apostila para aprendizado de técnicas de serigrafia

Download Apostila para aprendizado de técnicas de serigrafia

Post on 20-Aug-2015

72.222 views

Category:

Education

36 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  1. 1. SERIGRAFIA - ESTAMPARIA
  2. 2. INTRODUO Serigrafia -------------------------------------------------------------- 01Estampa ---------------------------------------------------------------- 01Preparo da matriz ------------------------------------------------ 01Reaproveitamento da matriz ----------------------------- 05ARTE FINALTipos de estampa ------------------------------------------------- 07Arte final a mo --------------------------------------------------- 08Estampas localizadas ------------------------------------------- 09 EMULSOEmulso fotogrfica ---------------------------------------------13Preparao do tecido serigrfico ------------------------15Aplicao da emulso ----------------------------------------- 16GRAVAO, REVELAO E IMPRESSO Mesa de luz --------------------------------------------------------- 18 Gravao ------------------------------------------------------------ 19 Revelao ------------------------------------------------------------ 21Tintas ------------------------------------------------------------------ 25Impresso ---------------------------------------------------------- 27
  3. 3. SERIGRAFIA A serigrafia , basicamente, a arte e tcnica de imprim- ir sobre qualquer superfcie, fazendo passar uma tinta atravs de um tecido, que serve de ordenador da presso e impresso.(SABOYA, Wagner) Atravs da serigrafia (Silk- Screen) pode-se imprimir quase todo tipo de suporte. Exis- tem tintas e materiais prprios para a impresso sobre vidro, madeira, papel, tecido, metal, plstico, etc. um mtodo de baixo custo que permite realizar uma impresso artesanal de boa qualidade. Para que isso acontea necessrio o en- tendimento de todo o processo serigrfico.ESTAMPAA estampa imprime, mostra, identifica, comunica e carac-teriza uma coleo. Funcionando como um veculo deidentidade visual, que por si s uma narrativa. Atravsda imagem da estampa, sua composio, aplicao, inter-ligao com outras estampas ou elementos como borda-dos e sua colorao pode-se ler o tema escolhido, todo ocontexto de uma coleo de produtos. PREPARO DA MATRIZ A matriz o conjunto do chassi e da malha de estampar. In- strumento que permite a impresso serigrfica. Chassi/caixilio O chassi um quadro de madeira, ferro ou alumnio. A mol- dura pode ser de diferentes tamanhos e ela que determina a dimenso da arte que vai ser impressa. No caso de uma estamparia artesanal a escolha mais adequada o quadro de madeira. Por sua facilidade de manuseio e tensionamento. Obs.a dimenso do quadro deve ser escolhida de acordo os equipamentos de impresso disponveis. 01
  4. 4. MALHA/TECIDO SERIGRFICO A malha o tecido usado nas matrizes serigrficas. Os materiais constituintes desse tecido, hoje, podem ser diversos: ao, bronze, nylon, polister, nquel. A escolha da malha ideal depende do tipo de trabalho a ser feito, afinal cada uma tem suas propriedades. No caso da estamparia artesanal em questo aconselhvel o uso do nylon. O nylon recebe uma numerao que equivale quantidade de tramas (fios) por centmetro quadrado. Assim quanto mais fios (maior a numerao) mais fechada a trama, quanto menos fios (menor nu- merao) mais aberta a trama. Esse nmero geralmente varia de 7 180 fios. A escolha da trama depende da arte ser gravada. Quanto mais detalhada e de traos finos a arte mais fechado deve ser o nylon. Para a estamparia artesanal a trama intermediria de 55 fios satisfatria para a execuo de diversos trabal- hos, sendo uma boa opo de compra. A malha a responsvel pela dosagem da tinta por igual sobre toda a rea de impresso. Portanto o tipo de tecido determina a quantidade de tinta a ser depositada na impresso.TENSIONAMENTO DA MATRIZO tensionamento a fixao da malha no chassi. Na estamparia artesa-nal pode ser realizada com um grampeador mecnico. Essa etapa, noprocesso, muito importante j que, quanto mais esticada a tela melhorser a qualidade de impresso. Para o melhor aproveitamento e resultado,recomenda-se tencionar duas telas de uma vez.MATERIAIS NECESSRIOS PARA A PRODUO DA MATRIZ:2 quadros de madeira, nylon,tesoura, grampeador, grampos106/06, espaador (rgua de ma- deira na largura do quadro) 02
  5. 5. PASSO A PASSO:1Coloque as duas telas lado - a - lado e entre elas o espaador;2 Corte o nylon num tamanho maior que as duas telas juntas (8 cm de sobra nas bordas);3 Prenda a malha em uma das bordas externas (comprimento) da madeira com umasequncia de grampos, sem espao entre eles;4 Em seguida grampeie a largura do quadro formando um L em uma das telas; (repita essa operao na outra matriz) 5 Dobre as matrizes encontrando suas bordas (sem retirar o espaador); 03
  6. 6. 6 Observe se o tensionamento est ideal nas duas telas; (se estiver, grampeia as outras partes das matrizes)7 Corte o excesso do nylon separando novamente as telas; Deixe descansar por pelo menos 72 horas (3 dias).OBSERVAO:A tela deve ter tenso igual (uniforme) em toda a reada imagem, ou haver deformao da imagem, na im-presso, nas reas mais frouxas.O tecido perde tenso e esta perda se reduz at umaestabilizao. Com o uso, sob a presso do rodo eao do fora-contato, a tela perder gradativamentemais tenso, at um ponto em que sua utilizao noser mais possvel. 04
  7. 7. REAPROVEITAMENTO DA MATRIZ:Pode-se reutilizar a tela desgravando-a e gravando-a novamente. Oprocesso de desgravao pode ocorrer com produtos especializados,que garantem um melhor resultado, porm tem um maior custo oucom o cloro. MATERIAIS NECESSRIOS PARA O REAPROVEITAMENTO DA MATRIZ: Telas para desgravar, recipientemaior que a dimeno da tela, cloro, thinner, luvas, estopa, pia de gua corrente, bucha.PASSO A PASSO: 1 Deixe a tela de molho no cloro por aproximadamente 20 mim, podendo deixar mais tempo caso a emulso no tenha soltado.2Esfregue o cloro na parte externa da tela com uma estopa ou retalho de tecido.05
  8. 8. 3 Se a emulso estiver agarrada na tela, passar thinner em ambos os lados com uma estopa. 4 Lavar a matriz com gua fria corrente, esfregando-a com uma bucha at sair toda a emulso.5 As sombras da arte anterior (fantasmas) no iro interferir aprxima gravao.Inicie a nova gravao.OBSERVAO:USE SEMPRE LUVAS. 06
  9. 9. TIPOS DE ESTAMPA:Antes de explicar sobre a realizao de uma arte final, precisa-seentender os dois tipos de estampa: ESTAMPA LOCALIZADA:Como o nome j diz, estampa localizada a estampa cujo local de aplicao determinado na pea. Imprimi-se na pea j cortada.ESTAMPA CORRIDA:A estampa corrida aquela que cobre toda a extenso do tecido.Imprimi-se na pea inteira.OBSERVAO:Obs. O corrido alternativo gravado numa tela de estampa localizada,porm seu resultado final de estampa corrida (ver impresso pg X).07
  10. 10. ARTE FINAL
  11. 11. A arte final um desenho que pode ser executado manualmente ouatravs de programas de computador. A imagem, depois de pronta, gravada na tela serigrfica.Uma vez gravada pode ser impressa diversasvezes em diferentes cores e suportes.ARTE FINAL MO:MATERIAIS NECESSRIOS: Lpis, borracha, papel vegetal/polister, caneta nanquim, rgua, esquadro.OBSERVAES:No caso das artes feitas mo, para se obter uma qualidade e durabilidade, deve-seutilizar papel apropriado e caneta nanquim de numerao especfica para cada tipode arte. Para uma boa gravao necessrio que a rea do desenho esteja 100%preta (bloqueando a passagem de luz durante a gravao pg. X), por isso a canetaadequada a caneta nanquim (em boas condies). H diversos tipos de caneta nan-quim no mercado com diversas pontas. As canetas de pena so mais caras e exigemum cuidado minucioso, j as descartveis so fceis de manusear, porm seu tempode vida mais curto. Quanto mais fino o trao do desenho, mais fina ser a caneta(ex: 0.2 , 0.3 , 0.4); Areas mais grossas ou chapadas, canetas mais grossas (ex. 0.6,0.8, 1.0, 1.2). O papel pode ser polister, acetato ou vegetal. Nesse caso o vegetal aconselhvel por seu baixo custo. Porm, o polister, apesar de caro, tem uma vidamais longa para arte. Obs. Antes de fazer a arte verifique o tamanho dos quadrosdisponveis para a gravao. Toda arte final dever ser executada em tamanho ad-equado para a tela que se destina. Deve se lembrar que a arte sempre menor doque a rea da tela. Ao grav-la, preciso deixar livre um espao de no mnimo 10 cmna borda inferior (rea de tinteiro), onde o impressor colocar a tinta antes da im-presso, e 5 cm nas demais margens. Ao finalizar a arte escrever o nome da coleoou pessoa que a desenhou, na margem inferior do desenho, no sentido de gravaoda tela, evitando erros de leitura da imagem e identificando-a. 08
  12. 12. ESTAMPA LOCALIZADA:Passo a passo1 Verificar o tamanho interno da tela;2 Estipular o tamanho mximo do desenho de acordo com a tela;3Escolher as canetas nanquim que melhor se adequem ao trao desejado; 4 Separar o papel;09
  13. 13. 5 Esquadrar, no papel, um retngulo de ocupao mxima daimagem;6 Realizar o desenho;7 Colori-lo com nanquim 100% preto.10
  14. 14. ESTAMPA LOCALIZADA:A DUAS OU MAIS CORES.1 Desenha-se o lay-out (desenho original) cores, em um pa-pel branco, para que se tenha uma idia exata de como eleficar depois de impresso ( importante que as cores sejambem definidas e delimitadas); 2 O desenho referente a cada cor copiado para o papel transparente com nanquim, devidamente preto, sepa- radamente (cada cor em um papel diferente); 3 Marca-se as cruzes de registro; Cruz de Registro: Para o funcionamento da estampa preciso fazer devidos registro de sobreposio de cores no desenho e na gravao. So duas cruzes de encaixe nas margens das imagens. Assim quando sobrepostas se en- caixaram formando o desenho original.OBSERVAO:As cruzes devem ser muito precisas para que no ocorra erro de encaixe. 11
  15. 15. ESTAMPA CORRIDA:Como visto anteriormente, a estampa corrida cobre toda a extenso do tecido.Assim a arte gravada , na impresso, ser repetida diversas vezes at formara estampa . Portanto, necessrio que haja um encaixe pra que essas im-presses sucessivas aconteam de forma adequada, com perfeita