APR - VARIAS FUNES

Download APR - VARIAS FUNES

Post on 26-Jul-2015

319 views

Category:

Documents

20 download

TRANSCRIPT

ANLISE PRELIMINAR DE RISCO - APRPROCESSO DE TRABALHO Administrao SEO DE TRABALHO RH ATIVIDADE Analista RH DESCRIO DA ATIVIDADE Responsvel pela ordenao documental dos colaboradores FONTE GERADORA

AGENTE

TIPO

PERIGO

GRADAO DE EXPOSIO AO RISCODESCRIO DO PERIGO FREQUENCIAHABITUABILIDADEPROBABILIDADE

EFEITO / GRAVIDADE

FSICO

QUMICO

BIOLGICO Leso por esforos repetitivos nos membros superiores

ERGONMICO

Repetitividade Digitao

LER

Habitual

Diria

Alta

Prejudicial

ACIDENTECONTATO: Pele, Respiratria, Ingesto / FREQUENCIA: Eventual, Permanente/Intermitente / HABITUALIDADE: Diria, Semanal, Mensal / PROBABILIDADE: Muito alta, Alta, Moderada, Baixa / EFEITO/GRAVIDADE: Extremamente prejudicial, Prejudicial, Levemente prejudicial, Insignificante

1- Eventual (A exposio de curta durao em torno de 24 a 30 minutos por dia significa eventualidade, no gerando, portanto, a insalubridade) 2- Permanente ou intermitente (Enquanto a exposio de 300 a 400 minutos (5 a 6,6 hs) durante a jornada de trabalho equivale ao contato permanente ou intermitente).

ANLISE PRELIMINAR DE RISCO APRPROCESSO DE TRABALHO Administrao SEO DE TRABALHO RH ATIVIDADE Analista de RH

PERIGO

DANO

NVEL DO RISCO PxG

MEDIDAS DE CONTROLELEGISLAO CONTROLE OPERACIONAL MONITORAMENTO P.A.E

Digitao

Leso nos menbros

09

NR 17

Exerccios laborais

PPRA PCMSO

ANLISE PRELIMINAR DE RISCO - APRPROCESSO DE TRABALHO Produo DESCRIO DA ATIVIDADE Alinha a massa no centro do rolo FONTE GERADORA Mquinas Calor Superfcie aquecida SEO DE TRABALHO Laminao de massas ATIVIDADE Operador de mquina de laminao

AGENTE

TIPO Rudo

PERIGO Auditivos

GRADAO DE EXPOSIO AO RISCODESCRIO DO PERIGO FREQUENCIAHABITUABILIDADEPROBABILIDADE

EFEITO / GRAVIDADE

FSICO

Excesso de rudo em dBs Contato com partes superaquecidas

Habitual Habitual

Diria Diria

Moderada Morerada

Prejudicial Prejudicial

QUMICO

BIOLGICO

ERGONMICO

ACIDENTECONTATO: Pele, Respiratria, Ingesto / FREQUENCIA: Eventual, Permanente/Intermitente / HABITUALIDADE: Diria, Semanal, Mensal / PROBABILIDADE: Muito alta, Alta, Moderada, Baixa / EFEITO/GRAVIDADE: Extremamente prejudicial, Prejudicial, Levemente prejudicial, Insignificante

1- Eventual (A exposio de curta durao em torno de 24 a 30 minutos por dia significa eventualidade, no gerando, portanto, a insalubridade) 2- Permanente ou intermitente (Enquanto a exposio de 300 a 400 minutos (5 a 6,6 hs) durante a jornada de trabalho equivale ao contato permanente ou intermitente).

ANLISE PRELIMINAR DE RISCO APRPROCESSO DE TRABALHO Produo SEO DE TRABALHO Laminao de massas ATIVIDADE Operador de mquina de Laminao

PERIGO Rudos das mquinas Superfcie superaquecida

DANO

NVEL DO RISCO PxG 06 06

MEDIDAS DE CONTROLELEGISLAO NR 15 anexo 1 NR 15 anexo 3 CONTROLE OPERACIONAL EPC EPI Treinamento Sinalizao MONITORAMENTO PPRA PCMSO Relatrio ergonmico P.A.E

Danos auditivos Queimaduras

ANLISE PRELIMINAR DE RISCO - APRPROCESSO DE TRABALHO Manuteno DESCRIO DA ATIVIDADE SEO DE TRABALHO Manuteno eltrica ATIVIDADE Eletricista predial

AGENTE

TIPO

FONTE GERADORA

PERIGO

GRADAO DE EXPOSIO AO RISCODESCRIO DO PERIGO FREQUENCIAHABITUABILIDADEPROBABILIDADE

EFEITO / GRAVIDADE

FSICO

QUMICO

BIOLGICO

ERGONMICO

ACIDENTE

Eletricidade

Rede viva

Morte queimadura

Contato com partes eletrificadas

Habitual

Semanal

Alta

Extremamente prejudicial

CONTATO: Pele, Respiratria, Ingesto / FREQUENCIA: Eventual, Permanente/Intermitente / HABITUALIDADE: Diria, Semanal, Mensal / PROBABILIDADE: Muito alta, Alta, Moderada, Baixa / EFEITO/GRAVIDADE: Extremamente prejudicial, Prejudicial, Levemente prejudicial, Insignificante

1- Eventual (A exposio de curta durao em torno de 24 a 30 minutos por dia significa eventualidade, no gerando, portanto, a insalubridade) 2- Permanente ou intermitente (Enquanto a exposio de 300 a 400 minutos (5 a 6,6 hs) durante a jornada de trabalho equivale ao contato permanente ou intermitente).

ANLISE PRELIMINAR DE RISCO APRPROCESSO DE TRABALHO Manuteno SEO DE TRABALHO Manuteno eltrica ATIVIDADE Eletricista predial

PERIGO

DANO

NVEL DO RISCO PxG

MEDIDAS DE CONTROLELEGISLAO CONTROLE OPERACIONAL MONITORAMENTO P.A.E

Queimadura, morte

Leses superficiais e internas

NR 10 12

EPI EPC Treinamento Sinalizao

PPRA PCMSO

ANLISE PRELIMINAR DE RISCO - APRPROCESSO DE TRABALHO Logstica SEO DE TRABALHO Estoque de produo ATIVIDADE Operador de empilhadeira DESCRIO DA ATIVIDADE Realiza o transporte dos pallets da rea de produo at o estoque e seu arranjo FONTE GERADORA

AGENTE

TIPO

PERIGO

GRADAO DE EXPOSIO AO RISCODESCRIO DO PERIGO FREQUENCIAHABITUABILIDADEPROBABILIDADE

EFEITO / GRAVIDADE

FSICO

QUMICO

BIOLGICO

ERGONMICO

ACIDENTE

Armazenamento Empilhamento Queda de inadequado de pallets pallets

Pode ocorrer a queda de Habitual pallest em direo aos colaboradores

Diria

Baixa

Prejudicial

CONTATO: Pele, Respiratria, Ingesto / FREQUENCIA: Eventual, Permanente/Intermitente / HABITUALIDADE: Diria, Semanal, Mensal / PROBABILIDADE: Muito alta, Alta, Moderada, Baixa / EFEITO/GRAVIDADE: Extremamente prejudicial, Prejudicial, Levemente prejudicial, Insignificante

1- Eventual (A exposio de curta durao em torno de 24 a 30 minutos por dia significa eventualidade, no gerando, portanto, a insalubridade) 2- Permanente ou intermitente (Enquanto a exposio de 300 a 400 minutos (5 a 6,6 hs) durante a jornada de trabalho equivale ao contato permanente ou intermitente).

ANLISE PRELIMINAR DE RISCO APRPROCESSO DE TRABALHO Logstica SEO DE TRABALHO Estoque de produo ATIVIDADE Operador de empilhadeira

PERIGO

DANO

NVEL DO RISCO PxG

MEDIDAS DE CONTROLELEGISLAO CONTROLE OPERACIONAL MONITORAMENTO P.A.E

Queda de pallets

Leses e/ou morte

03

NR 17

Treinamento EPI Sinalizao

PPRA

PROBABILIDADE

CRITRIO O perigo se converte em dano de forma freqente (pelo menos uma ocorrncia j identificada e presumindo-se que ir ocorrer vrias vezes) ou o comportamento da maioria dos que executam a tarefa, associada ao perigo, mostra que os mesmos possuem baixa capacidade em reconhecer e compreender situaes ou condies de trabalho que possam causar dano, de forma a evit-los; bem como apresentam resistncia a seguir ou propor procedimentos O perigo se converte em dano em forma ocorrncia ocasional (com ou sem ocorrncia j registrada) presumindo-se que ir ocorrer, pelo menos, um vez durante avida til do sistema, ou o comportamento da maioria dos que executam a tarefa associada ao perigo mostra que os mesmos possuem capacidade em reconhecer e compreender situaes ou condies de trabalho que possam causar dano, porm no costumam adotar boas prticas de segurana, bem como no costumam dar importncia em seguir ou propor procedimentos A ocorrncia do perigo se converter em dano remota (no se espera que ocorra, uma vez que depende de falha humana e/ou de equipamento). Ou o comportamento da maioria dos que executam a tarefa associada ao perigo mostra que os mesmos possuem capacidade em reconhecer e compreender situaes ou condies de trabalho que possam causar dano. Adotam boas prticas de segurana e entendem a importncia em seguir ou propor procedimentos, porm de forma reativa e/ou por meio de vigilncia contnua A ocorrncia do perigo se converter em dano improvvel uma vez que depende de falhas mltiplas no sistema e/ou de rupturas de equipamentos de grande porte e/ou falhas humanas ocorrendo ao mesmo tempo com falhas de equipamentos e/ou eventos fortuitos (raios, ventanias, chuvas, etc.) ou O comportamento da maioria dos que executam a tarefa associadas ao perigo mostra que os mesmos possuem grande capacidade em reconhecer e compreender situaes ou condies de trabalho que possam causar dano. Adotam proativamente boas prticas de segurana e agem

NDICE

Muito Alta

4

Alta

3

Moderada

2

Baixa

1

como multiplicadores na implantao e manuteno de procedimentos.

GRAVIDADE

CRITRIO Provocando leso corporal ou perturbao funcional ou doena profissional ou do trabalho que possa causar a morte imediata ou futura e/ou Provocando leso corporal ou perturbao funcional ou doena profissional ou do trabalho que cause a perda ou reduo temporria ou permanente da capacidade para o trabalho (do ponto de vista da qualificao atual do funcionrio) imediata ou futura a um grande nmero de trabalhadores. E /ou Provocando destruio ou comprometimento irreversvel do patrimnio da empresa que implique em paralisao definitiva ou de longo prazo do(s) processo(s) de produo. Provocando leso corporal ou perturbao funcional ou doena profissional ou do trabalho que cause a perda ou reduo permanente da capacidade para o trabalho (do ponto de vista da qualificao atual do funcionrio) imediata ou futura. Obs.: Se um dano prejudicial atingir, simultaneamente, um grande nmero de trabalhadores, ele dever ser considerado como extremamente prejudicial. E / ou Provocando comprometimento reversvel do patrimnio da empresa, que implique em paralisao de mdio prazo do(s) processo(s) de produo. Provocando leso corporal ou perturbao funcional ou doena profissional ou do trabalho que cause a perda ou reduo temporria da capacidade para o trabalho (do ponto de vista da qualificao atual do funcionrio) imediata ou futura. E /ou Provocando comprometimento reversvel do patrimnio da empresa, que implique em paralisao de curto prazo do(s) processo(s) de produo. Provocando leso corporal ou perturbao funcional que NO causam a perda ou reduo da capacidade para o trabalho (do ponto de vista da qualificao atual do funcionrio) imediata ou futura. E / ou No comprometa o patrimnio da empresa e no provoque comprometimento do patrimnio da empresa ou implique em paralisao de curto prazo do(s) processo(s) de produo.

NDICE

EXTREMAMENTE PREJUDICIAL:

4

Muito Alta

PREJUDICIAL:

3

Alta

LEVEMENTE PREJUDICIAL:

2

Moderada

INSIGNIFICANTE:

1

Baixa

NVEL DO RISCONVEL de 1 a 3 de 4 a 6 de 8 a 12 16 DESCRIO

Risco mnimo (leve), aceitvel Risco mdio, aceitvel, desde que no seja associado a dano de gravidade muito maior (*) Risco mximo (elevado), aceitvel desde que haja adoo de aes e medidas que visem a de sua reduo ao nvel de risco mdio ou risco baixo. No caso de impossibilidade de adoo de aes e medidas visando a reduo, o risco mximo no ser aceitvel. Risco aceitvel

CLASSE 1 2 3 4

IDENTIFICAO DE CONTROLES POR NVEL / CLASSE DE RISCONVEL/CLASSE DE RISCO Mnimo / leve AO E CRONOGRAMA

Mdio / aceitvel Mximo (elevado) / aceitvel (com possibilidade de reduo) Risco aceitvel

No so requeridos controles adicionais, alm dos padres mnimos de SST. Devem ser feitas consideraes sobre uma soluo de custo mais eficaz ou melhorias que no imponham uma carga de custos adicionais. Pode ser requerido monitoramento, para assegurar que os controles so mantidos Devem ser feitos esforos para reduzir o risco e/ou impedir o aumento de seu nvel. As medidas para a reduo do risco podero ser implementadas dentro de um perodo de tempo definido. O trabalho no deve ser iniciado at que as medidas visando a reduo do risco tenham sido implementadas. Recursos considerveis podem ter que ser alocado para reduzir o risco. Se o risco envolve trabalho de desenvolvimento, deve ser adotada uma ao urgente. O trabalho no deve ser iniciado ou continuado at o nvel do Risco ser reduzido. Se no for possvel reduzir o risco, o trabalho tem que permanecer proibido.

Nota: aceitvel aqui significa que o risco foi reduzido ao nvel tolervel pela organizao com relao a suas obrigaes legais e sua prpria poltica e objetivos de sade e segurana.

HIERARQUIA DE CONTROLE1 ELIMINAO 2 SUBSTITUIO 3 CONTROLE DE ENGENHARIA EPC 4 CONTROLE ADM CONTROLE OPERAO EPI

PxG1-3 46 8- 12 16

NVEL DO RISCOLeve Mdio / aceitvel Mximo / elevado Inaceitvel

AO (HIERARQUIA DE CONTROLE)2 25 4125 NR 03 /Art. 05 CLT