apostila enf

Download Apostila Enf

Post on 03-Sep-2015

18 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

APOSTILA DE ENFERMAGEM

TRANSCRIPT

  • CURSO TCNICO DE ENFERMAGEM

    NA MODALIDADE EJA

    EIXO TECNOLGICO DE AMBIENTE, SADE E SEGURANA

    Florianpolis

    Setembro/2008

    CENTRO FEDERAL DE EDUCAO TECNOLGICA DE SANTA CATARINA

    UNIDADE FLORIANPOLIS

    DEPARTAMENTO ACADMICO DE SADE E SERVIOS

  • PPC PROEJA Enfermagem Integrado.doc 2

    SUMRIO

    DADOS GERAIS DA OFERTA.................................................................. 03 1. JUSTIFICATIVA.......................................................................................... 04 1.1. Relevncia da Oferta..................................................................................... 05 1.2 Pesquisa de Demanda................................................................................... 07 1.3 Objetivos........................................................................................................ 11 1.3.1 Objetivo Geral............................................................................................... 11 1.3.2 Objetivos Especficos.................................................................................... 11 2. FORMAS DE ACESSO................................................................................ 12 2.1 Requisitos de acesso.................................................................................. 12 3. PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSO.......................................... 13 4. ORGANIZAO CURRICULAR.............................................................. 13 4.1 Fluxograma do curso.................................................................................... 15 4.2 Apresentao Sinttica do Curso................................................................. 16 Matriz Curricular......................................................................................... 18 4.3 Apresentao das Unidades Curriculares.................................................. 19 4.4 Metodologia................................................................................................... 68 4.4.1 Apresentao Grfica das Estratgias Curriculares................................. 69 4.5 Plano de Realizao do Estgio Curricular................................................ 72 4.6 Critrios de Aproveitamento de Conhecimentos e Experincias

    Anteriores...................................................................................................... 72

    4.6.1 Validao....................................................................................................... 73 4.7 Avaliao da Aprendizagem........................................................................ 73 4.8 Promoo / Pendncia.................................................................................. 74 4.9 Trancamento................................................................................................. 74 5. INSTALAES E EQUIPAMENTOS...................................................... 75 6. PESSOAL DOCENTE E ADMINISTRATIVO........................................ 77 7. DIPLOMA..................................................................................................... 85 8. REFERNCIAS ........................................................................................... 88

  • PPC PROEJA Enfermagem Integrado.doc 3

    DADOS GERAIS DA OFERTA

    CNPJ 81 531 428 0001 - 62

    Razo Social: Centro Federal de Educao Tecnolgica de Santa Catarina

    (CEFET-SC)

    Esfera Administrativa Federal

    Endereo Avenida Mauro Ramos, 950 - Centro

    Cidade/UF/CEP Florianpolis SC 88020-300

    Telefone/Fax 48 - 32210505

    E-mail de contato emaia@cefetsc.edu.br

    Site da unidade www.cefetsc.edu.br/fpolis

    rea do Plano Eixo Tecnolgico de Ambiente, Sade e Segurana

    Habilitao: TCNICO em ENFERMAGEM na Modalidade EJA

    Carga Horria: 2400 horas

    Estgio Supervisionado: 600 horas

    Dados Gerais do Curso

    Denominao

    CURSO TCNICO DE ENFERMAGEM na Modalidade EJA

    Forma de articulao

    Em conformidade com o Decreto 5154/04, a forma de articulao do curso Tcnico de

    Enfermagem na Modalidade EJA com o Ensino Mdio ser INTEGRADA.

  • PPC PROEJA Enfermagem Integrado.doc 4

    Regime de matrcula

    Matrcula por: Periodicidade Letiva

    Fase Semestral

    Total de vagas anuais

    Turnos de

    funcionamento

    Vagas por

    turma

    Nmero

    de turmas

    Total de vagas

    anuais

    Obs.

    Matutino

    Vespertino

    Noturno 30 1 por

    semestre

    60

    Total 30 60

    Obs.:

    Carga horria

    Carga horria Prazo de integralizao da carga horria

    Total do curso Limite mnimo Limite mximo

    2400h (6 Fases/3 Mdulos) 6 Semestres 12 Semestres

    1. Justificativa da oferta do curso

    Apresentam-se a seguir reflexes, informaes e dados que justificam a criao e implantao

    do Curso Tcnico de Enfermagem na Modalidade EJA na Unidade Florianpolis (UF) do

    CEFET-SC.

  • PPC PROEJA Enfermagem Integrado.doc 5

    1.1 Relevncia da oferta

    As desigualdades scio-econmicas presentes historicamente na sociedade brasileira

    trouxeram para o cenrio educacional do pas a Educao de Jovens e Adultos (EJA) como

    forma de resgate da escolaridade, uma vez que parte da populao jovem e adulta foi excluda

    no tempo considerado regular de escolarizao.

    Nesse contexto surgiu o Programa Nacional de Integrao da Educao Profissional

    com a Educao Bsica na Modalidade de Educao de Jovens e Adultos (PROEJA) que, para

    alm de escolarizao, constitui-se como oportunidade, tambm, de profissionalizao. Foi

    criado por meio do Decreto 5478/2005 e, posteriormente, pelo Decreto 5840/2006 e implantado

    na Rede Federal de Educao Profissional e Tecnolgica caracterizando-se como um

    programa voltado ao atendimento de jovens e adultos, mediante cursos e programas de

    educao profissional, articulado ao Ensino Fundamental ou ao Ensino Mdio, objetivando a

    elevao de escolaridade e a formao profissional. (GONALVES e COELHO. 2007, p 10)

    De acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domiclios (PNAD),

    realizada no ano de 2002 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatstica (IBGE) [...] dos

    23 milhes de jovens com idade entre 18 e 24 anos, cerca de 23,3% estavam empregados no

    mercado de trabalho formal, conforme o Registro Anual de Informaes Sociais do Ministrio

    do Trabalho e Emprego (MEC, 2006, p. 12, apud GONALVES e COELHO. 2007, p. 20).

    Alm disso, acerca da escolarizao, os dados indicam que

    [...] apenas 23 milhes de pessoas tinham 11 anos de estudo ou mais, ou seja, o Ensino Mdio completo. Isso representa apenas 13% do total da populao do Pas. O nmero absoluto de pessoas com 15 anos ou mais que no concluram o Ensino Fundamental de 65,9 milhes de brasileiros. Da populao economicamente ativa, 10 milhes de pessoas maiores de 14 anos e integradas atividade produtiva so analfabetas ou subescolarizadas. Esse quadro agrava-se entre negros e pardos e nas regies norte, nordeste e centro-oeste (MEC, 2006 apud GONALVES e COELHO. 2007, p. 11).

    Os nmeros revelam a necessidade de oferta de Educao de Jovens e Adultos aliada

    formao profissional em razo da evidente demanda social relacionada ao pblico ao qual se

    destina.

    No que se refere ao ensino de enfermagem no Brasil, o mesmo tem sido fortemente

    influenciado pelo contexto scio-econmico e poltico. At a dcada de 80 seu foco era o

    controle de grandes endemias, passando aps esse perodo, a atuar na assistncia curativa

    dentro dos hospitais, proporcionando aumento da empregabilidade para formandos de nvel

    mdio na rea da enfermagem.

  • PPC PROEJA Enfermagem Integrado.doc 6

    O atual modelo para o setor de sade foi construdo a partir da dcada de 1980,

    direcionado a reas de ao como promoo, proteo e recuperao da sade. Este modelo

    consolidou-se na Constituio Federal de 1988 com a implantao do Sistema nico de Sade

    (SUS), cujos princpios so a universalidade, a eqidade, a integralidade da atuao, sendo que

    suas diretrizes organizacionais visam descentralizao e participao da sociedade.

    As tendncias do mercado para rea da sade fornecem indicaes gerais significativas

    para a educao profissional voltada para o setor, j que a empregabilidade da rea sade

    corresponde a 8, 7% do mercado formal de empregos no Brasil.

    De acordo com o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Sade (CNES) em 2007

    havia 9.704 instituies de sade cadastradas no Estado de Santa Catarina. Os dados indicam

    que na cidade de Florianpolis esto instalados 11 estabelecimentos estaduais de sade; 03

    federais; 68 municipais e 605 privados, totalizando 687 estabelecimentos de atendimento

    sade da populao.

    Nesta perspectiva, a enfermagem exercida por categorias profissionais distintas e em

    uma ampla variedade de ambientes, como instituies prestadoras de servios de internao

    hospitalar ou de servios ambulatoriais de sade, escolas, associaes comunitrias, fbricas e

    domiclios, entre outros.

    De acordo com a Relao Anual de Informaes Sociais/RAIS, do Ministrio do

    Trabalho, em 2006 a Enfermagem representava 58,44% do conjunto das profisses de sade

    (RAIS, 2006). Em dados censitrios a Enfermagem j supera o marco de um milho de

    trabalhadores e a profisso que est presente em todas as instituies assistenciais de sade.

    Na rede hospitalar, est presente nas vinte e quatro horas de todos os trezentos e sessenta e

    cinco dias do ano (ABEN, 2007), embora nem todos os profissionais sejam habilitados como

    tcn