apostila enem

Download Apostila Enem

Post on 19-Dec-2014

440 views

Category:

Documents

46 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • 1. ENEM - Fsica corrigido e comentado 1998 at 2008 Professor Rodrigo Penna www.fisicanovestibular.com.br

2. Professor Rodrigo Penna - 2006 www.fisicanovestibular.com.br 2 NDICE 101 questes do ENEM relacionadas Fsica ENEM 1998 12 questes 4 ENEM 1999 13 questes 14 ENEM 2000 7 questes 25 ENEM 2001 9 questes 31 ENEM 2002 9 questes 38 ENEM 2003 7 questes 45 ENEM 2004 9 questes 51 ENEM 2005 6 questes 57 ENEM 2006 13 questes 62 ENEM 2007 9 questes 73 ENEM 2008 12 questes 82 3. Professor Rodrigo Penna - 2006 www.fisicanovestibular.com.br 3 COMENTRIOS As provas do ENEM, a meu ver, so imprevisveis! No seguem exatamente um programa de Fsica tradicional, porm as chamadas habilidades e competncias, cuja matriz o MEC divulgou recentemente para o ENEM 2009. Link para a matriz: http://www.fisicanovestibular.xpg.com.br/noticias/matriz_novoenem.pdf?option=com_docman&task=doc _download&gid=841&Itemid= . Talvez pela falta de costume em se trabalhar com elas o aluno sinta mais dificuldade. Neste caso, recomendo pelo menos uma olhada numa apresentao que fiz, a este respeito: http://www.fisicanovestibular.xpg.com.br/noticias/novo_enem_fisica.pps . A forma como classifiquei as questes como sendo de Fsica relativa. Na verdade, algumas so obviamente relacionadas, outras nem tanto. Porm, corrigi aquelas que achei interessantes, ainda que no possam ser chamadas de questes sobre Fsica, da maneira tradicional de se pensar. Pelo mesmo parmetro, a mdia de cada ano trazer 9 questes relacionadas Fsica. Claramente se destaca no que tange Fsica, a ENERGIA, SOBRE TODOS OS SEUS ASPECTOS E NUANAS! Dentro deste tema, a questo Nuclear veio cobrada de alguma forma em 2003, 2006, 2007 (meia-vida) e 2008. Bem como energias alternativas, como o gs natural, lcool e biodiesel. Noes bsicas de Astronomia, s vezes at pontos cardeais, aparecerem em 1999, 2000, 2006 e 2008. Podem voltar, ou pelo menos demonstra uma tendncia por este assunto. As prprias questes do ENEM so as melhores dicas de como o contedo cobrado. Ento, mos a obra! Estude! E se d bem! Rodrigo Penna (09/12/2006) 4. Professor Rodrigo Penna 2006 ENEM 1998 www.fisicanovestibular.com.br 4 ENEM 1998 12 questes 1. (ENEM/1998) (SP-C6-H20) Um porto est fixo em um muro por duas dobradias A e B, conforme mostra a figura, sendo P o peso do porto. A B Caso um garoto se dependure no porto pela extremidade livre, e supondo que as reaes mximas suportadas pelas dobradias sejam iguais, (A) mais provvel que a dobradia A arrebente primeiro que a B. (B) mais provvel que a dobradia B arrebente primeiro que a A. (C) seguramente as dobradias A e B arrebentaro simultaneamente. (D) nenhuma delas sofrer qualquer esforo. (E) o porto quebraria ao meio, ou nada sofreria. CORREO Questo de anlise relativamente complexa, sobre Momento de Uma Fora, ou Torque. Tracei na figura o peso P do porto, no Centro de Gravidade (meio), e o do menino na extremidade direita da figura. O Torque dado por: T = F.d.sen, onde F a fora, d a distncia at o apoio e o ngulo formado entre F e d. Mas pode-se interpretar Fsen como a componente da fora perpendicular distncia at o apoio d, ou dsen o chamado brao de alavanca, ou a distncia perpendicular do apoio at a linha de ao da fora, que tracejei de vermelho. Veja a figura: Os braos de alavancas so iguais em comprimento para as duas dobradias, e assim o Torque provocado pelos pesos o mesmo, medido em relao a A ou a B. Assim, argumentar pelo mdulo do Torque no far diferena! E o sentido do Torque, nos dois casos, o horrio. Observe ento que ao girar sob a ao do peso do menino, o porto tende a se apoiar embaixo, que destaquei com um crculo preto, mais distante de A. Isto far a diferena! Como num p-de-cabra, o porto sob o peso do menino tende a arrancar as dobradias da parede ao girar no sentido horrio, e neste caso a A deve arrebentar, saindo da parede, primeiro. Porque a dobradia A ser forada para fora da parede, enquanto a B, num primeiro momento servindo como apoio do giro horrio, ser forada para dentro! Como eu disse, achei a anlise bem complexa! Algumas poucas pessoas tm uma viso Fsica mais intuitiva das coisas, e talvez acertem com mais facilidade e sem tanta discusso terica. OPO: A. 2. (ENEM/1998) (CF-C5-H17) A sombra de uma pessoa que tem 1,80 m de altura mede 60 cm. No mesmo momento, a seu lado, a sombra projetada de um poste mede 2,00 m. Se, mais tarde, a sombra do poste diminuiu 50 cm, a sombra da pessoa passou a medir: 5. Professor Rodrigo Penna 2006 ENEM 1998 www.fisicanovestibular.com.br 5 (A) 30 cm (B) 45 cm (C) 50 cm (D) 80 cm (E) 90 cm CORREO Questo bem mais tradicional, que mescla uma noo bsica de PTICA, a SOMBRA, e Geometria, Semelhana de Tringulos. Como sempre, melhor desenhar um esquema: Veja: quando bate o sol, a sombra (cinza) formada e tringulos semelhantes surgem, j que os raios de luz chegam praticamente paralelos. Por semelhana, simples: a altura do poste est para a altura do homem assim como a sombra do poste est para a do homem. Passei todas as unidades para metro! meAlturaPostX X 6)( 6,0 2 8,1 == As alturas do poste e do homem permanecem medida que sol se move, e a sombra do poste diminui 50 cm, indo para 1,5m. Nova semelhana: a nova sombra do homem est para a do poste assim como a altura do homem est para a altura do poste: cmmmAlturaHomeY Y 4545,0)( 6 8,1 5,1 === Faz-se at de cabea, tambm simples, quando se compreende a semelhana: se a sombra do poste se reduziu , de 2m para 1,5m, a sombra do homem tambm se reduz , seguindo a mesma proporo, indo de 60 para 45 cm. OPO: B. 6. Professor Rodrigo Penna 2006 ENEM 1998 www.fisicanovestibular.com.br 6 3. (ENEM/1998) (CF-C3-H8) Na figura abaixo est esquematizado um tipo de usina utilizada na gerao de eletricidade. gua Gerador Turbina Torre de transmisso h Analisando o esquema, possvel identificar que se trata de uma usina: (A) hidreltrica, porque a gua corrente baixa a temperatura da turbina. (B) hidreltrica, porque a usina faz uso da energia cintica da gua. (C) termoeltrica, porque no movimento das turbinas ocorre aquecimento. (D) elica, porque a turbina movida pelo movimento da gua. (E) nuclear, porque a energia obtida do ncleo das molculas de gua. CORREO Tambm simples a questo, embora j necessite de um conhecimento acadmico: o nome dado pela Fsica a um tipo de Energia. Mas uma parte de conhecimento geral: gua caindo de uma altura h, movendo a turbina, trata-se de uma usina HIDRELTRICA, alis, a mais utilizada no Brasil. A energia do movimento da gua, que convertida em energia eltrica, chamada CINTICA. OPO: B. 4. (ENEM/1998) (DL-C3-H8) A eficincia de uma usina, do tipo da representada na figura da questo anterior, da ordem de 0,9, ou seja, 90% da energia da gua no incio do processo se transforma em energia eltrica. A usina Ji-Paran, do Estado de Rondnia, tem potncia instalada de 512 Milhes de Watt, e a barragem tem altura de aproximadamente 120m. A vazo do rio Ji-Paran, em litros de gua por segundo, deve ser da ordem de: (A) 50 (B) 500 (C) 5.000 (D) 50.000 (E) 500.000 CORREO Agora a pergunta j mais complexa, e envolve conhecimento qualitativo e tambm quantitativo: frmula e conta! Traduzindo a estria e o tratando dos fenmenos: a gua cai, sua Energia Potencial Gravitacional se converte em Cintica, e 90% desta energia Cintica convertida em Eltrica! Duas frmulas: mghEG = , onde E G energia gravitacional(J), m massa (kg), g a gravidade ( s m 2 ) e h altura(m). t E P = , P Potncia(W), E a energia(J) e t o tempo(s). Substituindo: 7. Professor Rodrigo Penna 2006 ENEM 1998 www.fisicanovestibular.com.br 7 Kg hg tP m t mgh t E P 1010 5 6 .74,4 120.10.9,0 1..512 ..9,0 ..9,0%.90 ===== Note que transformamos os milhes em 10 6 , levamos em conta os 90% e usamos o tempo de 1s, porque se pede a vazo em litros por segundo! Uma ltima lembrana de que a densidade da gua igual a 1 g/ cm 3 . 1 litro de gua pura tem massa de 1 kg! O que nos leva a algo da ordem de 500.000 litros por segundo! OPO: E. 5. (ENEM/1998) (SP-C3-H8) No processo de obteno de eletricidade, ocorrem vrias transformaes de energia. Considere duas delas: I. cintica em eltrica II. potencial gravitacional em cintica Analisando o esquema, possvel identificar que elas se encontram, respectivamente, entre: (A) I- a gua no nvel h e a turbina, II- o gerador e a torre de distribuio. (B) I- a gua no nvel h e a turbina, II- a turbina e o gerador. (C) I- a turbina e o gerador, II- a turbina e o gerador. (D) I- a turbina e o gerador, II- a gua no nvel h e a turbina. (E) I- o gerador e a torre de distribuio, II- a gua no nvel h e a turbina. CORREO Consideremos apenas as converses de energia: transformao de Energia Cintica, do movimento da gua, em Eltrica, ocorre entre a turbina, na qual a gua passa em movimento, e a eletricidade sai, na outra ponta; j Potencial Gravitacional em Cintica ocorre na queda dgua, entre a gua no nvel h e a turbina. OPO: D. 6. As bicicletas possuem uma corrente que liga uma coroa dentada dianteira, movimentada pelos pedais, a uma coroa localizada no eixo da roda traseira, como mostra a figura. O nmero de voltas dadas pela roda traseira a cada pedalada depende do tamanho relativo destas coroas. Em que opo abaixo a roda traseira d o maior nmero de voltas por pedalada? 8. Professor Rodrigo Penna 2006 ENEM 1998 www.fisicanovestibular.com.br 8 (A) (B) (C) (D) (E) CORREO Outra de conhecimento geral e bom senso, para qualquer pessoa que j andou numa bicicleta de marchas: quanto maior a coroa, no pedal, e menor a catraca, na roda, mais voltas a roda d, e mais pesado o pedal fica, tambm! Quando se pedala e a corrente se move nas engrenagens, entrando na engrenagem do pedal um dente tem que ter sado da engrenagem da roda um dente tambm, ou a corrente se rompe! Quanto menos dentes a engrenagem da roda tiver, uma volta ser completa com um menor deslocamento da corrente. Por outro lado, quanto mais dentes a engrenagem dos pedais tiver, mais rpido ela come (puxa) a corre