apost. melp_-_ap

Download apost. MELP_-_AP

Post on 09-Jul-2015

1.677 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

PEDAGOGIA

DISCIPLINA: METODOLOGIA DO ENSINO DE LNGUA PORTUGUESA

PROF NDIA C. LAURITI

2011

PLANO DE ENSINO 1 sem 2011 CURSO: PEDAGOGIA DISCIPLINA: METODOLOGIA DO ENSINO DE LNGUA PORTUGUESAPOSIO NA GRADE DO CURSO: 5o. semestre

CDIGO

CARGA HORRIA SEMESTRAL: 80 horas

EMENTA: O ensino da Lngua Portuguesa: seu estado atual e alternativas de transformao; preconceito lingustico; nveis de linguagem e variantes lingusticas; gneros textuais; o ensino da gramtica; o ensino da leitura; o ensino da escrita; questes de letramento; PCN de Lngua Portuguesa. OBJETIVOS: A disciplina pretende, a partir da leitura de textos de estudiosos no campo da linguagem e da educao, refletir sobre as formas com o ensino da Lngua Portuguesa vem se organizando na escola, tendo em vista aspectos histricos, polticos e culturais. Discutir e propor alternativas para um ensino da Lngua Portuguesa voltado para a formao do cidado comunicativo e crtico.

CONTEDO PROGRAMTICO: CRONOGRAMASEMA NAS: 1 2 CONTEDOApresentao da disciplina; O ensino de Lngua Portuguesa; PCNs: Objetivos do ensino da LP. Conceitos linguagem. Variao lingustica; Nveis de linguagem; Gnero receita. Preconceito lingstico; Pcns: lngua oral e lngua escrita; Gnero carta Trabalhando os vrios gneros textuais; gnero: poesia infantil; Como ensinar a escrever: pardia de fbulas; O tratamento didtico para ensinar a escrever. Orientaes dos PCNs. Como fazer a correo/ refao: PCNs sobre avaliao.. Como ensinar a ler: formas de leitura, objetivos e incentivo. A leitura oral. O tratamento didtico para ensinar a ler. Orientaes dos PCNs. Como ensinar a compreender

SEMA CONTEDO NAS: 11 Conhecendo a gramticaConhecendo melhor alguns contedos gramaticais do Ensino Fundamental 1. Resoluo de exerccios de gramtica.

12

3 4 5 6 7 8 9

13 14 15o 16o 17o Elaborao de um gibi sobre contedos gramaticais determinados. A gramtica nos PCNs. Discusso do filme crianas invisveis, relacionando-o s questes da disciplina.Atividade sobre aspectos tericos da disciplina presentes no filme

18 19 20

Letramento X Alfabetizao: atividades diferenciadas.Recursos didticos que auxiliam no ensino da Lngua Portuguesa As tecnologias e a Lngua Portuguesa na alfabetizao. PCNs: comparao entre 1o. e 2o. ciclos.

10

METODOLOGIA DE ENSINO: Por meio de aulas expositivas, debates abertos, atividades direcionadas individuais e em grupo, produo de materiais didticos, apresentao de vdeos e apresentao de seminrios, tudo relacionado aos referenciais tericos, pretende-se atingir os objetivos propostos. AVALIAO: O processo avaliativo ser composto pela soma das notas dos alunos em atividades distintas: provas dissertativas individuais de compreenso conceitual dos temas abordados nas aulas e nos PCNs; trabalhos de transposio didtica realizados na sala de aula, em grupo, sobre o referencial terico; AV1 prova individual sobre variantes lingsticas, o ensino da escrita e da leitura e trabalho em grupo sobre preconceito lingstico e formas de avaliao de uma redao; AV2 avaliao integrada constituda por questes especficas e interdisciplinares de mltipla escolha ; AV3 avaliao integrada constituda por questes especficas da disciplina, interdisciplinares e propostas de interveno, referentes anlise terica do filme Crianas Invisveis.Bibliografia bsica: GERALDI, Joo Wanderley (org.) O texto na sala de aula. So Paulo: tica, 2007. SECRETARIA DE EDUCAO FUNDAMENTAL. Parmetros curriculares nacionais: Lngua portuguesa. Braslia: Ministrio da Educao, 1998. TARDELLI, Marlete Carboni. O ensino da lngua materna: interaes em sala de aula. So Paulo: Cortez, 2002 (Coleo Aprender e ensinar com textos; Vol 9) Bibliografia complementar: ALMEIDA, Geraldo Peanha de. Prticas de alfabetizao e letramento. So Paulo: Cortez, 2006. GOMES, Maria Lcia de Castro. Metodologia do Ensino de Lngua Portuguesa. Curitiba: IBPEX, 2007. KLEIMAN, ngela. Oficina de leitura: teoria & prtica. Campinas: Pontes, 1998. LERNER, Delia. Ler e escrever na escola: o real, o possvel e o necessrio. Porto Alegre: Artmed, 2002. POSSENTI, Srio. Por que (no) ensinar gramtica na escola. Campinas: ALB, 1998. Profs. responsveis:

Ndia Lauriti Adriana Llian Garcia Elenice Alves da Costa Elisabeth Mrcia Ribeiro Machado Niuza Barone Joel Rosa Tas Lrio

DOWNLOAD DOS PCNs de Lngua Portuguesa (1o. e 2o. ciclos) http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/portugues.pdf

PROGRAMAS DE VDEO DOS PCNs DE LP (em Biblioteca Virtual do Estudante de LP) http://www.seed.pr.gov.br/portals/portal/usp/segundo_trimestre/videos/tv_escola/tv_escol a.html#linguaport

AULA INTRODUTRIA - OS CONTEDOS DE ENSINO DE LNGUA PORTUGUESA: UMA ORGANIZAO GERALProf Ndia C. Lauriti - 2011 QUADRO GERAL DE CONTEDOS DE LNGUA PORTUGUESA 1 CONTEDOS DE LEITURA E ESCUTA A Capacidade de leitura e escuta Decodificao relacionadas compreenso do sistema. Compreenso relacionadas s estratgias cognitivas da leitura (antecipao, seleo de hipteses inferncia e avaliao). Interao entre texto e leitor (apreciao e rplica) relacionadas reconstruo do sentido do texto. Essas capacidades se inter-relacionam e a mobilizao de algumas auxiliam na constituio de outras. B Comportamentos leitores e de escrita (valores em relao leitura) Refere-se ao que Lerner (2002) aponta como dimenso social da leitura: socializar critrios de apreciao esttica da leitura; ler trechos de textos que o aluno gostou para os colegas; frequentar bibliotecas (de classe ou no); compartilhar a leitura com outros; confrontar com outros leitores sua interpretao; comentar o que se est lendo; recomendar livros ou outras leituras que considera valiosas; comparar o que se leu com outras obras; C Procedimentos de leitura (finalidades) ler para estudar; ler para obter informao especfica; ler para obter informao geral; ler para aprender; ler para revisar um texto; ler oralmente para apresentar um texto (sarau, jornal); ler por prazer esttico; reler para compreenso. A essas finalidades correspondem vrios procedimentos

a) Leitura integral de um texto; b) Leitura inspecional (para a escolha de um texto); c) Leitura tpica (para identificar informaes pontuais);

d) Leitura de reviso (para corrigir inadequaes no texto); e) Leitura item a item (para realizar uma tarefa); f) Leitura expressiva. D Atividades de leitura Leitura diria ou semanal Trata-se de instituir um dia fixo na semana, no qual se leia em determinado horrio. Os leitores podem ser tanto o professor, quanto os alunos, se o tema for socializado e combinado previamente. Leitura colaborativa Trabalhar com o texto coletivamente, mobilizando nos alunos as estratgias necessrias para a construo coletiva do sentido. Leitura programada Ampliar a proficincia a partir da leitura prvia de cada parte do livro, a professora as discute com os alunos para construo do sentido. Leitura em voz alta feita pelo professor Explicitar critrios de escolha da obra como (autor, gnero, ilustraes), possibilitando o contato com textos de boa qualidade para ampliao do repertrio. Atividades seqenciadas de leitura Possibilitar o estudo de determinado tema por meio de uma sequncia de atividades que preveem a leitura de textos com grau crescente de aprofundamento de informaes. Leitura de escolha pessoal Possibilitar aos alunos a escolha livre de textos de acordo com suas preferncias, para que o professor tenha uma referncia do tipo de leitura que j de competncia autnoma dos alunos. Roda de leitores Possibilitar a socializao das leituras realizadas de maneira independente para observar os comportamentos leitores j construdos pelos alunos. Leitura individual com questes para interpretao escrita Trata-se de verificao de competncia j construda no s de leitura como de produo de textos. Leitura em voz alta Permite o trabalho com aspectos da oralizao do texto escrito (dico, entonao, dramatizao, entre outros). preciso que o contexto faa sentido como: ler em comemoraes, ler em saraus literrios, gravar CD de divulgao, anunciar produtos, jornal da escola entre outros. 2 PRODUO DE TEXTOS

Procedimentos, comportamentos e capacidades de escrita e de fala (no que couber): a) b) c) d) planejamento de texto para cada linguagem (prvio e processual); textualizao (oral/escrito); reviso de texto (processual e final); refaco de textos, considerando os aspectos focalizados na reviso.

Aspectos que devem ser considerados na produo de textos:

Discursivos relativos ao contexto de produo (para quem se escreve, com qual finalidade, em qual portador circular, adequao do gnero solicitado). Pragmticos caractersticas da situao comunicativa do texto (sarau, seminrio, prova escrita, mesa-redonda etc). Textuais relativos coeso e coerncia textuais. Gramaticais ortografia, pontuao, acentuao, morfologia, estilsticas, semntica. Notacionais relativos compreenso do sistema da escrita.

ATIVIDADES DE PRODUO DE TEXTO A RECONTO ORAL (tendo o professor como escriba) Possibilitar a apropriao das caractersticas da linguagem escrita por meio do reconto oral, como se o aluno fosse o autor do texto, utilizando lxico adequado, organizao sinttica, coeso e coerncia, progresso temtica, assim como procedimentos de escritor: planejamento, reviso processual e final. O foco desta atividade o textual (coeso, coerncia e seleo lexical). B PRODUO COLETIVA ORAL (tendo o professor como escriba) Possibilitar a apropriao das caractersticas do gnero e a modelizao dos aspectos de reviso processual e final do texto. C ESCRITA DE TEXTO QUE SE SABE DE MEMRIA (escrita de prprio punho) Possibilitar a apropriao das caractersticas do sistema de escrita. D REESCRITA DE TEXTO QUE NO SE SABE DE MEMRIA Possibilitar ao aluno apropriao de recursos de aspectos textuais e gramaticais. E REESCRITA COM MODIFICAES (mudar o final, por exemplo) PRODUES HBRIDAS Possibilitar ao aluno a aprendizagem de procedimentos de textualizao e criatividade, focalizan