apostila 17

Download Apostila 17

Post on 29-Jul-2015

13 views

Category:

Spiritual

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

1. Convenio FENIPE e FATEFINA Promoo dos 300.000 Cursos Grtis Pelo Sistema de Ensino a Distancia SED CNPJ 21.221.528/0001-60 Registro Civil das Pessoas Jurdicas n 333 do Livro A-l das Fls. 173/173 v, Fundada em 01 de Janeiro de 1980, Registrada em 27 de Outubro de 1984 Presidente Nacional Reverendo Pr. Gilson Aristeu de Oliveira Coordenador Geral Pr. Antony Steff Gilson de Oliveira APOSTILA N. 17/300.000 MIL CURSOS GRATIS EM 57 PAGINAS. Apostila 17 Estudo Teolgico Sobre a Graa Parte I "PORTANTO... "Mas graas a Deus que nos d a vitria por nosso Senhor Jesus Cristo. Portanto, meus amados irmos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho no vo" (1Co 15.57,58). 1Corntios 15 um extraordinrio, inspirativo e abenoador captulo do Novo Testamento. Ele se encerra com uma exortao que fala de vitria: "Mas graas a Deus que nos d a vitria por nosso Senhor Jesus Cristo. Portanto, meus amados irmos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho no vo" (1Co 15.57,58). Que h antes desse "portanto?" Paulo fala de corpos transformados na ressurreio geral. Porm, que outro ensino h antes desta palavra apostlica sobre a ressurreio? Agora, preciso ir ao sermo proftico de Jesus em Mateus 24 e 25, o, assim chamado, "Pequeno Apocalipse". Nele encontraremos o Senhor falando sobre o princpio das dores, os sinais de Seu retorno, a Grande Tribulao, Sua gloriosa Volta (a Parousia), o Arrebatamento e o Juzo Final. Tudo isso culmina com o "Portanto..." de Paulo, que um estmulo e encorajamento fidelidade e pacincia no aguardo da Volta de Jesus. UM ACONTECIMENTO AGENDADO A Segunda Vinda de Cristo um acontecimento programado conforme Atos 1.11 (cf. Fp 3.20). E todo o Novo Testamento nos ensina que Jesus Cristo veio para Reverendo Gilson de Oliveira Pastor da Igreja Presbiteriana de Nova Vida 1 2. inaugurar Seu reino (Mc 1.15), e vir pela vez segunda para consum-lo (Hb 9.28). Na verdade, a f da Igreja dos apstolos dominada pela expectativa desse retorno de Jesus Cristo. Tiago 5.8 poro clarssima da Palavra ao dizer, "Sede vs tambm pacientes, e fortalecei os vossos coraes, porque a vinda do Senhor est prxima" (cf. 1Co 4.5; Fp 4.5; 1Ts 5.2; Tt 2.11-13; 1Pe 5.4; 2Pe 3.10; 1Jo 2.28; 3.2; Ap 1.7; 3.11; 22.20). Se esta expectativa no existir, alguma coisa est errada. Mas a expresso "ltimos dias" no compreendida do mesmo modo por todos: H quem entenda que os "ltimos dias" comearam com o estabelecimento do Estado de Israel em 1948. H quem compreenda que so os anos finais de 2000 e comeo de 2001. H quem ache que no uma coisa nem outra, mas que os sinais esto a, e que os "ltimos dias" esto se aproximando. Eu prefiro ficar com a Bblia: desde que Jesus, aps a ressurreio, voltou aos cus, ns estamos nos "ltimos dias". Afinal, na Festa de Pentecostes, deu-se o derramamento do Esprito Santo sobre a nascente Igreja, e isso fora predito pelos antigos profetas como Joel 2.28 ("E depois derramarei o meu Esprito sobre toda a carne, e os vossos filhos e as vossas profetizaro, os vossos velhos tero sonhos, os vossos jovens tero vises") e Ezequiel 36. 25-27 (cf. Is 44.3; 32.15). E Pedro, apstolo, o afirmou no seu discurso/sermo registrado em Atos 2.16-18. A prpria primeira vinda de Cristo, incluindo Seu nascimento, ministrio, morte, ressurreio e exaltao so, segundo Pedro, "o fim dos tempos" (1Pe 1.20). E Paulo o diz com absoluta certeza e pura clareza: "Tudo isto lhes aconteceu como exemplos, e estas coisas esto escritas para aviso nosso, para quem j so chegados os fins dos sculos". Igualmente o escritor de Hebreus no deixa por menos: "... a ns falou-nos nestes ltimos dias pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez o mundo" (1.2; cf. 1Jo 2.18). E por que marcar a data da Segunda Vinda? Especulao. Pura especulao. Cada fim de milnio traz muita especulao. Isso aconteceu em 996, 997, 998, 999 quando o ano 1000 era aguardado. Isso aconteceu no final do sculo passado, em 1996, 1997, 1998, 1999 j que o ano 2000 estava se aproximando. Guilherme Miller, nos Estados Unidos, marcou o dia 21 de maro de 1843 como o da Segunda Vinda de Cristo. No veio. Remarcou para 22 de outubro do ano seguinte. No veio. Claus Epp Jr, na Alemanha, marcou o mesmo evento para 1889. Nada aconteceu. O Rev. Scofield, autor das notas da Bblia Scofield, marcou a batalha do Armagedon nos dias da I Guerra Mundial. Sem novidades. Leonard Sale-Harrison marcou para 1940 ou 1941. Nada. E outros tantos. Mas que Jesus vem, vem! Pedro diz que esse um assunto para o qual devemos dar ateno e buscar compreender (2Pe 1.19), pois os fins dos tempos , os Reverendo Gilson de Oliveira Pastor da Igreja Presbiteriana de Nova Vida 2 3. "ltimos dias", chegaram: "Tudo isto lhes aconteceu como exemplos, e estas coisas esto escritas para aviso nosso, para quem j so chegados os fins dos sculos" (1Co 10.11). Essa a razo porque Jesus nos advertiu acerca de acontecimentos e coisas outras que viriam para perturbar. Vamos a Mateus 24, onde esto os sinais do retorno de Cristo. Ele falou em seduo, em guerras e boatos acerca de guerras, em terremotos, fomes, em perseguies e em prodgios. Realmente, os sinais sempre existiram (no so coisa de hoje como se procura enfatizar). Eles caracterizam o perodo entre a Primeira e a Segunda Vindas, e cada dcada destes ltimos dois mil anos tem testemunhado isso. Jesus nos informa sobre os sinais, no para marquemos os tempos, mas para sermos vigilantes. Jesus nos informa sobre os sinais no para que os consideremos anormais ou espetaculares, pois sinais espetaculares e anormais so os realizados por Satans (cf. Ap 13.13,14; 2Ts 2.7-9). Deus trabalha na calma, no silncio, como fermento na massa do po. TRANSFORMADOS E GLORIFICADOS Continuando a examinar o captulo 24 do Evangelho de Mateus, a partir do verso 29, a palavra de Jesus alude ao Seu retorno, a Parousia. Um ricao ingls, por nome Ernest Digwood, falecido em 1976, deixou uma herana de 26.107 libras rendendo num banco. O destino desta importncia se at 2056, Jesus no retornar, ser entregue ao governo britnico. Se, pelo contrrio, Ele regressar para reinar na Terra, os procuradores pblicos confirmaro Sua identidade e Lhe entregaro o dinheiro para ser aplicado no Seu reino. "Confirmar a identidade"? Vo pedir o R.G.? O C.I.C.? Certido de Nascimento? Que coisa grotesca?! Quanto ridculo?! Quando Jesus regressar, no se precisa de comprovao de Sua identidade, pois "todo o olho O ver", afirma Apocalipse 1.7), e o diz Mateus 24.30. Sua vinda ser pessoal. Algum duvida? A Escritura o diz claramente, "Pois, dada a ordem, com a voz do arcanjo e o ressoar da trombeta de Deus, o prprio Senhor descer dos cus..." (1Ts 4.16 NVI; cf. At 1.11; 3.19-21; Cl 3.4). Seu retorno ser repentino. ler Mateus 24.27: "Pois assim como o relmpago sai do oriente e se mostra at o ocidente, assim ser tambm a vinda do Filho do homem" (cf. 1Ts 5.2). H de ser visvel. As Testemunhas de Jeov ensinam que Jesus voltou em 1914 de modo invisvel. No entanto, "vede, ele vem com as nuvens e todo o olho o ver, at mesmo os que o trespassaram; e todas as tribos da terra se lamentaro sobre ele. Sim. Amm" (Ap 1.7; 1Ts 4.16). Ser triunfante! Gloriosa! verdade; a Primeira Vinda foi humilhada, pois Jesus nem teve onde nascer: aconteceu numa estrebaria; bercinho, nem falar: foi o cocho dos animais; durante Seu ministrio, no tinha onde reclinar a cabea; a cruz no era dEle, porm minha e sua; e, mesmo o tmulo foi emprestado. (cf. Is 53.2,3; Fp 2.7,8). Reverendo Gilson de Oliveira Pastor da Igreja Presbiteriana de Nova Vida 3 4. A Segunda Vinda ser gloriosa nos termos de 1Tessalonicenses 1.7, 10: "... e a vs, que sois atribulados, alivio conosco, quando do cu se manifestar o Senhor Jesus com os anjos do seu poder, ... quando vier para ser glorificado nos seus santos, e ser admirado em todos os que creram, naquele dia" (cf. Cl 3.4; 1Ts 4.16). Voltar acompanhado pelos Seus anjos, e pelos Seus fiis (1Ts 4.14). Glorioso cortejo! Dois fatos maravilhosos para os quais nossas palavras so inadequadas acontecero: a Ressurreio dos Corpos e o Arrebatamento da Igreja. A ressurreio significa esperana, pura esperana. Tecrito, poeta grego (300-250? a.C.) afirmou que "h esperana para os que esto vivos, porm, para os que morreram, no h qualquer esperana". squilo, tambm grego (525-426 a.C.) contribuiu para essa descrena dizendo que "uma vez que o homem morra, no h ressurreio". Mas a Bblia a afirma. Diz que crentes e descrentes, fiis e incrdulos ressuscitaro ao mesmo tempo: "No vos maravilheis disto, pois vem a hora em que todos os que esto nos sepulcros ouviro a sua voz e sairo: os que fizerem o bem sairo para a ressurreio da vida, e os que praticaram o mal, para a ressurreio da condenao" (Jo 5.28,29; cf. Dn 12.2). E 1Corntios 15.21-23 apresenta a ordem da aguardada ressurreio: primeiro, Cristo (que j ressuscitou); depois, os de Cristo (cf. 1Ts 4.16). E o corpo da ressurreio est descrito em 1Corntios 15.50-54. Corpos modificados, transformados, adequados s novas situaes que nos esperam (cf. 1Co 15.51; Fp 3.20,21). No mais seremos criaturas de carne e ossos, sangue e pele, mas teremos corpo espiritual semelhante ao de Jesus (1Jo 3.2)! O ARREBATAMENTO Nesse ponto, dar-se- o Arrebatamento da Igreja. Jesus, Paulo e Joo falam desse evento com diferentes expresses : Paulo diz, "seremos arrebatados" (1Ts 4.17); Ou, "seremos transformados" (1Co 15.52); Joo registra no Apocalipse como "subida" (cf. 11.12); Jesus usa a frase "... [seus anjos] lhe ajuntaro os escolhidos" (Mt 24.31). Haver uma tremenda tribulao e angstia antes do Arrebatamento (cf. Mt 24.15- 28), quando os Seus escolhidos (linguagem do prprio Jesus) sero protegidos, mas a experimentaro (Ap 7.1ss, 13, 14). E, ento, todos os salvos mortos sero ressuscitados, e todos os salvos vivos sero transformados e glorificados. Os dois grupos sero elevados ao ar para um encontro com Jesus. A propsito, era costume nas

Recommended

View more >