aprendendo & praticando eletrônica vol 32

Download Aprendendo & Praticando Eletrônica Vol 32

Post on 10-Jul-2015

804 views

Category:

Documents

13 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 5/10/2018 Aprendendo & Praticando Eletr nica Vol 32

    1/48

  • 5/10/2018 Aprendendo & Praticando Eletr nica Vol 32

    2/48

    ~prDmEDITORAI. LIII11.B._ ...EMARK ELETRONICADiretoresCarlos W.Malagoli

    Jairo P. MarquesWilson Malagoli

    ~&

    ~ Diretor Tecnioo800a MarquesColaboradoresJose A. Sousa (Desenho Tecnico)Joao Pacheco (quadrinhos)PubllcidadeKAPRON PROPAGANDA LTDA.

    (011) 223-2037Composic;io

    KapromFotoHtos da CapaDELINTel. 35.7515Fotolitos do MioloFOTOTRAC_;OLTDA.

    ImpressaoEditora Parma Ltda.

    Distribuh;ao Nacional C I ExclusividadeFERNANDO CHINAGLIA DISTR.Rua Teodoro da Silva, 907- R. de Janeiro (021) 268-9112APRENDENDO E PRATICANDO

    ELETRONICA(Kaprom Editora, Distr. e Propagan ..da Ltda - Emark Eletronica Comer-cial Ltda.) - Hedacao, Adrninistracao ePublicidade: Rua General Osorio, 157CEP 01213 - Sao Paulo - SP.

    Fone: (011)223-2037

    Tem essa "hisicria'' de Ano Novo e coisa - que como todos Voces sabem - naopassa de mais In1 simbolo, mais um marco referencial, criado pelo Homem (0 calendarioque "seguimos" nao nos loi ditado pelos deuses, nem estipulado pelas Leis que regem 0Universo...). Porque e "contortavet", contudo, todos acabamos "sucumbindo" e dando va-lor transcedental (que - na verdade - n a o tern ..)a essas nossas "tabelas de passagem doTempo... .. Ha ate quem diga que a invencao do Calenddrio s6 beneliciou mesmoaos 00-bradores de ~ .. Basta raciocinar um pouquinho para verilicarmos que tal suposlcaotern sOOas possibilidades de estar correta...Mas... ntio tern ;eoo! Por mais que a gente saiba que "isso nao e isso", imbuimo-nos do "espfrito geral" e comecarnos a "Iimpar gavetas", planejar 0Ana Novo, "desarqui-var intencoes" e tracar metas ainda mais ambiciosas, como se 0 mere dia 19 de janeiro lun-cionasse leito aquele apoio de ~ usado pelos atletas num "reiorco' ao impulso inicial, nasprovas de corrida!Assim, para na o fugir aos anseios de todos, tarnbem APE esta promovendo suas"rnudancas" de Ano Novo... 0 Leitor/Hobbysta asslduo notara algumas novidades na con-figur8l(ao Editorial da Revista (sem "quebrar' ', contudo, a lilosolia basica da nossa publi-cacao ...). E bom lembrar, entretanto, que APE sempre loi (e ainda e...) uma Revista extre-mamente dernocratlca e que realmente leva em conta reais desejos, aspiracoes e in-tsncoes do seu Universo Leitor... Dessa maneira, mesmo quando por aqui lancarnos novasideias, contiquracoes, rnoditlcacoes no "formato" Editorial ou nas secoes que formam APE,nenhuma dessas eventuais "novidades" tern, garantido, 0 r6tulo de DEFINITIVA, urr.a vezque tudo - rigorosamente - depende da impllcita aprov~ por parte de Veres. ..!Portanto, nesses primeiros meses de 92, ao mesmo tempo em que introduzirnos al-gumas rnoditicacoes no "[eitao'' de APE, estaremos tanMm apreciando - com extremaatencao - as Cartas de Voces, a reacao de cada Leitor/Hobbysta, as crrticas, asanalises,as suqestoes, as aprovacoes e d esap ro vacoe s . .. Aper.es quando pudermos recolher (a-naves desses naturais canais de ccrnunicacao entre Leitores e Revista... ) urr s61idosubsl-dio, e que Secoes novas poderao tomar-se delinitivas (ou, em contrapartida, "devolver"seu lugar as antigas to rr nu la co es - desde que assim queiran os Leitores...).Aguardamos, entao (nem era preciso "pedir", ja que Voces "escrevem mesmo", e"de montao" ... ) as rr.anitestacoes da Turma, para parametrar nosso caminho ao longodesse ano, e dos seguintes. E (nao tern como "escapar" .. . ), s6 para nao "desafinar" naOrquestra, um FELIZ ANO NOVO para Voces todos, um abraco de velhos amigos e... VA-MOS QUE VAMOS!

    o EDITORR E V IS T A N Q 3 2NESTE NUMERO:

    5 - C O R R E IO T ~C N IC O9 - B A S T A o D E D E F E S A

    1 2 - R E LE E L E T R O N IC O P I G R A V A C O E ST E L E F D N I C A S

    1 8 - L A N T E R N A S A U T O M A T IC A SP / C A R R O2 1 - A C IO N A D O R D E P O T E N C IA ( C .A . )

    S E N S iv E L A O T O Q U E2 4 - A LA R M E D E B A T E R I A " B A IX A "3 1 - D IM M E R D E P O T E N C I A . E S C A L O -

    N A D O ( 2 2 0 V )3 4 - S IM P L E S D E T E T O R D E M E T A lS

    3 8 - V O LT iM E T R O "S O N O R O " (P O N T AD E P R O V A A U D iV E L )

    4 7 - S IM P L E S C O N V E R S O R 1 2 V C C P A -R A 1 1 0 /2 2 0 V C A - 6 0 H z

    5 0 - D E S A F IO A C R IA T IV ID A D E ( P R O -M O C A O M O S T R A D A E M A .P . E . ng3 0 ) - R E S U L T A D O

    5 2 - T E S T E D IG IT A L D E C A B O S (P R O -F I S S I O N A L )

    5 6 - A LA R M E D E T O Q U E T E M P O R IZ A D O5 8 - T E M P O R IZ A D O R " C U R T O " C /A -

    L A R M EE vedada a reproducao total ou parcial de textos, artes ou fotos que cornpo-nham a presente Edicjio, sem a autorizacao e xpressa dos Editores. Os ProjetosEletr onicos aqui descritos destinarn-se unicamente a aplicacoes como hobbyou utiliz acao pessoal, sendo proibida a sua comerclalizacao ou lndustriali-za9ao sem a autoriz acjio expressa dos autores ou detentores de eventuaisdireitos e patentes. A Revista nao se responsabiliza pelo mau funcionamentoou nao funcionamento das montagens aqui descritas, nao se obrigando anenhum tipo de assistencia tecnica aos leitores.

  • 5/10/2018 Aprendendo & Praticando Eletr nica Vol 32

    3/48

  • 5/10/2018 Aprendendo & Praticando Eletr nica Vol 32

    4/48

    InstrueoesGerais para asMontagensAs pequenas regras e lnstrucoes aqui descritas destinam-se aos principiantes ou hobbystas aindasem muita pratica e constituern urn verdadeiro MINI-MANUAL DE MONTAG ENS, valendo paraa realizacilo de todo e qualquer projeto de Eletr6nica (sejam os publicados em A.P.E., sejam osmostrados em livros ou outras publicaeoes ...). Sempre que ocorrerem duvidas, durante a montagemde qualquer projeto, recornenda-se ao Leitor consultar as presentes lnstrucoes, cujo carater Geral ePermanente fa z com que estejarn SEMPRE presentes aqui, nas primeiras paginas de todo exemplarde A.P.E.O S COMPON EN TE S

    Em todos os circuitos, dos mais simplesaos mais complex os, existem, basica-mente, dois tip os de pecas: as POLARI-ZADAS e as NAO POLARIZADAS. Oscomponentes NAO POLARIZADOS sao,na sua grande maioria, RESISTORES eCAPACITORES comuns. Podem ser liga-dos "daqui pra la ou de hi pra ca". sernproblemas. 0 unico requisito e reconhe-cer-se previamente 0 valor (e outrosparametres) do componente, para liga-Iono lugar certo do circuito. 0 'TABE-LAO" A.P.E. da todas as "dicas" para aleitura dos valores e codigos dos ,RES IS-TORES, CAPACITORES POL!ESTER,CAPACITORES DISCO CERAMICOS,etc. Sernpre que surgirern duvidas ou"esquecimcntos ", as lnstrucoes do"TABELAO" devem scr consultadas . O~ principais componentes dos circuitossao, na maioria das vezes, POLARIZA-DOS, ou scja. seus terminais, pinos ou"pernas" tern posicao certa e unica paraserern ligados ao circuito! Entre taiscomponcntes, destacam-se os I?IODOS,LEDs, SCRs, TRIACs, TRANSISTORES(bipolares, fets, unijun .. oes, etc.), CAPA-CITORES ELETROLITICOS, CIRCUI-TOS INTEGRADOS, etc. E muito irn-portante que, antes de se iniciar qualquermontagern, 0 lei tor identi fique correta-mente os "nomes" e posicoes relativasdos terminais desses cornponentes, ji quequ alquer inversao na ho ra das soldagensocasionara 0 nao funcionamento do cir-cuito, alem de eventuais dan os ao pro-prio componente erronc arnente Jigado.o 'TABELAO" mostra a grande maioriados componente s normalmcnte utiliza-dos nas montagens de A.P.E., em suasaparencias, pinagens e simbolos. Quan-do, em algum circuito publicado, surgirurn ou mais componentes cujo "visual"nao esteja relacionado no 'TABELAO",as necessarias informacoes serao forne-cidas junto ao texto descritivo da respec-tiva montagem, atraves de ilustracoesclaras e objetivas.L IG ANDO E SO LDANDO

    Praticamente todas as montagens aquipublicadas sao implernentadas no sistemade CIRClilTO IMPRESSO, assim asinstru~Oes a seguir referern-se aos cuida-dos basicos necessaries 11essa tecnica demontagem. 0 carater geral das recomen-

    d acoe s, contudo, faz com que elas tam-bern sejam validas para even tuais outrastecnicas de montagem (em ponte, embarra, etc.).

    .Deve ser sernpre utilizado ferro de soldarleve, de ponta fin a, e de baixa "wat ta-gem" (maximo 30 watts). A solda tam-bern deve ser fin a, de boa qualidade ede baixo ponto de fusao (tipo 60/40 ou63/37). Antes de iniciar a soldagern, aponta do ferro deve ser limpa, rerno-vendo-se qualquer oxidacao ou sujeiraali acumuladas. Depois de Iimpa e aque-cida, a ponta do ferro deve ser levementeestanhada (espalhando-se urn pouco desolda sobre ela), 0 que f'acilitara 0 con-tato termico com os terminais. As superficies cobreadas das placas deCircuito Impresso devem ser rigorosa-mente limp as (com lixa fina ou palhade aco) antes das soldagens. 0 cobredeve ficar brilhan te, sern qualquer resf-duo de oxidacoe s, sujeiras, gorduras,etc. (que podem obstar as boas solda-gens). Notar que depois de limpas asilhas e pistas cobreadas nao devem maisser tocadas com os dedos, pois as gor-duras e acidos contidos na transpiracaohuman a (mesmo que as maos parecarnlimp as e secas ... ) atacam 0 cobre comgrande rapidez, prejudicando as boassoldagens. Os terminais de componentestarnbem devem estar bern limpos (se pre-ciso, raspe-os com uma lamina ou esti-lete, ate que 0 metal fique limpo e bri-Ihante) para que a solda "pegue " bern ...

    Verificar sempre se nao existem defeitosno p adrao cobreado da placa. Constatadaalguma irregularidade, ela deve ser sana-da antes de se colocar os componentesna placa. Pequenas falhas no cobrepodem ser facilmente recomp ostas comuma gotinha de solda cuidadosamenteaplicada. Ja eventuais "curtos" entreilhas ou pistas, podem ser removidos ras-pando-se 0 defeito com uma ferramentade pon ta afiada.

    .Coloquc todos os componentes na placaorien tando-se sempre pelo "chapcado "mostrado junto as instrucoes de cadamontagern. Atencao aos componentcsPOLARIZAD