apostila de desenho tecnico

Download Apostila de Desenho Tecnico

Post on 02-Jan-2016

34 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

DAE-ECENTRO FEDERAL DE EDUCAO TECNOLGICA DE MATO GROSSO

CURSO SUPERIOR EM AUTOMAO E COTROLE Desenho TcnicoProf Fabiano de Pdua

Pgina 1/38

Professor: Fabiano de PduaData: 30/9/2013

Aluno(a):

Turma:

SUMRIO41. OBJETIVO

42. CONCEITOS BSICOS

42.1- Histrico

42.2- Desenho Tcnico

42.3- Normas e Padres

52.4- Instrumental bsico

52.4.1- Atravs de prancheta

62.4.2- Atravs de Computador

62.5- Formato do Papel

72.5.1- Margem

82.5.1- Planta-Baixa

82.5.2- Pranchas ou folhas de desenho

82.6- Linhas

103. DOBRAMENTO DE FOLHAS

114. FOLHA 1: CARIMBO E DOBRAMENTO

114.1- Dados Iniciais

114.2- Fixao da Folha

124.3- Margem

124.4- Apresentao da Folha

144.5- Legenda

145. FOLHA 2: DESENHO

145.1- Dados Inicias

155.2- Disposio dos Desenhos na Folha

155.3- Desenhos

176. REPRESENTAO DOS ELEMENTOS CONSTRUTIVOS

176.1- Paredes

176.2- Portas e Portes

186.3- Janelas

186.4- Pisos

186.5- Elementos No Visveis

187. FOLHA 3: ELEMENTOS CONSTRUTIVOS

187.1- Dados Iniciais

187.2- Desenhos

208. ESCALAS

218.1- Exemplo para Interpretao

218.2- Escalas recomendadas

228.3- Tipos

228.4- Exemplo de Determinao de uma Escala para Desenho

238.5- Cotagem

239. PLANTA-BAIXA

249.1- Representao da planta

259.2- Cortes

269.3- Elevaes ou Fachadas

269.4- Planta de Cobertura

2610. PLANTA DE SITUAO E LOCALIZAO

2610.1- Planta de Situao

2710.2- Planta de Localizao

2910.3- Rosa-dos-Ventos

3011. FOLHA 4: PLANTA DE SITUAO

3011.1- Dados Iniciais

3011.2- Desenho

3112. FOLHA 5: PLANTA-BAIXA

3112.1- Dados Iniciais

3112.2- Desenhos

3213. EXEMPLOS DE DESENHOS COMPLEMENTARES

3814. BIBLIOGRAFIA

1. OBJETIVO

A presente documentao tem por objetivo introduzir o aluno nos conhecimentos bsicos de desenho tcnico de acordo com a disciplina 68017 do Curso Tcnico de Telecomunicaes do CEFET-MT.2. CONCEITOS BSICOS2.1- HistricoDesde suas origens o homem comunica-se atravs de grafismos e desenhos. As primeiras representaes que conhecemos so as pinturas rupestres, em que o homem representava no apenas o mundo que o cercava, mas tambm as suas sensaes: alegrias, medos, danas, etc.

Ao longo da histria, a comunicao atravs do desenho, foi evoluindo, dando origem a duas formas de desenho: um o desenho artstico, que pretende comunicar idias e sensaes, estimulando a imaginao do espectador; e o outro o desenho tcnico, que tem por finalidade a representao dos objetos o mais prximo do possvel, em formas e dimenses.

2.2- Desenho Tcnico a linguagem grfica em que se expressa e registra as idias e dados para a construo de mquinas e estruturas.

caracterizado pela sua normatizao e a ferramenta mais importante num projeto, por ser o meio de comunicao entre quem projeta e quem fabrica. Nele constam todas as informaes referentes ao projeto.2.3- Normas e Padres Principais normas envolvidas nesta documentao: NBR-10647 Norma Geral;

NBR-8196 Escalas;

NBR-8402 Escrita;

NBR-8403 Tipos de linha;

NBR-10068 Folhas de Desenho;

NBR-10126 Cotagem;

NBR-13142 Dobramento de cpias;

2.4- Instrumental bsicoNa escolha dos instrumentos e materiais para desenho, deve-se sempre primar em adquirir os que possuem melhor qualidade na praa. Para quem espera executar trabalhos profissionais, um grande erro comprar instrumentos de qualidade inferior. Algumas vezes o principiante tentado a adquirir instrumentos baratos para a aprendizagem, na expectativa de comprar outros melhores mais tarde.

2.4.1- Atravs de prancheta

Esquadros de 45 e 60;

Escalmetro, rgua milimetrada;

Rgua T ou Paralela ou Tecngrafo; Lpis ou lapiseira, borracha, fita adesiva; Compasso, transferidor e gabaritos; Papel Carto, Sulfit, Manteiga, Vegetal, Polister, etc.

2.4.2- Atravs de Computador

Uso de softwares aplicativos (Autocad, CAD Design, CAD Map, etc.).2.5- Formato do PapelO formato bsico de papel designado de A0 (A zero) considera um retngulo de 841 mm (x) por 1189 mm (y) correspondente a 1 m de rea. Deste formato derivam-se os demais formatos na relao .

RefernciaX (mm)Y (mm)

2 A011891682

A08411189

A1594841

A2420594

A3297420

A4210297

A5148210

2.5.1- Margem

Margens so limitadas pelo contorno externo da folha e quadro. O quadro limita o espao para o desenho.

As margens esquerda e direita, bem como as larguras das linhas, devem ter as dimenses constantes.

A margem esquerda serve para ser perfurada e utilizada no arquivamento.

2.5.1- Planta-BaixaPlanta Baixa o nome que se d ao desenho de uma construo feito, em geral, a partir do corte horizontal altura de 1,5m a partir da base. Nela devem estar detalhadas em escala as medidas das paredes (comprimento e espessura), portas, janelas, o nome de cada ambiente e seu respectivo nvel. A partir da planta baixa feito os lanamentos dos demais projetos complementares de instalaes eltricas, hidrulicas, sanitrias, telefnicas, preveno e combate a incndio, sistema de proteo a descargas atmosfricas, sonorizao, segurana, assim como o clculo estrutural e de fundaes de uma obra.

2.5.2- Pranchas ou folhas de desenho

Normalmente empregam-se as denominadas pranchas ou folhas de desenho utilizando-se de vrios mdulos A4, cujas reas variam da normalizao.

Esta adequao permite variar o tamanho da folha de desenho em funo do desenho desejado, contribuindo em diminuio de espao em branco. Procura-se empregar as medidas na horizontal (x) em mdulos mpares (185 mm), enquanto que, na vertical (y) esta medida pode variar at o limite do papel de mercado (1200 mm).

2.6- Linhas

Para se fazer linhas importante o uso de lpis ou lapiseira. O lpis comum de madeira e grafite tambm pode ser usado para desenho. O lpis dever ser apontado, afiado com uma lixa pequena e, em seguida, ser limpo com algodo, pano ou papel.

Tipos de lpis:

N 1 macio, geralmente usado para esboar e para destacar traos que devem sobressair;

N 2 mdio, o mais usado para qualquer traado e para a escrita em geral;

N 3 duro, usado em desenho geomtrico e tcnico;

Letra H duro;

Letra B macio.

Atualmente mais prtico o uso de lapiseira. Recomendamos a de 0,5mm e a de 0,9mm, com grafite HB.

As linhas so os principais elementos do desenho tcnico. Alm de definirem o formato, dimenso e posicionamento das paredes, portas, janelas, pilares, vigas e etc., determinam as dimenses e informam as caractersticas de cada elemento projetado. Sendo assim, estas devero estar perfeitamente representadas dentro do desenho.

As linhas de um desenho normatizado devem ser regulares, legveis (visveis) e devem possuir contraste umas com as outras.

Espessura da Linha:

Trao forte - As linhas grossas e escuras so utilizadas para representar, nas plantas baixas e cortes, as paredes e todos os demais elementos interceptados pelo plano de corte. No desenho a lpis podemos desenh-la com a grafite 0.9, traando com a lapiseira bem vertical, podendo retra-la diversas vezes caso necessrio. Com o uso de tinta nanquim a pena pode ser 0.6;

Trao mdio - As finas e escuras representam elementos em vista ou tudo que esteja abaixo do plano de corte, como peitoris, soleiras, mobilirio, ressaltos no piso, etc. indicado o uso da grafite 0.5, num trao firme, com a lapiseira um pouco inclinada, procurando gira-la em torno de seu eixo, para que o grafite desgaste homogeneamente mantendo a espessura do trao nico. Para o desenho a tinta pode-se usar as penas 0.2 e 0.3.

Textos e outros elementos informativos podem ser representados com traos mdios. Ttulos ou informaes que precisem de destaque podero aparecer com trao forte.

Trao fino - Nas paginaes de piso ou parede (azulejos, cermicas, pedras, etc), as juntas so representadas por linhas finas. Tambm para linhas de cota, auxiliares e de projeo. Utiliza-se normalmente o grafite 0.3, ou o grafite 0.5 exercendo pequena presso na lapiseira. Para tinta, usam-se as penas 0.2 ou 0.1.

Tipos de Linha:

Linhas gerais

Linhas principais

Linhas auxiliares (cota, ladrilhos, etc.).

Partes invisveis _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

Eixos de simetria

Sees

Interrupes

3. DOBRAMENTO DE FOLHASAs cpias dos projetos podem ser arquivadas dobradas, ocupando menor espao e sendo mais fcil seu manejo. O formato final deve ser o A4, para arquivamento.

A NBR-13142 mostra uma seqncia de dobramento, para os tamanhos padres de papel.

4. FOLHA 1: CARIMBO E DOBRAMENTO4.1- Dados IniciaisObjetivo: margem, legenda e dobramento.

Papel: vegetal ou manteiga.

Formato do Papel: A2.

4.2- Fixao da FolhaRecomenda-se que seja fixada corretamente a folha na prancheta, podendo seguir: Coloque a folha embaixo da rgua paralela;

Nivelar a borda inferior da folha pela rgua paralela;

Comece a fixar a folha com um pequeno pedao de fita adesiva, de dentro para fora da folha;

Coloque cada fita adesiva em diagonal.

importante observar que o alinhamento da folha em relao a rgua paralela, e no pela prancheta.

4.3- MargemFazer as margens da folha A2.4.4- Apresentao da FolhaA norma NBR-10582 define a localizao e disposio do espao para desenho, espao para texto e espao para legenda.

A folha para o desenho deve conter:

Espao para desenho: Os desenhos so dispostos na o