apostila medidas 2015 - files. medidas... · pdf fileteste de agilidade de semo –...

Click here to load reader

Post on 10-Nov-2018

215 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1 Apostila de Medidas e Avaliao

    Prof. Dr. Ricardo Martins de Souza profricardo2006@yahoo.com.br

    Apostila da Disciplina de Medidas e Avaliao em Educao Fsica

    Professor Ricardo Martins de Souza

    2015

  • 2 Apostila de Medidas e Avaliao

    Prof. Dr. Ricardo Martins de Souza profricardo2006@yahoo.com.br

    Apostila da Disciplina de Medidas e Avaliao em Educao Fsica

    Professor Ricardo Martins de Souza

    Sumrio

    1. Definies 2. Anamnese e Avaliaes Prvias

    2.1. PAR-Q 2.2. IPAQ verso 6 (curta)

    3. Avaliao da Composio Corporal 3.1. IMC 3.2. RCQ 3.3 Perimetria 3.4 Dobras Cutneas

    3.4.1. Frmulas Para Predio do Percentual de Gordura Partir das Dobras Cutneas

    3.4.1.1. Pollock (3 dobras) 3.4.1.2. Faulkner (4 dobras) 3.4.1.3. Siri e Brozeck (4 dobras) 3.4.1.4. Yuhanz (6 dobras) 3.4.1.5. Pollock 7 dobras

    3.5. Pesagem Hidrosttica 3.6. Bioimpedncia

    4. Avaliao da Capacidade Flexvel 4.1. Flexiteste proposto por Pvel e Arajo

    4.1.1. Flexo do Quadril 4.1.2. Extenso do quadril 4.1.3. Abduo do quadril 4.1.4. Flexo do tronco 4.1.5. Flexo lateral do tronco 4.1.6. Extenso + Aduo posterior do ombro 4.1.7. Aduo posterior partir da abduo de 180 no ombro 4.1.8. Extenso posterior do ombro 4.1.9. Normas de classificao

    4.2. Teste de Thomaz (artigo SARRAF et al.) 4.3. Banco de Wells

  • 3 Apostila de Medidas e Avaliao

    Prof. Dr. Ricardo Martins de Souza profricardo2006@yahoo.com.br

    5. Avaliao da Potncia Muscular 5.1. Impulso Vertical 5.2. Impulso Horizontal 5.3. Arremesso de Medicine Ball

    6. Determinao do Limiar Anaerbico 6.1. RAST

    6.2. Conconi 7. 1-RM

    7.1. 1-RM Carga Mxima 7.2. 1-RM Predio Por Repeties

    8. RML: Resistncia Muscular Localizada 8.1. Teste de RML de membros superiores 8.2. Teste de RML dos Msculos do Tronco

    9. Testes para medir a agilidade 9.1. Teste do Passo Lateral Side Step (Johnson e Nelson, 1979) 9.2. Corrida Vai-e-Vem Shuttle Run (Johnson e Nelson, 1979) 9.3. Salto em Quadrante Quadrant Jump (Johnson e Nelson, 1979) 9.4. Teste de Agilidade de SEMO SEMO Agility Test (Johnson e Nelson, 1979)

    10. Percepo Subjetiva do Esforo Fsico Escala de Borg 11. Testes de Avaliao da Capacidade Aerbica

    11.1. Teste de Astrand (Bicicleta) 11.2. Teste de Cooper (Corrida) 11.3. Teste de Harvard (Banco) 11.4. Teste de McArdle (Banco) 11.5. Teste de 1 Milha (1.600m)

  • 4 Apostila de Medidas e Avaliao

    Prof. Dr. Ricardo Martins de Souza profricardo2006@yahoo.com.br

    1. Definies

    Nesta seo teremos a definio e descrio de alguns termos que sero importantes para a utilizao do restante da apostila e o real entendimento dos assuntos abordados posteriormente. Os primeiros conceitos importantes dizem respeito a definio dos termos teste, medidas e avaliao. Os termos foram determinados com base nas descries de Johson e Nelson (1979).

    Teste o instrumento usado na avaliao, medida a informao, formal ou informal coletada durante o teste. Ela necessita ser precisa e objetiva dentro das limitaes do teste. Avaliao a importncia ou valor da informao e a definio de que forma essa informao vai ser utilizada. Tomemos um exemplo da avaliao da massa corporal. O teste utilizado pode ser o de medio a partir de uma balana antropomtrica. O sujeito subir na balana, sem calado e permanecer imvel at que a rgua seja ajustada em uma massa equivalente massa do avaliado (esse o teste). Quando a rgua ficar equilibrada, ser possvel visualizar um valor em kg e em gramas que corresponde massa do indivduo (essa a medida). A partir dessa informao o sujeito ser classificado como abaixo, acima ou com a massa ideal, e as atividades executadas podero ser prescritas com base nestas informaes. Existem basicamente 3 tipos de avaliaes que podem ser realizadas ao longo de um processo avaliativo: a avaliao DIAGNSTICA realizada no incio do programa e identifica o grau de desenvolvimento de certa caracterstica especfica do sujeito ou grupo. A avaliao FORMATIVA indica o progresso do indivduo e permite a correo e a adaptao do processo de treinamento, e a avaliao SOMATIVA utilizada ao final de cada unidade para obter a evoluo do indivduo. Veja o exemplo abaixo de uma curva de desenvolvimento da altura de indivduos da infncia at o incio da vida adulta. Poderamos ter por objetivo avaliar se a dieta de uma determinada populao carente pode ser melhorada para atender a correta curva de desenvolvimento. Essas crianas seriam observadas ao longo de 10 anos de desenvolvimento, dos 5 aos 15 anos de idade. Entre os 5 e 6 anos realizou-se a primeira avaliao (DIAGNSTICA) para se verificar qual a mdia do desenvolvimento neste ano e comparar o resultado com o quadro abaixo. O teste utilizado foi da estadiometria, a medida foi em centmetros e o resultado comparado com o grfico abaixo (avaliao). Notou-se que entre os 5 e 6 anos de idade o crescimento mdio dos indivduos foi de 4cm/ano, o que menos do que a mdia normal desta populao que seria entre 6 e 8cm/ano. A partir da uma nova dieta foi adotada para essas crianas e ao final de cada ano uma nova avaliao da estatura foi realizada (avaliaes SOMATIVAS). Essas avaliaes foram utilizadas para a realizao de correes da dieta (mais ou menos calorias) para que o desenvolvimento se adequasse aos critrios estabelecidos na tabela normativa abaixo. Ao final de todo processo, quando as crianas completaram 15 anos, uma ltima avaliao foi realizada e constatou-se que as crianas agora tem um desenvolvimento dentro da normalidade para a faixa respectiva etria. Dessa forma, identificou-se que todo o processo de mudana e adequao da nova dieta foi importante para o correto desenvolvimento das crianas participantes do estudo (avaliao SOMATIVA).

  • 5 Apostila de Medidas e Avaliao

    Prof. Dr. Ricardo Martins de Souza profricardo2006@yahoo.com.br

    Para que as avaliaes sejam corretamente realizadas e os resultados encontrados possam refletir a realidade, alguns princpios bsicos devem ser seguidos.

    As avaliaes devem sempre ser conduzidas com o objetivo do programa em mente, lembrar da relao entre teste, medida e avaliao, somente pessoas capacitadas podem realizar os procedimentos, os dados devem ser interpretados em funo do indivduo como um todo, tudo pode ser medido porm nenhum teste perfeito, entretanto nenhum teste substitui o julgamento profissional. Deve-se sempre haver re-teste e deve existir a preocupao de se utilizar apenas testes vlidos. Podemos classificar as avaliaes entre OBSERVAES, INQUIRIES e TESTAGEM. Entre as avaliaes por OBSERVAO podemos destacar o Anedotrio (breve descrio dos fatos ou episdios decorridos), a Lista de Checagem (a ocorrncia ou no de fatos e comportamentos e/ou a ordem em que eles acontecem) e as Escalas de Classificao (descreve a caracterstica e a maneira ou intensidade com que certa caracterstica se manifesta). Entre as INQUIRIES, podemos destacar o Questionrio (geralmente realizado indiretamente, onde o avaliado responde por escrito as perguntas realizadas), a Entrevista (geralmente realizado diretamente, onde o entrevistado responde verbalmente as perguntas, sendo que as respostas sero transcritas pelo entrevistador) e o Sociograma (que descreve as caractersticas sociais de uma determinada populao, como o senso). Dentre os procedimentos mais utilizados dentro da Educao Fsica, podemos destacar os TESTES, que podem ser utilizados para a avaliao de inmeras capacidades fsicas, habilidades motoras e caractersticas antropomtricas.

  • 6 Apostila de Medidas e Avaliao

    Prof. Dr. Ricardo Martins de Souza profricardo2006@yahoo.com.br

    2. Anamnese e Avaliaes Prvias

    2.1. PAR-Q

    Muitos benefcios de sade esto associados com o exerccio regular, e a realizao de PAR-Q constitui uma primeira etapa sensvel se estiver planejando aumentar a quantidade de atividade fsica em sua vida. Para a maioria das pessoas a atividade fsica no representa qualquer problema ou perigo. PAR-Q foi elaborado com a finalidade de identificar o pequeno nmero de adultos para os quais a atividade fsica poderia ser inapropriada ou aqueles que deveriam receber aconselhamento mdico acerca do tipo de atividade mais apropriado a eles. O bom senso o seu melhor guia para responder poucas perguntas. Queira examin-las com extremo cuidado e checar SIM ou NO adiante da questo se isto se aplica a voc.

    1. Seu mdico j lhe disse que voc tem um problema cardaco e que somente deveria realizar a atividade fsica recomendada por um mdico?

    2. Voc sente dor em seu trax ao realizar atividade fsica? 3. No ms passado, voc teve dor torcica quando no estava realizando

    atividade fsica? 4. Voc perde o equilbrio em virtude de vertigem ou j perdeu a conscincia? 5. Voc tem algum problema sseo ou articular que poderia ser agravado por

    uma mudana em sua atividade? 6. Atualmente seu mdico est prescrevendo medicamentos (ex. plulas

    diurticas) para sua presso arterial ou condio cardaca? 7. Voc tem conhecimento de qualquer outra razo pela qual voc no deveria

    realizar atividade fsica? Se voc respondeu NO honestamente para TODAS as questes do PAR-Q, pode ficar razoavelmente tranqilo de que pode: 1. Iniciar um programa de exerccios gradativos 2. Tomar parte em uma avaliao de aptido Entretanto, se voc sofre de uma pequena enfermidade (ex. resfriado) deve adiar a atividade. Se voc respondeu SIM para uma ou mais questes do PAR-Q, voc deve consultar seu medico, caso no tenha o feito recentemente, antes de iniciar um programa de exerccios e/ou de ser submetido a uma avaliao da aptido.

    2.2. IPAQ verso 6 (curta)

    QUESTIONRIO INTERNACIONAL - DE ATIVIDADE FSICA (verso 6) Extrado de Pardini et al., Revista Brasileira de Cincia e Movimento, v.9, n.3, p.45-51, 2001. Ns queremos saber quanto tempo voc gasta fazendo atividade fsica em uma sem