apresenta§£o do modelo de auto avalia§£o das be

Download Apresenta§£O Do Modelo De Auto Avalia§£O Das Be

Post on 29-Dec-2014

1.678 views

Category:

Technology

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • 1. WORKSHOP FORMATIVO APRESENTAO DO MODELO DE AUTO-AVALIAO PARA AS BIBLIOTECAS ESCOLARES
  • 2. MODELO DE AUTO-AVALIAO PARA AS BIBLIOTECAS ESCOLARES
    • SUMRIO:
    • Porqu a avaliao?
    • O modelo de auto-avaliao: Problemticas e Conceitos
    • Objectivos e Processos
    • Organizao Estrutural e funcional
    • Integrao Aplicao realidade da Escola
    • Oportunidades e constrangimentos
  • 3.
    • PORQU ?
    • PARA QU?
    • Para que toda a comunidade escolar veja a importncia da biblioteca escolar como Um impacto positivo no ensino e na aprendizagem
    • Para facultar um instrumento pedaggico e de melhoria contnua
    AVALIAR
  • 4.
    • A Auto-avaliao aqui designada como um valor, um processo que s traz benefcios Biblioteca Escolar
    • A auto-avaliao deve ser encarada como um processo pedaggico e regulador, procurando uma melhoria continua da BE.
    • O modelo permite s bibliotecas analisar os seus pontos fracos e os pontos fortes;
    • Contribui para a elaborao de um plano de desenvolvimento, perspectivando desta maneira uma mudana realista face a BE.
    • um modelo que aponta para uma utilizao flexvel, adaptada a cada escola e a cada biblioteca;
    • Baseia-se numa necessidade de gerir a mudana atravs do desenvolvimento de prticas sistemticas de evidncias, associadas ao trabalho do dia a dia
    O MODELO DE AUTO-AVALIAO DAS BIBLIOTECAS: PROBLEMTICAS E CONCEITOS
  • 5.
    • -AVALIAR A QUALIDADE E EFICCIA DA BE
    • -MUDAR E TRANSFORMAR AS BIBLIOTECAS ESCOLARES DE MODO A SEREM CAPAZES DE APRENDEREM E DE CRESCEREM ATRAVS DA RECOLHA SISTEMTICA DE EVIDNCIAS E DE UMA AUTO-AVALIAO SISTEMTICA
    MODELO DE AUTO-AVALIAO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES - OBJECTIVOS -
  • 6. ORGANIZAO ESTRUTURAL E FUNCIONAL DO MODELO DE AUTO-AVALIAO DA BE O modelo est organizado em torno de quatro domnios e respectivos subdomnios que representam as reas nucleares em que se dever processar o trabalho da/com a Biblioteca Escolar: A APOIO AO DESENVOLVIMENTO CURRICULAR: A.1. Articulao curricular da BE com as estruturas pedaggicas e os docentes A.2. Desenvolvimento da literacia da informao B LEITURA E LITERACIAS C PROJECTOS, PARCERIAS E ACTIVIDADES LIVRES E DE ABERTURA COMUNIDADE: C.1. Apoio a actividades livres, extra-curriculares e de enriquecimento curricular C.2. Projectos e parcerias D GESTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR D.1. Articulao da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso e servios prestados pela BE D.2. Condies humanas e materiais para a prestao dos servios D.3. Gesto da coleco/da informao
  • 7.
    • O modelo orienta o trabalho nas e das Bibliotecas pois apresenta as reas nucleares de interveno, d exemplos e sugestes que permitem melhorar o trabalho.
    • Para cada domnio/subdomnio apresentado um quadro com:
    ORGANIZAO ESTRUTURAL E FUNCIONAL DO MODELO DE AUTO-AVALIAO DA BE Indicadores Factores Crticos de sucesso Evidncias Aces para melhoria Apontam para as zonas nucleares (temas) de interveno em cada domnio Pretendem ser exemplos de situaes, ocorrncias e aces que operacionalizam o indicador apresentado. Pretende -se dar exemplos de instrumentos de recolha de evidncias para o indicador apresentado. Pretende-se dar sugestes de aces a implementar caso seja necessrio melhorar o desempenho da BE
  • 8. ORGANIZAO ESTRUTURAL E FUNCIONAL DO MODELO DE AUTO-AVALIAO DA BE
    • O modelo tambm nos apresenta, para cada domnio e subdomnio, os perfis de desempenho que caracterizam o que se espera da Biblioteca, face rea analisada. Os perfis de desempenho so organizados numa escala de 4 nveis que caracteriza o tipo de desempenho da biblioteca em relao a cada domnio :
    Nvel Descrio 4 A BE bastante forte neste domnio. O trabalho desenvolvido de grande qualidade e com um impacto bastante positivo 3 A BE desenvolve um trabalho de qualidade neste domnio mas ainda possvel melhorar alguns aspectos. 2 A BE comeou a desenvolver trabalho neste domnio, sendo necessrio melhorar o desempenho para que o seu impacto seja mais efectivo. 1 A BE desenvolve pouco ou nenhum trabalho neste domnio, o seu impacto bastante reduzido, sendo necessrio intervir com urgncia
  • 9. ORGANIZAO ESTRUTURAL E FUNCIONAL DO MODELO DE AUTO-AVALIAO DA BE Este modelo de avaliao adopta uma aproximao realidade por etapas. Por ano, a Biblioteca escolar deve seleccionar um domnio a ser objecto da aplicao de instrumentos. Pretende-se que ao fim de 4 anos todos os domnios tenham sido avaliados. Assim, em cada ano, a Biblioteca escolar deve dar os seguintes passos: 1 - Identificar o perfil da Biblioteca escolar 2 - Seleccionar o domnio a ser objecto da aplicao de instrumentos 3 - Recolher evidncias 4 - Identificar o perfil de desempenho da Biblioteca 5 - Registar a auto-avaliao no relatrio final 6 - Elaborar um novo plano de interveno que integre as aces consideradas necessrias para a melhoria da BE.
  • 10. O modelo indica o caminho, a metodologia, a operacionalizao. A obteno da melhoria exige que estejamos preparados para a aprendizagem contnua. INTEGRAO E APLICAO REALIDADE DA ESCOLA Exige uma metodologia de sensibilizao e de readiness, que requer:
    • A mobilizao da equipa para a necessidade de fazer diagnsticos/ avaliar o impacto e o valor da BE na escola que serve;
    • Realizao de um processo de formao/ aco.
    • A comunicao constante com o rgo directivo
    • A apresentao e discusso do processo no Conselho Pedaggico.
    • Aproximao/ dilogo com
    • departamentos e professores. Criao e difuso de informao/ calendarizao sobre o processo e sobre o contributo de cada um no processo.
  • 11. INTEGRAO E APLICAO REALIDADE DA ESCOLA
    • O professor bibliotecrio deve, neste processo, evidenciar as seguintes competncias:
    • Ser um comunicador efectivo no seio da instituio;
    • Ser proactivo ;
    • Saber exercer influncia junto de professores e do rgo directivo;
    • Ser til, relevante e considerado pelos outros membros da comunidade educativa;
    • Ser observador e investigativo;
    • Ser capaz de ver o todo - the big picture;
    • Saber estabelecer prioridades;
    • Realizar uma abordagem construtiva aos problemas e realidade;
    • Ser gestor de servios de aprendizagem no seio da escola;
    • Ser promotor dos servios e dos recursos;
    • Ser tutor, professor e um avaliador de recursos, com o o bjectivo de apoiar e contribuir para as aprendizagens;
    • Saber gerir e avaliar de acordo com a misso e objectivos da escola.
    • Saber trabalhar com departamentos e colegas.
  • 12. INTEGRAO E APLICAO REALIDADE DA ESCOLA Evidncias: elementos concretos que permitem traar o retrato da BE. So de natureza diversa. A sua recolha e organizao um processo que dever ser integrado nas prticas quotidianas da BE. a evidncia que serve para provar o impacto que a Biblioteca tem nas aprendizagens dos alunos e para medir o valor da Biblioteca escolar. H vrios tipos de evidncias: -Registos de reunies/contactos -Planificaes -Registos de projectos -Registos sobre a preparao, desenrolar e avaliao de actividades -Plano Anual de Actividades -Regimento da Biblioteca -Projecto Curricular de escola -Planos Curriculares de turma -Horrio da BE -Caixa de sugestes -Questionrios -Entrevistas -Materiais de apoio produzidos -Grelhas de observao -Estatsticas de utilizao -Trabalhos escolares dos alunos -Anlise diacrnica da avaliao dos alunos -Acordos de parcerias -Checklist -Catlogos informatizados
  • 13. Modelo de auto-avaliao Constrangimentos/Potencialidades
    • Reflexo INDIVIDUAL:
    • Quais os constrangimentos que receio encontrar quando aplicar este modelo na minha Biblioteca escolar?
    • Quais so, na minha opinio, as potencialidades deste modelo?