Apostila de Libras EAD

Download Apostila de Libras EAD

Post on 27-Oct-2015

152 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li><p>Lngua Brasileira de Sinais - Libras</p><p>Daniel Neves Pinto</p></li><li><p>Jouberto Ucha de MendonaReitor</p><p>Amlia Maria Cerqueira UchaVice-Reitora</p><p>Jouberto Ucha de Mendona JuniorPr-Reitoria Administrativa - PROAD</p><p>Ihanmark Damasceno dos SantosPr-Reitoria Acadmica - PROAC</p><p>Domingos Svio Alcntara MachadoPr-Reitoria Adjunta de Graduao - PAGR</p><p>Temisson Jos dos SantosPr-Reitoria Adjunta de Ps-Graduao</p><p>e Pesquisa - PAPGP</p><p>Gilton Kennedy Sousa FragaPr-Reitoria Adjunta de Assuntos Comunitrios e Extenso - PAACE</p><p>Jane Luci Ornelas FreireGerente do Ncleo de Educao a Distncia - Nead</p><p>Andrea Karla Ferreira NunesCoordenadora Pedaggica de Projetos - Nead</p><p>Lucas Cerqueira do ValeCoordenador de Tecnologias Educacionais - Nead</p><p>Equipe de Elaborao e Produo de Contedos Miditicos: </p><p>Alexandre Meneses Chagas - Supervisor Adelson Tavares de Santana - IlustradorAncjo Santana Resende - CorretorClaudivan da Silva Santana - DiagramadorEdivan Santos Guimares - DiagramadorGeov da Silva Borges Junior - IlustradorMrcia Maria da Silva Santos - CorretoraMonique Lara Farias Alves - WebdesignPedro Antonio Dantas P. Nou - WebdesignRebecca Wanderley N. Agra Silva - DesignRodrigo Sangiovanni Lima - AssessorWalmir Oliveira Santos Jnior - Ilustrador</p><p>Redao:Ncleo de Educao a Distncia - NeadAv. Murilo Dantas, 300 - FarolndiaPrdio da Reitoria - Sala 40CEP: 49.032-490 - Aracaju / SETel.: (79) 3218-2186E-mail: infonead@unit.brSite: www.ead.unit.br</p><p>Impresso:Grfica GutembergTelefone: (79) 3218-2154E-mail: grafica@unit.brSite: www.unit.br</p><p>Copyright Universidade Tiradentes</p><p>P659l Pinto, Daniel Neves.Lngua brasileira de sinais-libras. / Daniel </p><p>Neves Pinto. Aracaju : UNIT, 2010.</p><p>168 p. : il.</p><p>Inclui bibliografia </p><p>1. Linguagens de gestos dos surdos e dos surdos-mudos. 2. Lngua brasileira de sinais. 3. Lngua de sinais. 4. Comunicao gestual. I. Universidade Tiradentes (UNIT). Pr-Reitoria Adjunta de Ensino a Distncia. II. Ttulo. </p><p>CDU: 81221.24 </p></li><li><p>Prezado(a) estudante, A modernidade anda cada vez mais atrelada ao tempo, e a </p><p>educao no pode ficar para trs. Prova disso so as nossas disci-plinas on-line, que possibilitam a voc estudar com o maior confor-to e comodidade possvel, sem perder a qualidade do contedo.</p><p> Por meio do nosso programa de disciplinas on-line voc pode </p><p>ter acesso ao conhecimento de forma rpida, prtica e eficiente, como deve ser a sua forma de comunicao e interao com o mundo na modernidade. Fruns on-line, chats, podcasts, livespace, vdeos, MSN, tudo vlido para o seu aprendizado.</p><p> Mesmo com tantas opes, a Universidade Tira-</p><p>dentes optou por criar a coleo de livros Srie Biblio-grfica Unit como mais uma opo de acesso ao conhe-cimento. Escrita por nossos professores, a obra contm todo o contedo da disciplina que voc est cursando na modalidade EAD e representa, sobretudo, a nossa preocupao em garantir o seu acesso ao conhecimento, onde quer que voc esteja.</p><p>Desejo a voc bom aprendizado e muito sucesso!</p><p>Professor Jouberto Ucha de MendonaReitor da Universidade Tiradentes</p><p>Apresentao</p><p>iblio-onhe-ntm ando </p></li><li><p>Sumrio</p><p>Parte I: Histria, Cultura e Lingustica da Libras .................11</p><p>Tema 1: Aspectos Histricos, Conceituais e Sociais ...........13 1.1 Nomenclaturas e conceitos sobre lngua e </p><p>linguagem ..................................................................... 14</p><p>1.2. Fundamentos histricos e culturais da lngua </p><p>brasileira de sinais ....................................................... 21</p><p>1.3 Aspectos biolgicos e suas definies ....................... 31</p><p>1.4 Iniciao lngua .......................................................... 43</p><p>Tema 2: Estudos Lingusticos ................................................552.1 Lxico, vocabulrios icnicos e arbitrrios ................. 55</p><p>2.2 Estruturas sub-lexicais e suas expresses no </p><p>manuais. ....................................................................... 61</p><p>2.3 Morfologia e seus estudos internos ............................ 72</p><p>2.4 Diferenas Bsicas em LIBRAS .................................... 78</p><p>Parte II: Surdez: Interao e Implicaes .............................87</p><p>Tema 3: Surdez e Interao ...................................................893.1 Aspectos comunicativos corporais e classificadores ......89</p><p>3.2 Interao argumentativa com estrutura da surdez e </p><p>famlia ............................................................................ 97</p><p>3.3 Interao atravs da lngua de sinais ........................ 103</p><p>3.4 Surdez, sociedade em seu processo de incluso ..... 111</p></li><li><p>Tema 4: Lngua de Sinais: Saberes e Fazeres ...................119 4.1 Aspectos pedaggicos em suas possibilidades no </p><p>contexto de ensino-aprendizagem ............................ 119</p><p>4.2 Possibilidades de trabalho ......................................... 132</p><p>4.3 Conduta e legislao .................................................. 138</p><p>4.4 Frases em expresses da libras ................................. 149</p><p>Referncias ............................................................................159</p></li><li><p>Concepo da Disciplina</p><p>Ementa</p><p>Fundamentos histricos, socioculturais e definies referentes Lngua Brasileira de Sinais. Legislao e conceitos sobre lngua e linguagem. Entendimentos dos conhecimentos necessrios para a incluso dos surdos quanto aos aspectos Biolgicos, Pedaggicos e Psicossociais.</p><p>Objetivos</p><p>- Compreender os fundamentos histricos, culturais e psicossociais da Lngua de Sinais, nomenclaturas e seus conceitos, auxiliando no processo das aes inclusivas;</p><p>- Conhecer noes legislativas, utilizando-as de forma coesa;</p><p>- Conhecer os aspectos patolgicos da surdez, possibilitando uma reflexo sobre o preconceito vivido no contexto dos surdos;</p><p>- Desenvolver noes prticas de verbalizao e Sinalizao da Lngua de Sinais junto a sua estrutura lexical, morfolgica, sintaxe, semntica e pragmtica, colocando em prtica a Lngua Brasileira de Sinais;</p><p>- Estimular embasamento cnico, terico, prtico, tcnico e pedaggico, acrescentando tais embasamentos em suas prticas interpretativas;</p></li><li><p>- Despertar, no aluno, o interesses em trabalhar com os surdos;</p><p>- Compreender os conhecimentos bsicos e domnios necessrios para a comunicao com pessoas surdas, facilitando a incluso social, possibilitando a relao interpessoal atravs do uso da Libras;</p><p>- Utilizar Libras com coeso e coerncia para que haja entendimento. </p><p>Orientaes para Estudo</p><p>A disciplina prope orient-lo em seus procedimentos de estudo e na produo de trabalhos cientficos, possibilitando que voc desenvolva em seus trabalhos pesquisas, o rigor metodolgico e esprito crtico necessrios ao estudo.</p><p>Tendo em vista que a experincia de estudar a distncia algo novo, importante que voc observe algumas orientaes:</p><p>Cuide do seu tempo de estudo! Defina um horrio regular para acessar todo o contedo da sua disciplina disponvel neste material impresso e no Ambiente Virtual de Apren-dizagem (AVA). Organize-se de tal forma para que voc possa dedicar tempo suficiente para leitura e reflexo;</p><p> Esforce-se para alcanar os objetivos propostos na disciplina;</p><p> Utilize-se dos recursos tcnicos e humanos que esto ao seu dispor para buscar esclarecimentos e para aprofundar as suas reflexes. Estamos nos referindo ao contato permanente </p></li><li><p>com o professor e com os colegas a partir dos fruns, chats e encontros presencias. Alm dos recursos disponveis no Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA.</p><p>Para que sua trajetria no curso ocorra de forma tranquila, voc deve realizar as atividades propostas e estar sempre em con-tato com o professor, alm de acessar o AVA.</p><p>Para se estudar num curso a distncia deve-se ter a clareza que a rea da Educao a Distncia pauta-se na autonomia, respon-sabilidade, cooperao e colaborao por parte dos envolvidos, o que requer uma nova postura do aluno e uma nova forma de con-cepo de educao.</p><p>Por isso, voc contar com o apoio das equipes pedaggica e tcnica envolvidas na operacionalizao do curso, alm dos re-cursos tecnolgicos que contribuiro na mediao entre voc e o professor.</p></li><li><p>Parte I</p><p>HISTRIA, CULTURA E LINGUSTICA DA LIBRAS</p></li><li><p>1 Aspectos Histricos, Conceituais e SociaisA Lngua Brasileira de Sinais (Libras) surge com a perspectiva </p><p>de apoiar a implementao da Educao Especial to enfocada na </p><p>Lei de Diretrizes e Bases da Educao Nacional. O Poder Pblico </p><p>instituiu a Lei n 10.436, de 24 de abril de 2002, regulamentada </p><p>pelo Decreto n 5626, de 22 de dezembro de 2005, que dispem </p><p>sobre a Lngua Brasileira de Sinais Libras. Tal Decreto apoia </p><p>a educao da Lngua de Sinais como disciplina, assegurando </p><p>aos Surdos o atendimento especializado. Dentro deste contexto, </p><p>alicera-se uma proposta inovadora sempre com o objetivo de </p><p>consolidar a comunicao e a efetiva integrao na vida em </p><p>sociedade.</p><p>Neste tema, iremos conhecer conceitos culturais e histricos </p><p>da lngua de sinais e dos surdos com seus aspectos biolgicos e </p><p>lingusticos.</p></li><li><p>14 Lngua Brasileira de Sinais - Libras</p><p>1.1 NOMENCLATURAS E CONCEITOS SOBRE LNGUA E LINGUAGEM</p><p>Para voc, o que Libras ou LSB?</p><p>Libras a sigla pronunciada nacionalmente para Lngua Brasileira de Sinais difundida pela Federao Nacional de Educao e Integrao de Surdos (FENEIS).</p><p>A Lngua de Sinais a lngua natural, materna, primeira lngua (L1) dos surdos e usada pela maioria deles no Brasil. </p><p>Conforme Capovilla (2006, p.1479), Lngua de Sinais o verdadeiro equipamento da vida mental do Surdo; ele pensa e se comunica apenas por este meio. O surdo utiliza a modalidade lingustica quiroarticulatria-visual, ou seja, atravs das mos e dos olhos e no oroarticulatria-auditiva, que se d atravs da oralizao (boca) e ouvido.</p><p>A Libras tambm conhecida como LSB (Lngua de Sinais Brasileira), sigla que segue padres internacionais de denominao das lnguas de sinais, assim como a American Sign Language (LSA), ou seja, Lngua de Sinais Americana, bem como a Lngua de Sinais Francesa (LSF), Lngua de Sinais Mexicana (LSM), etc.</p><p>Para voc entender melhor, Lngua Brasileira no existe, filosoficamente falando, o correto Lngua de Sinais Brasileira, pois, o termo lngua de sinais constitui uma unidade vocabular, ou seja, funcio-na como se as trs palavras (lngua, de e sinais) fossem uma s. No existe uma Lngua Brasileira (em sinais ou falada).</p><p>Alm das formas de escrever ou pronunciar a Lngua Brasileira de Sinais, temos que atentar para seu significado.</p><p>A correta Libras e no LIBRAS. Quando foi divulgado o uso da sigla LIBRAS, explicava-se esta sigla da seguinte forma: LI de Lngua, BRA de Brasileira, e S de Sinais. Com a grafia Libras, a </p><p> importante estar </p><p>sempre anotando </p><p>suas reflexes.</p><p>DICA:</p></li><li><p>15Lngua Brasileira de Sinais - Libras</p><p>sigla significa: Li de Lngua de Sinais, e bras de Brasileira, assim, deixa claro que Libras no simplesmente gestos, uma lngua com estruturas lingusticas que compreende e comunica e que ainda cabe na palma das mos.</p><p>A Lngua de Sinais a lngua natural, materna, primeira lngua (L1) dos surdos e usada pela maioria dos surdos no Brasil.</p><p>Conforme Capovilla (2006, p.1479), Lngua de Sinais o verdadeiro equipamento da vida mental do Surdo; ele pensa e se comunica apenas por este meio. O surdo utiliza a modalidade lingustica quiroarticulatria-visual e no oroarticulatria-auditiva. </p><p>Ao contrrio do que muitos imaginam, a Lngua de Sinais no se constitui simplesmente de mmicas e gestos soltos, uti-lizados pelos surdos para facilitar a comunicao. uma lngua com estruturas gramaticais prprias.</p><p>Atribui-se s Lnguas de Sinais o status de lnguas porque elas tambm so compostas pelos nveis lingusticos: o fonolgico, o morfolgico, o sinttico e o semntico.</p><p>O que denominado palavra ou item lexical nas lnguas oral-auditivas denominado sinal nas lnguas de sinais.</p><p>O que diferencia a Lngua de Sinais das demais lnguas a sua modalidade visual-espacial.</p><p>Assim, uma pessoa que entra em contato com uma Lngua de Sinais ir aprender outra lngua, como o Ingls, Espanhol, etc.</p><p> A Lngua Brasileira de Sinais e a Lngua Portuguesa tm uma vasta diferena desde a lngua pronunciada at a escrita.</p><p>Veja algumas diferenas entre a Lngua Brasileira de Sinais e a lngua portuguesa:</p><p>- a primeira diferena voc j sabe: atravs da Lngua de Sinais se fala com as mos e a Lngua Portuguesa fala-se com a boca;</p></li><li><p>16 Lngua Brasileira de Sinais - Libras</p><p>Muitas diferenas so claras tais como as descritas acima, e outras so percebveis quanto a sua gramtica. Vamos conferir algumas delas apresentadas por Quadros (2003, p. 84):</p><p>- a Lngua de Sinais visual-espacial e a Lngua Portuguesa oral-auditiva;</p><p>- a Lngua de Sinais baseada nas experincias das comuni-dades surdas mediante as interaes culturais surdas, en-quanto a Lngua Portuguesa constitui-se baseada nos sons;</p><p>- a Lngua de Sinais apresenta uma sintaxe espacial incluindo os chamados classificadores1. A Lngua Portuguesa usa uma sintaxe linear utilizando a des-crio para captar o uso de classificadores;</p><p>- a Lngua de Sinais utiliza a estrutura tpico-comentrio, en-quanto a Lngua Portuguesa evita este tipo de construo;</p><p>- a Lngua de Sinais utiliza a estrutura de foco atravs de repeties sistemticas. Este processo no comum na Lngua Portuguesa;</p><p>- a Lngua de Sinais utiliza referncias anafricas atravs de pontos estabelecidos no espao que exclui ambigidades que so possveis na lngua portuguesa;</p><p>- a Lngua de Sinais no tem marcao de gnero, enquanto que na Lngua Portuguesa o gnero marcado a ponto de ser redundante que envolve na ltima letra como a para feminino e o para masculino;</p><p>1 um recurso visual da </p><p>Libras que utilizamos para </p><p>deixar a sinalizao com mais </p><p>vida, ou seja, ela feita de forma </p><p>que fique clara a mensagem.</p></li><li><p>17Lngua Brasileira de Sinais - Libras</p><p>- a Lngua de Sinais atribui um valor gramatical s expresses faciais. Esse fator no considerado como relevante na Ln-gua Portuguesa, apesar de poder ser substitudo pela pro-sdia;</p><p>- coisas que so ditas na Lngua de Sinais no so ditas usando o mesmo tipo de construo gramatical na lngua Portuguesa. Assim, encontramos diversos contextos que em Portugus consideraramos grande enquanto que em Libras poder ser feito com apenas um sinal;</p><p>- a escrita da Lngua de Sinais no alfabtica.</p><p>INTRPRETEPessoa que interpreta de uma lngua </p><p>fonte para uma lngua alvo2.</p><p>INTRPRETE DE LNGUA DE SINAISPessoa que interpreta de uma lngua </p><p>qualquer para a Lngua de Sinais ou Lngua de Sinais para outra determinada lngua.</p><p>LNGUA um sistema de signos compartilhado por uma comuni-</p><p>dade lingustica comum. H uma raiz, tem seus fundamentos e pesquisas sobre ela. A fala ou os sinais so expresses de di-ferentes lnguas. A lngua um fato social, ou seja, um sistema coletivo de uma determinada comunidade lingustica. A lngua a expresso lingustica que tecida em meio a trocas sociais, culturais e polticas. As lnguas naturais apresentam proprieda-des especficas da espcie humana: so recursivas (a partir de um nmero reduzido de regras, produz-se um nmero infinito de frases possveis, so criativas, dispem de uma multiplicida-</p><p>2 Lngua Fonte: a </p><p>lngua que o Intrprete </p><p>ouve ou v para, a partir </p><p>dela, fazer a interpreta-</p><p>o para a lngua alvo. </p><p>Lngua alvo: a lngua </p><p>para a qual ser feita a </p><p>interpretao.</p></li><li><p>18 Lngua Brasileira de Sinais - Libras</p><p>de de funes (argumentativa, potica, conotativa, informativa, persuasiva, e motiva...</p></li></ul>