anatomia de superficie e palpatoria do ombro - prof. me. leandro nobeschi

Download Anatomia de Superficie e Palpatoria Do Ombro - Prof. Me. Leandro Nobeschi

Post on 16-Jul-2015

357 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

2010

Anatomia de superfcie e palpatria do ombrohttp://www.imagingonline.com.br/Esse captulo descreve a anatomia de superfcie e procedimentos palpatrios simples aplicados ao ombro.

Ilustrao de Leonardo da Vinci. Fonte: http://emptyeasel.com/2006/12/05/leonardo-davinci-artist-inventor-or-scientist/

Autor: Prof. Me. Leandro Nobeschi Apoio: Instituto de Imagem em Sade - CIMAS 26/10/2010

Anatomia de superfcie e palpatria do ombro

1. CINTURA DO MEMBRO SUPERIOR Os ossos da cintura do membro superior so: clavcula e escpula. A clavcula um osso totalmente subcutneo, j a escpula apresenta algumas projees sseas subcutneas e, outras so recobertas pelos msculos: toracoapendiculares anteriores e posteriores e msculos escapuloumerais. A clavcula sustenta todo o esqueleto apendicular superior. Est conectada ao esqueleto axial por meio da articulao esternoclavicular. A escpula se articula com a clavcula, formando a articulao acromioclavicular, e recebe a cabea do mero (articulao glenoumeral ou escapulo-umeral).[t1] Comentrio: As fraturas da clavcula (geralmente no tero mdio) so visualizadas facilmente. A articulao do ombro acometido se apresenta em um nvel mais inferior que o do lado no acometido, condio denominada de ombro cado.

1.2. ARTICULAO ESTERNOCLAVICULAR uma articulao sinovial do tipo selar, sendo a nica articulao que liga o cngulo do membro superior ao esqueleto axial diretamente. Estratgia para palpao: a clavcula um osso em forma de S. A extremidade que se acomoda no osso esterno bastante globosa, formando uma proeminncia acima do manbrio do esterno. Ambas as articulaes esternoclaviculares se posicionam spero-lateralmente a incisura jugular do esterno (fig.1).

Fig.1 palpao da articulao esternoclavicular.

Autor: Prof. Me. Leandro Nobeschi

Pgina 2

Anatomia de superfcie e palpatria do ombro

1.3. CLAVCULAA clavcula apresenta uma extremidade esternal, articulada com o esterno (incisura clavicular), um corpo tortuoso (forma de S), e uma extremidade acromial articulada com a escpula (face articular da clavcula) (fig.2).

Fig. 2 Palpao da clavcula. 1-articulao esternoclavicular, 2- extremidade esternal da clavcula, 3corpo da clavcula.

1.3.1. Extremidade esternal da clavculaEstratgia para palpao: a extremidade esternal da clavcula se localiza lateralmente articulao esternoclavicular (fig.2).

1.3.2. Corpo da clavculaO corpo da clavcula dividido em duas regies: uma medial e outra lateral. A regio medial apresenta uma convexidade anterior (convexidade ntero-medial), e uma concavidade posterior (concavidade pstero-medial). A regio lateral o inverso, sua convexidade posterior (convexidade pstero-lateral), e concavidade anterior (concavidade ntero-lateral) (fig.2).

Estratgia para palpao: A) convexidade ntero-medial aps localizar a articulao esternoclavicular, deslize o dedo lateralmente na face anterior da clavcula, percebendo a curva convexa da clavcula (fig.3).[t2] Comentrio: As fibras claviculares do m. peitoral maior se inserem na convexidade ntero-medial da clavcula. possvel sentir a contrao das fibras durante o movimento resistido de aduo combinado com flexo do brao.

.

Fig.3 palpao da convexidade ntero-medial da clavicular.

Autor: Prof. Me. Leandro Nobeschi

Pgina 3

Anatomia de superfcie e palpatria do ombro

B) concavidade pstero-medial partindo da articulao esternoclavicular, deslize o dedo lateralmente na face posterior da clavcula, percebendo sua concavidade (fig.4).

[t3] Comentrio: A pulsao da a. subclvia pode ser aferida na concavidade pstero-medial da clavcula. A cabea clavicular do m. esternocleidomastide se insere nessa concavidade.

Fig. 4- palpao da concavidade pstero-medial da clavcula.

C) concavidade ntero-lateral aps localizar a convexidade ntero-medial, deslize o dedo lateralmente na face anterior da clavcula em direo ao acrmio (ponta do ombro) (fig.5).

[t4] Comentrio: Fibras claviculares do m. deltide se inserem na concavidade ntero-lateral da clavcula. A concavidade um ponto de referncia para a localizao do processo coracide da escpula, localizado inferiormente.

Fig.5 palpao da concavidade ntero-lateral da clavcula.

Autor: Prof. Me. Leandro Nobeschi

Pgina 4

Anatomia de superfcie e palpatria do ombro

D) convexidade pstero-lateral partindo da concavidade pstero-medial, deslize o dedo na face posterior da clavcula em direo ao acrmio (fig.6).

[t5] Comentrio: Nesta convexidade esto inseridas as fibras da parte descendente do m. trapzio.

Fig. 6- palpao da convexidade pstero-lateral da clavcula.

1.4. ARTICULAO ACRMIOCLAVICULAR uma articulao sinovial do tipo plana, formada pelo encaixe da face articular acromial (extremidade acromial da clavcula) e a face articular clavicular (localizada no acrmio da escpula).

Estratgia para palpao: seguindo a face superior da clavcula em direo ao ombro percebe-se uma depresso (degrau), a parte elevada a extremidade acromial da clavcula, a parte aps o degrau o acrmio, sendo a articulao acrmioclavicular o local da depresso (degrau) (fig. 7).

1

2

3

Fig.7 Palpao da articulao acrmioclavicular. 1-extremidade acromial da clavcula, 2- articulao acrmioclavicular, 3 acrmio.

Autor: Prof. Me. Leandro Nobeschi

Pgina 5

Anatomia de superfcie e palpatria do ombro

1.5. ESCPULAPara uma visualizao global da escpula, principalmente a sua face posterior, podemos posicionar o brao em rotao medial, desta forma, a escpula tende a se afastar do gradil costal e, podemos observar o ngulo inferior e a margem medial facilmente (fig. 8).

2 1 3 Fig.8 Abordagem global da escpula em vista posterior. 1- margem lateral, 2- margem medial, 3ngulo inferior da escpula. Vista posterior. Estratgia para palpao: A) acrmio: aps a depresso (articulao acrmioclavicular) que pode ser sentida na face superior da clavcula em direo lateral, chega-se ao acrmio, que forma a ponta ssea do ombro (figs.7 e 9).[t6] Comentrio: Local de insero das fibras acromiais do m. deltide, e fibras descendentes do m. trapzio.

Fig.9 Palpao do acrmio da escpula. Vista pstero-lateral.

Autor: Prof. Me. Leandro Nobeschi

Pgina 6

Anatomia de superfcie e palpatria do ombro

B) espinha da escpula: partindo do acrmio, deslize o dedo para a regio posterior da escpula percebendo a macia projeo ssea que forma a espinha da escpula (fig. 10).

[t7] Comentrio: Local de insero das fibras espinais do m. deltide, fibras transversas e ascendentes do m. trapzio.

2 1 3 1

Fig. 10 Palpao da espinha da escpula (1). 2- fossa supra-espinal, 3- fossa infra-espinal. Vista posterior.

C) margem medial da escpula: durante a palpao da espinha da escpula, deslize o dedo em direo

medial at encontrar a margem medial da escpula. Percorra palpando a margem medial da escpula no sentido longitudinal, do ngulo inferior at o ngulo superior (figs. 8 e 11).

[t8] Comentrio: Local de insero dos msculos: serrtil anterior, rombides maior e menor, e levantador da escpula.

1

Fig.11- A linha tracejada entre os indicadores mostra a margem medial da escpula. 1- ngulo inferior da escpula. Vista posterior.

Autor: Prof. Me. Leandro Nobeschi

Pgina 7

Anatomia de superfcie e palpatria do ombro

D) raiz da espinha da escpula: o encontro da espinha com a margem medial da escpula. Deslize o

dedo da espinha da escpula at a sua margem medial (fig.12).

[t9] Comentrio: A raiz da espinha da escpula est na altura da terceira vrtebra torcica (T III). Nesse local ocorre a fixao das fibras do m. rombide menor.

E) ngulo superior: partindo da margem medial da escpula, deslize o dedo sobre essa margem

superiormente a raiz da espinha da escpula (fig. 12).

[t10] Comentrio: Est na altura entre a primeira e segunda vrtebras torcicas (T I - TII). O m. levantador da escpula est inserido entre o ngulo superior e a raiz da espinha da escpula.

3 1 2

Fig. 12. Palpao do ngulo superior da escpula (3). 1-espinha da escpula, 2- raiz da espinha da escpula.

F) ngulo inferior: localizando a margem medial da escpula, deslize o dedo no sentido inferior at

[t11] Comentrio: Est na altura da stima vrtebra torcica (T VII).

encontrar o ngulo inferior da escpula (figs. 8 e 11).

G) margem lateral: aps a localizao do ngulo inferior, deslize o dedo em direo articulao do

ombro, exercendo uma presso maior. Nessa margem esto inseridos os msculos redondo maior e redondo menor (fig.8).

H) fossas supra-espinal e infra-espinal: posicione os dedos sobre a espinha da escpula. Deslize o dedo

indicador superiormente e anteriormente, identificando a fossa supra-espinal e o m. supra-espinal. Deslize o dedo mdio inferiormente, identificando a fossa e o m. infra-espinal (fig. 10).

Autor: Prof. Me. Leandro Nobeschi

Pgina 8

Anatomia de superfcie e palpatria do ombro

I) processo coracide: localizando a concavidade ntero-lateral da clavcula, deslize o dedo no sentido

inferior e lateral at encontrar o processo coracide (fig.13).

[t12] Comentrio: Local de insero dos msculos: peitoral menor, coracobraquial e cabea curta do m. bceps braquial.

1 2

Fig. 13 Palpao do processo coracide da escpula (2). 1- concavidade ntero-lateral da clavcula.

1.6. MSCULO TRAPZIO um dos msculos toracoapendiculares posteriores. Movimenta a cabea, pescoo e a cintura do membro superior. Divide-se em trs partes: descendente (superior), transversa (mdia), ascendente (inferior). inervado pelo nervo acessrio e nervos cervicais (C 3 e C4). Observe que suas fibras descendentes formam a elevao entre o pescoo e a cintura do membro super