Apostila Reiki 1 ( Mario).doc

Download Apostila Reiki 1 ( Mario).doc

Post on 23-Dec-2015

63 views

Category:

Documents

53 download

TRANSCRIPT

Reiki I

Reiki - Nvel I

Esta apostila pertence a: _______________________ DATA: ______

Cristina Longhi - Mestre Orientador Reiki Nvel IV Senior

Jornadasdaalma@gmail.com

www.jornadasdaalma.com www.br.rai-reiki.comA HISTRIA DO REIKI

Nos anos de 1997 e 98 o escritor Frank Arjava Petter publicou na Alemanha (Editora Windpferd) duas obras com os ttulos: Das Reiki Feuer (O Fogo de Reiki) e Reiki Das Erbe des Dr. Usui (Reiki O Legado de Dr. Usui).

O escritor Petter Mestreprofessor de Reiki, formado na Alemanha, casado com Chetra M. Kobayashi. Mora desde 1991, na cidade de Sapporo, na ilha Hokkaido no Norte do Japo, onde estabeleceu com sua esposa uma escola de lnguas e um centro de treinamento e tratamento de Reiki.

Desde 1992 Petter est pesquisando as origens do mtodo e a vida do Sensei Mikao Usui (a palavra japonesa Sensei equivale ao nosso Mestre professor). No decorrer das tentativas de encontrar provas palpveis, ele enfrentou a relutncia da sociedade japonesa de ceder informaes sobre Usui e Reiki a estrangeiros.

No Japo hoje ainda existem vrias organizaes fechadas que ensinam Reiki na forma original ou com alguns complementos que, infelizmente, no esto acessveis a estrangeiros. Porm, na essncia no h divergncias. Tanto o mtodo original japons quanto os mtodos derivativos em uso no mundo ocidental funcionam plenamente.

As informaes que Peter conseguiu colher so ainda incompletas, mas j sabemos bastante sobre a vida de Mikao Usui.

Mikao Usui nasceu em 15 de agosto de 1865 no vilarejo Yago no distrito Yamagata da prefeitura Cifu, Sul do Japo. Casouse com Susuki Sadako e o casal teve um filho e uma filha. Em 9 de maro de 1926 ele sofreu o terceiro derrame cerebral e faleceu em Fukuyama na ilha Honshu, Sul do Japo. Os seus amigos gravaram um relato de sua vida numa grande lpide, que se encontra no seu tmulo no cemitrio do Saihoji, junto a um templo da linha japonesa do budismo, situado no subrbio Toyotama, em Tquio. Com ele jazem a sua mulher e seu filho. Petter fez sua primeira visita ao tmulo em 20 de setembro de 1994.

Usui costumava frequentar o monte Kurama perto da cidade de Kyoto para meditar nos jardins e no p das cascatas. Tambm no templo budista que h no topo da montanha. Provavelmente no ano de 1920, ao fim de um jejum de 21 dias, ele experimentou um estado visionrio de conscincia ampliada. Foi o seu primeiro contato com a Energia Csmica, a qual ele denominou Reiki.

Usui experimentou o uso da Energia em si mesmo, depois na famlia, nos amigos e vizinhos e, finalmente estabeleceu, em abril de 1921, um consultrio no bairro Harajuku, subrbio Aoyama de Tquio, para tratar outras pessoas. Comeou a treinar discpulos com os quais, mais tarde, fundou uma associao chamada Usui Reiki Ryoho Gakkai. Aps alguns anos abriu filiais no pas inteiro. Mikao Usui foi o primeiro presidente da organizao que hoje presidida pelo Sr. Kondo. O Sr. Kondo o stimo presidente e a sociedade se encontra em pleno funcionamento, porm inacessvel a estrangeiros.

Logo aps a publicao do seu primeiro livro (O Fogo de Reiki) Petter encontrou no ms de julho de 1997, documentos originais escritos por Mikao Usui. Tratase do manual Reiki Ryoho Hikkei que era fornecido aos alunos naquela poca. Mikao Usui escreve textualmente que ele dedica o mtodo teraputico Reiki humanidade e que no permite que algum se declare dono dele. Portanto, o mtodo e a denominao Reiki so de domnio pblico.

No manual, Usui explica que o mtodo Reiki tem suas bases na fora espiritual do Universo e serve para curar o ser humano por inteiro para que ele possa atingir paz espiritual e prazer na vida. O manual composto de trs partes. Na primeira Usui explica a sua filosofia e seus pensamentos, na segunda comps um capitulo com perguntas e respostas e na terceira parte incluiu 125 poemas. Nos treinamentos os Mestres professores costumavam cantar os cinco princpios do Reiki e alguns dos poemas com os seus alunos.

Usui era um grande admirador do imperador Meiji (18681912). Os 125 poemas acima mencionados e os cinco princpios ou regras para uma vida salutar so parte do legado do imperador Meiji para o seu povo. Petter encontrou um original escrito por Mikao Usui desses princpios, cuja traduo fiel e completa :

1 Por hoje no se zangue.2 Por hoje no se preocupe.3 Por hoje seja grato.4 Por hoje trabalhe arduamente.5 Por hoje seja gentil com os outros.De manh e a noite os discpulos de Usui Sensei deveriam sentarse na postura Gassho e repetir as cinco regras em voz alta e mentalmente no seu corao. Este procedimento serve para melhorar seu corpo e sua alma. Este o mtodo teraputico Reiki.

Mikao Usui ensinou Reiki pessoalmente a mais de 2.000 pessoas e o mtodo se espalhou durante a dcada de vinte com a ajuda de Mestres professores que abriram segmentos da associao Usui Reiki Ryoho Gakkai nas outras localidades do Japo.

Mikao Usui e seus Mestres ensinavam Reiki em etapas. A primeira era composta de 4 graus. Os alunos se encontravam semanalmente com seu professor para recitar e cantar os cinco princpios de Reiki e alguns dos poemas do imperador Meiji. O professor dava palestras, administrava exerccios de respirao, chamados Joshin Kokyuho, treinava um mtodo chamado Reiji e promovia uma transferncia de energia chamada Reiju aos alunos.

O Mestre convidava o aluno para participar das aulas do grau seguinte quando ele achava apropriado. A segunda etapa era ensinada em dois estgios. No primeiro se aprendia os smbolos e no segundo a cura a distancia e a cura mental.

Adicionalmente os alunos recebiam instrues especficas para a prtica de cura.

A terceira etapa era oferecida apenas a poucos alunos hbeis. O aluno iniciado neste grau tinha autorizao para tratar profissionalmente e tambm poderia se tomar assistente do professor.

Quando satisfeito com a capacidade profissional, postura, moral, autoridade, sabedoria, e comportamento exemplar, o Mestre dava o direito ao seu assistente de dar aulas por conta prpria, outorgandolhe o titulo Shihan, o mais alto no ensino do mtodo Usui Reiki Ryoho.Um dos alunos de Mikao Usui chamava-se Dr. Chujiro Hayashi, um mdico e oficial reformado da marinha imperial japonesa. O Dr. Hayashi recebeu o titulo Shihan e abriu um consultrio (Dojo em japons) para tratamento e treinamento no centro de Tokyo, bem perto da mundialmente conhecida clnica Maeda. De vez em quando a clinica transferia casos especiais para o Dr. Hayashi. Um destes casos foi Hawayo Kawamura Takata, uma cidad americana, nascida em 24 de dezembro de 1900 na ilha de Kauai, Hawai.

Os pais de Hawayo tinham migrado no sculo 19 do Japo para o Hawaii, para trabalhar nos canaviais, mas voltaram quando idosos. Hawayo Kawamura casou-se, em maro de 1917, com Saichi Takata, contador da fazenda onde ela morava com os pais. Eles tiveram duas filhas, mas Saichi contraiu cncer pulmonar, viajou para Tquio para tratamento na clnica do Dr. Maeda e faleceu com apenas 34 anos, em 1930.

Hawayo teve que trabalhar duramente para sustentar a famlia e teve uma crise nervosa ao ouvir que sua irm falecera com 25 anos, um ano aps ter se casado. Hawayo, que j estava com severos problemas de sade, decidiu viajar para o Japo (1935) para levar a triste noticia aos seus velhos pais.

L chegando internou-se na clnica Maeda em Tquio, mas quando na mesa de cirurgia, desistiu porque recebeu uma mensagem espiritual, dizendo que a cirurgia no era necessria. Ela indagou ao cirurgio se existia outro meio de tratar seu caso. O mdico deu ento o endereo do Dr. Hayashi onde Hawayo recebeu aplicaes de Reiki durante vrios meses e conseguiu restabelecer-se.

Desde sua infncia Hawayo foi um ser humano muito especial. De pequena e frgil estatura, muito inteligente e dedicada, ela decidiu aprender Reiki no espao do Dr. Hayashi, mesmo sabendo que, de acordo com as regras da Usui Reiki Ryoho Gakkai, os estrangeiros eram barrados e ela era uma cidad americana.

Ela conseguiu o apoio do Dr. Maeda, supostamente um parente do Dr. Hayashi, e a associao concordou em aceitar uma exceo. Hawayo recebeu um treinamento completo e trabalhou um ano no centro do Dr. Hayashi. Ela completou a segunda etapa pagando US$ 500 e retornou em 1936 ao Hawaii, autorizada a praticar Reiki profissionalmente.

Hawayo convidou o Dr. Hayashi para visitar Hawaii para ensinar Reiki, e ele e sua filha chegaram a ilha de Kauai em novembro de 1936. Visitando as diversas ilhas, o Dr. Hayashi ofereceu populao palestras sobre Reiki sem cobrar e Hawayo tomou conta da parte prtica, demonstrando o mtodo. Antes de voltar ao Japo, em fevereiro de 1938, o Dr. Hayashi iniciou-a mestra-professora (Shihan) de Reiki.

O Dr. Chujiro Hayashi aprendeu Reiki com Mikao Usui entre 1921 e 1926. Devido a sua formao de mdico e oficial da marinha, ele comeou sistematizar o mtodo Usui de Reiki especialmente o modo do seu ensinamento no seu centro Shina No Machi em Tquio. Nesse centro a Sra. Takata aprendeu na dcada de trinta um mtodo avanado de aplicar Reiki usando as quatro posies na cabea, nas costas e na frente, que no faz parte do treinamento do Reiki original. A Sra. Takata manteve contato com o Dr. Hayashi, viajando ocasionalmente de Hawaii para Tquio e esteve presente quando Dr. Hayashi fez a sua transio em maio de 1941.

Quando aplicava e ensinava Reiki nas ilhas do Hawaii, a Sra. Takata teve contato com a misso Jodo, ativa tambm na costa ocidental dos EUA. Ela recebeu um convite de acompanhar um grupo de missionrios para os EUA na funo de tradutora da lngua japonesa para o ingls, aps o que, ela decidiu estudar no National College of Drugless Physicians (Escola Nacional de Clnicos Naturais) em Chicago para completar os seus conhecimentos. Ela terminou os estudos em 1939 e voltou Honolulu para abrir um consultrio. Mais tarde ela recebeu um convite de duas professoras para ensinar Reiki em Hilo uma ilha do Hawaii, onde ficou cerca de 10 anos. Logo aps a chegada comprou uma casa espaosa na Avenida Kilauea e montou um centro de Reiki.No encontramos informaes sobre o momento da sua mudana de Hawaii para a Califrnia, mas isto deve ter acontecido entre 1950 e 1970. Sabemos que ela iniciou 22 Mestres professores inclusive a sua neta Phyllis Lei Furumoto, antes da sua passagem no dia 12 de dezembro de 1980, poucos dias antes de completar 80 anos.

As informaes sobre o Dr. Chujiro Hayashi e Hawayo Takata foram tiradas do livro: Living Reiki Takata's Teachings as told to Fran Brown, publicado pela editora Life Rhythm, Mendocino/CAEUA, (ISBN 0940795108). A autora do livro acima indicado, Fran Brown, encontrou a Sra. Takata em 1973 em San Francisco e em 1979 ela se tomou a stima mestra-professora da linhagem. Ela relatou em seu livro que a Sra. Takata pretendera encontrar um casal ao qual poderia transferir a liderana do movimento Reiki aps a sua transio, mas isso no aconteceu. Portanto, ela pediu aos 22 Mestres professores formados por ela nos EUA que aceitassem e reconhecessem a sua neta Phyllis como sua sucessora e os autorizou a iniciar novos Mestres e professores de Reiki por conta prpria aps a sua morte. As cinzas de Hawayo Takata jazem no cemitrio Budista em Hilo na ilha Hawaii.

Aps a morte da Sra. Takata formaramse nos EUA dois grupos de Mestres: a AIRA American International Reiki Association, liderada pela Dra. Barbara Weber Ray, e a Reiki Alliance, liderada por Paul Mitchell. Os dois grupos espalharamse mundialmente. Ambas as associaes fazem questo da comprovao da linhagem direta de Usui Hayashi Takata.

Segundo a opinio do escritor e Mestre Petter, a raiz terica do Reiki provm de uma mistura do Mykkio Budismo, Qigong Chins e Shintoismo Japons.

Aparentemente no h impedimentos de mesclar os mtodos orientais e ocidentais de Reiki, desde que a postura e os pensamentos dos candidatos culminem no propsito de servir como um canal para a energia csmica de cura Reiki para ajudar a si mesmo ou outros. Verificouse que os smbolos em uso no oriente e no ocidente, apesar de pequenas diferenas, so idnticos, mas que Reiki somente funciona aps a ativao do canal da energia, por um Mestre autorizado. Provavelmente a Sra. Takata modificou os procedimentos inclusive o nmero de graus, adaptando o mtodo intuitivo oriental mentalidade racional do ocidente.

Hoje sabemos que Hawayo Takata deu um valioso presente ao mundo ocidental e, portanto merece nossa sincera gratido.

A HISTRIA DA RAI Reiki Association InternationalDesde 1995 a RAI tem sua sede em Burg Raiffershardt, localizado aproximadamente 100 km a leste de Colnia, no Reno, Alemanha. Atualmente, Burg Raiffershardt no nenhum forte ou castelo, mas uma construo representativa, localizada numa encosta do rio Sieg, no meio de uma antiga floresta de faias em frente vila Herchen. A paisagem ao redor romntica, composta de campinas, vales, montes e extensas florestas.

A histria da RAI confundese com a vida do escritor, sensitivo, terapeuta espiritual F. E. Eckard Strohm. Quando ele estava escrevendo seu segundo livro, A Sabedoria dos Mestres de Atlntida, ele foi presenteado pelo Arcanjo Uriel com o direito de ler nos Arquivos Akshicos. Nele encontrou um mtodo de cura chamado Atlantis Arolo Tifar.

A base deste mtodo de cura dividida em uma modalidade ativa e outra passiva. A modalidade passiva ficou mais conhecida atravs da redescoberta do japons Mikao Usui e hoje a chamam de Reiki.

F. E. Eckard Strohm desde os quatro anos de idade apresentou potencialidades medinicas. Aos dez anos de idade seu pai, mdico magnetizador, ensinou o menino a tratar receptores com magnetizao. Aos 16 anos ganhou de seu pai a formao de mdico hipnotizador, que mais adiante praticou ao lado de mdicos de renome. Atravs destas terapias hipnticas, seus receptores constataram que uma energia agradvel emanava de suas mos e que ela tinha poderes de cura espontnea. Baseado nisto comeou a desenvolverse, especializarse e fundamentou o ensinamento da tcnica que hoje se conhece por Terapia Espiritual Ativa, que pode ser aprendida por qualquer pessoa.

Aps sua formao escolar, Strohm ingressou no conglomerado Oetker, onde desenvolveu atividades comerciais. Rapidamente conquistou a chefia do departamento de cobrana, mas logo percebeu que nesta carreira jamais atingiria suas metas espirituais. Com isto passou a trabalhar na gerncia da rea administrativa da previdncia social. Depois entrou no setor de seguros privado. Este trabalho permitiu que, nas horas vagas, ingressasse numa escola de desenvolvimento e treinamento de pessoal.

F. E. Eckard Strohm, ao lado de seu trabalho profissional, ainda desenvolvia atividade de terapeuta espiritual, ajudando assim a muitas pessoas a reencontrarem a sade.

Durante seu desenvolvimento, familiarizouse com diferentes ordens e fraternidades pelo mundo afora, tais como RosaCruz, Maonaria, Essnios, entre outros. Estudou a filosofia e o comportamento de diferentes linhas espirituais, bem como teve contato e trabalhou junto com pessoas com diferentes linhas medinicas. Constatou que em todas estas modalidades estudadas, se obrigaria a comprometer sua liberdade e individualidade. Desde os 16 anos j havia formado uma filosofia de vida baseada na premissa de que:

A coisa mais sagrada do indivduo a sua liberdade, e esta, termina onde ameaa a liberdade do outro indivduo.

Suas descobertas pelo mundo afora mostraram que o ser humano est muito longe disto. Concluiu que no basta apenas curar as pessoas, tambm ser necessrio ampliar sua liberdade soltando as amarras que a limitam. Isto poder ser conseguido atravs do auxlio s pessoas no seu desenvolvimento espiritual por meio de cursos formadores e incentivadores das potencialidades espirituais Divinas de cada ser humano.

Com sua experiencia em treinamento de pessoal preparou uma didtica para estes cursos. Em seguida aproveitando esses conhecimentos fundou o Creative Team Commercial onde atuava na rea de treinamento de gerentes. Paralelamente comeou a ministrar cursos esotricos espirituais. Em pouco tempo o interesse por esses cursos aumentou de tal forma que abandonou a rea de treinamento de pessoal.

Assim, chegou finalmente ao seu maior objetivo de vida, que era trabalhar exclusivamente como terapeuta e com cursos visando rea espiritual.

Em 1987 uma experincia causou um profundo impacto na sua vida. Desde a infncia estava acostumado a estabelecer contato com seres espirituais tal como anjos e pessoas falecidas com os quais inclusive conversava. Mas em Outubro de 1987 ele se surpreendeu com o contato com o Arcanjo Uriel. Ele presenteou Eckard Strohm com o direito de penetrar nos Arquivos Akshicos, onde se encontram registrados os filmes da vida e histria de toda humanidade. Em 1988, teve um novo contato no qual o Arcanjo Uriel sugeriu grandes mudanas na vida de Strohm.

Ainda solteiro, os anjos haviam lhe pedido para que escrevesse um livro descrevendo os meios usados para comunicao, em tempos remotos, ainda no perodo de Atlntida, quando os anjos governavam o mundo (Jardim do den). Atravs deste sistema qualquer pessoa poderia estabelecer um contato com os anjos, ou seja: falar, ouvir, ver e sentir sua presena. Surgiu assim o livro Anjos de Atlntida, para o qual logo recebeu cartas de inmeros locais do mundo agradecendo sua publicao, que j disponvel em vrios idiomas. Mais adiante este conhecimento foi ampliado com o Curso: Vivendo com os Anjos, que hoje j disponvel em diversos pases, inclusive aqui no Brasil.

Cada vez mais seus alunos requisitaram informaes mais aprofundadas sobre o sistema de vida em Atlntida, com isto tornouse necessrio escrever o segundo livro: A Sabedoria dos Mestres de Atlntida, atravs do qual se deparou com o sistema de cura usado em Atlntida, que se chamava Atlantis Arolo Tifar. Ficou to impressionado com este sistema de cura que decidiu que se em algum lugar no mundo em alguma poca isto foi usado e ensinado, ele deveria descobrir como aprender.

Nos Arquivos Akshicos ele descobriu que a modalidade passiva deste mtodo j havia sido redescoberta no Japo por Mikao Usui, mas a verso ativa dela era totalmente desconhecida humanidade atual. Eckard Strohm estabeleceu contato medinico com o esprito, ainda no reencamado, daquele que fundamentou o Reiki, Usui, ganhando dele a iniciao e a tarefa de introduzir uma nova organizao que se adaptaria filosofia ocidental moderna. Sabia ele que a misso recebida lhe reservaria grandes desafios.

Assim, em 1991, juntamente com alguns amigos e colegas terapeutas fundou a organizao chamada RAI - Reiki Association Intemational.As atividades da RAI, no Brasil iniciaramse em 1992, com os cursos de primeiro e segundo nvel. Um ano antes, Ursula Pondorf e o casal Rosemarie e Gunther Grot, alemes, residentes no Brasil h dcadas, formaramse Mestres orientadores da RAI na Alemanha, voltando para o Brasil com a incumbncia de introduzir os cursos da RAI neste pas. Desenvolveram seu brilhante trabalho at 2003 e em 2004 a administrao da RAI no Brasil passou para Carlos Jos Cvitko, do Rio Grande do Sul.

Os primeiros Mestres (nvel III) da RAI, no Brasil, formaramse no ltimo trimestre de 1994 e, um ano mais tarde, os primeiros Orientadores (nvel IV) receberam seus diplomas. As atividades da RAI, no Brasil, concentramse basicamente na regio da Grande So Paulo at Campinas e Sorocaba, Rio de Janeiro, Bahia, Gois e Rio Grande do Sul.

No ano de 1997 foi introduzido no Brasil o curso de AROLO, e em 2000 vieram os cursos de Terapia AnmicoEspiritual Ativa e tambm o Vivendo com os Anjos, aumentando assim o leque de cursos da RAI. Toda atividade da RAI no mundo est voltada essencialmente para a formao qualificada de terapeutas e orientadores de diversas terapias energticas, bem como para o crescimento pessoal e espiritual do indivduo. A RAI acompanha o ser humano em seu processo de crescimento e aprendizado e prima pela conquista individual da liberdade de cada um atravs de seu desenvolvimento pessoal.

A Reiki Association International uma entidade de idias, o que significa que seus associados no tm necessidade de se associarem por escrito, nem pagar mensalidades.

O QUE REIKI?

A palavra Reiki de origem japonesa e se compe de dois ideogramas:

REI Universal, Universo, Inteligncia ou Sabedoria Universal e

KI Energia vital que anima todas as coisas vivas

A traduo mais simples seria ento Energia Vital Universal. A Energia Vital onipresente. Ela nos envolve e nos permeia de tal forma que trocamos energia com o ambiente continuamente, absorvendo ou devolvendo. Desta forma, uma vez que todos os seres vivos so compostos e animados por esta energia, a sua utilizao dirigida e concentrada, um poderoso agente harmonizador.

A RAI define o Reiki como uma Energia Divina e Inteligente, que destinada unicamente para a manuteno e o restabelecimento da sade de seres humanos, plantas e animais. Por ser Inteligente e Divina ela sempre saber fluir para o local exato onde apresentar a maior carncia.

O estudante de Reiki recebe, atravs da iniciao, a conexo com esta energia Divina e se toma um canal desta energia. A iniciao promove uma elevao no padro vibratrio energtico do nefito, dissolvendo eventuais bloqueios pessoais, permitindo um processo de aprendizado mais intensivo.

A Energia Reiki pode ser transmitida de pessoa a pessoa, de pessoa a animal, de pessoa a plantas, de pessoa a objetos.

Reiki uma energia harmonizadora que tem origem na Inteligncia Csmica e, como tal, atua de forma inteligente, direcionandose aos locais de maior carncia. Reiki uma energia Divina e Inteligente. Ela sabe onde tem que ir. Desta forma no haver risco de o aplicador cometer algum erro durante a canalizao.

Reiki sempre mantm sua intensidade.

Reiki age harmoniosamente sobre os centros vitais do corpo e pode influenciar o poder de autocura do organismo em todos os seus aspectos.

Por se tratar de Energia Csmica, Reiki age primeiramente no campo energtico, podendo levar at 12 horas para atingir o corpo fsico. Este tempo depende do receptor, mas a prtica tem demonstrado um bem-estar imediato.

Reiki no deve ser confundido com outros mtodos de cura por imposio de mos. Alm da questo da canalizao, Reiki opera numa faixa de energia e frequncia prpria, dissociada de qualquer religio ou filosofia.

Diferente das outras formas conhecidas de transmisso energtica, Reiki canalizao, de forma que a energia pessoal do aplicador no envolvida no processo. O aplicador deve apenas manter a postura mental neutra, sem tentar interferir racionalmente.

Por se tratar de canalizao por imposio de mos, portanto sem estmulos verbais, os desbloqueios emocionais acontecem dentro dos limites estruturais de cada pessoa. Reiki desbloqueia apenas o que a estrutura emocional mental capaz de suportar.

Reiki difere da hipnose, sugesto ou induo, no permitindo abusos ou interferncias.

Reiki remove a energia desgastada para que a harmonizao energtica se processe de maneira rpida e adequada.

As doenas se manifestam primeiramente sob a forma energtica. Antes das doenas se manifestarem de forma fsica, j existe um distrbio energtico detectvel na aura da pessoa, passvel de tratamento por Reiki.

Na aplicao de vcios Reiki atua sobre os efeitos fsicos. A libertao dos vcios depende exclusivamente da vontade do indivduo.

Reiki produz um profundo bem-estar, promove a abertura de conscincia, reduz o stress, dissolve bloqueios emocionais, aumenta as defesas imunolgicas, minimiza dores e pode ser associado a todos os tipos de terapia. Contudo, deve ser aplicado separadamente de qualquer outra tcnica.

As leis crmicas so respeitadas pelo Reiki, pois este no elimina o Carma, mas pode ajudar a compreendlo, abrindo o entendimento sobre ele.

O Reiki atua independente do contato fsico das mos do aplicador, tanto atravs de roupas, de gesso ou qualquer empecilho fsico.

REIKI NO SUBSTITUI UMA CONSULTA AO MDICO. Reiki tratamento energtico. Doenas fsicas devem ser tratadas pela medicina convencional. Mas Reiki pode ser perfeitamente combinado com qualquer tipo de tratamento convencional. Reiki aumenta a eficcia dos tratamentos mdicos tradicionais, ameniza sintomas e minimiza efeitos colaterais de medicamentos.

Alguns efeitos do Reiki:

Aumenta a energia vital.

Proporciona equilbrio energtico.

Restabelece a harmonia e o bem estar.

Revitaliza o corpo fsico e o energtico.

Combate a causa de doenas no campo energtico.

Atua no corpo fsico, emocional, mental e espiritual.

Induz ao relaxamento.

Ameniza o stress.

Desintoxica.

Libera emoes bloqueadas.

Amplia a conscincia.

Aumenta a criatividade.

Atua em animais, plantas e minerais.

Acelera a autocura.

Preserva a energia do aplicador, beneficiandoo.

Respeita os limites individuais.

A AURA

O corpo espiritual do homem tem uma forma idntica do seu corpo fsico e essa vestimenta espiritual recebe o nome de aura. Aura um conjunto de energias de frequencias diferentes composta de sete camadas que podem ser imaginadas como sendo as camadas de uma cebola. Na realidade no bem assim, todas as camadas da aura comeam dentro do corpo fsico e se expandem para fora a uma distancia maior do que a camada anterior. Dessa forma temos vrias energias ocupando o mesmo espao, ao mesmo tempo, o que provavelmente no estamos acostumados a imaginar.

Cada camada tem um nome, algumas funes e uma conexo com um chakra. Chakras so dispositivos energticos que transportam e modificam as energias em jogo dentro da aura.CamadaNomeFunoChakra

PrimeiraCorpo etricoFsicoBsico

SegundaCorpo emocionalEmocionalSacral

TerceiraCorpo mentalMentalUmbilical

QuartaCorpo astralLigaoCardaco

QuintaModelo etricoFsicoLarngeo

SextaModelo celestialEmocionalFrontal

StimaModelo ketricoMentalCoronrio

A maioria das pessoas que afirma ver a aura est vendo apenas a primeira camada da aura. Geralmente dizem que branca e que a espessura de 3 a 5 centmetros. Afirmam que a aura dos doentes mais fina diminuindo de acordo com a gravidade da doena. O indivduo saudvel tem aura mais ampla. A das pessoas virtuosas, alm de ser ainda maior, tem uma vibrao luminosa mais forte. A dos heris e eruditos mais larga que a dos homens comuns, e a dos santos adquirem uma grande amplitude. A espessura da aura, porm, no definitiva, pois se modifica continuamente, de acordo com os pensamentos e atos do indivduo. Quem pratica atos virtuosos baseados na justia, tem uma aura espessa, mas quem comete atos malvolos tem a aura fina. Geralmente, a aura invisvel para o homem comum, embora haja pessoas que a enxergam. Qualquer indivduo, entretanto, pode perceb-la, at certo ponto, desde que se concentre e fixe o olhar. A amplitude da aura est intimamente relacionada com o destino. Quanto maior, mais feliz ser o indivduo e vice-versa: quanto menor, mais infeliz. Quem tem a aura ampla emite mais calor humano e proporciona uma sensao de bem-estar queles com quem entra em contato, atraindo muitas pessoas, porque as envolve com sua aura. O contato com uma pessoa de aura fina, ao contrrio, produz uma sensao de frio, mal-estar e tristeza, fazendo com que no se tenha vontade de permanecer muito tempo ao seu lado. No h como provar a veracidade ou no dessas afirmaes.

O que se sabe que a dinmica energtica de extrema complexidade. A aura se expande at distancias de um a dois metros alm do corpo fsico. Ela maior em individuos saudaveis, alegres e amorosos.Alem de outras funes, cada camada da aura grava registros relacionados ao seu papel na estrutura da aura. A primeira camada da aura azulada e estruturada no formato de linhas que correspondem aos canais energticos da acupuntura, chamados nadis. A esto registrados todos os fatos relacionados ao corpo fsico. Se eu me cortar na mo essa primeira camada apresentar uma marca na regio aonde fiz o corte. Se o corte produziu uma sensao de dor, a segunda camada (no estruturada e colorida) dever registrar isso. E se eu me culpei pelo acontecido, esses pensamentos estaro registrados na terceira camada da aura (estruturada e amarelada). Quem leva e traz as informaes (energeticamente codificadas) so os chakras. O primeiro chakra leva as informaes para a primeira camada, o segundo chakra para a segunda camada e o terceiro chakra para a terceira camada e assim por diante.

A quarta camada da aura (astral) a comunicao entre as 3 primeiras e as 3 ltimas camadas. Quando o corpo fsico morre as 3 primeiras camadas desaparecem. Antes de desaparecer as informaes armazenadas so transferidas para as 3 ltimas camadas.

As 3 ltimas camadas so o que resta da nossa existencia na Terra e, portanto, podemos cham-la de Alma, que o que resta depois que deixamos o corpo fsico.

A quarta camada chamada de Astral o mecanismo que nos isola do que comumente chamamos de mundo espiritual. Essa camada pode ser mais ou menos permevel. Quando ela permite a passagem de muita energia de um lado para outro temos a ocorrencia de mediunidade. Na maioria das pessoas essa camada bastante impermevel de modo que temos pouco ou nenhum acesso a essa outra dimenso. Quando essa camada est frouxamente ligada s camadas anteriores e ao corpo fsico pode ocorrer o fenmeno da sada do corpo. A aura se desprende do corpo ficando ligada apenas pelo cordo de prata.A energia Reiki a energia de vida. Nosso suprimento vem do Universo que nos fornece em abundancia. Essa energia entra pelo chakra coronario, no topo da cabea e desce por um canal chamado Sushuna, no centro do corpo, at o chakra Bsico no meio das pernas. A energia Reiki tem uma frequencia muito alta, nosso organismo no consegue absorv-la. O chakra coronario transforma a frequencia de tal forma que ela possa ser absorvida pela cabea e crebro. A energia continua descendo para o chakra frontal onde sofre nova reduo de frequencia para alimentar outras partes da cabea e crebro. A energia continua descendo pelo eixo Sushuna e atinge o chakra larngeo onde nova reduo de frequencia ocorre. E assim por diante, em cada chakra a frequencia reduzida para alimentar determinadas partes do corpo. Essa energia de frequencia reduzida segue para a respectiva camada da aura.

Dessa forma h um intenso trnsito energtico pelos chakras, tanto no sentido do corpo para a aura como no sentido inverso.

Na parte de trs do corpo h um chakra equivalente ao da frente do corpo. Estes so ligados ao conjunto de vontades enquanto os da frente do corpo so os da ao e dos sentimentos.

A APLICAO E AS POSIES DAS MOS

Como Reiki uma energia Divina e inteligente, uma caracterstica que ela ir fluir para onde houver maior necessidade. Isto significa que no a posio da mo ou a vontade do aplicador que vai ditar o fluxo e a direo da energia. O aplicador apenas um canal da energia Reiki. A melhor atitude do aplicador a de se colocar, humildemente, disposio da Vontade Divina sem forar pensamentos e deixando sua mente aberta para que a energia Reiki leve ao melhor resultado.

Mas, para comear, precisamos de um sistema de referncia para estruturar e sistematizar as aplicaes de Reiki. As posies que sero ensinadas so apenas um guia didtico que facilita o desenvolvimento da sensibilidade e intuio. A partir da cada um vai saber quais as posies das mos que conduzem ao melhor resultado.

O sistema proposto pela RAI respeita os fluxos energticos, a polaridade e cobre todas as reas vitais do corpo. a aplicao mais eficiente em termos de potencial de transferncia energtica, e por consequncia de resultados para o receptor. Mesmo quem nunca atuou na rea das terapias ou no tem sensibilidade ao fluxo da energia pode aprender e aplicar Reiki de maneira eficaz. A prtica frequente desse tratamento beneficia o aplicador de vrias maneiras, em particular, no desenvolvimento mais rpido da sensibilidade energtica e no entendimento mais profundo do que viver em perfeita harmonia com o Reiki.

A maioria das pessoas no tem a capacidade de clarividncia desenvolvida. Mas muitas pessoas so capazes de sentir as emanaes do campo urico, geralmente percebidas como formigamento, calor, presso ou pulsao rtmica nas mos.

Para a aplicao de Reiki as mos devem estar em concha, de forma a concentrar a emisso energtica. Ombros, braos e mos devem permanecer relaxados durante toda a aplicao de forma a no acumular tenses no aplicador.

Reiki pode ser aplicado tanto tocando o corpo do receptor, como at cinco centmetros acima do corpo fsico. O toque das mos deve ser leve e quase sempre proporciona um grande bem estar ao receptor. Mantenha um canal de comunicao aberto com o receptor para que ele possa comentar eventuais desconfortos. Procure manterse em posies confortveis cuidando da sua postura para no se cansar.

Para aplicar Reiki no h necessidade do toque direto no corpo. A maioria das pessoas tem poucas oportunidades de contato durante o dia e o toque direto durante uma aplicao pode ser uma forma de suprir essa carncia. O toque tambm indica ao receptor a localizao fsica do aplicador facilitando o relaxamento. Para o aplicador o toque direto pode ser uma forma de apoio das mos, mas deve tomar o cuidado de faz-lo de leve. Consulte o receptor para saber se h alguma dificuldade em relao a toques.

Durante uma aplicao ambos, receptor e aplicador, devem estar confortveis. Se determinada posio for desconfortvel, busque outra para atingir conforto mtuo.

Desde que nosso corpo energtico pode se desmembrar do fsico, sempre que tivermos dificuldade de atingir determinada posio, podemos deslocar nossa mo energtica para o local. Esse desmembramento conseguido por meio de visualizao e imaginao. Visualizamos mentalmente nossa mo energtica e a colocamos no local a ser tratado, independente de onde se encontra nossa mo fsica. A mo fsica dever estar o mais prxima possvel do local a ser tratado.

A POLARIDADE DO CORPO HUMANO

Todo corpo fsico polarizado sob o ponto de vista energtico. Convencionou-se definir as regras de polaridade da seguinte forma: o lado direito do corpo positivo e o esquerdo negativo.

Esta polaridade vlida em qualquer pessoa, seja homem, mulher, criana, idoso, destro ou canhoto. O nome positivo e negativo no se refere a valores ou julgamentos ou atitudes representadas pelo bem ou pelo mal. apenas uma conveno.

Na aplicao de Reiki devemos observar a polaridade e o direcionamento do fluxo de energia no corpo. A mo direita positiva e a esquerda, negativa.

Considerando a polaridade e fluxo, adotamos os seguintes procedimentos gerais:

1. Lado direito do corpo: A mo esquerda comanda. A mo esquerda sempre toca o ponto de referncia da posio antes da direita e se posiciona mais centralizada, sem invadir a linha mdia do corpo. O fluxo de energia primrio ascendente. As mos devem ser direcionadas para a cabea, mas inclinadas para o eixo central do corpo.

2. Lado esquerdo do corpo: A mo direita comanda. A mo direita sempre toca o ponto de referncia da posio antes da esquerda e se posiciona mais centralizada, sem invadir a linha mdia do corpo. O fluxo de energia primrio descendente. As mos devem ser direcionadas para os ps, mas inclinadas para o eixo central do corpo.

3. Parte central do corpo: Sempre tratamos com posies em T. A mo direita comanda. A mo esquerda toca o ponto de referncia da posio antes da direita e se posiciona horizontalmente em relao linha vertical mdia do corpo, atuando como um bloqueio. A mo direita completa a posio em T verticalmente.

Estas regras tambm so vlidas para pessoas canhotas.

Tanto as energias do prprio corpo, como todas as energias de cura que o corpo recebe, obedecem polaridade, fluindo do lado positivo para o lado negativo, isto , do p direito para a cabea e da cabea para o p esquerdo.

Ao tratar qualquer parte do corpo ou um rgo especfico, devemos sempre considerar a direo do fluxo energtico. O correto posicionamento das mos importante para um aproveitamento mximo da energia Reiki.

Na parte interna do crebro a polaridade invertida. Sempre que direcionarmos a energia ao crebro, devemos levar em conta esta inverso. Isto se refere exclusivamente ao crebro e no s demais partes da cabea, que continuam mantendo a mesma polaridade do corpo. A cabea polarizada igual ao corpo e s no crebro tem a inverso. Convm salientar que isto se refere exclusivamente ao crebro e no s demais partes da cabea, que continuam mantendo a mesma polaridade do corpo.

A energia REIKI de origem extremamente sutil e sem polaridade. Todavia ns somos seres polares vivendo num mundo tridimensional regido pelos princpios hermticos e, portanto polares.

Os antigos povos orientais, atravs da arte da observao da vida, j conheciam as estreitas correlaes, analogias e similaridades entre as diferentes manifestaes dos diversos tipos de energia. O conceito de uma energia nica deriva dessa observao dos fenmenos naturais. Ela se manifesta de maneira polarizada (YING o princpio passivo e YANG o princpio ativo) e em diversos nveis de vibrao seguindo as mesmas leis cclicas.

A energia REIKI ao ser canalizada por um indivduo polar que aplica em outro indivduo polar polariza-se para se adequar transmisso. O respeito s leis polares garante uma conduo energtica harmnica a favor do fluxo natural da energia do corpo, intensificando o efeito da aplicao. A necessidade de se observar a contra polaridade em um tratamento devida ao fato de que ns estamos invadindo o sistema energtico do receptor e sendo assim temos que fazer uma ligao em srie entre nosso sistema e o dele. As duas auras tm que se conectar formando uma s.

Em algumas situaes, desrespeitase a polaridade por questes meramente fsicas ou geomtricas das posies relativas do aplicador e receptor, mas isso no quer dizer que o REIKI no v funcionar: apenas demora um pouco mais.

O conceito de polaridade adotada pela RAI no modifica a energia. Apenas maximiza e intensifica o fluxo reduzindo o tempo necessrio em cada ponto de aplicao. Desta forma o aplicador tem a possibilidade de atuar em um nmero maior de posies no mesmo espao de tempo.

O FLUXO DE ENERGIA NA APLICAO

Quando voc coloca as mos numa posio a energia flui, a princpio devagar, at se estabelecer a conexo entre o seu campo energtico e o do receptor. O fluxo aumenta at atingir um pico, diminuindo lentamente at cessar ou manter-se num nvel baixo. Aps o pico, quando o fluxo diminui, o momento de passar adiante. O fluxo de energia poder provocar uma sensao de formigamento ou de ondas de calor ou ainda nenhuma sensao. H pessoas que aplicam Reiki e que no tem nenhuma sensao ou percepo da energia. Essas sensaes no so necessrias para que haja adequada transmisso da energia Reiki.

OS FLUXOS DE ENERGIA

O corpo humano tem acesso energia atravs de dois caminhos:

1) Pelo Metabolismo

2) Pelo Corpo energtico.

Por meio de um complexo sistema de distribuio e transformao (metabolismo), a energia absorvida pelos alimentos percorre o corpo, alimentando com energia bruta cada clula do organismo. Cada alimento, vitamina ou mineral que absorvido, transforma-se em energia mantenedora da vida no corpo. Como a absoro de energia por este processo irregular, cclica e demorada, ns temos outro sistema energtico. Atravs de nosso corpo energtico, podemos realizar um intercmbio com o mundo externo, atravs dos chakras.Dentro do corpo humano a energia segue um determinado fluxo. Quando aplicamos Reiki obedecendo ao sentido deste fluxo tornamos a canalizao mais eficiente. Este fluxo um circuito fechado. Se comearmos pelo p direito ele flui pelo corpo para cima, dando a volta pela cabea e descendo pelo lado esquerdo at atingir o p esquerdo. Da pelo exterior do corpo o circuito se fecha passando ao p direito.

Temos trs fluxos energticos no corpo que devemos considerar. Com a observao do sentido destes fluxos durante uma aplicao de Reiki podemos tornar a canalizao mais eficiente. Para fins de uma melhor compreenso vamos denominar os trs fluxos:

1. EXTERNO Fluxo primrio externo

2. INTERNO Fluxo secundrio interno (Intermedirio)

3. CHAKRAS Fluxo de energia sutil atravs dos chakras

O fluxo de energia se efetiva a partir do fluxo primrio e da ele transformado em um fluxo energtico secundrio mais sutil, at atingir o fluxo dos chakras, no qual efetivamente a energia tem poder de atuao. Este procedimento tem resultado quase que imediato e sua durao pode se estender por at 12 horas, para ser assimilado por completo pelo organismo.

conveniente evitar um banho nas primeiras horas aps a aplicao, pois a gua dilui as energias fixadas no corpo energtico recm-tratado.

Nas gravuras a seguir demonstramos como estes fluxos acontecem no corpo energtico.

1. O Fluxo Primrio Externo: comea pela parte inferior, p direito do corpo, contornando e fluindo paralelo ao corpo para cima at se curvar por sobre a cabea, descendo pelo lado esquerdo atingindo o p esquerdo at alcanar novamente o p direito, iniciando um novo ciclo. Este fluxo na realidade deve ser considerado mais espiralado que circular, pois a energia externa atravs do movimento vai refinando e gradativamente penetrando no interior, transformandose em energia mais sutil.D E 2. O Fluxo Secundrio Interno: inicia no chakra bsico, contornando o corpo por trs, acima da cabea e descendo pela parte anterior do corpo, completando o circuito e retomando num novo cicio. Ao final deste processo ocorre a transformao da energia primria em energia sutil, finalmente sendo assimilada pelos chakras.

Estes dois fluxos ocorrem simultaneamente. com a combinao de ambos que se entende melhor o movimento espiralado da energia, vindo de fora e direcionado aos chakras, para posteriormente ser assimilado pelo corpo.3. O fluxo energtico atravs dos chakras

O fluxo energtico entre os chakras mais complexo, pois ele vibra desde as frequncias mais baixas at as mais sutis. No fluxo entre os chakras podemos entender tambm a energia espiritual Divina e a energia da Terra sendo assimiladas pelo ser humano de uma forma equilibrada. O fluxo ocorre simultaneamente partindo do chakra bsico at o cardaco e partindo tambm do coronrio e ambos se encontrando no cardaco. Assim h uma perfeita unidade entre o Cu e a Terra em nosso corao. A energia que atinge nosso corpo ser redistribuda atravs do chakra umbilical. Podemos consider-lo como o chakra equalizador do organismo.

Uma vez que h um movimento espiralado destrocntrico partindo do infinito, em direo linha mdia do corpo (chakras), poderemos entender que este fluxo provoca uma orientao desta energia de uma forma polarizada. A partir do momento que esta energia toma parte do corpo humano ela se orienta de acordo com a polaridade natural do corpo energtico e fsico.FLUXO ENERGTICO INTERNO

Internamente h um fluxo de energia que sobe pelo lado direito do corpo e desce pelo esquerdo.A energia tende a fluir pelo Poder das Pontas, o que significa que ao deixar o corpo h uma ntida preferencia pelos dedos das mos e artelhos dos ps.

A energia tambm forma um fluxo continuo sem interrupes. Assim, ao subir pelo lado direito do corpo uma parte desce pelo brao direito e outra parte d a volta pela cabea e desce pelo lado esquerdo do corpo juntando-se com a energia que vem subindo pelo brao esquerdo.

Ao chegar aos ps a energia sai pelo p esquerdo e entra pelo direito completando um circuito.

Ao sair pela mo direita parte dirige-se ao p direito e parte para o topo da cabea. Da mesma forma parte da energia que sai da cabea se junta com a energia que sai do p esquerdo e entra pelos dedos da mo esquerda.

A mesma situao ocorre nas costas com uma nica diferena: a energia que sobe pelo lado direito do corpo ao chegar ao pescoo dirige-se para o lado esquerdo da cabea, dando a volta pela cabea e descendo pelo lado direito da cabea. No pescoo a energia volta-se para o lado esquerdo e desce pelo corpo. OS CHAKRAS

Chakra em snscrito significa roda. So vrtices de captao, concentrao e transformao energtica, distribudos pelo corpo. Os 7 principais localizamse ao longo da coluna vertebral, anterior e posterior. Tm a finalidade de captar e transformar energia csmica, interligando os corpos energticos. Cada chakra est relacionado a uma glndula do corpo fsico e mantm uma relao com algum rgo interno vital. Por meio da sua ligao com o sistema nervoso faz trocas energticas entre o interior e o exterior do corpo. Se por algum motivo a energia produzida pelo metabolismo cessar, os chakras ainda tem condies de manter o corpo vivo por algum tempo atravs da energia absorvida do meio externo.

Esta funo dos chakras vital. Se um deles parasse por completo o corpo fsico morreria em no mximo em trs minutos. Pode ocorrer, at com certa frequncia, um bloqueio parcial comprometendo o funcionamento ideal do chakra.

O movimento caracterstico de um chakra helicoidal, em forma de funil, tal como num redemoinho. Estes movimentos so idnticos em qualquer ser vivo. Quando giram no sentido horrio, absorvem energia do exterior. Quando giram no sentido antihorrio expelem excesso de energia.

Como existe um intercmbio energtico entre os chakras dos os seres vivos, humanos, plantas e animais, legtimo supor que uma pessoa que viva numa cidade grande recebe muito mais influncias negativas do meio externo que uma pessoa do campo. Estas influncias ainda so agravadas por radiaes eletromagnticas e todas as demais formas de influncia energtica possvel em um aglomerado urbano.

Alm dos sete chakras principais dispomos de mais quatro chakras secundrios que tem importncia no Reiki. Dois esto localizados nas palmas das mos e dois nas solas dos ps.

Os chakras secundrios so utilizados durante o processo de canalizao do Reiki. A energia Reiki, durante uma aplicao disponibilizada nos chakras secundrios das mos do aplicador. E quando aplicado na planta dos ps pelos chakras que a energia entra.ChakraEst ligado aSistemaGlndula

1BsicoSobrevivncia. Suprarrenais, ossos, coluna, intestino grosso.sseoSupra Renal

2SacralReproduo. Rins, lquidos do corpo, genitais.Gnito urinrioTestculos

Ovrios

3UmbilicalPoder pessoal, relacionamento interpessoal. Pncreas, estmago, fgado, vescula biliar.DigestivoPncreas

4CardacoAmor holstico. Timo, corao.CirculatrioTimo

5LarngeoCriatividade, comunicao. Tireide, brnquios, pulmes, canal alimentar.Respira-

torioTireide

6FrontalIntuio, clarividncia. Hipfise, crebro inferior, ouvidos, nariz.Endcrino NervosoHipfise Pituitria

7CoronrioEspiritualidade. Pineal, parte superior do crebro.GlobalEpfise Pineal

MTODO ROTATIVO

O mtodo rotativo o mais completo de todos os procedimentos da RAI. Muitos dos demais tratamentos derivam deste. Este tratamento recomendado sempre que possvel.

Devem-se impor as mos durante um tempo determinado por nossa sensibilidade, mas a titulo de orientao 1 a 4 minutos por posio (no nvel I recomenda-se 90 segundos).

A caracterstica principal desse tratamento que ele envolve uma varredura completa em todos os principais rgos do corpo. No necessrio diagnosticar qualquer problema que o receptor possa ter e, eventualmente ele no tenha nenhum.

Voc deve lavar as mos antes e depois dos tratamentos, com gua fria e sabo.OToda aplicao pelo mtodo rotativo deve comear por uma conexo, se voc escolher faz-la, seguida da harmonizao da aura. A aplicao dever comear pelas costas por permitir uma assimilao melhor respeitando o fluxo energtico secundrio interno.

Embora se possa aplicar usar o mtodo rotativo com o receptor sentado, muito mais confortvel quando ele est deitado numa maca (tambm conhecida nas lojas por div dobrvel). Pode-se usar uma cama para a aplicao, mas desconfortvel para o aplicador. Se no houver outras restries pode-se usar uma mesa grande como maca.

CONEXO

Chamamos de Conexo ao procedimento pelo qual nos conectamos com a energia Reiki. Este um procedimento dispensvel. Depois de iniciado, basta o Reikiano impor as mos e estar sendo canal de Reiki. No h necessidade de nenhum outro procedimento para se conectar com a energia.

No entanto muitos Reikianos sentem que a energia Reiki de origem Divina. Sentem algo que dificilmente pode ser expresso em palavras e expressam essa sensao como a presena de Deus. Por essa razo acreditam que devem pedir permisso para poder entrar em contato com o Reiki.

Alm disso, gostariam de se certificar de que esto sendo utilizados como canal dessa energia. Por essa razo muitos Reikianos fazem essa conexo que consta de uma simples solicitao e declarao. Alguns chamam a conexo de prece ou orao e cada um livre para expressar essa sua vontade de acordo com seu estilo pessoal. Essa conexo deve ser simples e curta.

Como sugesto eu uso a seguinte conexo: Deus (ou sua Divindade) peo permisso para me conectar com suas energias csmicas de cura para que eu possa ser utilizado como canal (e apenas como canal) (da energia Reiki) (para aplicar em ou na pessoa a minha frente).

Reiki no tem nenhuma relao com nenhuma religio e no h necessidade de praticar a conexo. Voc canalizar a energia Reiki bastando para isso impor suas mos.

HARMONIZAO DA AURA

A harmonizao um procedimento que direciona e ordena fluxos energticos irregulares na aura do receptor para se alinharem com o fluxo externo primrio e tem a finalidade de tranquiliz-lo, diluindo tenses. Este procedimento s tem sentido quando feito antes da aplicao e obrigatrio.

Com a mo esquerda o aplicador protege seu chakra umbilical. Com a mo direita em concha, dedos unidos, palma voltada para o corpo do receptor, a uns cinco centmetros de distncia do corpo, faa um movimento de alisar respeitando o sentido do fluxo energtico primrio externo, iniciando pelo p direito em direo cabea e descendo pelo lado esquerdo at o p esquerdo. Faa trs ciclos completos, concluindo no p esquerdo. Em caso de tenso ou nervosismo do receptor, esta tcnica pode ser repetida mais vezes.

A harmonizao da aura necessria antes do incio da aplicao e no final.MTODO ROTATIVO CABEA1TmporasEquilibra os dois hemisfrios cerebrais (direito: intuio / esquerdo: raciocnio). Msculos e nervos pticos, relaxante para o stress, Falta de concentrao / dificuldade para aprender, nevralgia na face (trigmeos).

2OuvidosSistema reflexolgico auricular. Distrbios de equilbrio (labirintite), ouvido / nariz / garganta (sistema oto naso farngeo), confuso e perturbao mental.

3TestaPosio bsica para todas as doenas crnicas

Hipfise (pituitria) e epfise (pineal) - centro de equilbrio hormonal

Relaxante para "stress" / cefalia (dor de cabea crnica)

Distrbios oculares e nervosos

4Nariz OlhosDistrbios visuais, Sinusite / resfriados, Dor de dente

5BulboRelaxamento equilbrio adrenalina/endorfina (neurotransmissores)

Cefalia (dor de cabea crnica), sinusite, circulao, enfarte

Asma, "stress", emoes, medo, choques, preocupaes

Sangramento do nariz, espirros, soluo crnico, nuseas, nsia de vmito. Atua no corpo energtico sobre os chakras 1, 2, 3 e 4

6Bulbo TestaPurificao mental, relaxamento total

Estimula vises, intuies, " insights

7Timo Tireide TireideDistrbios metablicos (excesso ou falta de peso, anorexia, obesidade). Hipertenso (alta presso) e hipotenso (presso baixa)

Taquicardia, angina. Amigdalite, rouquido, problemas ganglionares.Cibras crnicas nas pernas, ndegas, abdmen, ombros. Dificuldades de expresso, medo, raiva, frustrao, irritao

TimoSistema imunolgico. Auxiliar nos tratamentos de cncer e AIDS. Brnquios, "stress", emoes.

POSIES NO MTODO ROTATIVO - CABEA

MTODO ROTATIVO FRENTE

LADO DIREITO

1Planta do pSistema Reflexolgico dos Ps (Podal)

2JoelhoDesbloqueio de Medos, Medo de Mudanas, de Si Mesmo, de Morrer, Etc.

3 Parte Interna da CoxaCirculao (Artria Femural), Alvio de Emoes Fortes

4T GenitaisBexiga, Uretra, rgos Reprodutores, Menopausa, Menarca (Primeira Menstruao), Problemas nos SeiosCibras, Apndice, Alergias (Posio Principal), Problemas Metablicos (Peso, Anorexia, Obesidade), Baixa Imunolgica, Problemas Sexuais, Desnimo, Baixa Estima

5Intestinos (clon)Priso de Ventre, Diarria

6Fgado e vescula biliarHemorridas, Hepatite, Diabetes, Intoxicaes Alimentares e Medicamentosas,Desintoxicao (Usar em conjunto com Rins)

7PulmoProblemas Respiratrios, Bronquite, Pneumonia

8T pescooTireideDistrbios Metablicos (excesso ou falta de peso), Anorexia, Obesidade, Hipertenso (presso alta) e Hipotenso (presso baixa), Taquicardia, Angina, Amigdalite, Rouquido, Problemas Ganglionares, Cibras Crnicas nas Pernas, Ndegas, Abdmen e Ombros, Dificuldades de Expresso, Medo, Raiva, Frustrao, IrritaoTimoSistema Imunolgico, Auxiliar nos tratamentos de cncer e AIDS, Brnquios, Stress, Emoes

9CabeaApenas passagem

LADO ESQUERDO

10Pulmo

11CoraoProblemas Cardacos e Circulatrios

12Estmago, bao e pncreasProblemas Digestivos, Gastrite, lceras, Diabetes, Hipoglicemia, Anemia, Leucemia, Depresso, Melancolia, Ansiedade, Cisma

13IntestinosColon Descendente

14Parte Interna da Coxa

15Joelho

16Planta do p

POSIES NO MTODO ROTATIVO FRENTE

MTODO ROTATIVO - COSTAS

LADO DIREITO

1Planta do pSistema Reflexolgico dos ps (podal)

2CalcanharDesbloqueio do chakra bsico. Entrada de fora de aterramento / sobrevivncia, Tornozelo, Nervo Citico,Problemas sseos e articulares dos membros inferiores

3JarreteEnergia para a coluna, Desbloqueio da energia contida nos ps, Inflexibilidade fsica, emocional e mental (teimosia),Articulao e ligamentos do joelho

4Parte Interna da CoxaCirculao (artria femural), Alvio de emoes fortes

5Parte Superior da NdegaNervo citico, dores nas costas (lombalgias), Sistema linftico inguinal (virilhas), Preocupaes e emoes fortes

67Rim e Supra renalDesintoxicao geral, Distrbios renais, alergias, medos, Dores nas costas (toracolombalgias), Choques, dificuldades em expressar emoes, Doenas sseas, medulares e endcrinas, Distrbios cerebrais, Queda de cabelos

8PulmoProblemas respiratrios, bronquite, pneumonia

9CabeaApenas passagem

10OmbrosDor de cabea crnica (cefalia), dores no pescoo irradiadas para o brao (crvico braquialgia)

Tenses, stress, dificuldades em assumir responsabilidades

LADO ESQUERDO

11Pulmo

12CoraoProblemas cardacos e circulatrios

1314Rim e Supra renal

15Ndega

16CulotesProblemas plvicos (articulao coxofemoral, bacia)

Harmonizao de preocupaes profundas, "stress"

17T - chakra bsicoNervo citico, hemorridas, prstata, vagina, Sistema linftico inguinal (virilhas), Dores nas costas (lombalgias),Fissuras e inflamaes intestinais, Distrbios urogenitais,Baixa energtica e de resistncia

18 Parte Interna da Coxa

19Jarrete

20Calcanhar

21Planta do p

22AterramentoCom os dedos das mos correspondentes sobre os dedos dos ps

POSIES NO MTODO ROTATIVO - COSTAS

9

10

11 12 8 13 7

14 6

15 5

17 16 18 4 16 19 3

21 2

22 1TRATAMENTO AUTOCURA CABEA

1Tmporas

2Ouvidos

3Testa

4Nariz Olhos

5Mo direita no bulbo e mo esquerda nas

Vrtebras cervicaisRelaxamento - Equilbrio adrenalina/endorfina. Cefalia (dor de cabea crnica), sinusite, circulao, enfarte. Asma, stress, emoes, medo, choques, preocupaes. Sangramento do nariz, espirros, soluo crnico, nuseas, nsia de vmito. Atua no corpo energtico sobre os chakras 1 (bsico), 2 (sacral), 3 (umbilical) e 4 (cardaco).

6Topo da cabeaPurificao mental, relaxamento total. Tratamento de todos os centros energticos. Problemas digestivos. Esclerose mltipla. Estimula vises, intuies, insights.

7GargantaAmigdalite, rouquido, problemas ganglionares, Taquicardia, angina.

8Mo direita no timo e mo esquerda na

Tireide

POSIES NA APLICAO AUTOCURA CABEA

TRATAMENTO AUTOCURA FRENTE DO CORPO

1Planta dos ps

2Joelhos

3Coxas

4Culotes

5V GenitaisBexiga, uretra, rgos reprodutores. Menopausa, menarca (primeira menstruao). Problemas nos seios. Cibras, apndice.

Alergias (posio principal). Problemas metablicos (peso, anorexia, obesidade). Baixa imunidade. Problemas sexuais. Desnimo, baixa estima.

6Abaixo do umbigoPriso de ventre, diarria. Problemas digestivos

7T - Chakra umbilicalProblemas digestivos, azia, enjo. Intestinos. Choques, emoes fortes, depresso, medo. Desarmonias internas (emoes)

8EstmagoLado esquerdo - pncreas, bao, estmago.

Lado direito - fgado, vescula biliar.

Meio - estmago, duodeno. Desintoxicao, raiva, depresso.

9Pescoo - mo direita no corao e mo esquerda na tireideTireideProblemas respiratrios, cardacos e circulatrios. Hipertenso e hipotenso, taquicardia, angina. Dificuldades de expresso, Emoes, medo, raiva, frustrao irritao.

TimoSistema imunolgico. Auxiliar nos tratamentos de cncer e AIDS

Brnquios, "stress.

10TraxProblemas respiratrios, Bronquite, pneumonia.

POSIES NA APLICAO AUTOCURA FRENTE DO CORPO

TRATAMENTO AUTOCURA COSTAS

1Calcanhar

2Jarretes

3Ndegas

4CinturaNervos, rins, alergias. Dores nas costas (toracolombalgias)

5Acima da cinturaDesintoxicao geral (usar com posio fgado)

Distrbios renais, supra renais, medos

Choques, dificuldades em expressar emoes

Doenas sseas, medulares e endcrinas

Distrbios cerebrais. Problemas de relacionamento.

6OmbrosDor de cabea crnica (cefalia), dores no pescoo

irradiadas para o brao (crvico- (braquialgia)

Tenses, stress. Dificuldades com responsabilidades

POSIES NA APLICAO AUTOCURA COSTAS

CONSELHOS PRTICOS SOBRE O REIKI

A prtica ir indicar qual o melhor procedimento a ser adotado com cada receptor em especfico. Quando se decide por fazer um tratamento completo, este sempre dever comear pela (conexo e) harmonizao da aura, em seguida a aplicao na cabea e o mtodo rotativo. Este procedimento completo poder durar at duas horas.

O Reiki sendo uma fora de natureza Divina tem a caracterstica de ser capaz de reconhecer exatamente onde se faz necessria. Isto significa que devemos ter a confiana plena e deixar que ela nos conduza em todo processo.

Todas as tcnicas descritas aqui servem apenas como guia para nosso aprendizado. Mais importante que seguir isto tudo risca, aprendermos a identificar as reais necessidades individuais do receptor, deixandonos levar pela energia do Reiki, proporcionando exatamente aquilo que ele mais necessita, e com isto cumprir simplesmente nosso compromisso de ser apenas um canal desta energia Divina e inteligente.

Todo trabalho deve ser realizado com a devida humildade e respeito. Alguns cuidados e posturas ticas devem ser obedecidos para evitar possveis transtornos de ordem prtica e legal. Enumeramos alguns preceitos teis. Use de acordo com seu entendimento.

Reiki trata o campo energtico de seres vivos. Sua atuao no corpo fsico baseiase na lei da correspondncia, que no possui respaldo na cincia oficial, configurandose numa abordagem emprica. O aplicador no est habilitado a realizar qualquer tipo de diagnstico de doena muito menos tratla. Isto quer dizer que o aplicador no pode tratar uma pneumonia ou gastrite, mas pode tratar de pessoas com dificuldade respiratria ou digestiva de ordem energtica.

O aplicador no pode fazer promessas de cura ou consideraes similares. Deve apenas explicar as bases do equilbrio energtico e seu beneficio holstico: fsico, mental, emocional e espiritual.

Para que a aplicao possa se processar adequadamente, o aplicador deve procurar obter do receptor o compromisso de participar do processo de reequilbrio energtico.

O aplicador no est habilitado a prescrever drogas, medicamentos, alimentos e ervas e nem solicitar que o receptor deixe de tomar um medicamento prescrito por mdico.

Tratamento com a energia Reiki no substitui o tratamento mdico. Seja humilde. Jamais permita que seu ego impea de reconhecer a necessidade de recorrer a um tratamento especializado. Doenas manifestadas no corpo fsico precisam de tratamento convencional (infartos, fraturas, hipertenso, lceras, etc.). A aplicao de energia pode levar mais tempo para agir e ser tarde demais.

Uma aplicao de Reiki no tem o propsito de criar expectativas. Busca criar condies energticas mais favorveis para que o receptor atinja o bem-estar. fundamental a participao do receptor no processo de cura. Ele deve desenvolver uma atitude favorvel eliminao da causa do problema.

possvel a ocorrncia de reaes durante a aplicao. A mais comum a crise de choro. Geralmente indica que houve um desbloqueio energtico importante e a energia recomea a fluir com intensidade. Esse fato mais comum durante a iniciao. Mantenha um canal de comunicao aberto com o receptor. A interrupo da aplicao deve ser uma deciso de comum acordo com o receptor. Reaes de rejeio ao Reiki so rarssimas. Neste caso as reaes levam a posturas como cerrar as mos, contrao da face e enrijecimento muscular ou dores de cabea. Se considerar necessrio converse com o receptor para decidir sobre a continuidade ou no da aplicao.

No misture outras tcnicas simultaneamente com Reiki. Alm de perder a rastreabilidade e realimentao do processo, voc pode criar interferncias no desejveis.

Durante uma aplicao de Reiki a energia pessoal do aplicador no utilizada. conveniente que o aplicador mantenha uma postura mental neutra durante o processo, sem tentar dirigir ou controlar o fluxo energtico. Ao interferir ou se identificar energtica ou emocionalmente com o receptor, o processo de canalizao pode cessar e a energia pessoal do aplicador ser envolvida. Lembrese que ser isento no quer dizer ser frio. Mantenhase neutro e equilibrado.

LINHAGEM DOS ORIENTADORES DA RAI

COMO SE APRENDE A CANALIZAR A ENERGIA REIKI

Na RAI, como na maioria das demais instituies que ensinam Reiki, h quatro graus. Em cada grau ensinamos aspectos relativos estrutura energtica humana, treinamentos de aplicao de Reiki, meditaes e iniciaes. A iniciao um processo de sintonizao do aluno com a Energia Reiki, realizada atravs de canalizao recebida de um Mestre orientador iniciado e especialmente treinado para esse fim. Qualquer curso de Reiki sem iniciao de nada adianta. As iniciaes abrem, expandem e alinham os chakras superiores, desbloqueando canais energticos de comunicao entre eles. O aplicador canaliza a energia captando-a pelo chakra coronrio. Direciona ao chakra cardaco onde sofre uma transformao. Em seguida transportada pelos braos aos chakras secundrios das mos, encarregados de transferir a energia ao receptor pelo centro da palma das mos e pontas dos dedos. A energia flui com maior intensidade na palma da mo e mais branda nas pontas dos dedos.

A partir da iniciao do Primeiro Grau (1. REIKI GRAD) adquirese a capacidade de tratar de si mesmo e de outras pessoas. A abertura do canal permanente. Mesmo que o iniciado nunca mais utilize o Reiki seu canal permanecer aberto. um mtodo simples e eficaz, de fcil aprendizado. A dosagem da energia canalizada estabelecida inconscientemente pelo receptor dependendo da receptividade de cada um. Neste grau, aprendem-se as tcnicas do mtodo rotativo, auto cura e pronto socorro.

O Segundo Grau (2. REIKI GRAD) potencializa as possibilidades do primeiro grau. Atravs da utilizao de tcnicas de tratamento distncia, possibilita transmitir Reiki a qualquer ser vivo no planeta, sem os limites de tempo e espao. A energia Reiki permanece a mesma, porm abremse ainda mais os canais de transmisso, possibilitando uma atuao mais rpida e eficiente. Atravs da utilizao de smbolos, a energia canalizada potencializada, diminuindo o tempo de imposio das mos durante os tratamentos. Neste nvel, tambm possvel atuar no campo psicoemocional do receptor por meio de uma reprogramao com padres energticos positivos, possibilitando um grande apoio s terapias de eliminao de vcios, medos, neuroses e outros estados de desequilbrio.

O Terceiro Grau (REIKI MEISTER GRAD) o grau de Mestre, obtido aps um perodo de treinamento com a energia Reiki. Neste nvel, o aplicador domina totalmente a tcnica, porm ainda no est autorizado a ensinar/iniciar Reiki. Este grau visa um crescimento pessoal e elevar a espiritualidade, postura, integridade, humildade e responsabilidade. O aluno recebe o smbolo de Mestre e temse acesso a esse nvel de espiritualidade.

O Quarto Grau (REIKI MEISTER/LEHRER GRAD) confere ao Mestre o grau de Mestre Orientador (Meister Lehrer Grad). Com este grau, obtmse a autorizao para ministrar cursos e iniciaes. O potencial de energia neste nvel ainda mais elevado e multiplicado. A imposio de mos, atravs da tcnica da RAI, possibilita a utilizao da energia Reiki de forma homognea e eficiente, pois respeita o fluxo natural do corpo. Esta tcnica compreende posies bsicas, distribudas pela cabea, rea frontal e rea dorsal do corpo.

CURSOS DA RAI DISPONVEIS NO BRASIL

REIKI II

O aluno iniciado nos trs primeiros smbolos do Reiki, e orientado quanto sua utilizao e significado. A nova iniciao eleva seu nvel de vibrao energtica tornandoo capaz de canalizar energia a distncia bem como para apoio a problemas de natureza psico emocional. Aprofunda conhecimentos adquiridos no primeiro nvel, aprende posies especiais das mos e limpeza e harmonizar dos chakras. Pratica a aplicao do mtodo condensado.

REIKI III / MestreEste o primeiro passo para a maestria no Reiki. Mais uma iniciao, potencializa a frequncia e intensidade de seu nvel energtico. Com o smbolo recebido tem acesso aos nveis da energia do Mestre. Experimenta o incio do desenvolvimento espiritual, podendo interpretar os conflitos e desafios de aprendizado em si e em outros. Este nvel acessvel aps um perodo de prtica e amadurecimento pessoal. O participante monitorado continuamente por seu Mestre.

REIKI IV / Orientador

O Mestre, desde que preenchidos alguns requisitos, recebe o direito e a possibilidade de ensinar e iniciar outras pessoas nos nveis I e II. No incio do curso submetese a uma avaliao completa de seus conhecimentos e potencialidades. Sendo o teste satisfatrio, aprende a metodologia de ensinamento do Reiki e recebe tambm treinamento praticar a iniciao. Ele mesmo recebe mais uma iniciao. O candidato passa por um perodo de amadurecimento, sendo monitorado por seus orientadores. Aps um perodo determinado de prtica, poder ter o direito de ensinar o quarto nvel.

A formao do nvel IV de Reiki realizada sob a superviso direta da administrao da RAI no Brasil. Os candidatos devem passar por prova terica e prtica.

AROLO TIFAR

Tratase de um sistema de identificao energtica que permite diagnosticar a causa principal de um problema e tratla de uma forma direcionada e especfica, eliminando os sintomas que ela provoca. As dificuldades de uma provao e ensinamento crmicos so facilmente identificadas, tornando mais rpida e fcil a sua superao. O AROLO um sistema de diagnstico energtico, holstico, rpido, tal que dispensa qualquer tipo de instrumento ou equipamento auxiliar para a avaliao. Pode inclusive auxiliar para determinar as carncias ou excessos de substncias teraputicas do organismo, avaliando sua necessidade ou no. Este procedimento representa grande contribuio para o aplicador.

AROLO I

O participante toma conhecimento do AROLO, da forma como se deve realizar a aval avaliao/diagnstico holstico, bem como o procedimento para tratar o problema especfico. Atravs de uma codificao simblica, o aplicador tem acesso aos diferentes planos energticos da pessoa, obtm assim a resposta sobre o plano em que se situa a causa de seu problema, bem como em qual plano se ligam sintomas com problemas, obtendo condies de tratar especificamente o plano/problema eliminando a causa, para que posteriormente o sintoma tambm se dilua. Podero tornar conhecidas tambm as vivncias e provaes crmicas da pessoa. Atravs das iniciaes, o participante passa a incorporar a ligao que os Mestres Curadores de Atlntida tinham com os planos energticos divinos.

AROLO II

Atravs das iniciaes no AROLO11 ser possvel a modificao da estrutura energtica dos diferentes planos. Isto tem um efeito purificador, limpador, reforador e harmonizador sobre os bloqueios da pessoa, bem como sobre o padro de comportamento e a sensibilidade da pessoa quanto as suas provaes de aprendizado. O apoio de processos de desenvolvimento crmico dado atravs de smbolos. Possibilita uma avaliao sobre as carncias do organismo quanto a vitaminas, sais minerais, bem como a sugesto de ingesto deste ou daquele alimento ou potncia, para fins de suprir as necessidades do organismo.

AROLO TIFAR I

O TIFAR o nvel de Mestre do AROLO. Neste nvel o trabalho de codificao simblica usado no AROLO ampliado pelo uso de cristais de rocha programados. Esta programao pode ser facilmente identificada por pessoas sensveis a cristais. O participante aprende como utilizar estes cristais, como montar um quadro de avaliao e como interferir com eles na desarmonia que possa haver entre os planos perturbados. Com a ajuda do Cristal Mestre poder determinar qual a parte do corpo afetada pelo problema. Toma possvel tambm a aplicao de si prprio. Pela iniciao ele se aproxima mais diretamente aos cdigos energticos dos cristais e, consequentemente, desenvolve uma ligao mais ntima com o fluxo infinito de energia universal Divina.

AROLO TIFAR II

Neste nvel o auxlio dos cristais de rocha ampliado pelo conjunto de ametistas programadas que permite interferir na estrutura energtica dos planos e modificlos. O participante se familiariza com a tcnica do Homem do Cristal, os efeitos das substncias no organismo, a programao mental, atravs do qual os padres negativos de comportamento so apagados e os bloqueios energticos so rompidos. Aqueles que quiserem se tomar orientadores dos dois primeiros nveis do AROLO, devero se submeter a um teste, de cuja avaliao depender o direito de ministrar tais cursos e proceder iniciao de outras pessoas no AROLOI e II.

TERAPIA ANMICO ESPIRITUAL ATIVA TEA

A Terapia Anmico Espiritual Ativa baseiase num conjunto de tcnicas alternativas, que foram desenvolvidas pela experincia adquirida em cerca de 3O anos por F. E. Eckard Strohm, mdium, escritor, aplicador espiritual e fundador da RAI. Esta metodologia de terapia energtica prima pela simplicidade e praticidade com que desenvolvida, visando um aprendizado sem nenhuma mistificao, nem mitificao daquilo que erroneamente se chama de paranormalidade. No se utiliza nenhum tipo de instrumento para isto. Os diferentes nveis de aprofundamento vo se alicerando uns nos outros, proporcionando um desenvolvimento gradativo da sensibilidade e do domnio da tcnica da terapia anmico-espiritual. O iniciante vai adquirindo a capacidade de proporcionar uma ajuda concreta at mesmo em situaes consideradas graves ou crnica, tanto no plano espiritual, mental e psquico, como no fsico. A TEA pode ser perfeitamente conciliada com qualquer outra forma de terapia, seja alternativa ou convencional. Podese, p. ex., ajudar uma pessoa com a TEA para eliminar o sintoma de seu problema e, ao mesmo tempo, tratar com AROLOTIFAR, para identificar e eliminar o agente interno que ocasionou o problema em si (causa), enquanto a pessoa est sendo submetida a um tratamento pela medicina convencional.

TEA I

O iniciante se familiariza com os fundamentos da Terapia Anmico Espiritual Ativa, sua histria, diferenas entre ela e outras tcnicas similares, situaes em que pode ser usada, bem como a forma com que ela atua em um processo de cura. Durante o curso estudada a ntima relao entre a sade e a doena, assim como as formas de interpretar os sinais que um determinado tipo de problema usa para se manifestar no corpo fsico, bem como a influncia do aspecto psquico no processo. Certos conceitos tradicionais das cincias esotricas so esclarecidos gradativamente que se relacionam com o desenvolvimento psquico, espiritual e com sade do ser humano, tais como chakras, energia Kundalini, terceira viso etc. A tcnica de avaliao, sensoriamento e transferncia de energia assimilada atravs de treinamentos e exerccios, com os quais j se pode tratar uma pessoa.

TEA IIO participante do curso aprende a possibilidade de utilizar a tcnica da autocura, a avaliao feita distncia, bem como a realizar a aplicao distncia. Fundamentar conhecimento sobre o uso de cores e cristais no processo teraputico, bem como a tcnica para utilizlos. Atravs da iniciao, um ajudante espiritual lhe designado e ir auxiliar no processo de cura, dando luz inspirao e intuio, a qual dever ser sempre o guia no trabalho de terapia, bem como os seus caminhos.

TEA IIINo terceiro nvel o participante faz uma reviso e aprofundamento de tudo que foi aprendido at ento e, aps isso, conhecer as caractersticas de personalidade que o aplicador dever saber desenvolver, para ter condies de assimilar as novas tcnicas. Entre estas tcnicas est a injeo energtica, a tcnica laser e tambm recebe uma base nas tcnicas de hipnose.

TEA IV

Este pode ser chamado de o nvel de Mestre da Terapia Anmico Espiritual Ativa. O participante assimila a tcnica da cirurgia psquica e da operao sem sangue, sem corte, as quais so utilizadas pelos aplicadores espirituais das Ilhas Filipinas. Estas tcnicas se destacam das demais terapias energticas pela sua rapidez e funcionalidade com que ocorrem. Tornam se um instrumento indispensvel para aquelas pessoas que querem ter a possibilidade de se submeterem a uma cirurgia, sem os riscos que os processos convencionais podem lhe acarretar. Todo trabalho se realiza no corpo energtico, tendo como consequncia quase que imediata, a resposta do organismo fsico, atravs de seu mecanismo de autocura, que isola a propagao do problema e dissolve as disfunes no organismo. O iniciante ganha, atravs da meditao, do treinamento e do exerccio a condio mental e psquica necessrias para o aprofundamento no conhecimento dos segredos da cura energtica. A iniciao o toma capaz de realizar a cirurgia energtica, qual se vincula tambm a abertura da terceira viso. Devese estar atento que a realizao deste trabalho de cirurgia energtica requer do aplicador uma enorme responsabilidade e seriedade no trato com a sade do receptor. Em virtude disto, a partir do quarto nvel, o curso de Terapia Anmico Espiritual Ativa s poder ser realizado num centro da RAI, atravs de um orientador diretamente designado pelo Mestre principal da RAI, F. E. Eckard Strohm, que ter pleno direito de descartar qualquer participante que ele julgar como inapto a assumir a responsabilidade que envolve os nveis mais avanados da TEA, ou que no apresente pleno domnio das tcnicas dos nveis anteriores, ou mesmo deste.

TEA V

Neste nvel o aplicador anmico espiritual recebe uma complementao do conhecimento de tcnicas para tratar de casos mais especficos. Alm disto, instrudo sobre procedimentos de orientao e ensinamento das tcnicas dos primeiros nveis da TEA. Tambm so respondidos diversos questionamentos, que podero surgir no decorrer do processo de evoluo do aplicador orientador. Aps passar por um rigoroso teste de conhecimentos e aptido, poder ganhar o direito de ministrar o curso de TEA nos dois primeiros nveis.

ANJOS

ANJOS I - Vivendo Com Os Anjos

O participante aprende quem so os anjos, descobre sua natureza, sua constituio e sua energia. Talvez muitos se lembram de histrias, na infncia, envolvendo nosso anjo da guarda. Mas como seria mais bela e melhor nossas vidas se soubssemos nos comunicar com ele? Mas tambm ligados ao nosso anjo do dia a dia esto os arcanjos, os anjos elementais, aqueles que nos ajudam a encontrar coisas, descobrir mistrios e ajudam a curar doenas, entre muitas outras coisas que nem nos damos conta. Conhece tambm as outras hierarquias angelicais. O iniciante aprende baseado na sabedoria primitiva dos Mestres de Atlntida, como pode se preparar para realizar um contato com os anjos, como pode estabelecer uma ligao com eles, e assim ter uma noo de como funciona o mundo dos anjos. Este curso difere um pouco da forma com que so colocados cursos sobre anjos cabalsticos. Ele na realidade inicitico, ou seja, o participante recebe uma iniciao na qual sua sensibilidade aguada, atravs do desbloqueio realizado por um Mestre, que ir ampliar o canal de comunicao entre o iniciante e seu prprio anjo da guarda. Obviamente a sensibilidade original de cada um determinar o ponto de partida de seu desenvolvimento.

ANJOS II - A Luz Esteja Contigo

O participante amplia sua experincia com os anjos, projetores da luz Divina, e sua energia. Atravs de diferentes maneiras de ligao podemos acessar nosso anjo da guarda para ajudar em nossas misses de vida, nossos desafios, nossas provaes, na soluo de problemas do dia a dia. Podese descobrir porque eles nos acompanham, porque temos que conhecer o sofrimento. Atravs de meditao aprendese compreender para onde querem nos levar, bem como entender o processo de ligao propriamente dito.

Orientador do Curso de Anjos.

Preparao para lecionar um curso de anjos Utilizao do Alfabeto dos Anjos Tcnicas de evocao de Anjos destinado formao de novos alunos.

Na Alemanha a RAI oferece ainda os seguintes cursos:

Terapia de Hipnose Clnica em 3 estgios (treinamento intensivo de uma semana, em cada nvel).

Mestrado dos Essnios em 3 estgios (treinamento intensivo, uma semana em cada nvel)

Regresso Luz Como enfrentar a sensao da morte fsica.

Atajas Yoga de Atlntida

BaBandi Mtodo de Atlntida para curar a alma pelo toque

Quiroprtica Passiva Alinhamento da Coluna Vertebral

Voc pode ter mais informaes no site da RAI Brasil: www.br.raireiki.com

ou diretamente com a Representao no Brasil atravs do e-mail: raibrazil@hotmail.com

BIBLIOGRAFIA E SUGESTES DE LEITURA

Leitura especfica sobre o Reiki em Portugus:

Andrade, Terezinha. Reiki O Agente da Cura. Ed. Kuarup, 1996

Borang, Kaja Krishni. Reiki. Srie Fundamentos de. Ed. Avatar

De'Carli, Johnny. Reiki Universal. Ed. Madras

De'Carli, Johnny. Reiki A Terapia do 3. Milnio. Ed. Madras

De'Carli , Johnny. Reiki Amor, Cura e Transformao. Ed.Madras

Horan, Paula. Reiki Uma Habilitao para a Cura. ED. Madras.

Jarrell, David G. Cura Energtica com o Reiki PLUS. Ed. Pensamento.

Jarrell, David G. Manual do Terapeuta Profissional 2. Grau. Ed. Pensamento.

Kessler, Upanishad K. Reiki O Caminho do Corao. Ed. Ground

King, Roberto e ABARCA, Oriel. Reiki para Todos. Ed. Nova Era.

Mari Hall Reiki para doenas comuns Ed. Bertrand Brasil

Moller Brigitte e GUNTHER Horst. Reiki a Energia Universal. Ed. EKO

Moller Brigitte e GUNTHER Horst. Reiki Cure a si mesmo. Ed. Rocco

Ramos, Snia Szeligowski. Reiki, O Sistema USUI de Cura Natural. Ed. Meca

Reiki Essencial Diane Stein Editora Pensamento

Schulte, Stephan. Reiki Trabalhando com Energia. Ed. EKO

Tanmaya Honervogt Reiki para cura emocional Editora Pensamento

Walter Lubeck Manual de Reiki Editora ground

Wentzcovitch, Ceclia Corte. Reiki Um Sistema Universal de Cura. Ed. Atheniense

Ziegler Brigitte. Reiki a Energia Vital O Passo para a Liberdade. Ed. EKO

Em ingls:

Rand William Lee. The Healing Touch. Vision Publications/EUA ISBN O9631567O5

Em Espanhol

Moller Brigitte e CONTHER Horst. Reiki Guia Practica Para el Sendero dei Amor Curativo. Editorial Sirio, Mlaga. ISBN 8478O8147X

Petter, Frank Arjava. Fuego Reiki. Ediciones Uriel, Buenos Aires. ISI3N 987955132X

Petter, Frank Arjava. Reiki El Legado dei Dr.Usui. Ediciones Uriel, Buenos Aires. ISBN 9879551338

Petter, Frank Arjava. Reiki Manual Original dei Dr. Mikao Usui, Ediciones Uriel, Buenos Aires. ISBN 9879551354

Petter, Frank Arjava. El Espirito de Reiki. Ediciones Uriel, Buenos Aires, ISBN 987982726O

Rand William L. Reiki El Toque Curativo. Editorial Mirach S.I. Madrid

Tavozzi, Giancarlo. Reiki Energia e Curacion. Editorial EDAF/Madrid ISI3N 84764O7O33

Leitura geral:

Brennan, Brbara Ann. Mos de Luz. Ed. Pensamento.

Brennan, Brbara Ann, Luz Emergente A Jornada da Cura Pessoal. Ed. Pensamento

F. E. Eckhardt Strom

Ursula Pondorf - Rosemarie Grot - Gunther Grot

Carlos Cvitko

Cristina Longhi

VOC

PAGE 32