apostila políticas de segurança pública

Download Apostila Políticas de Segurança Pública

Post on 16-Nov-2015

22 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Políticas de Segurança Pública

TRANSCRIPT

  • 1/61

    Polticas de Segurana Pblica

    ndice

    Apresentao 2

    Contextualizao 2

    Relevncia 3

    Bibliografia 4

    Avaliao 7

    Aula 1: Abordagem histrico-cultural das instituies de Segurana

    Pblica e seu controle democrtico interno e externo 8

    Aula 2: O Estado Democrtico de Direito e o papel do policiamento no

    espao pblico 17

    Aula 3: Policiamento comunitrio 25

    Aula 4: Discusso e anlise crtica das concepes de Poltica de

    Segurana Pblica 31

    Aula 5: Poltica de Segurana Pblica cidad e poltica de extermnio

    do inimigo 38

    Aula 6: Formulao e anlise de polticas no campo da Segurana Pblica 45

    Aula 7: A intersetorialidade das Polticas de Segurana Pblica 51

    Aula 8: A Municipalizao das polticas de segurana 56

    Trabalho final 60

  • 2/61

    Apresentao

    Depois de termos estudado os papis dos profissionais de Segurana Pblica e suas

    diferentes relaes no processo de gesto integrada, e de termos analisado a relao

    desses atores com a tica, os Direitos Humanos e a cidadania, hoje, iniciaremos o estudo

    crtico das Polticas de Segurana Pblica.

    A despeito da polmica que o tema provoca na mdia, ainda raro encontrarmos

    discusses tcnicas sobre como construir uma Poltica de Segurana Pblica eficiente e

    democrtica. sobre isso que pretendemos pensar e discutir com vocs nesta disciplina.

    A proposta compreendermos fatores socioculturais relacionados s instituies de

    Segurana Pblica para, a partir disso, analisarmos: quais os passos necessrios

    formulao de polticas voltadas represso da criminalidade com respeito aos Direitos

    Humanos; qual o papel da polcia nesse processo; e a que estamos nos referindo quando

    falamos em Municipalizao da Segurana Pblica.

    Contextualizao

    A violncia urbana representa um dos principais temas de debate da atualidade. Seu

    controle e sua reduo se tornaram um dos maiores desafios dos gestores pblicos, que

    passaram a desenvolver discursos e aes materializadas em polticas que parecem estar

    distantes de objetivos propalados.

    O contedo desta disciplina pretende esclarecer concepes relacionadas temtica das

    Polticas de Segurana Pblica por meio da abordagem sociocultural das instituies de

    Segurana Pblica e da anlise do processo de formulao e manuteno dessas polticas

    como o conjunto de aes intersetoriais na sociedade.

    Estudos das Cincias Sociais e da Criminologia, realizados durante as duas ltimas

    dcadas, indicam a necessidade de evoluo dos modelos de anlise e tratamento do

    crime e da violncia. Essa concluso se deve ao fracasso do modelo repressivo clssico,

    baseado em uma poltica penal dissuasria de pretenso punitiva do Estado como nica

    resposta ao problema do aumento do delito e seus efeitos.

    Esse modelo enfrenta, demasiadamente tarde, o problema do delito bem como privilegia

    a polarizao Estado versus infrator, desconsiderando a questo da cidadania quando

    no ampara a vtima e no busca reintegrar o criminoso sociedade. O elevado custo

    social e a extemporaneidade das aes desse modelo no interferem no ambiente

    situacional.

    Estudar as diferentes concepes de polticas desenvolvidas e os problemas relacionados

    ao fenmeno da violncia significa aprofundar os conhecimentos, buscar solues e

    preparar os gestores, os operadores de segurana e a prpria sociedade para este

    desafio: controlar e reduzir a violncia em nossa sociedade.

  • 3/61

    Relevncia

    indiscutvel a presena da temtica da criminalidade no cotidiano dos moradores das

    zonas urbanas e rurais das cidades brasileiras, mas ainda se discute muito sobre quais as

    formas ideais de abord-la.

    Nesse contexto, indispensvel analisar, de forma crtica, os desafios institucionais e

    socioeconmicos da elaborao de Polticas de Segurana Pblica que tenham como

    objetivo a preveno da violncia e o combate criminalidade com respeito aos Direitos

    Humanos.

  • 4/61

    Bibliografia

    ALVITO, Marcos; VELHO, Gilberto (Orgs.). Cidadania e violncia. Rio de Janeiro: Editora

    UFRJ, 1996.

    ATHAYDE, Celso Luis Eduardo; BILL, M. V. Cabea de porco. Rio de Janeiro: Objetiva,

    2005.

    BASTISTA, Vera Malaguti. O medo na cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Revan,

    2004.

    BEATO FILHO, Claudio Chaves. Polticas Pblicas de Segurana: equidade, eficincia e

    accountability. Disponvel em: http://www.crisp.ufmg.br/polpub.htm. Acesso em: 05

    ago. 2007.

    CHAU, Marilena. Conformismo e resistncia: aspectos da cultura popular do Brasil. So

    Paulo: Brasiliense, 1989.

    CURTIS, Ric; WENDEL, Travis. Tolerncia zero a m interpretao dos resultados.

    Horizontes Antropolgicos, Porto Alegre, v. 8, n. 18, dez. 2002.

    DAMMERT, Lucia. De la seguridad pblica a la seguridad ciudadana: Chile 1973-2003.

    Seminario Internacional Poltica Pblica de Seguridad Ciudadana. Quito, Guayaquil y

    Cuenca, 24-26 mar. 2004.

    ______. El gobierno de la seguridad. De qu participacin comunitaria hablamos?

    Gobernanza y Seguridad Sostenible, n. 20. Institut Internacional de Governabilitat de

    Catalua. Espaa, enero, 2005.

    DANTAS, George Felipe de Lima; BRITO, Carlos Eugnio Timo; MAGALHES, Luiz Carlos.

    Janelas quebradas: uma interpretao brasileira. Disponvel em:

    www.fenapef.org.br/htm/docs/070809_bw-texto-final%20.doc. Acesso em: 05 ago.

    2007.

    EDMUNDO, Oliveira. As vertentes da criminologia crtica. Disponvel em:

    www.ufpa.br/posdireito/caderno3texto2_c3.html. Acesso em: 05 ago. 2007.

    ELIAS, Norbert; SCOTSON, John L. Os estabelecidos e os outsiders. Rio de Janeiro: Jorge

    Zahar, 2000.

    FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 41. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

    GODESTEIN, Herman. Problem-oriented policing. New York: MacGraw-Hill, 1990.

    GOMES, Luiz Flvio. Assassinatos em srie de mendigos: tolerncia zero ou crimes do

    dio? Disponvel em: http://www.ielf.com.br/webs/IELFNova/artigos. Acesso em: 30 ago.

    2004.

    GUINDANI, Miriam. O processo de gesto da Segurana Municipal. Disponvel em:

    http://www.politicasuece.com/mapps/arquivos/materias/mapps_4%20Mirian_103.pdf.

    Acesso em: 05 ago. 2007.

    http://www.crisp.ufmg.br/polpub.htmhttp://www.fenapef.org.br/htm/docs/070809_bw-texto-final%20.dochttp://www.ufpa.br/posdireito/caderno3texto2_c3.htmlhttp://www.ielf.com.br/webs/IELFNova/artigoshttp://www.politicasuece.com/mapps/arquivos/materias/mapps_4%20Mirian_103.pdf

  • 5/61

    KAHN, Tlio. Indicadores em preveno municipal de criminalidade. In: SENTO-S, Joo

    Trajano (Org.). Preveno da violncia, o papel das cidades. Rio de Janeiro: Civilizao

    Brasileira, 2005.

    NETO, Paulo Mesquita. Policiamento comunitrio: a experincia em SP. Disponvel em:

    www.dhnet.org.br/direitos/militantes/paulomesquita/paulo_mesquita/index.html. Acesso

    em: 05 ago. 2006.

    NETO, Theodomiro Dias. Em busca de um conceito de nova preveno. Revista

    Eletrnica de Cincias Jurdicas RECJ-03, jan. 2006.

    ______. Policiamento comunitrio e controle sobre a polcia. Rio de Janeiro: Lumen Jris,

    2003.

    ______. Segurana urbana. O modelo de nova preveno. So Paulo: Revista dos

    Tribunais, 2005.

    PEGORARO, Juan S. Las polticas de seguridad y la participacin comunitaria en el marco

    de la violencia social. Violencia, sociedad y justicia en Amrica Latina. Buenos Aires:

    Clacso, 2002.

    PUTNAM, Robert. Comunidade e democracia a experincia da Itlia Moderna. Rio de

    Janeiro: Fundao Getlio Vargas, 1993/96.

    REALE JNIOR, Miguel. Insegurana e tolerncia zero. Revista de Estudos Criminais, n. 9,

    p. 66-70, 2003.

    ROLIM, Marcos. A sndrome da rainha vermelha: policiamento e Segurana Pblica no

    sculo XXI. Rio de Janeiro: Jorge Zahar; Oxford, Inglaterra: University of Oxford, 2006.

    ROUSSEAU, Jean-Jacques. O contrato social: princpios do Direito poltico. So Paulo:

    Martins Fontes, 2001.

    SENTO-S, Joo Trajano. Carta sobre a tolerncia zero. UERJ em questo, ano VIII, n.

    81, abr./maio/jun., 2003.

    SOARES, Luiz Eduardo. Afinal, de que estamos falando? Sobre o conceito de segurana.

    In: SENTO-S, Joo Trajano (Org.). Preveno da violncia, o papel das cidades. Rio de

    Janeiro: Civilizao Brasileira, 2005.

    ______. Legalidade libertria. Rio de Janeiro: Lumen Jris, 2006.

    ______. O enigma de Nova York. In: OLIVEIRA, Nilson Vieira Oliveira (Org.).

    Insegurana pblica, reflexes sobre a criminalidade e a violncia urbana. So Paulo:

    Nova Alexandria, 2002.

    ______; GUINDANI, Miriam. Porto Alegre: relato de uma experincia. In: SENTO-S,

    Joo Trajano (Org.). Preveno da violncia, o papel das cidades. Rio de Janeiro:

    Civilizao Brasileira, 2005.

    ______. Violncia e poltica no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Relume Dumar, 1996.

    TARROW, Sidney. Power in movement: social movements, collective action and politics.

    Cambridge: Cambridge University Press, 1994.

    http://www.dhnet.org.br/direitos/militantes/paulomesquita/paulo_mesquita/index.html

  • 6/61

    TAYLOR, Ian; WALTON, Paul; YOUNG, Jock. La nueva criminologa: contribucin a una

    teora social de la conducta desviada. Buenos Aires: Amorrortu, 1990.

    WACQUANT, Loic J. D. Dissecando a tolerncia zero. Le Monde Diplomatiqu. Disponvel

    em: http://diplo.uol.com.br/2002-06,a336. Acesso em: 05 ago. 2007.

    WAISELFISZ, Julio Jacobo (Coord.). Juven

Recommended

View more >