausentes.
  • 11. A higienizao diria e a visita regular ao dentista (de 6/6 meses) so fatores decisivos na manuteno da sade bucal como um todo, evitando assim as doenas orais crnicas presentes no idoso: cries de raiz, xerostomia (boca seca), atrio/abraso (bruxismo), leses da mucosa oral (candidases, leucoplasias, etc), cncer oral, doenas periodontais, entre outras.
  • 12. A dieta tambm de extrema importncia e deve ser base de carnes, frutas, verduras, legumes, cereais e fibras. Deve-se evitar o consumo de doces e refrigerantes.
  • 13. FIM 1 aula
  • 14. A Velhice e suas implicaes sistmicas AULA 2
  • 15. A senescncia resulta do somatrio de alteraes orgnicas, funcionais e psicolgicas do envelhecimento normal, enquanto a senilidade caracterizada por afeces que freqentemente acometem os indivduos idosos .
  • 16. modificaes anatmicas na coluna vertebral, que causam reduo na estatura, aproximadamente 1 a 3 cm a cada dcada. Aps os 50 anos de idade inicia-se a atrofia ssea, ou seja, a perda de massa ssea que poder levar a fraturas.
  • 17. A cartilagem articular(joelhos) torna-se menos resistente e menos estvel sofrendo um processo degenerativo. Ocorre diminuio lenta e progressiva da massa muscular, sendo o tecido gradativamente substitudo por colgeno e gordura. As alteraes no sistema osteoarticular geram a piora do equilbrio corporal do idoso, reduzindo a amplitude dos movimentos e modificando a marcha.
  • 18. Alm disso, o envelhecimento modifica a atividade celular na medula ssea, ocasionando reabastecimento inadequado de osteoclastos e osteoblastos e tambm desequilbrio no processo de reabsoro e formao ssea, resultando em perda ssea.
  • 19. Diferena no S. Imunolgico A funo imune, que pode variar muito entre as pessoas de 3 idade, sofre com o tempo de vida uma perda funcional que compromete, por exemplo, a resistncia s infeces, tambm pela diminuio da capacidade reprodutiva das clulas T, criadas no incio da adolescncia. Nos anticorpos IgG, IgA e IgM dos idosos observa-se um decrscimo do nmero encontrvel na saliva.
  • 20. Diferenas no Periodonto O periodonto, que engloba as estruturas de suporte do elemento dental, pode, com a idade, sofrer um decrscimo no seu contedo de fibras, mas no h uma correlao clnica positiva e somente sob condies patolgicas adversas (placa, clculo, trauma oclusal, por exemplo).
  • 21. Diferenas na musculatura x coordenao Em funo das alteraes neuro-musculares associadas ao envelhecimento, mudanas na ingesto de alimentos podem ocorrer como a aspirao, mastigao incompleta, refluxos ou inalao dos mesmos.
  • 22. A tonicidade da musculatura da lngua outro aspecto que acaba por criar mais um fator de readaptao das pessoas idosas, para conseguirem que o bolo alimentar possa atingir o estmago de forma mais adequada.
  • 23. Diferenas na saliva O decrscimo do fluxo salivar com a idade um fato comprovado por diversos estudos (e suas implicaes diretas com a capacidade de adaptao s prteses e as decorrentes queixas dos pacientes idosos aps suas instalaes) e que pode ser enormemente potencializada pelas medicaes (e suas interaes) j que o idoso acaba por usar diferentes frmacos no seu dia-a-dia.
  • 24. Outro aspecto geralmente observado no idoso a halitose, muitas vezes citada pelo paciente como tendo origem odontolgica. Aps um programa de limpeza da cavidade bucal, higienizao e bochechos com clorhexidina, se no forem observadas melhoras, deve-se procurar por causas esofgicas ou gastrointestinais.
  • 25. H uma diminuio natural na secreo dos sucos gstricos com a id