apostila de recrutamento e seleção

Download Apostila de Recrutamento e Seleção

Post on 30-Jan-2016

218 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Uma excelente apostila para quem deseja trabalhar com Recursos Humanos. Eu recomendo!

TRANSCRIPT

RECRUTAMENTO E SELEO DE PESSOAL

Recrutamento e Seleo de Pessoal Ps Graduao em Gesto de Pessoas F C S - pg. 4

RECRUTAMENTO E SELEO DE PESSOALRECRUTAMENTO E SELEO

INTRODUO

O Recrutamento/Seleo de pessoal importante para a instalao e manuteno da empresa, implementao de unidades, abertura de filiais e postos de trabalho. Mesmo antes da existncia da empresa se faz necessrio o setor de Recrutamento/Seleo para pesquisar a disponibilidade de mo-de-obra existente na regio, sua classificao e posterior definio das vagas.

O Recrutamento/Seleo visa buscar e selecionar candidatos que tenham identidade com a cultura da empresa, buscando manter esta caracterstica e quando necessrio, proceder s devidas adaptaes.

O Recrutamento/Seleo tem intuito de localizar e contratar pessoas certas para trabalharem nos mais variados setores da empresa. Contratar funcionrio inadequado traz prejuzo financeiro, desperdcio de tempo e treinamento, baixa a produo. Atitude que pode ser evitada se ao contatar um funcionrio, sabe-se que ele, por exemplo, goste de trabalhar no escritrio e no em atividades externas, a inverso das funes far com que a empresa desperdice o talento e a vocao do funcionrio e certamente dever substitu-lo brevemente.

Em funo da importncia do referido setor, a forma que os candidatos so tratados (tempo de espera, condies das instalaes) podem-se definir as caractersticas de funcionamento da empresa.

OBJETIVO DO RECRUTAMENTO - SELEO DE PESSOALRecrutar potenciais candidatos que sero selecionados para as vagas em aberto dentro da empresa, no menor tempo e melhor qualidade possvel e com menor custo.

Tendo os seguintes objetivos:

Planejar entrevistas, poupando que os candidatos fiquem horas esperando.

Recepcionar com o devido respeito e educao aos candidatos

Propiciar que os candidatos fiquem vontade nas entrevistas

No adotar postura arrogante

Atender bem aos seus clientes internos e externos

No divulgar informaes confidenciais

Manter a igualdade no tratamento de seus amigos e parentes na concorrncia com os demais candidatos

Todos os trabalhos sejam feitos em tempo hbil e com qualidade

Observar a legislao trabalhista (contrataes regulares e sem discriminao)

Dar retorno aos que respondem ao seu chamado.

A DISCRIMINAO

Ao analisar classificados constantes em jornais, nos confrontamos com anncios que afastam potenciais candidatos do processo de seleo, bem como so verdadeiros centros de discriminao do trabalhador brasileiro, suscetveis a processos judiciais e trabalhistas por afrontar abertamente a Constituio Federal.

Anncios discriminatrios freqentes em jornais:

Funcionrios para empresa de mveis para escritrio, entre 22 a 45 anos. (1)Vendedoras acima de 25 anos. (1)Gerente acima de 30 anos. ( 1)Atendente para disk pizza, maior de 23 anos. (1)Aougue precisa rapaz de 28 a 21 anos. (1,2)Atacadista busca 09 profissionais liberais, mulher lder. (2)Atendimento pessoas entre 18 e 44 anos. (1)Auxiliar de produo, masculino, 21 a 30 anos. (1, 2)Auxiliar de produo, masculino. (2)Auxiliar de departamento fiscal, sexo feminino. (2)Auxiliar de servios gerais, feminino de 20 a 28 anos. (1,2)Auxiliar de servios gerais, at 25 anos. (1)Balconista casa de sucos, feminino, de 20 30 anos. ( 1,2)Balconista para Farmcias, masculino de 20 a 30 anos. ( 1,2)Auxiliar de cozinha, sexo masculino. (2)Supervisor de venda e vendedor: currculo com foto (aparncia).(3)Caseiro urgente: casal sem filhos. (4)Caseiro acima de 40 anos. (1)Cobrador externo: acima de 30 anos. (1)Domstica: 30 a 40 anos. (1)Empregada domstica solteira. (4)Empresa de consultoria contrata auxiliar administrativo 18 25 anos. (1)Garom, sexo masculino, acima de 30 anos. (1,2)Auxiliar administrativo, sexo feminino, idade entre 15 a 30 anos com 1 ano de experincia (1,2 e 5)1 Discriminao quanto a idade2 Discriminao quanto ao sexo3 Discriminao quanto a cor e raa

4 Discriminao quanto ao estado civil

5 - Perodo de experincia maior que seis meses

So consideradas Discriminaes quanto:

Ao sexo (art. 5, inciso I e art. 7, inciso XXX, da CF-88)

cor (art. 7, inciso XXX, da CF-88)

origem - estrangeiros (caput do art. 5, da CF-88)

idade - (art. 7, inciso XXX, da CF-88)

religio - (art. 5, inciso VIII, da CF-88)

Violao intimidade e vida privada - normalmente nas entrevistas (art. 5, inciso X, da CF-88)

Estado Civil - (art. 7, inciso XXX, da CF-88)

Admisso de trabalhador portador de deficincia (art. 7, inciso XXXI, da CF-88)

Ao trabalho manual, tcnico e intelectual ou entre os profissionais respectivos (art. 7, inciso XXXII, da CF-88)

A sindicalizados (art. 5, incisos XIII, XVII, XX e XLI, da CF-88).

A homossexuais (art. 7, inciso XXX, da CF-88)

A Raa (art. 3, inciso IV, da CF-88)

Portanto, havendo as discriminaes acima mencionadas, os discriminados podero exigir indenizaes judiciais para amenizar a humilhao, porm, pior, ficar para a empresa, perante sua sociedade, por ser um agente incapaz de cumprir seu papel de responsabilidade social.

No por causa da empresa, propriamente dita, mas pelo motivo que o setor de Recrutamento/Seleo no est treinado para os desafios da atualidade, tendo como base pensamentos arcaicos e discriminadores.

Com relao a discriminao quanto aos requisitos pessoais (idade, sexo, etc. e profissionais ( fora fsica e aparncia), os seguintes comentrios:

A empresa, tambm tem seus direitos constitucionais: os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa (art. 1, inciso IV CF-88), cabendo a ela direcionar seus negcios, desde que no ilegalmente (aqui tange o fato da discriminao), de forma livre e tomando as decises que melhor lhe aprouver, porque as benesses lucro ou prejuzos, so riscos inerentes sua atividade (art. 3 da CLT).

Significa que a empresa tem o direito de escolher o funcionrio que melhor lhe aprouver, desde que a seleo e o recrutamento no sejam discriminatrios, portanto no podendo se basear nos critrio de idade, sexo...., mas em critrios tcnicos e pertinentes aos quais a funo exija, tambm apoiado em exigncias do mercado.

Traduzindo, ainda, a deciso da contratao do funcionrio deve partir de um estudo srio do setor contratante e seus especialistas, para definir as caractersticas do funcionrio a ser contratado. Isto facilitar o setor de Recrutamento/Seleo e ser decisivo para fazer prova a favor da empresa em processo de discriminao.

Outro fator que deve ser levado em conta , tambm, o de no dar preferncia aos desiguais, pois tanto no prembulo quanto no corpo Constitucional (art.5- caput, dentre outros) assegurado a igualdade, a justia, sem distino de qualquer natureza.

O inciso XXX, do art. 7 da CF-88 determina a proibio de diferena de critrio de admisso por motivo de sexo, idade, cor ou estado civil, bem assim, ao trabalhador portador de deficincia fsica, no inciso XXXI, do mesmo artigo.

Quer dizer, que a escolha deve ser efetuada pelo critrio tcnico, sem preferncias pessoais. Essa transparncia deve ser mostrada desde a requisio de pessoal, no qual constam as consideraes sobre a funo, e que poder ser utilizada como fator probante a favor da empresa.

Aos desavisados, salienta-se, que a Constituio bem clara ao dizer: proibida diferena de critrio de admisso por motivos de sexo, idade, cor, estado civil e ao trabalhador portador de deficincia fsica.

Por isso, qualquer critrio tendencioso de contratao do funcionrio compromete a empresa, mesmo no sendo sua inteno. A empresa dever proporcionar que todos os interessados tenham igualmente chances em concorrer ao cargo.

A discriminao pode estar na poltica da empresa, do scio, do diretor, do chefe, dos colegas, do setor de Seleo/Recrutamento, do setor de Pessoal. Cabe ao Recrutamento/Seleo identificar em que estgio ocorre a discriminao, para que possa tomar decises para amenizar e explicar as conseqncias financeiras, para a empresa e criminal para as respectivas pessoas fsicas.

Se for poltica da empresa ou dos scios: se condenada, a empresa paga indenizao e a acusao penal recai sobre o scio.

Se for poltica do direto, do chefe, dos colegas, do Departamento Pessoal: se condenada, a empresa paga a indenizao e deve argir, na pea de defesa jurdica, que a acusao penal recaia sobre os respectivos funcionrios.

Se for do Setor de Recrutamento/Seleo: o setor que est mais suscetvel s discriminaes e, conforme conduzir o procedimento de recrutamento e seleo, poder habilidosamente evitar a discriminao do seu setor, como tambm reduzir quase a zero a interferncia discriminatria dos demais.

Cabe ao setor de Recrutamento auxiliar os colegas de trabalho, informando-lhes quais so as formas de discriminao e suas implicaes, bem assim aos scios ou diretores, pois quem paga as aes de discriminao a empresa e no o funcionrio, fato que caracteriza diminuio do lucro a ser distribudo aos scios. Nenhuma empresa quer despender dinheiro toa por causa de atitudes reprovveis de funcionrios ou scios. Sero vlidas as orientaes.

Sobre o assunto veja os tpicos:COMO EVITAR A DISCRIMINAO NA ENTREVISTA DE CONTRATAODISCRIMINAO RACIAL, TICA E RELIGIOSAENTREVISTANDO O PORTADOR DE DEFICINCIAS

RECRUTAMENTO DE PESSOAL

So os procedimentos adotados pela empresa, tendo em vista a localizao de pessoal para suprir necessidade da contratao de funcionrios.

um conjunto de procedimentos que visa atrair candidatos potencialmente qualificados e capazes de ocupar cargos dentro da organizao (Chiavenato). o processo de encontrar e atrair candidatos capazes para solicitao de empregos. (Werner e Davis).Recrutamento um conjunto de tcnicas e procedimentos que visa atrair candidatos potencialmente