apostila direito civil iii contratos

Download Apostila Direito Civil III Contratos

Post on 07-Dec-2014

237 views

Category:

Documents

13 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

1

DIREITO CIVIL CONTRATOS1. IMPORTNCIA DA MATRIA Trata-se de uma matria controvertida, polmica e atual. Matria de suma importncia, pois cobrada em vrios concursos pblicos, inclusive no exame de ordem. Matria de fcil entendimento;

2. PROCEDIMENTOS DIDTICOS Horrio; Freqncia; Participao (Interatividade); Aulas expositivas dialogadas; Estudos de casos; Exerccios prticos escritos ou orais; Leitura e discusso de textos; Pesquisas individuais e em grupo; Seminrios orientados; Utilizao de ferramentas alternativas;

3. BIBLIOGRAFIA Bsica o DINIZ, Maria Helena. Cdigo civil anotado. 8. ed. So Paulo: Saraiva, 2002. o __________. Curso de direito civil brasileiro. 15. ed. So Paulo: Saraiva, 1997. v. 3. o MONTEIRO, Washington de Barros. Curso de direito civil. 31. ed. So Paulo: Saraiva, 1999. v. 5. o PABLO STOLZE GAGLIANO NOVO CURSO DE DIREITO CIVIL CONTRATOS; o RODRIGUES, Slvio. Direito civil. 26. ed. So Paulo: Saraiva, 2001. v. 3. o VENOSA, Slvio de Salvo. Direito civil. So Paulo: Atlas, 2001. v. 3

Sugesto Particular o LEIA 2 PGINAS DE CADA DOUTRINA E ESCOLHA A QUE MAIS SE IDENTIFICAR;

2

4. CONTEDO PROGRAMTICO Unidade I O Contrato o o o o Conceito; Princpios gerais; Contrato de adeso; Novas manifestaes contratuais.

Unidade II Elementos do Contrato o o o o o o Teoria dos negcios jurdicos; A vontade; Capacidade dos contratantes; Objeto dos contratos; Forma e prova dos contratos; Vcios de vontade.

Unidade III Formao do Contrato o o o o Negociaes preliminares; Oferta, proposta ou policitao; Aceitao; Lugar do contrato.

Unidade IV Das Estipulaes em Favor de Terceiros Unidade V Classificao dos Contratos o Contratos unilaterais e bilaterais; o Contratos onerosos e gratuitos; o Contratos comutativos e aleatrios; o Contratos casuais e abstratos; o Contratos consensuais e reais; o Contratos solenes e no solenes; o Contratos tpicos e atpicos; o Contratos principais e acessrios; o Contratos de execuo instantnea e de execuo diferida no tempo; o Contratos preliminares e definitivos; Unidade VI Interpretao dos Contratos o Regras interpretativas.

Unidade VII A Teoria da Impreviso e Onerosidade Excessiva Unidade VIII Dos Contratos Bilaterais o Natureza dos contratos bilaterais; o Efeitos; o Exceptio non adimpleti contractus.

3

Unidade IX Dos Vcios Redibitrios o Conceito; o Requisitos; o Efeitos. Unidade X Da Evico o Conceito; o Requisitos; o Efeitos. Unidade XI Espcies Contratuais Previstas no Cdigo Civil: contratos tpicos Unidade XII Outras Espcies Contratuais o Alienao Fiduciria; o Incorporao imobiliria; o Contratos bancrios. Unidade XIII Responsabilidade Civil o Contratual e extracontratual; o Teorias; o Requisitos; o Responsabilidade pr-contratual e ps-contratual. Unidade XIV Das Obrigaes por Declarao Unilateral de Vontade o Dos ttulos ao portador; o Da promessa de recompensa.

4

1 AULA DIREITO CIVIL INTRODUO CONTRATOSCONTRATO 1. IMPORTNCIA A figura jurdica mais importante do Direito Civil; Crime x Direito Penal Contrato x Direito Civil; 2. ABORDAGEM HISTRICA Origem; Quando e onde sugiu o contrato? Roma? Grcia? Contribuio inegvel foi dada pelo movimento iluminista francs, com vocao ANTROPOCNTRICA, firmou a VONTADE RACIONAL DO HOMEM COMO O CENTRO DO UNIVERSO (pacta sunt servanda). O contrato evolui com o tempo, adaptando-se sociedade. o Contrato de adeso; o Processo de solidarizao social; Arnoldo Wald afirma que: poucos institutos sobreviveram por tanto tempo e se desenvolveram sob formas to diversas quanto o contrato, que se adaptou a sociedades com estruturas e escala de valores to distintas quanto s que existiam na Antiguidade, na Idade Mdia, no Mundo Capitalista e no prprio regime Comunista.

3. CONCEITO Pablo Stolze entende que contrato um negcio jurdico por meio do qual as PARTES DECLARANTES, limitadas pelos princpios da funo social e da boa-f objetiva, autodisciplinam os efeitos patrimoniais que pretendem atingir, segundo a autonomia das suas prprias VONTADES. Em outras palavras s h contrato, quando existe MANIFESTAO DE VONTADE. E, no havendo NEGCIO (objeto), no h contrato.

4. NATUREZA JURDICA O CONSENTIMENTO OU CONSENSO, o ncleo do negcio jurdico contratual, formado a partir das vontades emitidas pelas partes declarantes (acordo de vontades). Sem essa manifestao de vontade e, consequentemente, o consentimento, o negcio jurdico ser considerado inexistente.

5. EXISTNCIA, VALIDADE E EFICCIA EXISTNCIA No surge do acaso. Devem estar presentes certos requisitos mnimos. VALIDADE No basta existir, deve possuir aptido legal para produzir efeitos.

5

EFICCIA Ainda que um negcio jurdico existente seja considerado vlido, isto no importa em produo imediata de efeitos, pois estes PODEM ESTAR LIMITADOS POR ELEMENTOS ACIDENTAIS DE DECLARAO (condio, termo e encargo).

6. ELEMENTOS CONSTITUTIVOS 4 elementos devem estar presentes: o Manifestao de vontade; o Existncia de um agente para manifestar tal vontade; o Objeto (o que se declara); o Forma do contrato (oral, escrita, mmica, etc...). Tais elementos podem se dividir em subjetivos e objetivos: o SUBJETIVOS: PARTES CAPAZES para contratar ou ser assistidas ou at mesmo representadas; o OBJETIVOS: OBJETO deve ser lcito, possvel (fsica e juridicamente) e determinvel; No atentar contra a ordem pblica; No pode ser proibida por lei;

7. PRESSUPOSTO DE VALIDADE Manifestao De Vontade o Acordo livre e de boa-f (vcios de consentimento); o Agente capaz (legitimidade); o Objeto idneo, lcito, possvel e determinado ou determinvel; o Forma do contrato (prescrita ou no defesa em lei); o Exceo: existem casos em que a lei expressamente estabelece um determinado tipo de forma para que o contrato tenha validade. o Recibo compra e venda x escritura pblica 108 c/c 166, iv do c.c. 8. PLANO DE EFICCIA DOS CONTRATOS 3 elementos acidentais que eventualmente LIMITAM ou fazem CESSAR determinados fatos preestabelecidos. o TERMO Evento FUTURO e CERTO, que protrai o comeo da produo de efeitos (termo inicial) ou faz cess-los (termo final). Ex: quando completar 20 anos te darei um carro. o CONDIO Evento FUTURO e INCERTO que, se ocorrer, poder dar incio produo de efeitos (condio suspensiva) ou fazer cess-los (condio resolutiva). Ex: se voc casar te darei um apartamento. o MTODO MNEMNICO: condio/incerto termo/certo. o ENCARGO/MODO determinao acessria acidental de negcios jurdicos gratuitos, que impe ao beneficirio da liberalidade um nus a ser cumprido, em prol de uma liberalidade maior. Ex: ganhar uma casa, mas ter que cuidar do jardim. o MTODO MNEMNICO: BNUS COM NUS. o Exemplo de contrato UNILATERAL IMPERFEITO. Quando tem prestao para ambas as partes, mas UMA PRESTAO NO CAUSA PARA A OUTRA.

6

CONDIO EVENTO FUTURO E INCERTO Quando suspensiva: suspende a aquisio e o exerccio do direito.

TERMO EVENTO FUTURO E CERTO

Quando suspensivo: NO impede a aquisio do direito, mas, apenas o seu exerccio gera direito adquirido. Condio incertus an incertus: Termo certus an certus: h h absoluta incerteza em relao certeza quanto ao evento futuro ocorrncia do evento futuro e e quanto ao tempo de durao. incerto Condio incertus an certus: no Termo certus an incertus: h se sabe se o evento ocorrer, certeza quanto ao evento mas, se acontecer, ser dentro futuro, mas incerteza quanto de um determinado prazo. sua durao. 9. TERMINOLOGIAS RELEVANTES CONTRATO X INSTRUMENTO CONTRATUAL

ENCARGO/MODO CLUSULA ACESSRIA LIBERALIDADE NO impede a aquisio nem o exerccio do direito - gera direito adquirido.

o Contrato: Negcio jurdico formado pela convergncia de vontades contrapostas (consentimento). o Instrumento contratual: Documentao do negcio. Expresso escrita, composta por clusulas contratuais, anexos... Em outras palavras, o que compe o contrato. PREMBULO X CONTEXTO o Prembulo: Parte introdutria. Contm a qualificao das partes, descrio do objeto e razes ou justificativas do contrato. o Contexto: Disposies do contrato, ou seja, clusulas contratuais (contrato escrito).

CONVENO X CONTRATO o Conveno: Genrica. Utilizada para caracterizar acordos de vontade em geral. Ex: conveno coletiva direito do trabalho. o Contrato: Convergncia de vontades, que se conjugam formando o consentimento.

10. REVISO CONTRATUAL FORMA ESSENCIALMENTE LIVRE. o Caneta que o colega empresta (contrato de comodato); o Ir de nibus para faculdade (contrato de transporte); o Cd que trocamos com um amigo (contrato de troca); o Anel que compramos para namorada (contrato de compra e venda); Regra a LIBERDADE DA FORMA. ARTIGO 107 CDIGO CIVIL. A validade da declarao de vontade no depender de forma especial, seno quando a lei exigir expressamente.

7

VIDE ARTIGO 481 E SEGUINTES DO CDIGO CIVIL. Orienta CLVIS BEVILQUA: princpio aceito pelo direito moderno que as DECLARAES DE VONTADE NO ESTO SUJEITAS A UMA FORMA ESPECIAL, SENO QUANDO A LEI EXPRESSAMENTE A ESTABELECE. at um dos resultados da evoluo jurdica, assinalado pela histria e pela filosofia, a decadncia do formalismo, em correspondncia com o revigoramento da energia jurdica imanente nos atos realizados pelos particulares, a expanso da autonomia da vontade e a consequente absteno do estado que se acantoa, de preferncia, na sua funo de superintendente, pronto a intervir, quando necessrio restabelecer coativamente o equilbrio de interesses.

8

2 AULA DIREITO CIVIL PRINCPIOS CONTRATUAIS1. PRINCPIOS DO DIREITO CONTRATUAL So normas elementares. Considerados requisitos primordiais institudos como base, como alicerce, mostrando-se a razo fundamental de ser das coisas jurdicas, ao passo que s regras so normas especficas. Os princpios pairam por toda a legislao, dando-lhe significado legitimador e validade jurdica.

2. PRINCPIOS DO DIREITO CONTRATUAL Temos, portanto: o Princpio da Dignidade da Pessoa Humana; o Princpio d