anurio portugal2010

Download Anurio portugal2010

Post on 29-May-2015

245 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. 23 de janeiro de 2012Anurio Estatstico de Portugal2010 (Ano de Edio 2011)Anurio EstatsticoO Anurio Estatstico de Portugal, a principal publicao de referncia do Instituto Nacional de Estatstica, hojedivulgado. O ANURIO ESTATSTICO DE PORTUGAL 2010 est dividido em quatro grandes captulos O Territrio, AsPessoas, A Atividade Econmica e O Estado e vinte e oito sub-captulos com tabelas de dados. A publicao incluiainda uma breve anlise com a evoluo dos principais indicadores face a 2009 e comparaes de Portugal com aUnio Europeia.Enquadramento Demogrfico10,081% e de 0,088%, na primeira dcada, e de0.387% e de 0,040%, na segunda dcada (Grfico 1).Em 2010 verificou-se uma diminuio da populaoresidente, o que no ocorria desde o incio da dcadaGrfico 1 Dinmica de crescimento da Populaode 90. A populao estimada ligeiramente inferior de 2009, o que se traduz pela taxa de crescimentoefetivo de -0,01%. Esta diminuio foi totalmentedeterminada pelo andamento da taxa de crescimentonatural, que apresentou uma quebra mais intensa doque o aumento registado na taxa migratria. Refira-seainda que a taxa migratria apresentou uma fortedesacelerao, tendo passado de 0,15% para 0,03%,de 2009 para 2010, representando um saldo migratriono ltimo ano na ordem de 1/5 do verificado no anoO peso da populao idosa mantm a tendnciaanterior. crescente, em consequncia das tendncias deRecorde-se que ataxamigratriatem sidodiminuio da fecundidade e deaumento dadeterminante para o perfil de evoluo da populao longevidade. Desde 1990 que a proporo de indivduosresidente. A mdia das taxas de crescimento dacom idade inferior a 24 anos apresenta uma tendnciapopulao entre 1990 e 2010 foi de 0,283%, quede sistemtica reduo. Na dcada de 90 representava,resultou dos contributos da taxa migratria em 0,224% em mdia, 33,4% do total, enquanto na dcadae dataxanatural em 0,059%. Considerando seguinte j valia um pouco menos de 28,0%, mas comseparadamente a dcada de 90 e aquela que se inicioutendncia descendente, tal que em 2010 representavaem 2000, os contributos foram, pela mesma ordem, de 26,0% (Grfico 2).1 A anlise realizada com base nas Estimativas da PopulaoResidente (INE) no ajustadas aos Resultados Provisrios dos Censos2011 recentemente disponveis.Anurio Estatstico de Portugal 2010 Edio 2011 1/18

2. Grfico 2 Efeitos na estrutura etriaA mdia da idade dos homens ao primeiro casamento tambm foi aumentando, sendo de 30,8 anos em 2010 (27,5 anos e 26,2 anos em 2000 e em 1990, respetivamente). A diferena de idades entre homem e mulher ao primeiro casamento era de 2 anos em 1990, de 1,8 anos em 2000, tendo estabilizado em 1,6 anos desde 2002 (Grfico 3). Grfico 3 Indicadores de nupcialidade e de natalidadeA taxa de fecundidade geral foi de 39,8 por mil em2010, aumentando em 0,9 pontos por mil (ppm) face a2009. Este andamento foi contrrio trajetriadescendente, embora irregular, iniciada em 2000. Poroutro lado, o ndice de longevidade foi de 47,4,atingindo o nvel mais elevado desde 1990, sendoevidente uma tendncia de aumento desde 1995, anoem que este indicador se situava em 39,0%. O rcio Paralelamente, o nmero de casamentos tende aentre a populao com mais de 65 anos e a populaodiminuir, com especial incidncia a partir de 2000. Emat 14 anos (ndice de envelhecimento) atingiu tambm2010 os casamentos celebrados representaram menoso seu ponto mais elevado, alcanando 120,1%, quandode 60,0% dos celebrados em 1999. O nmero deem 2000 era de 102,2% e em 1990 se situara emcasamentos catlicos celebrados tem acompanhado68,1%. esta tendncia descendente, e at de forma maisPara estas tendncias observadas nos ltimos anos tmintensa, em 2010 representando 36,6% do nmero decontribudo as mudanas de comportamentos sociais, 1999. Desde 2007 que a proporo de casamentosevidenciados por um conjunto de indicadores. Ascatlicos face ao total de casamentos celebrados caiumdias das idades das mulheres quer data dopara menos de metade do total dos casamentos,primeiro casamento quer ao nascimento do primeiroatingindo este rcio 41,8% em 2010 (em 2000 e emfilho foram sistematicamente aumentando desde 1990,1990 esta proporoera64,8%e de72,5%,e durante boapartedotempo evidenciaram respetivamente). A proporo de casamentos entrecomportamentos paralelos, mas nos ltimos quatro estrangeiros e portugueses manifestou uma tendnciaanos intensificou-se o crescimentodoprimeiro contrria at 2008, mas desde ento tambm diminuiindicador, atingindo um nvel superior ao do segundo.para 10,8%, embora quintuplicando face ao que seAssim, em 2010 a idade ao primeiro casamento foi deverificava em 1995 (Grfico 4).29,2 anos (25,7 anos e 24,2 anos, em 2000 e 1990,respetivamente), superior idade ao nascimento doprimeiro filho, que se situou em 28,9 (26,5 anos e 24,7anos, para os mesmos perodos e pela mesma ordem).Anurio Estatstico de Portugal 2010 Edio 2011 2/18 3. Grfico 4 Casamentos e divrcios46,1 e de46,5 em 2000eem 1990, respetivamente (Grfico 6). Grfico 6 Indicadores de natalidadeO nmero de divrcios tomou uma evoluo contrria dos casamentos celebrados. Tomando 1990 comoreferncia, em 2000 o seu nmero duplicou, tendotriplicado em 2010. No perodo mais longo, o nmeroEnquadramento socioeconmicode divrcios registou uma taxa mdia de crescimento Populao ativa, emprego e desempregoanual de 6,0%, embora entre 2000 e 2010 o ritmotenha sido mais moderado, de 3,7% (Grfico 5). Em 2010 apopulao ativa no seafastouGrfico 5 Taxas de nupcialidade e de divrciosignificativamente do nvel do ano precedente, tendo estabilizado ataxa deatividade em52,5%, contrariando assim a tendncia de aumento verificada entre 1999 e 2008 (Grfico 7).Grfico 7 Taxas de atividadeO nmero de nascimentos fora do casamento foitambm aumentando, passando a sua percentagem de22,2% em 2000 para 41,3% em 2010 (77,6% dosquaiscom coabitaodos pais). Manteve-se atendncia de diminuio da taxa de fecundidade naEntre 1998 e 2008 a populao ativa aumentou cercaadolescncia que se verifica desde 2000. Nesse ano a de 10,4%, correspondendo a cerca de 530 miltaxa situou-se em 22,0, aproximando-se dos nveis indivduos. A evoluo nos dois anos seguintes foido incio da dcada anterior, mas desde ento onegativa, determinando um aumento global face amovimento descendente foi ntido, passando para uma1998 de 485 mil indivduos. Para o crescimento desdetaxa de 14,7 em 2010. A taxa de fecundidade geral 1998contribuiuprincipalmente oaumentodatambm aumentou nesse ano, mas aparenta umapopulao feminina nomercado de trabalho,estabilizao em torno de 40,0, aps os mximos depossivelmente o adiamento da entrada na reforma e aAnurio Estatstico de Portugal 2010 Edio 2011 3/18 4. dinmica dosfluxos migratrios, ainda que tais Grfico 9 Nveis de escolaridade completa da PopulaoAtivaimpactos se tenham atenuado nos anos mais recentes(Grfico 8). Grfico 8 Indicadores de composio da Populao AtivaO emprego diminuiu 1,5% em 2010, no seguimento daquebra de -2,8% observada no ano precedente, emambos os anos contrariando a tendncia que seO grau de qualificao da fora de trabalho aumentou,verificara nos cinco anos anteriores. Em termosa avaliar pelo grau de escolaridade da populao ativa:absolutos, a reduo em 2010 foi na ordem de 76 milentre 1998 e 2010, ao referido aumento de 485 milempregos, menos intensa do que a de 2009, que foraindivduos correspondeu um aumento de cerca de 900superior a 143 mil empregos. A diminuio registadamil indivduos tendo pelo menos o ensino secundrioem 2010 foi sobretudo determinada pela evoluo doconcludo (cerca de 450 mil com escolaridade de nvelemprego dos trabalhadores por conta prpria, que sesuperior). Deste modo,opesodeste grupocontraiu em 5,4%, contribuindo em mais de 90,0%representou cerca de 34,3% do total da populaopara a reduo global, logo seguida peladosativa, quando em 1998 se situava em 19,8% (Grficoassalariados sob contrato sem termo, com uma quebra9), tendo ocorrido um aumento sistemtico at 2010.de 1,5% e uma contribuio de cerca de 60,0%. NoNo entanto, a proporo de ativos com nvel deemprego assalariado com contrato a termo, peloescolaridade correspondente ao ensinosuperiorcontrrio,registou-se um aumentosignificativo,continuou relativamente baixa, apesar do significativogerando uma contribuio positiva na ordem de 46,0%aumento registado entre 1998 e 2010, na ordem 7,2para a evoluo do emprego (Grficos 10 e 11).p.p., situando-se em 16,0% no final do perodo. Emtermos de emprego, nesse ano a proporo de Grfico 10 Taxas de variao anual (%) do empregoempregados com curso superior (3 nvel, ISCED97) foide 16,0% em Portugal, o que compara com aproporo de 28,9% que se verificou na UE27; estediferencial at aumentou face a 2004, se bem que sejaidntico ao registado em 2001, mesmo que emPortugal tenha havido melhorias inter-temporais nessaproporo (valores de 13,0% e de 9,7%, em 2004 eem 2001, respetivamente).Anurio Estatstico de Portugal 2010 Edio 2011 4/18 5. Grfico 11 Taxas de variao anual (%) do emprego porGrfico 12 Contribuies (%) do emprego por faixasconta de outrem segundo o tipo de contratoetrias para a taxa de variao anual do emprego totalConsiderando um perodo mais longo, observa-se que A taxa de desemprego em 2010 foi de 10,8%, a taxadesde 1998 houve um aumento de 134 mil indivduosmais elevada desde o incio da srie, em 1998. Estena populao empregada, e de 392 mil indivduosaumento traduziu-se num agravamento generalizado datrabalhandopor conta deoutrem(assalariados). taxa de desemprego das categorias consideradas. AContudo, a gerao de emprego situou-se no sub-taxa de desemprego dos homens foi de 9,8% e a dasperodo compreendido entre 1998 e 2002, em que o mulheres atingiu 11,9%. A categoria etria com maisaumento total da populao empregada foi de 294 milelevada taxa de desemprego, correspondente faixaindivduos. Inversamente, em 2009 e em 2010 aentre 15 e 24 anos, teve o aumento mais acentuado,contrao do emprego mais do que anulou a criao de de 2,3 p.p., agravando-se a taxa para 22,4%. Seguiu-emprego registada entre 2004 e 2008. A evoluo nosse a faixa entr