apostila preparatÓria - exame de motonauta e arrais-amador

Download APOSTILA PREPARATÓRIA - Exame de Motonauta e Arrais-Amador

Post on 18-Jul-2016

504 views

Category:

Documents

87 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Apostila preparatória para o exame de motonautas e arrais amador.

TRANSCRIPT

  • APOSTILA PREPARATRIA PARA O EXAME DE MOTONAUTA E ARRAIS-AMADOR. OBTENO DA HABILITAO PARA PILOTAR JET-SKI E EMBARCAES NA ATIVIDADE DE ESPORTE E RECREIO, NOS LIMITES DA NAVEGAO INTERIOR.

    6 Edio Julho de 2013

    COMUNICADO

    Esta edio da Apostila de Motonauta e Arrais-Amador est

    de acordo com a Norma da Autoridade Martima NORMAM-03/DPC, atualizada pela Portaria n 29, de 21 de fevereiro de 2013, decorre do que estabelece a Lei n 9.537, de 11 de dezembro de 1997, que dispe sobre a segurana do trfego aquavirio LESTA, e do Decreto n 2.596 de 18 de maio de 1998 RLESTA, que a regulamenta.

  • www.ventoempopa.com

    MATERIAL EXCLUSIVO DO SITE PORTALDOAMADOR

    importante alertar que nossas apostilas recebem numerao nica e senha exclusiva, e so personalizadas ao comprador (canto inferior esquerdo). Dessa forma, aps receber o material, voc somente poder fazer uso para o seu aprendizado e para preparar-se para o exame, no estando autorizado ao revend-lo, nem distribu-lo sob qualquer forma.

    Se voc baixou este material de outro site na Internet ou algum repassou este material para

    voc, saiba que estar fazendo uso de uma cpia pirata e pirataria crime. Se voc identificar que este material est sendo utilizado por outra empresa ou est sendo distribudo em outro site, por favor, denuncie para ns pelo email contato.portaldoamador@hotmail.com. PROCESSO DE HABILITAO

    Para obter a habilitao na categoria de Motonauta ou Arrais-Amador o candidato deve:

    Ser penalmente imputvel (ter 18 anos de idade).

    Saber ler e escrever.

    Possuir documento oficial de identificao com foto (RG, CPF ou CNH).

    Obter atestado mdico, fornecido por qualquer mdico (com carimbo do CRM) que comprove bom estado psicofsico (fsico, auditivo, mental e visual), incluindo limitaes caso existam, podendo o atestado ser substitudo pela Carteira Nacional de Habilitao (CNH) dentro da validade.

    Obter Declarao de Frequncia para Motonautas, atestando que realizou aulas prticas, com no mnimo, 3 horas de durao, em jet-ski ou Atestado de Embarque para Arrais- Amador, atestando que possui, no mnimo, 6 horas de embarque, em embarcaes de esporte e/ou recreio. Tais documentos, somente, podem ser emitidos por Entidade Nutica (Escolas, Associaes, Clubes Nuticos, etc.), cadastrados na Capitania dos Portos, Delegacia ou Agncia da Marinha.

    EXAME DE HABILITAO A prova de Motonauta ou Arrais-Amador pode ser convencional ou eletrnica, constituda de 20 questes para Motonauta ou 40 questes para Arrais-Amador, ambas de mltipla escolha, distribudas proporcionalmente de acordo com o Programa recomendado. O candidato ser considerado aprovado com 50% ou mais de acertos. A durao da prova ser de 1 hora e 30 minutos para Motonauta ou 2 horas para Arrais-Amador.

    NOTA DO AUTOR A preparao do candidato da responsabilidade de quem certificar os seus conhecimentos. No entanto, a conscientizao da importncia do cumprimento do contido na NORMAM-03/DPC por parte de todos que, direta ou indiretamente, estejam envolvidos com a navegao, de imensa importncia para uma navegao segura e a preservao da vida humana no mar. Lembre-se: o comandante ou piloto responsvel por tudo o que diz respeito embarcao, pela vida de seus

    tripulantes, familiares e amigos, bem como de seu bem maior, sua prpria vida.

    Capito-Tenente (RM1-AA) Evangelista da Silva Arte, criao, desenvolvimento e atualizao.

  • www.ventoempopa.com

    NDICE

    Legislao Nutica 1 a 12

    Manobra de Embarcao 13 a 23

    Navegao e Balizamento 24 a 37

    Primeiros Socorros 38 a 48

    Combate a Incndio 49 a 54

    Sobrevivncia no Mar 55 a 65

    Noes de Comunicaes 66 e 67

    Bandeiras do Cdigo Internacional de Sinais 68

    Quadro de Sinais Nuticos (Balizamento Fluvial) 69 e 70

    ANEXOS

    Quadro de Infraes mais comuns e Penas Aplicadas

    Suplemento (Questes para fixao)

    O quadro a seguir apresenta os modelos de insgnias, de uso facultativo, para serem usadas

    como distintivo ou bordadas, nas lapelas, camisetas ou bons dos Amadores: (NORMAM-03/DPC)

  • www.ventoempopa.com [LEGISLAO NUTICA]

    Introduo A segurana da navegao, em guas brasileiras rege-se pela Lei Federal 9.537/97, de 11 de dezembro de 1997, conhecida como Lei de Segurana do Trfego Aquavirio (LESTA), e pelo Decreto 2.596/98, conhecido como RLESTA, que a regulamenta.

    Atividade de Esporte e Recreio

    NORMAM - Norma da Autoridade Martima DPC - Diretoria de Portos de Costas

    Competncias

    - No exterior, a autoridade diplomtica representa a autoridade martima, no que for pertinente a lei.

    Ordenamento das

    Praias

    Todas as embarcaes classificadas na atividade de esporte e/ou recreio, devero observar a NORMAM-03/DPC, que a Norma da Autoridade Martima para Amadores, Embarcaes de Esporte e/ou Recreio e para Cadastramento e Funcionamento das Marinhas, Clubes e Entidades Desportivas Nuticas.

    A NORMAM-03/DPC decorre do que estabelece a LESTA e RLESTA.

    Organizao Martima Internacional (IMO) - Agncia

    especializada da ONU, que trata de assuntos relativos navegao, orientando os pases membros.

    Marinha do Brasil (MB) - a Autoridade Martima Brasileira. Diretoria de Portos e Costas (DPC) - Estabelece as normas de

    trfego e permanncia nas guas nacionais para as embarcaes de esporte e/ou recreio.

    Capitanias, Delegacias e Agncias (CP/DL/AG) - Responsveis pela fiscalizao (Inspeo Naval) do trfego aquavirio nos aspectos relativos segurana da navegao, salvaguarda da vida humana no mar e preveno da poluio ambiental, bem como o estabelecimento de Normas de Procedimentos relativas rea sob sua jurisdio.

    Nas reas prximas s praias, sejam elas, martimas, fluviais ou lacustres, tambm competncia das Capitanias, Delegacias e Agncias fiscalizarem, podendo delegar competncia para rgos pblicos, estaduais ou municipais. Assim, uma infrao cometida nas reas adjacentes s praias poder ter pena de multa aplicada pelos rgos municipais.

    Municpios Compete aos Municpios estabelecer o ordenamento do uso das praias, especificando as reas destinadas a banhistas e prtica de esportes aquticos o qual poder ser incorporado ao Plano Municipal de Gerenciamento Costeiro.

    Portanto, uma infrao cometida nas reas adjacentes s praias poder ter pena de multa aplicada pelos rgos municipais.

    Lei 9.537/97 Lei de Segurana do Trfego Aquavirio - LESTA

    A segurana da navegao, nas guas sob jurisdio nacional rege-se por esta lei.

    Conceitos e Definies I - Amador - todo aquele com habilitao certificada pela autoridade martima para operar embarcaes de esporte e recreio, em carter no profissional.

    Conforme entendimento genrico, amador aquele que no atua como profissional, ou seja, aquele que faz da navegao aquavria uma opo de esporte e/ou lazer. Desta forma, um amador no poder ser contratado para conduzir embarcao classificada como de esporte e/ou recreio.

    Exemplar [005098] pertencente : Paulo Carvalho Silva Filho

    Arrais-Amador e Motonauta 1

  • www.ventoempopa.com [LEGISLAO NUTICA]

    II - Aquavirio - todo aquele com habilitao certificada pela

    autoridade martima para operar embarcaes em carter profissional.

    Ao contrrio do amador, o aquavirio todo aquele que exerce sua profisso a bordo de embarcaes, ou seja, se o proprietrio de uma embarcao de esporte e recreio, no tem inteno de pilotar sua embarcao, poder contratar esse profissional para conduzir sua embarcao.

    III - Armador - pessoa fsica ou jurdica que, em seu nome e sob sua responsabilidade, apresta a embarcao com fins comerciais, pondo-a ou no a navegar por sua conta.

    Normalmente o proprietrio da embarcao que por sua conta e risco, pe a embarcao em atividade comercial.

    IV - Embarcao - qualquer construo, inclusive as plataformas flutuantes e, quando rebocadas, as fixas, sujeita inscrio na autoridade martima e suscetvel de se locomover na gua, por meios prprios ou no, transportando pessoas ou cargas.

    Do caiaque ao navio de grande porte, passando pelo jet-ski e pelas plataformas de petrleo, todos so considerados embarcaes, pois se locomovem ngua por meios prprios ou no (como as chatas e as barcaas).

    Vamos Recordar LESTA - Lei de Segurana do Trfego Aquavirio Lei n 9.537, de 11/12/1997.

    RLESTA - Decreto que regulamenta a LESTA Decreto n 2.596, de 18/05/1998.

    Interrupo da viagem - proibido exceder a lotao estabelecida, passvel de ocorrer interrupo da singradura (viagem) quando a embarcao estiver com excesso de lotao.

    Exemplar [005098] pertencente : Paulo Carvalho Silva Filho

    V - Inspeo Naval - atividade de cunho administrativo que

    consiste na fiscalizao do cumprimento da LESTA e RLESTA, e das normas e regulamentos dela decorrentes.

    , portanto, o meio pelo qual as Capitanias, Delegacias e Agncias auxiliam a Diretoria de Portos e Costas (DPC) a exercer seu papel de fiscalizao das Normas.

    VI - Instalao de apoio - instalao ou equipamento, localizado nas guas, de apoio execuo das atividades nas plataformas ou terminais de movimentao de cargas.

    Refere-se s instalaes que ajudam na execuo das atividades das plataformas petrolferas e portos e terminais privados de movimentao de carga.

    VII - Lotao - quantidade mxima de pessoas autorizadas a embarcar, incluindo a tripulao.

    Entenda-se, todos que esto a bordo da uma embarcao.

    VIII - Navegao em mar aberto - a realizada em guas martimas consideradas desabrigadas.

    Aquela realizada fora das guas interiores, consideradas abrigadas.

    IX - Passageiro - todo aquele que, no fazendo parte da tripulao nem sendo profissional no tripulante prestando servio profissiona

Recommended

View more >