apresentaÇÃo equipamentos nr-10 luiz antonio do n. gama

Download APRESENTAÇÃO EQUIPAMENTOS NR-10 Luiz Antonio do N. Gama

If you can't read please download the document

Post on 07-Apr-2016

226 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • APRESENTAO EQUIPAMENTOS NR-10Luiz Antonio do N. Gama

  • Atua no ramo representao da ABNT h 10 anos;Realiza Manuteno em Equipamentos de Linha Viva 13.8 e 69kv.;Realizao de Ensaios eltricos; Possui uma equipe de engenheiros; especializados em desenvolver, especificar e implantar novos equipamentos dentro das empresas.;Ministra curso em diversas reas.

  • Consultoria (Levantamento das Necessidades);EPIs (Uniforme, luvas, mangas, etc);Ferramentas Isoladas;EPCs;Treinamento 40 e 80Hs NR-10Ensaio Eltricos dos EPIs e EPCs

  • NBR 1062289 Luvas de borracha;NBR 10623/89 Mangas de borrachaNBR 14540/00 Bastes e Escadas Isolados e ferragens; CanceladaNBR 15475/07 Acesso por corda;NBR 11855/91 Plataforma isolante; NBR 8221/03 Capacetes de segurana;NBR 12576/92 Calado de proteo - Determinao da resistncia do solado passagem da corrente eltrica.NBR-ISO-20344:2008- Equipamentos de proteo individual - Mtodos de ensaio para caladosNBR 13018/93 Cordas para trabalhos em estao e TENSES APLICADAS EM CORDAS;NBR 14631/00 Cestas area isoladas;NBR 5720/82 - Coberturas Solidas;ASTM D178 Standard Specification Insulating Matting;

  • ASTM-F -711 (Standarde Especification for Fibergllas - (bastes);IEC 60895 e Procedimentos do GCOI. (vestimenta condutiva);ASTM F 2320 Lenol de borrachaASTM 1826 e ASTM F 711 Vara telescpica NBR 8221/05 Capacetes de segurana tipo 2 especificaes NBR 15475/07 Avaliao de conformidade requisitos gerais p/organismos que realiza Certificao para pessoas.IEC 60228 Condutores de Cabos isoladosNBR-ISO/IEC 17024 Avaliao de conformidade requisitos gerais p/ organismos que realizam certificao de pessoas.NBR 6494/90 Segurana nos andaimesNBR 11857/ CABO ISOLADO FLEXVEL PARA JUMPER 35 KV.IEC 61243-1 - Detector de Concordncia de Fase

  • CHOQUE ELTRICO: O choque eltrico, geralmente causado por altas descargas, sempre grave, podendo causar distrbios na circulao sangunea e, em casos extremos, levar parada crdio-respiratria. Na pele, podem aparecer duas pequenas reas de queimaduras (geralmente de 3 grau) - a de entrada e de sada da corrente eltrica.

    RISCOS ENVOLVIDOS

  • QUEIMADURAS POR CHOQUE ELTRICO: A pele humana um bom isolante e apresenta, quando seca, uma resistncia passagem da corrente eltrica de 100.000 Ohms. Quando molhada, porm, essa resistncia cai para apenas 1.000 Ohms. A energia eltrica de alta voltagem, rapidamente rompe a pele, reduzindo a resistncia do corpo para apenas 500 Ohms.

    RISCOS ENVOLVIDOS

  • RISCOS ENVOLVIDOS

  • RISCOS ENVOLVIDOS EFEITOS ESTIMADOS DA ELETRICIDADE

  • RISCOS ENVOLVIDOS

  • Esta NR estabele os requisitos e condies mnimas de forma a garantir a segurana e sade dos trabalhadores que, direta ou indiretamente, interajam em instalaes eltricas e servios com eletricidade.Esta NR se aplica s fases de gerao, transmisso, distribuio e consumo, incluindo as etapas de projeto, construo, montagem, operao, manuteno das instalaes eltricas e quaisquer trabalhos realizados nas suas proximidades, observando-se as normas tcnicas oficiais estabelecidas pelos rgos competentes e, na ausncia ou omisso destas, as normas internacionais cabveis.

  • Itens importantes da NR-10 1) 10.6.1.1 Os trabalhadores de que trata o item anterior devem receber treinamento de segurana para trabalhos com instalaes eltricas energizadas, com currculo mnimo, carga horria e demais determinaes estabelecidas no Anexo II desta NR.2) 10.7.2 Os trabalhadores de que trata o item 10.7.1 devem receber treinamento de segurana, especfico em segurana no Sistema Eltrico de Potncia (SEP) e em suas proximidades, com currculo mnimo, carga horria e demais determinaes estabelecidas no Anexo II desta NR.3) 10.8.8 Os trabalhadores autorizados a intervir em instalaes eltricas devem possuir treinamento especfico sobre os riscos decorrentes do emprego da energia eltrica e as principais medidas de preveno de acidentes em instalaes eltricas, de acordo com o estabelecido no Anexo II desta NR.4) 10.11.1 Os servios em instalaes eltricas devem ser planejados e realizados em conformidade com procedimentos de trabalho especficos, padronizados, com descrio detalhada de cada tarefa, passo a passo, assinados por profissional que atenda ao que estabelece o item 10.8 desta NR. Prazos para Implantao da NR-10

  • Itens importantes da NR-10

    10.7.8 Os equipamentos, ferramentas e dispositivos isolantes ou equipados com materiais isolantes, destinados ao trabalho em alta tenso, devem ser submetidos a testes eltricos ou ensaios de laboratrio peridicos, obedecendo-se as especificaes do fabricante, os procedimentos da Empresa e na ausncia desses, anualmente. Prazos para Implantao da NR-10

  • EQUIPAMENTOS DE PROTEO COLETIVAEPCS:Tapetes e mantas isolantes;Bloqueios;Aterramento temporrio;Etc.Ferramentas:Varas de manobra;Detectores de tenso;Etc.

  • NOVA NR10:10.3.1 obrigatrio que os projetos de instalaes eltricas especifiquem dispositivos de desligamento de circuitos que possuam recursos para impedimento de reenergizao, para sinalizao de advertncia com indicao da condio operativa.

  • Atende a norma IEC 601243-1 a partir de 1KV at 400KV;Mxima tenso de deteco 3 vezes maior do que a mnima;Deteco por contato;Uso com vara de manobra;Freqncia de trabalho de 50/60Hz.

  • NR 10:10.2.8.2:Na impossibilidade de desenergizao, devem ser adotadas outras medidas de proteo coletiva, tais como: Isolao das partes vivas, obstculos, barreiras, etc.

  • Coberturas flexveis nas classes: 0, 2, 4Borracha tipo II resistente ao oznioAltamente FlexveisNorma: ASTM D 1048

  • Ferramentas:Ferramentas Isoladas;Detectores de tenso;Etc.EPIS:Vestimenta antichama;Protetor Facial contra arco voltico;Luvas e mangas isolantes;Etc.

  • Painel EnsaiosTransformador elevao de TenoCuba

  • 10.2.9.1Quando as medidas de P.C. forem tecnicamente inviveis ou insuficientes para se controlar os riscos, devem ser adotados equipamentos de proteo individual especficos e adequados s atividades desenvolvidas, em atendimento ao disposto na NR 6;

  • - As luvas isolantes so usadas em situaes em que existam perigos de choque eltrico que possam atingir os eletricistas quando em contato com condutores ou equipamentos eltricos energizados - As luvas so usadas para proteo pessoal, portanto ao autorizar seu uso deve ser dada uma margem de segurana entre a tenso mxima na qual so usadas e a tenso de ensaio.

  • Plan1

    Classe dasTensoTenso deTenso mnimaCorrente mxima de fuga (mA)

    Luvasmxima de usoensaiode perfuraoLuva deLuva deLuva deLuva de

    (Valor eficaz)(Valor eficaz)(Valor eficaz)267mm356mm406mm457mm

    (V)(V)(V)(comprimento)(comprimento)(comprimento)(comprimento)

    OO500250040008121414

    01000500060008121416

    175001000020000X141618

    2170002000030000X161820

    3265003000040000X182022

    4360004000050000XX2224

    Plan2

    Plan3

  • Plan1

    Numero88.599.51010.51111.512

    T(mm)203216229241254267279292303

    Plan2

    Plan3

  • OBRIGATRIO: Fazer uma inspeo preliminar diariamente antes do uso. A inspeo dever ser feita com o uso de um insuflador especfico. O usurio dever estar atento a furos e cavidades, oxidao, ataque de oznio, deteriorao, sinais de envelhecimento, rachaduras, sulcos, cortes e desgastes superficiais. Havendo duvidas, suspeitas ou constatao de defeitos as luvas no podero ser utilizadas e devero ser encaminhadas imediatamente para testes laboratoriais de inspeo visual e ensaios de tenso.

  • RISCOS 1 e 2RISCOS 3 e 4

  • Os protetores faciais da Leal possuem aditivos na lente para proteger contra ondas eletromagneticas.

  • 10.4.3 Nos locais de trabalho s podem ser utilizados equipamentos, dispositivos e ferramentas eltricas compatveis com a instalao eltrica existente, preservando-se as caractersticas de proteo, respeitadas as recomendaes do fabricante e as influncias externas

  • Depois de um acondicionamento de 24 horas em gua, retira-se e seca-se a mesma. Logo inicia-se o ensaio da seguinte maneira: colocamos a parte isolada da ferramenta dentro do balde dgua e aplica-se sobre a cabea a tenso de 10 kV durante 3 min. Mede-se a corrente de fuga, que deve ser inferior a 1 mA por 200 mm de parte isolada.

    Ensaio Dieltrico

  • A dureza do martelo deve ser de 20 HRC (tratamento trmico). Seleciona-se 3 pontos de ensaios suscetveis a queda sobre uma superfcie plana. O ensaio realizado sobre estes pontos.

    Ensaio de impacto

  • Coloca-se um aparato de prova pontiagudo de 2 kg no centro da parte isolada. Depois, coloca-se o conjunto dentro de um forno programado a 70 durante 2 h. Aps a sada do forno, realiza-se um ensaio dieltrico de 5 kV durante 3 min entre a ponta do aparato e a cabea no isolada da ferramenta.

    Ensaio de penetrao

  • Depois do acondicionamento de 168 h da ferramenta a uma temperatura de 70 realiza-se o ensaio de aderncia entre o 3 e o 5 min. A capa isolante no pode despegar-se mais que 3 mm da parte condutora em relao sua posio inicial. O peso adotado varia de acordo com o tipo de ferramenta ensaiada.

    Ensaio de aderncia do revestimento isolante

  • Logo aps ajustar a chama para se obter unicamente a parte azul, coloca-se a ferramenta sobre a mesma a uma distncia de 20 mm durante 10 s e retira-se a ferramenta. A propagao da chama deve ser observada durante 20 s e no superar os 120 mm de altura.

    Ensaio de propagao de chama

  • Ensaio mecnicoRefere-se a qualidade das partes metlicas da ferramenta que devem resistir a norma ISO;As normas seguem o padro Internacional da norma IEC 900

  • OBRIGADO !!! Apresentao: Tec.

Recommended

View more >