apostila escotismo e vida campestre

Download apostila escotismo e vida campestre

Post on 07-Aug-2015

274 views

Category:

Documents

28 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

o livro traz noções de como sobreviver em meio a natureza, cozinhar , fazer fogo, armar barraca, fazer acampamento improvisado, e muito mais.é um livro excelente e leve extraído de um site, organizado no word e passado para pdf.

TRANSCRIPT

Unio Este Brasileira Clube de Lderes de DesbravadoresMESTRADO EM VIDA CAMPESTRE ME 10

ACAMPAMENTO IV AR 041. Ter pelo menos 12 anos, ou estar no mnimo na oitava srie. 2. Planejar e apresentar uma atividade apropriada para o sbado, que no seja o culto, para tornar o sbado um dia agradvel. 3. Escrever uma redao de 200 palavras sobre a preservao da natureza, mencionando as regras de comportamento de dois dias, e fazer um oramento dos custos. TICA DE ACAMPAR E PRESERVAO DA NATUREZA

2 Ao acamparmos devemos ter tica. tica significa princpios de conduta. necessrio observarmos os seguintes princpios: 1. Aumentar a familiarizao com o ar livre. 2. Ensinar a ter confiana prpria. 3. Respeitar a natureza. 4. Deixar intactos os ninhos de pssaros e as tocas de animais terrestres. 5. Evitar agredir as espcies sejam elas animais ou vegetais. 6. Se no respeitarmos a natureza no poderemos cobrar respeito dela. 7. Ao acampar, evitar desmatamento. Utilizar apenas o necessrio. 8. Enterre o lixo. 9. No polua os rios. 10. No mate os animais. Salvo, em caso de legtima defesa ou para alimento. 11. No permita que o fogo ofenda a natureza. 12. Lembre-se: Na natureza s se deixa RECOR s se mata CURIOSIDADE s se tiram FOTOS 4. Planejar o cardpio de um acampamento de dois dias, e fazer um oramento dos custos. PREPARAO DE CARDPIO De uma maneira prtica, podemos estabelecer um esquema alimentar razovel, se utilizarmos a chamada "Roda dos alimentos", e seus quatro grupos: 1 Grupo - Leite e derivados ( exceto a manteiga e a nata ); 2 Grupo - Cremes, aves, peixes, embutidos, midos, ovos, soja texturizada; 3 Grupo - Vegetais verdes, folhudos, hortalias, frutas; 4 - Acares, gorduras, farinceos, leguminosas, frutas oleaginosas; O seguinte esquema recomendado para atender aos requisitos de uma boa nutrio: a) - Comer no mnimo um alimento de cada Grupo em cada refeio; b) - Ao escolher alimento do 3 Grupo, procurar variar na cor e no preparo (exemplo: um verde - um amarelo; um cru - um cozido); c) - Evitar duas frituras por refeio; Para um melhor balanceamento de um cardpio, devem ser consultadas tabelas da constituio dos alimentos, ou procurar a ajuda de um profissional da nutrio ( lembre-se de que um juvenil necessita de no mnimo 2700 calorias por dia. Um adulto de 3200).

PLANEJAMENTO DE COMO MONTAR UM CARDPIO O planejamento o segredo do sucesso ao cozinhar. Mas, antes que voc possa iniciar o planejamento de sua alimentao, precisa conhecer o tipo de atividade que vai realizar. Ser um acampamento volante, um acampamento de longa durao, ou apenas um acampamento de fim-de-semana? A durao e o tipo de atividade iro restringir os tipos de alimentos que sero utilizados, e como ser feito o abastecimento. Um outro fator que ir condicionar o planejamento o tempo que ir estar disponvel para a tarefa de preparao dos alimentos. Para podermos montar o cardpio, preencha a tabela como a seguinte: TEM N. de participantes Dias de acampamento N. desjejuns N. de almoos N. de jantares Necessidades especiais (dieta) QUANTIDADE

Elaborado por R. Florentino Lder Mster So Jos III 2 Regio AAMAR 2008

3 Depois, defina quais sero os pratos que sero preparados: Guia do planejamento - dia ___/___/___ Entrada/sopa/ (vegetais) Prato principal Bebida frutas Saladas

Refeio DESJEJUM ALMOO JANTA CEIA

Sobremesa

Observaes: a) Ao elaborar o cardpio, lembre-se que o mesmo deve ser fcil de preparar, economizando tempo e trabalho; b) Um cardpio bem variado d vida ao prato e come-se melhor; c) Evite ao mximo usar alimentos enlatados (pode deteriorar-se se a lata estiver amassada); Sua lista de alimentos vir das receitas que voc escolheu no Guia de planejamento. Anote cada item e a quantidade necessria para cada receita. Se um item estiver listado em mais de uma receita, adicione a quantidade nova ao que voc j havia anotado, a fim de ter a quantidade total necessria para a atividade. Esta sua lista de compras. Se alguma coisa ser comprada no local da atividade, anote na coluna apropriada: LISTA DE COMPRAS QUANT. POR QUANT. A PESSOA COMPRAR

N. 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10.

ITEM

LOCAL

Uma cebola pequena Quatro vagens duas colheres de ervilha Fatiar a batata e a cenoura em tiras bem finas. Picar a vagem e a cebola em pedaos bem pequenos. Em um envelope de alumnio, colocar todos os ingredientes misture-os e acrescente sal. No deixe buraco no envelope. Em um "fogo" improvisado com pedras e lenha, coloque o pacote em cima de uma grelha. Em 20 minutos, a seleta de legumes estar pronta.

Po de caador Ingredientes: Farinha de trigo gua Sal Misture a farinha com um pouco de gua, at formar uma massa grossa, um pouco pegajosa, e junte uma pitada de sal. Com as mos, faa rolinhos com a massa, e coloque-os sobre uma varinha de madeira verde e/ou mida. Leve para perto do fogo, e espere at que ela cozinhe. Ma recheada Ingredientes: Uma ma Goiabada Papel alumnio Elaborado por R. Florentino Lder Mster So Jos III 2 Regio AAMAR 2008

4 Corte a ma em duas metades, e escave cada uma das partes. Coloque goiabada nas partes escavadas e junte as duas metades da ma. Enrole no papel alumnio, e leve fogueira. Tempo de cozimento: cerca de 30 minutos. Tabela de gneros por pessoa em um dia, incluindo as trs refeies alho - 2 dentes arroz - 120 150 grs. Acar - 50 grs. Aveia - 35 grs. Azeite - 30 grs. Batatas - 400 grs. Cebola - 1 cabea Feijo - 80 grs. Frutas 2 unidades geleia - 30 grs. Leite - 300 grs. legumes - 300 grs. Macarro - 100 grs. Milho - 1 espiga Mel - 25 grs. Ovos - 1 unidade Po - 400 grs. Ervilhas - de lata Queijo - 50 grs. Sal 30 grs. Tomate - 250 grs. Verduras 300 grs. Limo - 1 unidade leo - 30 grs. Cevada - 70 grs. Carne vegetal - 150 grs. P.V.T. - 50 grs. Protenas - 100 grs. Bife vegetal - 120 grs. Salsicha vegetal - 2 unidade Suco - 2 copos Fub - 130 grs. Massa de tomate - 5 grs.

5. Participar em dois acampamentos de fim de semana. 6. Iniciar um fogo sob chuva, sabendo onde conseguir material para a mecha que manter o fogo aceso, e como manter o fogo aceso. Isca Convenciona-se denominar de isca ao amontoado inicial de folhas secas, papis, palhas, gravetos finos, cascas de rvores, sobre os quais operamos para a obteno inicial do fogo. Na selva, h rvores como a mombaca ou o maraj e outras palmceas que, mesmo verdes ou molhadas, pela raspagem de seus caules do uma espcie de maravalhas que facilitam a obteno inicial do fogo. Outro auxlio para a isca o emprego do breu vegetal, resina extrada da rvore do breu, que, alm de aceitar facilmente o fogo, ainda o conserva por muito tempo; alm disso, aromtico e espanta os mosquitos. Sempre que se dispuser de querosene, gasolina, fluido para isqueiro e plvora, sero eles teis na tentativa de obter fogo, desde que utilizados com o devido cuidado. Obtido o incio do fogo atravs do acendimento da isca, bastar ir adicionando madeira, a princpio o mais seca possvel. Uma vez firmado o fogo, em poder ser usada mesmo lenha verde. Dependendo da permanncia no local e do uso que se far da fogueira, dever-se- ir reunindo junto a ela o mximo de lenha possvel, para que v secando, caso esteja mida ou verde. Acendimento da Isca Por processos convencionais: - Os fsforos e isqueiros podero ser economizados com o emprego de uma vela, se houver, ou de uma tocha de galhos secos. Ao se aproximar a chama da isca, soprando-se suavemente, poder-se- facilitar a obteno do fogo inicial, ao qual sero adicionados, progressivamente, pequenos gravetos secos, com o cuidado de no abaf-lo. Sendo a combusto uma queima de oxignio, preciso deixar o fogo ventilado, colocando os gravetos maiores e a lenha grossa paulatinamente. comum, obtido o incio do fogo, haver uma precipitao em se colocar lenha grossa em quantidade, o que, geralmente, contribui para apag-lo. 7. Saber que madeira melhor pra acender rapidamente uma fogueira. Boa lenha para o fogo ser a obtida de rvores secas e em p. 8. Saber que madeira melhor para fazer brasas para cozinhar. A maior parte das madeiras produz brasas com exceo as de capoeiras (vegetao secundria), as madeiras verdes por ser de queima lenta dificilmente se conseguir brasas duradouras. 9. Demonstrar como dividir um fogo. Para transportar fogo de um local para outro, bastar levar um tio ou brasas de bom tamanho e coloc-los sob a nova fogueira, atiando o fogo. 10. Demonstrar o cuidado adequado dos alimentos, e onde guarda-los e protege-los de animais. CONSERVAO DOS ALIMENTOS a. As carnes devero ser cortadas em fatias finas, de no mximo 2 dedos de espessura, e submetidas a uma desidratao, pela defumao, salga ou moqum. b. Por perodos de at oito horas as carnes que no forem desidratadas, defumadas, salgadas ou moqueadas podero ser conservadas se forem armazenadas e protegidas no interior de igaraps, cujas guas so normalmente mais frias. c. O sal, elemento higroscpico, auxiliar, de qualquer modo, a desidratao e a conservao das carnes. Elaborado por R. Florentino Lder Mster So Jos III 2 Regio AAMAR 2008

5 d. Para maior proteo das carnes elas devero ser guardadas envoltas em panos, papel ou folhas. Caso acumulem mofo, bastar rasp-las ou lav-las, antes de serem preparadas para consumo. e. Os amaznidas conservam os alimentos, normalmente peixes, atravs do processo conhecido por mixira que consiste em derreter o leo do animal (banha) em um recipiente e com aquele ainda quente imergir, totalmente, a carne cozida ou frita. No caso de pedaos espessos, a carne dever ser cozida. Aps o leo solidificar-se o alimento continuar em condies de ser consumido durante o perodo de at 12 meses. 11. Preparar um jantar com sopa, legumes, um prato principal e uma bebida, tudo cozido. 12. Assar o seu alimento em forno refletor ou altar de cozinha. 13. Purificar gua de trs maneiras diferentes. (Plano: Obteno de gua e Fogo) PURIFICAO DA GUA a. As guas colhidas diretamente das chuvas ou cips d'gua no necessitam ser purificadas para o consumo. Entretanto, se for o