apresentaÇÃo da minuta 6.0 do anteprojeto do cÓdigo de ...digo_de_Ética_e... · minuta 6.0 1/22

Download APRESENTAÇÃO DA MINUTA 6.0 DO ANTEPROJETO DO CÓDIGO DE ...digo_de_Ética_e... · MINUTA 6.0 1/22

Post on 07-Nov-2018

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • MINUTA 6.0 1/22

    APRESENTAO DA MINUTA 6.0 DO ANTEPROJETO DO

    CDIGO DE TICA E DISCIPLINA DO CAU/BR

    (Provisrio, no faz nem far parte do texto do Cdigo)

    ADVERTNCIA NECESSRIA

    Esta Minuta 6.0. do Anteprojeto destina-se exclusivamente ao exame da

    Comisso de tica e Disciplina CED do CAU/BR que poder disponibiliz-la

    oportunamente aos CAU/UF.

    O texto no est completo, os seus termos esto sujeitos a correes,

    alteraes, supresses, acrscimos, emendas, sugestes ou, mesmo,

    substituio.

    Conforme o Plano de Trabalho adotado, esto previstas apresentaes de 8

    minutas cujos textos representaro as sucessivas correes e

    aperfeioamentos.

    Tambm prevista uma reviso tcnica concernente aos aspectos jurdicos

    implicados.

  • MINUTA 6.0 2/22

    Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil

    CAU/BR

    Comisso de tica e Disciplina

    CED- CAU/BR

    RELATRIO TCNICO

    ETAPA 4

    Anteprojeto do Cdigo de tica e Disciplina

    do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil

    Minuta 6.0

    teuba arquitetura e urbanismo ltda.

    Arquiteto e Urbanista

    Joo Honorio de Mello Filho

    Braslia, 12 de junho de 2013.

  • MINUTA 6.0 3/22

    RESOLUO N XX, de DD DE MMMMMMM DE 2013

    Aprova o

    Cdigo de tica e Disciplina

    do

    Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil

    CAU/BR.

    O Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR), no exerccio das

    competncias e prerrogativas de que trata o artigo 28, incisos I e II, da Lei n

    12.378, de 31 de dezembro de 2010, que Regulamenta o exerccio da

    Arquitetura e Urbanismo; cria o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil

    CAU/BR e os Conselhos de Arquitetura e Urbanismo dos Estados e do

    Distrito Federal CAUs; e d outras providncias e de acordo com a

    deliberao da Sesso Plenria n NN, realizada na nos dias dd e dd de

    mmmmm de 2013,

    RESOLVE:

    Art. 1 Aprovar o Cdigo de tica e Disciplina do Conselho de Arquitetura e

    Urbanismo do Brasil CAU/BR anexo presente Resoluo.

    Art. 2 Os CAU/UF, aps a publicao desta Resoluo, devero organizar,

    desenvolver, promover e manter a divulgao do Cdigo de tica e Disciplina

    aos profissionais, s entidades de classe, s instituies de ensino, s

    sociedades civis e organizadas, ao poder pblico e ao pblico em geral.

    Art. 3 O Cdigo de tica e Disciplina do Conselho de Arquitetura e Urbanismo,

    adotado por esta Resoluo, entrar em vigor a partir da data da sua

    publicao.

    Art. 4 Ficam revogadas as disposies em contrrio.

    Braslia, dd de mmmmmm de 2013.

    Haroldo Pinheiro Villar de Queiroz

    Presidente do CAU/BR

  • MINUTA 6.0 4/22

    Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil

    CAU/BR

    Comisso de tica e Disciplina

    CED - CAU/BR

    Anteprojeto do Cdigo de tica e Disciplina

    do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil

    Minuta 6.0

    Braslia, 12 de junho de 2013.

  • MINUTA 6.0 5/22

    SUMRIO

    Apresentao

    Prembulo

    Bases legais do Cdigo

    Bases ticas do Cdigo

    Estrutura do Cdigo

    Gravidade das infraes e sanes

    Obrigaes Gerais

    Obrigaes para com o Pblico

    Obrigaes para com o Contratante

    Obrigaes para com a Profisso

    Obrigaes para com os Colegas

    Obrigaes para com o CAU/BR

    Das infraes e Sanes Disciplinares

    Das Disposies Administrativas

  • MINUTA 6.0 6/22

    APRESENTAO

    Depois da realizao de cinco seminrios regionais, durante 2012 e 2013, no

    Rio de Janeiro-RJ, em Recife-PE, em Curitiba-PR, em Goinia-GO, em Belm-

    PA e, finalmente, de um Seminrio Nacional em Braslia (DF) quando

    foram tratados os temas da tica e da Moral no exerccio profissional, os

    conselheiros membros da Comisso de tica e Disciplina do Conselho de

    Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CED-CAU/BR), concordaram em

    encaminhar o texto do Anteprojeto do Cdigo de tica e Disciplina do Conselho

    de Arquitetura e Urbanismo ao exame e aprovao final em Sesso Plenria do

    CAU/BR.

    Os levantamentos e os estudos previamente desenvolvidos consideraram

    em todo o pas a opinio esclarecida e experiente de inmeros colegas

    arquitetos e urbanistas estudiosos da matria, assim como os contedos

    constantes dos principais cdigos de tica profissionais, nacionais e

    estrangeiros, para alm de recomendaes internacionais reconhecidas.

    De direito, a existncia do CAU/BR como determinou a Lei N 12.378

    exige o estabelecimento de um guia deontolgico, propositado para a profisso

    dos arquitetos e urbanistas distintamente regulamentada.

    O texto, prescritivo por sua prpria natureza, torna-se um compromisso bsico,

    pressuposto como parte legtima e constante de qualquer contrato para a

    prestao de servios profissionais.

    De fato, a par do j rigorosamente preceituado na Lei, este Cdigo no

    estabelece somente um conjunto sumrio de normas deontolgicas

    princpios e regras que se devem impor como obrigatrias no exerccio da

    profisso. Eis que, em decorrncia da percepo crtica e humanista que

    caracteriza a formao tcnica, cientfica e artstica do arquiteto e urbanista, os

    termos dos preceitos ticos, neste Cdigo, no se limitam fixao de critrios

    para a mera identificao mecnica de infraes ou o clculo automtico das

    correspondentes sanes disciplinares a aplicar diante de cada circunstncia

    concreta.

    Impem-se assim preceitos que representem e informem um pensamento que

    inclui propsitos culturais, morais e estticos. Eles identificam e declaram a

    dignidade do exerccio de uma profisso respeitada pelo seu saber e pela sua

    tica.

    O papel educativo do Cdigo est implicado no princpio obrigatrio da

    publicidade. Com efeito, as normas ticas da Arquitetura e Urbanismo devem

    ser perfilhadas tanto nos mbitos da formao dos profissionais nas

    universidades, quanto nos da populao em geral. Neste sentido, o texto

  • MINUTA 6.0 7/22

    respectivo visa facilitar a sua inteligibilidade e divulgao, no s aos

    diretamente interessados e seus eventuais contratantes. Afinal, as normas

    ticas e disciplinares so pblicas.

    Eis que, a par das necessidades normativas que naturalmente se impem

    conduta de profissionais liberais, o Cdigo aprovado inspirado no

    entendimento de que Arquitetura e Urbanismo, em sua dimenso tica,

    tambm contribuio cultural-esttica-econmica-poltica intrnseca,

    indissocivel do processo democrtico da produo e da sustentao dos

    ambientes construdo (da cidade) e natural (paisagem).

    O exerccio tico da profisso exige criatividade esttica e saberes que

    constituem a prpria identidade disciplinar dos arquitetos e urbanistas frente a

    eles mesmos, sua categoria e cultura qual pertencem.

    O reconhecimento pblico do papel substancial e prprio da atividade dever

    pblico em qualquer sociedade democrtica.

    Pela sua potencial relevncia para a estruturao do novo texto normativo,

    foram adotadas sempre que cabveis as recomendaes modelares

    divulgadas a todos os pases, com a oportuna colaborao brasileira do

    Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), como constam no Accord on

    Recommended International Standards of Professionalism and Architectural

    Practice, editado pela UIA, Union Internationale des Achitectes, aprovado em

    sua 21 Assembleia, realizada em Beijing, em julho de 1999.

  • MINUTA 6.0 8/22

    PREMBULO

    Bases legais do Cdigo

    Conforme a Lei N 12.378 de 31 de dezembro de 2010, que Regulamenta o

    exerccio da Arquitetura e Urbanismo; cria o Conselho de Arquitetura e

    Urbanismo do Brasil - CAU/BR e os Conselhos de Arquitetura e

    Urbanismo dos Estados e do Distrito Federal - CAUs; e d outras

    providncias, o CAU aprovou o presente Cdigo de tica e Disciplina do

    Conselho da Arquitetura e Urbanismo do Brasil CAU/BR mediante a

    Resoluo n NN, de dd, mmmmm de 2013.

    Portanto, os arquitetos e urbanistas, assim como as sociedades de prestao

    de servios com atuao nos campos da Arquitetura e do Urbanismo, devem

    orientar sua conduta no exerccio da profisso pelas normas princpios e

    regras definidas neste Cdigo de tica e Disciplina.

    indispensvel observar os artigos da Lei 12.1378 pertinentes conduta tica

    determinam ao CAU/BR a instaurao, a defesa e a manuteno das normas a

    cuja definio este Cdigo propositado1.

    Quanto aos aspectos legais coercitivos a considerar, este Cdigo estabelece

    bases suficientes para possibilitar clareza na identificao das circunstncias

    dos fatos, na avaliao das infraes cometidas, e na aplicao das

    respectivas sanes disciplinares.

    Para as tarefas administrativas necessrias aplicao harmnica das

    determinaes deontolgicas deste Cdigo, o CAU seguir Resoluo

    especfica para os procedimentos processuais respectivos s etapas de

    instaurao, instruo, defesa, relatrio, pedido de reconsiderao, recurso

    instruo, deciso final e sua aplicao.

    Para isto, alm do que estabelece a Lei N 12.378, sem prejuzo de outras

    normas legais aplicveis, sero seguidas as regras procedimentais constantes

    nas demais leis do pas2.

    1 O Art. 17 estatui que, no exerccio da profisso, o arquiteto e urbanista deve pautar sua conduta pelos

    parmetros a serem definidos no Cdigo de tica e Disciplina do CAU/BR. E que, conforme diz o r