Anuario Estatistico Brasileiro Petroleo Gas Biocombustiveis ANP 2013

Download Anuario Estatistico Brasileiro Petroleo Gas Biocombustiveis ANP 2013

Post on 24-Oct-2015

186 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • ISSN 1983-5884

    2013

    ANURIO ESTATSTICOBRASILEIRO DO PETRLEO,GS NATURAL E BIOCOMBUSTVEIS

  • ANURIO ESTATSTICO BRASILEIRO DO PETRLEO, GS NATURAL E BIOCOMBUSTVEIS

    2013

  • PRESIDENTE DA REPBLICADilma Vana Rousseff

    MINISTRO DE MINAS E ENERGIAEdison Lobo

    AGNCIA NACIONAL DO PETRLEO, GS NATURAL E BIOCOMBUSTVEIS

    DIRETORA-GERALMagda Maria de Regina Chambriard

    DIRETORESFlorival Rodrigues de CarvalhoHelder Queiroz Pinto JuniorJos GutmanWaldyr Martins Barroso

  • MINISTRIO DE MINAS E ENERGIA

    AGNCIA NACIONAL DO PETRLEO, GS NATURAL E BIOCOMBUSTVEIS

    ANURIO ESTATSTICO BRASILEIRO DO PETRLEO, GS NATURAL E BIOCOMBUSTVEIS

    2013

  • Agncia Nacional do Petrleo, Gs Natural e Biocombustveis (Brasil).

    Anurio estatstico brasileiro do petrleo, gs natural e biocombustveis : 2013 / Agncia Nacional do Petrleo, Gs Natural e Biocombustveis. - Rio de Janeiro : ANP, 2008- .

    v. : grf., tab.

    Anual.

    Ttulos anteriores: Anurio Estatstico do Departamento Nacional de Combustveis e Conselho Nacional do Petrleo 1978-95; Anurio Estatstico do Departamento Nacional da Indstria do Petrleo 1998-2000 (o volume de 1998 inclui tambm dados referentes a 1996-1997); Anurio Estatstico Brasileiro do Petrleo e do Gs Natural 2001-2007.

    ISSN 1983-5884

    1. Indstria do petrleo. 2. Petrleo - Estatsticas. 3. Gs natural Estatsticas. 4. lcool Estatsticas. 5. Biocombustveis - Estatsticas. I.Ttulo.

    CDD 338.27282

    AGNCIA NACIONAL DO PETRLEO, GS NATURAL E BIOCOMBUSTVEIS - ANPEscritrio CentralAv. Rio Branco, n 65 12 ao 22 andarCentro CEP 20.090-004 Rio de Janeiro RJ Brasilwww.anp.gov.brTel.: (55-21) 2112-8100Telefax: (55-21) 2112-8129 (55-21) 2112-8139 (55-21) 2112-8149

    Catalogao na fonte: Centro de Documentao e Informao da ANP

    permitida a reproduo do contedo deste Anurio desde que obrigatoriamente citada a fonte.Reprodues para ns comerciais so rigorosamente proibidas.

    Superintendncia de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnolgico

    Elias Ramos de Souza - Superintendente Tathiany Rodrigues Moreira de Camargo Superintendente-adjunta

    Coordenao ExecutivaJos Lopes de Souza

    Equipe TcnicaAlice Kinue Jomori de PinhoDenise CoutinhoFelipe Accioly VieiraJos Carlos Soares TigreKrongnon Wailamer de Souza RegueiraRoberta Salomo Moraes da Silva

    Superintendncia de Divulgao e Comunicao Institucional

    Miguel Junior Frana Chaves de Magalhes Superintendente

    Claudia de Vasconcellos Andrade Bif Superintendente-adjunta

    Equipe EditorialJoo Carlos de Souza MachadoLeonardo de Vasconcelos Machado RodriguesLuiz Henrique Vidal FerrazRenata Moraes

    ExecuoAgncia Nacional do Petrleo, Gs Natural e Biocombustveis ANP

    Superintendncia de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnolgico

    Superintendncia de Divulgao e Comunicao Institucional

    Copyright 2013 - Agncia Nacional do Petrleo, Gs Natural e Biocombustveis ANP

  • Esta edio do Anurio Estatstico Brasileiro de Petrleo, Gs Natural de Biocombustveis apresenta um cenrio - o de 2012 - que, ao longo de 2013, vem se alterando expressiva-mente. Ao nal de 2013 a ANP ter realizado trs leiles histricos: a 11 Rodada, um su-cesso com recorde de arrecadao em bnus de assinatura; a 12 Rodada, a primeira a ofe-recer exclusivamente blocos em terra, com nfase em gs; e a 1 Rodada do Pr-sal, que inaugura o regime de partilha no esforo do Pas para aumentar a extrao do leo nas grandes profundidades sob o oceano.

    O pr-sal, por sinal, foi um dos destaques de 2012, registrado neste Anurio: a produo de petrleo sob a camada do pr-sal aumen-tou; em dezembro atingiu recorde de 247 mil barris/dia, apenas seis anos aps a descober-ta de petrleo na regio. Esta edio tam-bm registra a contribuio do pr-sal para o aumento das reservas provadas de petrleo no Brasil: as atuais reservas so quase 50% maiores que as de dez anos atrs, quando o petrleo do pr-sal nas bacias de Santos e Campos ainda no havia sido descoberto.

    O ano de 2012 foi tambm marcado pela pro-duo recorde de gs natural no Brasil, que

    atingiu 70,8 milhes de m3/dia, aps incre-mento de 7,3% em relao a 2011, acima da mdia de crescimento da ltima dcada. O consumo tambm cresceu - 9,8%, - totalizan-do 80 milhes de m3/dia, equivalente a quase 1% do consumo mundial de gs natural. Cabe ainda mencionar a reduo nas queimas e perdas de gs e a diminuio do volume reinjetado nos poos, resultando em maior quantidade disponibilizada para o mercado.

    No segmento de re no, tambm houve re-corde de produo de derivados, que atin-giu 2,02 milhes de barris/dia. Os maiores aumentos volumtricos foram na produo de gasolina A (+45,2 mil barris/dia) e de leo diesel (+51,2 mil barris/dia). No abastecimen-to, em comparao com 2011, as vendas de combustveis cresceram em um ritmo mais acelerado (6,1%) no Pas, com destaque para o aumento de 11,9% do volume de gasolina C comercializado, em contraste com a queda de 9,6% nas vendas de etanol hidratado.

    Produo elevada tambm signi ca retorno para a pesquisa e desenvolvimento, j que os campos de grande produtividade devem cumprir a Clasula de P&D dos contratos de concesso de investir em inovao. Em 2012, as obrigaes geradas alcanaram R$ 1,2 bi-lho de reais, uma expressiva contribuio para o desenvolvimento de tecnologias e for-talecimento da indstria do petrleo e sua cadeia de fornecedores de bens e servios. A Clusula de P&D tambm ajuda a alimen-tar outra frente essencial para o impulso ao setor de petrleo e gs: a formao e espe-cializao pro ssional. Em 2012, o Programa de Recursos Humanos da ANP (PRH-ANP) disponibilizou R$ 59,8 milhes para a conces-

    so de bolsas de estudos e taxa de bancada nas universidades um aumento de mais de 160% em relao ao ano anterior.

    Este Anurio 2013 que chega aos leitores em novo projeto gr co mostra tambm que, em 2012, as participaes governamentais bateram recordes e alcanaram R$ 31,8 bilhes. Deste total, os royalties representaram R$ 15,6 bilhes e as participaes especiais R$ 15,9 bilhes.

    APRESENTAO

    MAGDA MARIA DE REGINA CHAMBRIARDDIRETORA-GERAL

  • SUMRIO GERAL

    GUIA DE LEITURA 8

    SUMRIO DE SEES 9

    SUMRIO DE TABELAS 11

    SUMRIO DE QUADROS 17

    SUMRIO DE GRFICOS 17

    SUMRIO DE CARTOGRAMAS 21

    NOTAS GERAIS 22

    CONVENES 23

    SEO 1 - PANORAMA INTERNACIONAL 25

    SEO 2 - INDSTRIA NACIONAL DO PETRLEO E GS NATURAL 49

    SEO 3 - COMERCIALIZAO 127

    SEO 4 - BIOCOMBUSTVEIS 165

    SEO 5 - LICITAES DE BLOCOS 189

    SEO 6 - RESOLUES ANP E ANEXOS 193

    GLOSSRIO 199

    FATORES DE CONVERSO, DENSIDADES

    E PODERES CALORFICOS INFERIORES 214

    LISTA DE AGENTES ECONMICOS 215

    RELAO DE FONTES 232

  • 8 ANURIO ESTATSTICO BRASILEIRO DO PETRLEO, GS NATURAL E BIOCOMBUSTVEIS 2013

    O Anurio Estatstico Brasileiro de Petrleo, Gs Natural e Biocombustveis 2013 consolida os dados referentes ao desempenho da inds-tria e do sistema de abastecimento nacionais de petrleo, gs natural e biocombustveis no perodo de 2003 a 2012. O conhecimento desse desempenho essencial para o plane-jamento e a tomada de decises do Governo e de agentes econmicos.

    Trs critrios bsicos orientam a estrutura-o do Anurio. O primeiro leva em conta a abrangncia geogr ca, qual seja, os pa-noramas mundial e nacional. O segundo a apresentao dos dados em funo da cadeia produtiva dos setores de petrleo, gs natu-ral e biocombustveis. O terceiro contempla a apresentao das atividades regulatrias da ANP no ano de 2012.

    As informaes esto organizadas em seis sees, que se desdobram em temas e cap-tulos. Uma breve apresentao introduz cada seo e fornece ao leitor um cenrio dos as-suntos abordados. As informaes propria-mente ditas esto dispostas em cada captu-lo por meio de textos, gr cos, cartogramas, tabelas e quadros. Esta relao apresentada aps o Sumrio de Sees.

    A primeira seo traz um panorama da indstria mundial de petrleo e gs natural, destacando

    seus nveis de reservas, produo, capacida-de nominal de re no e consumo. Esses dados servem como referncia contextualizao da indstria nacional no cenrio internacional.

    Na segunda seo, h informaes sobre o de-sempenho da indstria brasileira do petrleo nos seguintes aspectos: explorao; produ-o; re no; processamento; industrializao do xisto; movimentao; comrcio exterior; dependncia externa de petrleo, derivados

    e gs natural; e preos dos produtores e im-portadores de derivados de petrleo. Constam tambm dados de arrecadao de participa-es governamentais sobre atividades de ex-plorao e produo, e pagamento de parti-cipao a proprietrios de terras. Alm disso, so apresentados os preos de referncia de petrleo e gs natural.

    Em seguida, a terceira seo contempla a distri-buio e a revenda de derivados de petrleo e gs natural, assim como a infraestrutura de co-mercializao existente bases de distribuio, postos revendedores, transportadores-revende-dores-retalhistas (TRRs) e qualidade dos com-bustveis. Tambm expe a evoluo dos preos ao consumidor de derivados de petrleo.

    Os dados de produo de biodiesel, produ-o, comrcio exterior e comercializao de etanol anidro e hidratado e os preos do etanol hidratado ao consumidor se encon-tram na quarta seo.

    Na quinta seo apresentada uma sntese das Rodadas de Licitaes de Blocos para Explorao e Produo de Petrleo e Gs Natural realizadas pela ANP.

    Finalmente, na sexta seo, so listadas as Resolues ANP publicadas no ano de 2012, com suas respectivas ementas, alm dos ane-

    xos. Estes so compostos de outras peas documentais, a saber: Glossrio, que de ne os vrios termos m