Apostila-Orçamento Público

Download Apostila-Orçamento Público

Post on 20-Oct-2015

7 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li><p>PS-GRADUAO LATO SENSU </p><p>DIREITO E GESTO PBLICA </p><p>VIOSA/2013</p></li><li><p>PROGRAMA ANALTICO DA DISCIPLINA </p><p>DISCIPLINA: ORAMENTO PBLICO PROFESSOR: SIBELE LEANDRA PENNA SILVA </p><p>OBJETIVO DA DISCIPLINA: apresentar os fundamentos do Oramento Pblico, bem como possibilitar o entendimento e anlise do referido instrumento de planejamento governamental. </p><p>RESULTADOS ESPERADOS: Espera-se que o aluno possa compreender a abrangncia do tema discutido, bem como adquirir os contedos, ao final que possa demonstrar competncias , aprimorando sua atuao na rea da Administrao Pblica </p><p>EMENTA CARGA </p><p>HORRIA </p><p>Processo de Planejamento e Oramentao. Oramento Pblico. Receitas Pblicas. Despesas Pblicas. Controle e Avaliao da Execuo Oramentria. Accountability e Oramento Participativo. </p><p>10 h/a </p><p>Aula n. Data Contedo a ser Abordado Metodologia a ser </p><p>Utilizada </p><p>1 07/12/2013 </p><p>1. Processo de Planejamento e Oramentao. 2. Oramento Pblico. 2.1. Tipos de Oramento 2.2. Princpios Oramentrios Gerais 2.3. Ciclo Oramentrio 3. RECEITAS PBLICAS 3.1. Classificao da Receita Oramentria 3.2. Particularidades da Receita 3.3. Estgios da Receita 3.4. Dedues da Receita Oramentria 4. DESPESA PBLICA 4.1. Classificao das Despesas Oramentrias 4.2. Particularidades da Despesa 4.3. Crditos Adicionais 4.4. Estgios da Despesa 5. Controle e Avaliao da Execuo Oramentria 6. Accontability e Oramento Participativo </p><p>- Aulas expositivo-interativas. - Exerccios e estudos de caso. - Trabalhos individuais e em grupo. - Discusso de assuntos relacionados disciplina. </p><p>Exerccios e estudos de caso Critrios de Avaliao Total </p><p>Exerccios tericos. Trabalho prtico em grupo. Atividade Avaliativa individual. </p><p>- Capacidade de assimilao; interesse e participao; trabalho em equipe. </p><p>100 pontos </p></li><li><p>1 </p><p>MINICURRCULO DO PROFESSOR </p><p>Sibele Leandra Penna Silva mestre em Administrao pela Universidade Federal </p><p>de Viosa MG (2009); graduada em Cincias Contbeis pela Faculdade de </p><p>Cincias Contbeis de Ponte Nova MG (1999); Ps-Graduada em Auditoria em </p><p>Servios de Sade pela Universidade Federal do Tocantins TO (2002). J foi </p><p>professora substituta no Departamento de Administrao e Contabilidade da UFV no </p><p>perodo 2000/2001 e 2008/2009; professora e coordenadora adjunta do curso de </p><p>Cincias Contbeis do Instituto Tocantinense Presidente Antnio Carlos no perodo </p><p>2001/2006; coordenadora da equipe de Contabilidade e Planejamento Pblico da </p><p>Prefeitura Municipal de Araguana TO e do Estado do Tocantins TO no perodo </p><p>2005/2007; scia-proprietria da Empresa Contbil Penna e Associados TO no </p><p>perodo 2002/2007; professora e coordenadora dos cursos de Cincias Contbeis da </p><p>FAMINAS Muria e da Faculdade DINMICA Ponte Nova, membro do Ncleo de </p><p>Educao Distncia da FAMINAS Muria e Belo Horizonte; professora autora </p><p>das disciplinas de Metodologia Cientfica e Finanas Empresariais na modalidade </p><p>EAD da FAMINAS Muria e Belo Horizonte; responsvel pela elaborao e </p><p>pareceres de questes para concursos pblicos pela empresa CONSUPLAN; </p><p>consultora de empresas e rgos pblicos. Atualmente professora do Instituto </p><p>Federal de Minas Gerais (IFMG) no Campus de Ouro Branco (MG) e do Centro de </p><p>Educao a Distncia do IFMG. </p></li><li><p>2 </p><p>SUMRIO </p><p>1. PROCESSO DE PLANEJAMENTO E ORAMENTAO ...................... 4 </p><p>2. ORAMENTO PBLICO ......................................................................... 5 </p><p>2.1. Tipos de Oramento ............................................................................. 5 </p><p>2.2. Princpios Oramentrios Gerais ........................................................... 6 </p><p>2.3. Ciclo Oramentrio ................................................................................ 7 </p><p>3. RECEITAS PBLICAS ............................................................................. 8 </p><p>3.1. Classificao da Receita Oramentria ................................................. 8 </p><p>3.2. Particularidades da Receita ................................................................... 9 </p><p>3.3. Estgios da Receita .............................................................................. 10 </p><p>3.4. Dedues da Receita Oramentria ..................................................... 11 </p><p>4. DESPESA PBLICA ................................................................................ 11 </p><p>4.1. Classificao das Despesas Oramentrias ......................................... 11 </p><p>4.2. Particularidades da Despesa ................................................................. 18 </p><p>4.3. Crditos Adicionais ................................................................................ 19 </p><p>4.4. Estgios da Despesa ............................................................................. 19 </p><p>5. CONTROLE DA EXECUO ORAMENTRIA ..................................... 20 </p><p>6. AVALIAO DA EXECUO ORAMENTRIA .................................... 21 </p><p>7. ACCOUNTABILITY E ORAMENTO PARTICIPATIVO ......................... 21 </p><p>7.1 Accountability .......................................................................................... 21 </p><p>7.2. Oramento Participativo ........................................................................ 22 </p><p>Referncias .................................................................................................. 23 </p></li><li><p>3 </p><p>ATENO: O contedo desta apostila no se prope a ser um estudo metodolgico, nem de cunho acadmico para fins de publicao, mas meramente roteiro de estudos para os estudantes de ps-graduao. As ideias expressas foram tiradas dos autores citatos, combinadas, para formar uma teia de conhecimentos capazes de integrar tcnica e teoria. O professor, mais uma vez, adverte que posicionamentos pessoais sero discutidos em sala de aula, pois estes so mero roteiro de estudo, com pensamento de autores citados. </p></li><li><p>4 </p><p>1. PROCESSO DE PLANEJAMENTO E ORAMENTAO a) Plano Plurianual PPA: um plano de mdio prazo, atravs do qual procura-se ordenar as aes do governo que levem ao atingimento dos objetivos e metas fixados para um perodo de quatro anos, situados entre o segundo ano do mandato do responsvel pela sua elaborao e o primeiro ano do mandato subseqente. Contedo do Plano Plurianual - PPA: </p><p> Diretrizes, objetivos e metas para as despesas de capital e os correspondentes custos de operao e manuteno, alocadas regionalmente. (art. 165, 1 da Constituio Federal); </p><p> Programas de durao continuada (qualquer um cuja durao ocorra por mais de um exerccio). </p><p>b) Lei de Diretrizes Oramentrias LDO: tem a finalidade de nortear a elaborao dos oramentos anuais, compreendidos aqui o oramento fiscal, o oramento de investimento das empresas e o oramento da seguridade social, de forma a adequ-los s diretrizes, objetivos e metas da administrao pblica, estabelecido no Plano Plurianual. Contedo da Lei de Diretrizes Oramentrias - LDO : </p><p> Definio das metas e prioridades para o exerccio seguinte. </p><p> Anexo de Metas Fiscais. </p><p> Orientao a elaborao da Lei Oramentria Anual - LOA. </p><p> Alterao da Legislao Tributria. </p><p> Equilbrio entre receitas e despesas. </p><p> Limitao de empenho, quando as metas bimestrais no forem alcanadas. </p><p> Controle de Custos. </p><p> Avaliao dos resultados dos Programas. </p><p> Condies para transferncia de recursos a entidades pblicas e privadas. </p><p> Autorizao para criar cargos, empregos e funes, concesso de vantagens, concesso de aumento aos servidores, alterao da estrutura de carreiras e admisso de pessoal. </p><p> Estabelecimento de metas fiscais, para trs exerccios, para receita, despesa, resultado primrio, resultado nominal, dvida pblica. </p><p> Avaliao do cumprimento das metas do ano anterior, memria e metodologia de clculo para justificar as metas anuais pretendidas e comparativo destas com as metas fixadas nos exerccios anteriores. </p><p> Evoluo do Patrimnio Lquido. </p><p> Origem e aplicao dos recursos de alienao de ativos. </p><p> Avaliao da situao financeira e atuarial. </p><p> Estimativa e compensao da renncia de receita. </p><p> Margem de expanso das despesas obrigatrias de carter continuado. </p><p> Anexo de Riscos Fiscais. </p><p> Definio da forma de utilizao e montante da reserva de contingncia. </p><p> Programao financeira e cronograma de execuo mensal de desembolso. </p></li><li><p>5 </p><p> Definio de despesa irrelevante para dispensa da estimativa de impacto oramentrio e financeiro. </p><p> Prioridades para obras em andamento e conservao do patrimnio. </p><p> Autorizao para assumir custeio de competncia de outros entes. </p><p> Situaes em que poder ser autorizada a realizao de hora-extra, quando ultrapassado o limite prudencial da despesa com pessoal. </p><p> Definio dos incentivos ou benefcios tributrios - renncia de receita. </p><p>c) Lei Oramentria Anual LOA: para viabilizar a concretizao das situaes planejadas no Plano Plurianual e, obviamente, transform-las em realidade, obedecida a Lei de Diretrizes Oramentrias, elabora-se o Oramento Anual, onde so programadas as aes a serem executadas, visando alcanar os objetivos determinados. </p><p>A LOA compreende: oramento fiscal; oramento de investimento das empresas; oramento da seguridade social. Contedo da Lei Oramentria Anual LOA: </p><p> Sumrio geral da receita por fontes e da despesa por funes do governo; </p><p> Quadro demonstrativo da receita e despesa segundo as categorias econmicas; </p><p> Quadro discriminativo da receita por fontes e respectiva legislao; </p><p> Quadro das dotaes por rgos do governo e da administrao; </p><p> Quadros demonstrativo da receita e planos de aplicao dos fundos especiais; </p><p> Quadros demonstrativo da despesa, na forma dos anexos 6 a 9 da lei 4.320/64; </p><p> Quadro demonstrativo do programa anual de trabalho do governo, em termos de realizao de obras e de prestao de servios. </p><p> 2. ORAMENTO PBLICO </p><p> O oramento um instrumento que descreve um plano geral de aes, </p><p>estabelecendo metas e prioridades de curto e longo prazos, alm de conter a projeo de receitas e definio de despesas que viabilizem o alcance dos objetivos. </p><p>O oramento pblico, em seu conceito puro, uma funo primordial da administrao pblica de estimar receitas e fixar despesas, constituindo-se na ligao entre o planejamento de aes e programas que se deseja cumprir com as funes executivas (poder fazer/realizar aes e dever de prestar servios a sociedade), em que a destinao dos recursos visa consecuo de objetivos e metas. 2.1. Tipos de Oramento a) Oramento Clssico ou Tradicional: era um programa administrativo elaborado pelo setor contbil, que relacionava as receitas a arrecadar e despesas de custeio e no apresentava objetivos a serem atingidos dentro de um exerccio financeiro. Este tipo de oramento no no tinha cunho de planejamento, enfatizando os meios com </p></li><li><p>6 </p><p>os quais a administrao pblica poderia fazer frente a seus gastos em detrimento dos fins das funes estatais. </p><p> b) Oramento de Desempenho ou de Realizaes: representa uma evoluo do oramento tradicional, no qual se busca estabelecer as aes governamentais e no apenas os gastos pblicos. Apesar de nesta tcnica de oramento j haver ligao das aes aos objetivos e apresentar interesse dos nveis organizacionais responsveis pela execuo dos programas, ainda no podia ser considerado como um oramento-programa, pois no tinha vinculao ao sistema de planejamento governamental. </p><p> c) Oramento-programa: a tcnica oramentria vinculada ao planejamento econmico e social que surgiu como uma necessidade de levar prtica, com programas anuais, os planos governamentais de desenvolvimento no longo prazo. um instrumento de planejamento da administrao pblica que expressa fsica e financeiramente os programas de governo, possibilitando a realizao de aes para manuteno das atividades de rotina do Estado e a implementao de projetos. Este o tipo de oramento utilizado no Brasil, principalmente por permitir o cumprimento da exigncia constitucional de integrar o oramento anual ao plano plurianual. 2.2. Princpios Oramentrios Gerais </p><p>Os Princpios Oramentrios visam estabelecer regras norteadoras bsicas, a fim de conferir racionalidade, eficincia e transparncia para os processos de elaborao, execuo e controle do Oramento Pblico. Vlidos para os Poderes Executivo, Legislativo e Judicirio de todos os entes federativos Unio, Estados, Distrito Federal e Municpios so estabelecidos e disciplinados por normas constitucionais, infraconstitucionais e pela doutrina. </p><p>a) Anualidade determina a vigncia do oramento, com limite no perodo de um ano. </p><p>b) Universalidade todas as receitas e despesas integram o oramento pelo seu total, sem qualquer deduo. </p><p>c) Unidade estabelece que todas as receitas e despesas devam estar contida em uma s lei oramentria. </p><p>d) Equilbrio manter o equilbrio entre as receitas estimadas e as despesas fixadas. </p><p>e) Exclusividade decorre do aspecto jurdico do oramento, determinando que no contenha matria estranha a previso da receita e fixao da despesa, ressalvada a autorizao para abertura de crdito suplementar, contratao de operao de crdito, ainda que por antecipao de receita, como destinao do supervit ou cobertura do dficit. </p><p>f) Oramento Bruto: dispe que todas as parcelas da receita e da despesa devem aparecer no oramento em seus valores brutos, sem qualquer tipo de deduo. </p><p>g) Especificao: define que as receitas e as despesas devem aparecer no oramento discriminadamente, de forma que se possa saber a origem dos recursos e sua aplicao. </p></li><li><p>7 </p><p>h) Publicidade: dispe que o contedo oramentrio deve ser divulgado por meio dos veculos oficiais de comunicao para conhecimento pblico e para eficcia de sua validade. </p><p>a) No-afetao da receita - postula o recolhimento de todos os recursos a uma caixa nica do tesouro, sem discriminao quanto a sua destinao, ressalvado o seguinte: repartio da arrecadao do imposto de renda retido na fonte sobre rendimentos; ITR; IPVA; ICMS; IR e IPI; destinao de recursos para manuteno e desenvolvimento do ensino, das receitas de impostos unio nunca menos de 18%; estados, distrito federal e municpios, no mnimo 25%; e, destinao de 15% da receita de impostos prprios e transferidos para custeio da sade. </p><p> 2.3. Ciclo Oramentrio </p><p>O ciclo oramentrio composto por: a) Elaborao </p><p>ETAPA ATIVIDADES </p><p>Preliminar Fixao de diretrizes. Projees e prognsticos. </p><p>Inicial Preparo das normas e instrues. Encaminhamento s unidades operacionais. </p><p>Intermediria </p><p> Indicao, pelas unidades oramentrias, dos programas de trabalho a serem desenvolvidas, discriminando: funes, programas, projetos e atividades; cdigos de despesas e fontes de recursos; </p><p> Consolidao das propostas parciais do oramento ao nvel das unidades de execuo. </p><p>Final Consolidao das propostas setoriais. Formulao da proposta geral do oramento. Encaminhamento ao Legislativo. </p><p>b) Estudo e aprovao </p><p>ETAPA ATIVIDADES </p><p>Iniciativa Responsabilidade do executivo pela apresentao do projeto de lei oramentrio ao legislativo. </p><p>Discusso Debate em plenrio do legislativo, incluindo emendas, voto do relator, redao final e votao. </p><p>Sano Aquiescncia do titular do poder executivo ao projeto de lei aprovado pelo legislativo. </p><p>Veto Em desacordo, o poder executivo poder vetar, total ou parcialmente o projeto aprovado pelo legislativo. </p><p>Promulgao e Publicao </p><p>A primeira se refere ao atestado de existncia da lei e a segunda a torna obrigatria atravs da publicidade. </p><p>c) Execuo fase em que realizado aquilo que es...</p></li></ul>