Apostila de Orçamento Público para Concursos

Download Apostila de Orçamento Público para Concursos

Post on 31-Jul-2015

1.142 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Apostila de Oramento Pblico para Concursos, contendo:1. Oramento pblico; 2. O conceito de oramento pblico; 3. Legislao do Direito Oramentrio brasileiro; 4. Princpios oramentrios; 5. Crditos adicionais Lei 4.320/64, artigos 40 ao 46; 6. Ciclo oramentrio; 7. Receita pblica; 8. Despesa pblica; 9. Tpicos especiais de despesa pblica; 10. Lei de responsabilidade fiscal. Teoria completa com exerccios resolvidos; 80 questes extradas de concursos anteriores; 82 questes comentadas didaticamente.

TRANSCRIPT

<p>ATENO: Esta apostila uma verso de demonstrao, contendo 46 pginas. A apostila completa contm 257 pginas e est disponvel para download aos usurios assinantes do ACHEI CONCURSOS. Acesse os detalhes em</p> <p>http://www.acheiconcursos.com.br</p> <p>APOSTILA PARA CONCURSOS PBLICOS</p> <p>ORAMENTO PBLICO</p> <p>Encontre o material de estudo para seu concurso preferido em</p> <p>www.acheiconcursos.com.br</p> <p>Contedo: 1. Oramento pblico; 2. O conceito de oramento pblico; 3. Legislao do Direito Oramentrio brasileiro; 4. Princpios oramentrios; 5. Crditos adicionais Lei 4.320/64, artigos 40 ao 46; 6. Ciclo oramentrio; 7. Receita pblica; 8. Despesa pblica; 9. Tpicos especiais de despesa pblica; 10. Lei de responsabilidade fiscal.</p> <p> Teoria completa com exerccios resolvidos; 80 questes extradas de concursos anteriores; 82 questes comentadas didaticamente.</p> <p>Oramento pblico</p> <p>Fernando Lima Gama Junior*Oramento pblico uma das disciplinas mais interessantes que estudamos para o ingresso em uma carreira pblica. Cincia multidisciplinar, o oramento pblico promove a interface entre trs outros ramos do conhecimento: Direito Financeiro, Finanas e Contabilidade e Administrao Pblica. No entanto, em termos de concurso pblico, o foco do estudo do oramento pblico ganha um vis notadamente jurdico, embora o conhecimento contbil seja um forte aliado. Uma das poucas dificuldades encontradas por alunos no estudo do oramento pblico justamente a falta de visualizao da disciplina como algo prtico e concreto. Diferentemente do Direito Penal ou do Direito Trabalhista, por exemplo, que so mais intuitivos, o aluno que se defronta com o Direito Financeiro provavelmente nunca estudou ou ouviu nada sobre o assunto anteriormente. No entanto, uma vez assimilados os principais conceitos, o estudo do oramento pblico relativamente tranquilo e, por vezes, agradvel. Para contornar os problemas iniciais de adaptao disciplina, pelo fato desta ser abstrata e desconectada da realidade de muitos, geralmente introduz-se o tema com uma anlise paralela entre o oramento familiar e o pblico. Em nosso cotidiano, temos que administrar nossos prprios recursos, o que nos permite ter (ou no) uma sobrevivncia tranquila. Temos que trabalhar, administrar nosso salrio e nossas despesas de modo a evitar que fiquemos sem o necessrio para viver. Entretanto, a maioria das pessoas faz isso de modo intuitivo, na maioria das vezes, sem planejar. No hbito do brasileiro planejar, tampouco guardar dinheiro e administrar sua prpria vida financeira. E no por outro motivo que somos um pas de endividados, em que muitas pessoas, at mesmo aquelas que possuem uma boa remunerao, no conseguem construir uma vida tranquila. Imagine, ento, o que acontece com aqueles que no ganham bem.</p> <p>*</p> <p>Auditor Federal de Controle Externo do Tribunal de Contas da Unio em Mato Grosso. Professor de preparatrios para concursos nas disciplinas de Controle Externo, Oramento Pblico, Contabilidade Pblica e Legislao Tributria do ICMS. Engenheiro Qumico pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 2001. Bacharelando em Direito pela Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT).</p> <p>9</p> <p>Portanto, a atividade de orar, ou melhor dizendo, de administrar um oramento, est intimamente ligada atividade de planejar. Uma pessoa equilibrada, consciente das suas obrigaes, geralmente analisa quanto ganha para saber o quanto pode gastar e, quando gasta, geralmente investe, guarda e seleciona apenas aquilo que necessrio e essencial gastar. J o desorganizado, mal sabe quanto ganha, quanto gasta, quanto deve e, muito menos, quando ir acertar sua vida financeira. Infelizmente, a maioria dos brasileiros est no segundo grupo, razo pela qual no deve ser surpresa o fato de que por muitos anos a economia brasileira sofreu com desequilbrios oramentrios, que levavam a dvidas impagveis e a crises constantes. No entanto, essa situao vem mudando atualmente. O Estado brasileiro sentiu a necessria imposio de realizar um planejamento adequado de suas finanas, com a finalidade de alcanar o desenvolvimento, construdo com bases slidas, j que as atividades privadas necessitam de um ambiente seguro e tranquilo, garantido pelo setor pblico, para crescer e se desenvolver. Nesse sentido, orar basicamente planejar, mas nem sempre foi assim. Quando pensamos em oramento, ou em fazer um oramento, qual a primeira coisa que nos vem mente? Uma planilha contendo um conjunto de receitas e despesas, certo? Sim, a primeira coisa que uma pessoa que est fazendo um oramento deve saber quanto ganha e quanto precisar gastar em um determinado perodo. Isso o que chamamos de vis contbil do oramento pblico e foi assim, como uma mera pea contbil, que ele foi encarado por muitos anos. Depois, com a evoluo das tcnicas oramentrias na Administrao Pblica, o oramento foi sendo cada vez mais associado ao planejamento das aes pblicas. Assim, para efeito didtico, os autores dividem a evoluo do oramento em duas fases: oramento tradicional e oramento moderno.</p> <p>Oramento tradicionalNa fase do oramento tradicional, a pea oramentria existente era conhecida como oramento clssico ou tradicional. Este oramento caracterizava-se por ser um documento onde constava apenas a previso da receita e a autorizao da despesa, classificando-as como objeto do gasto e distribuindo-as pelos diversos rgos, para o perodo de um ano.</p> <p>Nesse tipo de oramento no havia nenhuma preocupao com as reais necessidades da administrao ou da populao, e no se consideravam objetivos econmicos e sociais. um oramento dissociado do planejamento. Alm disso, era corrigido monetariamente de acordo com o que se gastava no exerccio anterior. Sua principal caracterstica: dar nfase aos objetos de gastos. Antes do advento da Lei 4.320/64, o oramento utilizado pelo Governo Federal era o oramento tradicional.</p> <p>Oramento modernoNa fase do oramento moderno, destacam-se dois tipos de oramento: oramento de desempenho e oramento-programa.</p> <p>Oramento de desempenhoO oramento tradicional evoluiu para o oramento de desempenho, tambm conhecido como oramento de realizaes. Nesse tipo de oramento, o gestor comea a se preocupar com o que o Governo realiza e no com o que compra, ou seja, preocupa-se agora em saber as coisas que o Governo faz e no as coisas que o Governo compra. O oramento de desempenho o processo oramentrio que se caracteriza por apresentar duas dimenses do oramento: o objeto de gasto e um programa de trabalho, contendo as aes desenvolvidas. Apesar de ser um passo importante, o oramento de desempenho ainda se encontra desvinculado de um planejamento central das aes do governo, ou seja, embora j interligue os objetos de gastos aos objetivos, no poderia, ainda, ser considerado um oramento-programa, visto que lhe faltava uma caracterstica essencial: a vinculao ao sistema de planejamento.</p> <p>Oramento-programaComo o oramento de desempenho ainda era falho, faltando-lhe a vinculao com o planejamento governamental, partiu-se para uma tcnica mais elaborada, que foi o oramento-programa, introduzido nos Estados Unidos no final da dcada de 1950, sob a denominao de PPBS (Planning</p> <p>Programning Budgeting System). Esse oramento foi introduzido no Brasil atravs da Lei 4.320/64 e do Decreto-Lei 200/67. Muito importante: o oramento-programa foi institudo no Brasil em 1964, pela Lei 4.320/64. O Decreto 200/67 tambm trouxe vrias inovaes que visavam descentralizao administrativa, com vrios reflexos na legislao oramentria. No entanto, o oramento-programa s ganhou efetividade em 1998, com a edio de vrias normativas do Ministrio do Planejamento. No entanto, para fins de concurso, a Lei 4.320/64 ainda o marco do oramento-programa no Brasil.</p> <p>O oramento-programa pode ser entendido como um plano de trabalho, um instrumento de planejamento da ao do governo, atravs da identificao dos seus programas de trabalho, projetos e atividades, alm do estabelecimento de objetivos e metas a serem implementados, bem como a previso dos custos relacionados. A Constituio Federal (CF) de 1988 pela primeira vez constitucionalizou (...) o oramento-programa no Brasil (que estava regrado apenas por leis infraconstitucionais, desde 1964) ao estabelecer a normatizao da matria orESTE UM MODELO do Plano Plurianual (PPA),DA APOSTILA amentria atravs DE DEMONSTRAO da Lei de Diretrizes Oramentrias (LDO) e da Lei Oramentria Anual (LOA), ficando evidente E CONTM APENAS UM TRECHO DO CONTEDO ORIGINAL. o extremo zelo do constituinte pelo MATRIA CONTINUA POR MAIS O DESENVOLVIMENTO DAplanejamento das aes do governo.PGINAS principais caractersticas do oramento-programa so: integrao, plaAs NA APOSTILA COMPLETA, QUE VOC PODER OBTER EM http://www.acheiconcursos.com.bre fixao de metas; relanejamento, oramento; quantificao de objetivos . es insumo-produto; alternativas programticas; acompanhamento fsico-financeiro; avaliao de resultados e gerncia por objetivos.</p> <p>Isso j foi cobrado em concursos!1. (Esaf) O oramento-programa definido como um plano de trabalho expresso por um conjunto de aes a realizar e pela identificao dos recursos necessrios sua execuo. No Brasil, a Lei Oramentria Anual (LOA) o oramento propriamente dito. O oramento-programa no permite: a) estabelecer o conjunto de metas e prioridades da Administrao Pblica Federal.</p> <p>EVOLUO DO ORAMENTO - QUESTES COMENTADAS DE CONCURSOS 01. O oramento-programa pode ser definido como: a) plano que se caracteriza como sendo um documento de previso da receita e fixao da despesa. b) instrumento que busca saber o que a administrao pblica compra e no a destinao dos gastos. c) plano de trabalho expresso po r um conj unto de a es a realizar e pel a id entificao d os recursos necessrios a sua execuo. d) demonstrativo das receitas e despesas realizadas no setor pblico. 02. Identifique, dentre as alternativas abaixo, uma vantagem relacionada ao oramento-programa: a) atravs dele o governo imprime maior nfase no que pretende realizar e no no que ele gasta. b) a possibilidade de vir a ser executado dentro do ano civil, isto , de 1 de janeiro a 31 de dezembro. c) por intermdio dele o g overno consegue alocar recursos de forma mais eficaz, visando aquisio de meios capazes de realizar as necessidades das unidades organizacionais. d) permitir ao Legislativo um controle mais eficaz sobre as aes do Execut ivo, marcando um efetivo controle poltico. (MPU, Esaf - Tcnico de Oramento - 2004) 03. A programao oramentria, com base nas metas fiscais, admite vrios processos na elaborao do ora mento. Identifique qual o pro cesso qu e ex pressa finan ceira e fi sicamente o s prog ramas de trabalho de governo, possibilitando a integrao do planejamento com o oramento, a quantificao de objetivos e a fixao de metas, as relaes insumo, produto e a avaliao de resultados. a) Oramento de desempenho. b) Oramento-programa. c) Oramento base-zero. d) Oramento tradicional. e) Oramento com teto fixo. 04. De a cordo com as tcnicas de elaborao oramentria, assinale a nica opo falsa em relao ao processo ascendente de deciso: a) ap resenta a vantagem de as unid ades, por conhecerem m elhor o mei o onde est o situada s, apresentarem maior realismo de programao. b) no processo ascendente, os objetivos so estabelecidos pelos rgos inferiores da hierarquia e so aprovados pela cpula. c) apresenta a tendncia de concentrar recursos em programas de amplia o apenas qualitativa, por ausncia de objetivos. d) no processo asce ndente, rgos operacionais geralmente tm viso limitada na determi nao dos objetivos. e) apresenta riscos da falta de adeso das unidades executoras. ______________________ 05. Em relao ao oramento base-zero - OBZ, analise as afirmativas a seguir e, em seguida, assinale a alternativa correta: I - O OBZ est intimamente relacionado aos conceitos do oramento tradicional. II - O OBZ constitui-se num excelente instrumento para eliminar programas e projetos antieconmicos. III - No OBZ a solicitao de todo e qualquer dotao or amentria requer que o agent e pblico a fundamente, indep endentemente de se tratar de do tao d estinada a p rogramas j exi stentes (no oramento de exerccios anteriores) ou a novos programas a serem incorporados pela primeira vez ao exerccio ao qual se refere.</p> <p>IV - Diante de um OBZ o agente p blico tem a sen sao d e esta r sem pre dia nte d e um novo oramento, fato que, na realidade, pode no ocorrer. V - O OBZ no in corpora o co nceito d e 'prog ramas governamentais' em razo deste conceito ser de utilizao exclusiva do oramento-programa. a) apenas a I est correta. b) apenas a I est errada. c) I e IV esto erradas. d) II, III e IV esto corretas. e) I e V esto corretas. 06. Assinale a alternativa que deixa transparecer a idia-sntese do OBZ. a) Cada unidade da administrao pblica, a cada ano, deve justificar por que deve gastar os recursos que esto sendo pleiteados. b) Cada unidade da administrao pblica, a cada ano, deve justificar por que deve gastar os recursos que esto sendo pleiteados adicionalmente. c) Cada unidade da administrao pblica, a cada ano, deve justificar por que deve gastar os recursos que esto sendo pleiteados para atender implantao de novos programas de trabalho. d) Ca da unid ade da admi nistrao p blica, a cad a ano, deve justificar por que deve re manejar os recursos de um programa para outro. 07. Assinale V (verdadeiro) ou F (falso). a) No OBZ h uma constante e intensa avaliao das aes governamentais. b) O OBZ p ropicia o d esenvolvimento do pe ssoal ligado ela borao da p roposta ora mentria, na medida em que cada programa nele includo ter de ser justificado. c) Diante de uma proposta oramentria fundamentada num OBZ, a ma rgem de discricionariedade do Poder Legislativo meno r ante s inmeras justificativas apresentadas pelas unidades oramentrias em relao cada programa por elas proposto. d) O s 'pa cotes de d eciso' num OB Z esto inti mamente rel acionados com a apresentao da s alternativas disponveis no caso de cada programa, com a identificao das aes requeridas. 08. Analise as afirmativas a seguir e, em seguida, assinale a resposta correta. I - O oram ento tradicional era utilizado como instru mento de pol tica fiscal do governo, isto , como meio pa ra a mpliar o s nveis da ativida de econmica mediante e stmulo de manda a gregada ou sua estabilizao. II - Vigorava no o ramento tradi cional uma p reocupao p oltica no sentido de o poder legisl ativo utilizar-se dele como instrumento de controle dos gastos pblicos. III - O oramento tradi cional nasceu durante a fase do li beralismo econm ico em que havia forte conscincia contrria ao crescimento das despesas pblicas (pois isso determinaria aumentos na carga tributria). IV - O princpio da exclusividade guarda estreita relao com o oramento tradicional. a) todas as afirmativas esto certas. b) apenas as afirmativas IV e I esto corretas. c) apenas a afirmativa IV est errada. d) as afirmativas II, III e IV esto corretas. e) as afirmativas II, III e IV esto erradas. 09. Julgue os itens a seguir assinalando V (verdadeiro) ou F (falso). a) O a specto eco nmico ti nha p osio secundria e m se t ratando do or...</p>