analises caso charlie

Download Analises Caso Charlie

Post on 28-Sep-2015

15 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

tccsdssadad

TRANSCRIPT

  • 20/01/2015 AtentadonaFrana:NosouCharlieHebdo|Internacional|ELPASBrasil

    http://brasil.elpais.com/brasil/2015/01/09/internacional/1420843355_941930.html 1/3

    DAVID BROOKS 10 ENE 2015 - 10:19 BRST

    ATENTADO TERRORISTA NA FRANA

    No sou Charlie Hebdo um bom momento para adotar uma postura menos hipcrita em relao s nossas prprias

    figuras provocadoras

    Arquivado em: Atentado Charlie Hebdo Opinio Paris Charlie Hebdo Liberdade imprensa Tiroteios Incidentes Frana Humor grfico Terrorismo islamista Jihadismo Atentados terroristas Europa Ocidental Imprensa Acontecimentos Europa Terrorismo Meios comunicao Comunicao

    OsjornalistasdoCharlieHebdosoaclamadosagorajustamentecomomrtiresdaliberdadedeexpresso,massejamosfrancos:setivessemtentadopublicarseujornalsatricoemqualquercampusuniversitrionorteamericanoduranteasltimasduasdcadas,noteriamduradonemtrintasegundos.Osgruposdeestudantesedocentesosteriamacusadodeincitaoaodio.AAdministraoteriacortadoseufinanciamentoeencerradosuasatividades.

    AreaopblicaaoatentadoemParisrevelouquehmuitaspessoasqueseapressamemidolatraraquelesquesocontraasopiniesdosterroristasislmicosnaFrana,masquesomuitomenostolerantesemrelaoquelesquesocontrasuasprpriasopiniesemseupas.

    Apenasvejamtodasaspessoasquereagiramdemaneiraexageradasmicroagressesnocampus.AUniversidadedeIllinoisdespediuumprofessorqueanalisavaaposturadaIgrejaCatlicaemrelaohomossexualidade.AUniversidadedoKansasexpulsouumprofessorporcriticarnoTwitteraAssociaoNacionaldoRifle.AUniversidadeVanderbiltdesqualificouumgrupocristoqueinsistiaemserdirigidoporcristos.

    OsnorteamericanospodemelogiaroCharlieHebdoporsercorajosoosuficienteparapublicarcaricaturasqueridicularizavamoprofetaMaom,masquandoAyaanHirsiAliconvidadaaocampus,hfrequentementepedidos

    INTERNACIONAL

  • 20/01/2015 AtentadonaFrana:NosouCharlieHebdo|Internacional|ELPASBrasil

    http://brasil.elpais.com/brasil/2015/01/09/internacional/1420843355_941930.html 2/3

    paraquesuaspalestrassejamproibidas.

    Porisso,estepodeserummomentoparaseaprenderalgo.AgoraqueestamoshorrorizadospelomassacredaquelesescritoreseeditoresemParis,umbommomentoparaadotarumaposturamenoshipcritaemrelaosnossasprpriasfiguraspolmicas,provocadorasesatricas.

    Aprimeiracoisaadizer,suponho,queindependentementedoquevoctenhapostadoemsuapginadoFacebooknaquartafeira,incorretoparaamaioriadensafirmarJesuisCharlieHebdoouSouCharlieHebdo.Amaioriadensnaverdadenoadotaohumordeliberadamenteofensivonoqualessejornalespecializado.

    Podemostercomeadoassim.Quandosetem13anos,pareceousadoeprovocadorpaterlabourgeoisie[escandalizaraburguesia],enfiarodedonoolhodaautoridade,ridicularizarascrenasreligiosasdeoutros.

    Mas,depoisdeumtempo,issonosparecepueril.Amaioriadenspassaaadotarpontosdevistamaiscomplexossobrearealidadeemaistolerantesemrelaoaosdemais.(Aridicularizaosetornamenosdivertidamedidaquetomamosmaiorconscinciaarespeitodenossaprpriaefrequenteridicularidade).Amaioriadenstentamostrarummnimoderespeitofrentespessoasdediferentescredosereligies.Tentamoscomearaconversaescutandoemvezdeinsultando.

    Mas,aomesmotempo,amaioriadenssabequeosprovocadoreseoutrasfigurasbizarrasdesempenhamumpapelpblicotil.Oshumoristasecartunistasexpemnossasfraquezasevaidadequandonossentimosorgulhosos.Elesesvaziamoautoelogioinfladodosbemsucedidos.Nivelamadesigualdadesocialaorebaixarospoderosos.Quandoeficazesnosajudamaenfrentarnossasfraquezasemcomunidade,jqueorisoumadasexperinciasdeaproximaonofinaldascontas.

    Almdisso,osespecialistasemprovocaoeridicularizaoexpemaestupidezdosfundamentalistas.Osfundamentalistassopessoasquelevamtudoaopdaletra.Soincapazesdeadotarpontosdevistadiferentes.Soincapazesdeverque,emborasuareligiopossaserdignadamaisprofundavenerao,tambmverdadequeamaioriadasreligiesumtantoestranha.Oshumoristasexpemaquelesquesoincapazesderirdesimesmoseensinamaosdemaisqueprovavelmentedeveriamfazeramesmacoisa.

    Emresumo,aopensarnaquelesqueprovocameofendem,desejamosmanternormasdecivilidadeerespeitoe,aomesmotempo,abrirespaoaessestiposcriativosedesafiadoresquenotmasinibiesdosbonsmodosedobomgosto.

    Quandosetentacombinaressedelicadoequilbriocomasleis,asnormasdediscursoeoradoresvetados,oresultadoumacensuranuaecruaeconversasabafadas.quasesempreumerrotentarsilenciarodiscurso,fixarnormase

  • 20/01/2015 AtentadonaFrana:NosouCharlieHebdo|Internacional|ELPASBrasil

    http://brasil.elpais.com/brasil/2015/01/09/internacional/1420843355_941930.html 3/3

    cancelarconvitesapalestrantes.

    Porsorte,oscostumessociaissomaismaleveiseflexveisdoqueoscdigos.Amaioriadassociedadesconseguiumanterpadresdecivilidadeerespeitoaomesmotempoemquedeixamocaminhoabertoparaosdivertidos,malcriadoseofensivos.

    Namaioriadassociedades,adultosecrianascomememmesasseparadas.AspessoasqueleemoLeMondeouaspublicaesinstitucionaissentamsemesacomosadultos.Osbobosdacorte,osexcntricosepessoascomoAnnCoultereBillMaherestonamesadascrianas.Nosototalmenterespeitados,massoescutadosporque,comseuestilodemssildescontrolado,svezesdizemcoisasnecessriasqueningummaisestdizendo.

    Associedadessaudveis,emoutraspalavras,nosilenciamodiscurso,masconcedemumstatusdiferenteaosdiversostiposdepessoas.Sbioserenomadosestudiosossoescutadoscomgranderespeito.Oshumoristassoescutadoscomumconfusosemirespeito.Osracistaseantissemitassoescutadosatravsdeumfiltrodeoprbrioedesrespeito.Aspessoasquedesejamserescutadascomatenotmqueconquistarissopormeiodesuaconduta.

    OmassacredeCharlieHebdodeveriaserumaoportunidadeparaporfimsnormassobreodiscurso.Edeverianoslembrarque,dopontodevistalegal,temosquesertolerantescomasvozesofensivas,emborasejamosexigentesdopontodevistasocial.

    EDICIONESELPAS,S.L.

  • 11 de janeiro de 2015 por Paulo Moreira Leite

    Num continente onde o racismo est em alta, denncia do ataque ao

    Charlie Hebdo no pode alimentar a clssica postura de duplicidade

    moral

    Diante dos manifestaes cada vez maiores nas ruas de Paris para protestar pelo massacre na

    redao do Charlie Hebdo preciso lembrar que:

    1.Durante os ataques mais recentes da aviao de Israel sobre Gaza, os protestos em solidariedade

    a populao palestina foram reprimidos na Frana porque se considerou que poderiam se

    transformar numa ameaa a ordem pblica;

    2.Cartunistas e ilustradores solidrios com a causa rabe em Israel chegaram a ser processados

    pelo Estado. Questionado, o primeiro ministro Manuel Valls se justificou: Ns deveramos ficar

    de braos cruzados diante da criatividade do dio?

    3. Em 2006, um grupo de intelectuais de prestgio na mdia assinou um manifesto anunciando a

    apario de uma quarta forma de ditadura dos tempos modernos. Depois do nazismo, do fascismo

    e do estalinismo, o manifesto falava do islamismo que no uma doutrina poltica, mas uma

    religio, que mobiliza perto de 1,5 bilho de pessoas, ou um quarto da humanidade, reunindo

    homens e mulheres com diferentes vises de mundo e costumes bastante diversos.

    Benvindo duplicidade moral do sculo XXI.

    O morticnio na redao do Charle Hebdo foi uma operao cruel e injustificvel. Nenhum

    cidado, em parte alguma do mundo, deve perder a vida em funo de suas opinies. O fato do

    assassinato coletivo ter sido um crime premeditado, sem dar chance de defesa s vtimas, apenas

    refora seu aspecto perverso, inaceitvel.

    Nada disso nos proibe de lembrar que o direito de Charlie Hebdo expressar o ponto de vista de

    seus jornalistas e cartunistas sem restries no deve ser confundido com a sustentao de suas

    opinies polticas. A expresso somos todos Charlie pode gerar muitas confuses.

    Num esforo supostamente didtico, surgiu no pas a conversa que tenta comparar Charles Hebdo

    e o Pasquim, o inesquecvel jornal de humor feito no Leblon que chegou a vender 200 000

    exemplares por semana durante a ditadura militar. bom no exagerar nas primeiras impresses.

  • Estamos falando de publicaes satricas, dedicadas ao humor poltico. Podemos encontrar

    artistas geniais, nos dois lados do Atlantico. E s.

    Mas ningum tem o direito de iludir-se com puras formalidades nem ignorar o ponto essencial.

    O Pasquim tinha lado. Extraia sua fora de uma opo poltica clara: denunciava o regime militar

    e seus inimigos. No fazia concesses nem permitia dvidas a respeito. No era um humor sem

    causa. Muito menos com a causa errada. Estava ao lado dos mais fracos.

    No universo cultural europeu do sculo XXI, Charles Hebdo construiu uma relao ambgua com

    o racismo.

    Assumindo aquela viso que classificava o islamismo como o quarto totalitarismo, o prprio

    editor da Charlie Hebdo disse que, para a revista, tanto o fascismo da Frente Nacional, a

    organizao de extrema-direita francesa, como o que chamava de fascismo islmico fazem

    parte da mesma seara e contra eles no economizamos nossa arte.

    O fascismo de Jean Marie Le Pen e outros lderes semelhantes que se espalham pelo Velho

    Mundo tem um projeto de poder de Estado. um movimento violento e nostlgico da velha

    ordem, que tenta restaurar pela fora. Quer eliminar direitos conquistados, que representam

    avanos parciais, limitados rumo a uma situao de menor desigualdade. A opo Le Pen

    um estado forte para submeter os deserdados da globalizao a leis mais duras e severas, como

    mo de obra de segunda-classe seja em casa, seja em seus pases de origem.

    O clero muulmano mantm convices que podem ser ou parecer retrgradas. Como em todas as

    religies organizadas, seus lderes podem ser acusados de exercer o poder de forma autoritria.

    Ali se encontram crculos fascistas que tambm se manifestam no extremismo catlico. Em

    julho de 2011, em Oslo, 76 pessoas morreram em dois atentados cometidos por um

    fundamentalista cristo, adversrio assumido da imigrao islmica, adm