apostila - tudo sobre quesitos - periculosidade - insalubridade

Download Apostila - Tudo Sobre Quesitos - Periculosidade - Insalubridade

Post on 04-Jul-2015

19.721 views

Category:

Documents

16 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

PROVA PERICIAL INSALUBRIDADE E

PERICULOSIDADE

SUMRIOI. II. III. IV. V. VI. VII. VIII. IX. X. XI. XII. XIII. XIV. XV. XVI. XVII. Prova Pericial ......................................................................................................................... 03 Lei n 6.514, de 22 de Dezembro de 1977 ............................................................................. 08 Portaria n 3.214, de 08 de junho de 1978 ............................................................................. 10 NR 9 - Programa de Preveno de Riscos Ambientais - PPRA ............................................. 11 NR 15 - Atividades e Operaes Insalubres ........................................................................... 11 Graus de Insalubridade ........................................................................................................... 13 NR 16 - Atividades e Operaes Perigosas ........................................................................... 14 Prazo Prescricional ................................................................................................................. 15 Percia ..................................................................................................................................... 15 Perito ....................................................................................................................................... 16 Assistente Tcnico .................................................................................................................. 17 Habilitao Profissional ........................................................................................................... 18 Percia Judicial ........................................................................................................................ 19 Percia Extra-Judicial .............................................................................................................. 20 Atribuies do Perito ............................................................................................................... 21 Substituio do Perito ............................................................................................................. 21 Agendamento da Percia ........................................................................................................ 22

XVIII. Poderes do Perito e Assistentes Tcnicos ............................................................................. 22 XIX. XX. XXI. XXII. Dolo ou Culpa do Perito ..........................................................................................................22 Honorrios Periciais ................................................................................................................22 Percia - Suborno ....................................................................................................................23 Quesitos ..................................................................................................................................24

XXIII. Laudo Tcnico Pericial ............................................................................................................29 XXIV. Oitiva do Perito em Audincia .................................................................................................30 XXV. Procedimentos na Percia Judicial ..........................................................................................31 XXVI. Orientaes Jurisprudenciais da SDI-I (TST) .........................................................................33 XXVII. Referncias Bibliogrficas ......................................................................................................342

I. PROVA PERICIALCPC

SEO VII

DA PROVA PERICIAL CPC: Cdigo de Processo Civil. Art. 420: Art. 421: A prova pericial consiste em exame, vistoria ou avaliao. O Juiz nomear o perito, fixando de imediato o prazo para entrega do laudo. 1 Incumbe s partes, dentro em cinco (5) dias, contados da intimao do despacho de nomeao do perito: I. indicar o assistente tcnico; II. apresentar quesitos. 2 Quando a natureza do fato o permitir, a percia poder consistir apenas na inquirio pelo juiz do perito e dos assistentes, por ocasio da audincia de instruo e julgamento a respeito das coisas que houverem informalmente examinado ou avaliado. Art. 422: O perito cumprir escrupulosamente o encargo que lhe foi cometido, independentemente de termo de compromisso. Os assistentes tcnicos so de confiana da parte, no sujeitos a impedimento ou suspeio. O perito pode escusar-se (art. 146), ou ser recusado por impedimento ou suspeio (art. 138, III); ao aceitar a escusa ou julgar procedente a impugnao, o juiz nomear novo perito. O perito pode ser substitudo quando: I. carecer de conhecimento tcnico ou cientfico; II. sem motivo legtimo, deixar de cumprir o encargo no prazo que lhe foi assinado. Pargrafo nico: No caso previsto no inciso II, o juiz comunicar a ocorrncia corporao profissional respectiva, podendo, ainda impor multa ao perito, fixada tendo em vista o valor da causa e o possvel prejuzo decorrente do atraso no processo. Art. 425: Podero as partes apresentar, durante a diligncia, quesitos suplementares. Da juntada dos quesitos aos autos dar o escrivo cincia parte contrria.

Art. 423:

Art. 424:

3

Art. 426:

Compete ao juiz: I. indeferir quesitos impertinentes; II. formular os que entender necessrio ao esclarecimento da causa.

Art. 427:

O juiz poder dispensar prova pericial quando as partes, na inicial e na contestao, apresentarem sobre as questes de fato pareceres tcnicos ou documentos elucidativos que considerar suficientes. Quando a prova tiver de realizar-se por carta, poder proceder-se nomeao de perito e indicao de assistentes tcnicos no juzo, ao qual se requisitar a percia. Para o desempenho de sua funo, podem o perito e os assistentes tcnicos utilizarse de todos os meios necessrios, ouvindo testemunhas, obtendo informaes, solicitando documentos que estejam em poder de parte ou em reparties pblicas, bem como instruir o laudo com plantas, desenhos, fotografias e outras quaisquer peas. Revogado pela Lei n. 8.455 de 24.08.1992. As partes tero cincia da data e local designado pelo juiz ou indicados pelo perito para ter incio a produo da prova. Tratando-se de percia complexa, que abranja mais de uma rea de conhecimento especializado, o juiz poder nomear mais de um perito e a parte indicar mais de um assistente tcnico. Se o perito, por motivo justificado, no puder apresentar o laudo dentro do prazo, o juiz conceder-lhe-, por uma vez, prorrogao, segundo o seu prudente arbtrio. O perito apresentar o laudo em cartrio, no prazo fixado pelo juiz, pelo menos vinte dias antes da audincia de instruo e julgamento. Pargrafo nico: Os assistentes tcnicos oferecero seus pareceres no prazo comum de dez dias aps a apresentao do laudo, independentemente de intimao.

Art. 428:

Art. 429:

Art. 430: Art. 431-A (*)

Art. 431-B (*)

Art. 432:

Art. 433:

Art. 435:

A parte, que desejar esclarecimento do perito e do assistente tcnico, requerer ao juiz que mande intim-lo a comparecer audincia, formulando desde logo as perguntas, sob forma de quesitos. Pargrafo nico: O perito e o assistente tcnico s estaro obrigados a prestar os esclarecimentos a que se refere este artigo, quando intimados cinco (5) dias antes da audincia.

Art. 436:

O juiz no est adstrito ao laudo pericial, podendo formar sua convico com outros elementos ou fatos provados nos autos. O juiz poder determinar, de ofcio ou a requerimento da parte, a realizao de nova percia, quando a matria no lhe parecer suficientemente esclarecida.

Art. 437:

4

Art. 438:

A segunda percia tem por objeto os mesmos fatos sobre que recaiu a primeira e destina-se a corrigir eventual omisso ou inexatido dos resultados a que esta conduziu. A segunda percia rege-se pelas disposies estabelecidas para a primeira. Pargrafo nico: A segunda percia no substitui a primeira, cabendo ao juiz apreciar livremente o valor de uma e outra.

Art. 439:

(*) Artigo includo pela Lei n. 10.358, de 27.12.2001. PERCIA

INSALUBRIDADE OU PERICULOSIDADE

JUIZ NOMEIA PERITO

ENGENHEIRO DE SEGURANA DO TRABALHO

MDICO DO TRABALHO

Art. 195: - CLT: A caracterizao e a classificao da insalubridade e da periculosidade, segundo as normas do Ministrio do Trabalho, far-se-o atravs de percia a cargo de Mdico do Trabalho ou Engenheiro do Trabalho, registrados no Ministrio do Trabalho. 1 facultado s empresas e aos sindicatos das categorias profissionais interessadas requererem ao Ministrio do Trabalho a realizao de percia em estabelecimento ou setor deste, com o objetivo de caracterizar e classificar ou delimitar as atividades insalubres ou perigosas. 2 Argida em juzo insalubridade ou periculosidade, seja por empregado, seja por Sindicato em favor de grupo de associados, o juiz designar perito habilitado na forma deste artigo, e, onde no houver, requisitar percia ao rgo competente do Ministrio do Trabalho. 3 O disposto nos pargrafos anteriores no prejudica a ao fiscalizadora do Ministrio do Trabalho, nem a realizao ex-offcio da percia.

5

HABILITAO PROFISSIONAQuantita

ART. 195 - C.L.T.

A caracterizao e a classificao da insalubridade e da periculosidade, segundo as normas do Ministrio do Trabalho, far-se-o atravs de percia a cargo de Mdico do Trabalho ou Engenheiro do Trabalho, registrados no Ministrio do Trabalho. (*) (*) O Engenheiro no tem mais seu registro profissional expedido pelo Ministrio do Trabalho, mas sim pelo rgo da classe, o CREA Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia. Assim, a prova de habilitao feita pelo registro profissional com anotao de especialidade, bem como da anuidade qu

Recommended

View more >