Anlise tcnica voltada para o mercado de aes

Download Anlise tcnica voltada para o mercado de aes

Post on 30-Jun-2015

125 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

FATECFACULDADE DE TECNOLOGIA DE SO JOS DO RIO PRETOANLISE TCNICA VOLTADA PARA O MERCADO DE AESSILVIO BERNARDO DOS SANTOSSO JOS DO RIO PRETO2006Santos, Silvio Bernardo dosAnlise Tcnica voltada para o Mercado de Aes/ Silvio Bernardo dos Santos So Jos do Rio Preto : [s.n.], 2006. Trabalho de Concluso de Curso (Informtica nfase Gesto de Negcios) Faculdade de Tecnologia de So Jos do Rio Preto FATEC. Bibliografia: f.48. 1. bolsa de valores. 2. mercado de aes. 3. anlise tcnica. 4. anlise fundamentalista. I. Silvio Bernardo dos Santos .II. Faculdade de Tecnologia de So Jos do Rio Preto.III. Anlise Tcnica voltada para o Mercado de AesFATECFACULDADE DE TECNOLOGIA DE SO JOS DO RIO PRETOANLISE TCNICA VOLTADA PARA O MERCADO DE AESSILVIO BERNARDO DOS SANTOSSo Jos do Rio Preto2006Trabalho de Concluso de Curso apresentado Faculdade de Tecnologia de So Jos do Rio Preto - FATEC, para obteno do grau de tecnlogo do Curso de Informtica nfase em Gesto de Negcios, sob orientao do(a) Prof: M. Sc. Srgio PaivaFATECFACULDADE DE TECNOLOGIA DE SO JOS DO RIO PRETOBANCA EXAMINADORA:Nota Final: _______ ( ) em___/___/2006____________________________________________Prof. (nome completo)____________________________________________Prof. (nome completo)____________________________________________Prof. (nome completo)So Jos do Rio Preto2006DEDICATRIAPara TEREZINHA E APARECIDA (in memorium)AGRADECIMENTOSTerezinhaNunes,pelaajuda,peloincentivo,poreusaberfalaringls,pelapresena fraterna em todas as etapas de minha formao pessoal e profissional;A Lcio Nunes, pelo apoio, pelas orientaes e pelo acolhimento em sua casa;AmeupaiSilvinoesuacompanheiraNeide,pelosuporteecompreenso durante meus estudos;minhanamoradaFernandaBrizotti,portodoafetoquetempormimeportodos os bons momentos que juntos temos compartilhado;A Giovani Nunes, companheiro quemeensinoua investir na bolsa, sendohoje pra mim, um exemplo a ser seguido;TaisRabachinni,por, juntamentecomGiovani,presentear-me coma ferramenta essencial para minha formao, o computador;FrancineNunes,pelapacincianashorasqueusavaseucomputadorpara pesquisa;AmeuorientadorSrgioPaivapeloesforoededicaoparaelaboraodeste trabalho;AProf.HiplitoMartinseProf.Rooseveltporalocarpartedeseutempopara ajudar na pesquisa deste trabalho;A Roberval Menezes e Mrcio Udo da Dual Consultoria e Sistemas, pelo apoio e compreenso nas horas em que precisei me ausentar para dedicar-me a esse trabalho;Sebastiana,pelatimacomidacaseiraquepreparavaantesdeeuirparaa faculdade e pela roupa sempre limpa e cheirosa que vestia (e ainda visto); dona Maria pelas rezas que sempre me ajudaram;AnaPauladaFaculdadeDomPedro,quepermitiuconsultaroslivrosda biblioteca; minha av Leocadia e todos familiares que sempre torceram por mim;minhairmSilvana,porbaixarovolumedordionashorasqueestava estudando;Aos amigos, professores e funcionrios da FATEC Rio PretoRESUMOCom o constante aumentode pequenos investidoresna Bolsa de Valores deSo Paulo nos ltimos tempos, h a necessidade de fornecer noes sobre anlise de aes. Desta forma, este trabalho ir descrever brevemente o funcionamentodo mercado a vista de aes e mostrar aspectos elementares relativos a Anlise Tcnica, enfatizando o uso de indicadorestcnicos.Oobjetivoprincipaldotrabalhodescreverosprincipais rastreadoresdetendnciaeosciladores.Utilizou-seapesquisabibliogrficapara angariarinformaesdascaractersticas dosindicadores.Eumapesquisaexploratriapara os preos histricos das aes que sero usadospara clculos. Como resultado do estudo,desenvolveu-seumaplanilhaquebuscaaesqueestoemnveisdepreo especificado pelo usurio, onde indicado o nmero de preges que se deseja analisar, o indicador que far a anlise e o perodo do indicador. Desta forma, concluiu-se que a Anlise Tcnica, em geral, pode ser usada para saber identificar o melhor momento para comprarouvenderumaao.Aeficinciadousodosindicadorestcnicosdepende diretamentedoperodoempregadoneles.Aanlisefundamentalistausadapara escolheraaoasercomprada.Janlisetcnicausadaparaidentificaromelhor momento para comprar ou vender uma aoPALAVRAS-CHAVE: bolsa de valores, mercado de aes, anlise tcnica, anlise fundamentalista.ABSTRACTDue to the increase of small investors at BOVESPA in these last years, theres an urge toprovidethemsome basicsstockanalysis.Inspiteofit,thisworkisfirstlygoingto describebrieflythewayStockExchangeworksandelementalaspectsrelatedto technical analysis, focusing the use of technical indicators. The main target of this work isdescribingtheoscillatorsandtrend-followingcharacteristics.Ithasbeenused bibliographyresearchinordertogetinformationabouttheindicators,andexploratory researchwasusedtogethistoricalprices.Asaresult,anExcelsheetthatsearches stockswhosepricelevelsareaccordingtotheend-userspecifiedparameterswas developed. Its just necessary to inform the number of days and the indicator period. It hasbeenconcludedthatTechnicalAnalysiscangenerallybeusedtoidentifythe possiblebestmoments tobuyorsellastock.Theefficiencyoftechnicalindicators dependsontheperiodappliedtothemselves,and thisdependsonwhichstockisbeen analyzed.Finally,thefundamentalistanalysisisgenerallyusedtochoosethestock while the technical analysis should be used to identify the best moment to sell or buy a stock.KEYWORDS: stock exchange, stock market, technical analysis, fundamentalist analysisLISTASLISTA DE FIGURASFigura 1: Operao de compra pela Corretora de Valores InvestShop .......................... 14Figura 2: Livro de Ofertas Contax ON........................................................................... 16LISTAS DE GRFICOSGrfico 1: Fundos e Topos da Brasil Telecom PN (adaptado pelo autor do trabalho)... 21Grfico 2: Suporte e Resistncia da Copel PNB............................................................ 22Grfico 3: MM3 e MM5 da VALE5 .............................................................................. 30Grfico 4: Diferena entre MM3 e MMP3..................................................................... 31Grfico 5: Aes Ambev ON com MME9 e MME32 ................................................... 33Grfico 6: Divergncia positiva e negativa do estocstico............................................. 42LISTAS DE TABELASTabela 1: Comparao entre as escolhas de anlise de aes......................................... 24Tabela 2: Dados Histricos da Vale PNA (VALE5)...................................................... 29Tabela 3: Clculo da Mdia Mvel Ponderada .............................................................. 31LISTAS DE ABREVIATURASADX Average Direction Moment IndexIFR ndice de Fora RelativaMACD Moving Average Convergence DivergenceMM Mdia MvelMME Mdia Mvel ExponencialMMP Mdia Mvel PonderadaON Ordinria NominativaPN Preferencial NominativaRA Resistncia de AltaRB Resistncia de BaixaRSI Relative Strenght IndexS.A. Sociedade AnnimaSA Suporte de AltaSB Suporte de Baixa SFN Sistema Financeiro NacionalSUMRIORESUMO......................................................................................................................... 5ABSTRACT .................................................................................................................... 6LISTAS............................................................................................................................ 7SUMRIO....................................................................................................................... 8INTRODUO.............................................................................................................. 9CAPTULO I FUNDAMENTAO TERICA................................................... 101.1 Captao de recursos no mercado financeiro ................................................. 101.2 Ao................................................................................................................ 111.2.1 Ordinria Nominativa (ON) ................................................................... 111.2.2 Preferencial Nominativa (PN) ................................................................ 121.3 Bolsa de Valores............................................................................................. 131.4 Sociedade Corretora de Valores ..................................................................... 131.5 Negociao na Bolsa de Valores .................................................................... 151.6 Resultados Financeiros de Aes ................................................................... 161.7 Anlise de Aes ............................................................................................ 181.7.1 Anlise Fundamentalista ........................................................................ 181.7.2 Anlise Tcnica ...................................................................................... 191.7.3 Suporte e Resistncia.............................................................................. 201.8 Anlise Tcnica x Anlise Fundamentalista................................................... 23CAPTULO II METODOLOGIA........................................................................... 252.1 Problema e Hiptese....................................................................................... 252.2 Objetivos......................................................................................................... 252.3 Tipos de Pesquisa ........................................................................................... 262.4 Material e Mtodos......................................................................................... 26CAPTULO III APRESENTAO E DISCUSSO DOS DADOS .................... 273.1 Introduo a indicadores tcnicos .................................................................. 273.2 Mdias Mveis ............................................................................................... 283.2.1 Mdia Mvel Simples (MM).................................................................. 283.2.2 Mdia Mvel Ponderada (MMP)............................................................ 303.2.3 Mdia Mvel Exponencial (MME) ........................................................ 323.2.4 Qual tipo de mdia usar? ........................................................................ 333.2.5 Qual perodo adotar? .............................................................................. 343.3 MACD (Moving Average Convergence Divergence) .................................... 353.3.1 Sinais de compra do MACD................................................................... 363.3.2 Sinais de venda do MACD..................................................................... 363.3.3 Aspectos positivos e negativos............................................................... 373.4 IFR (ndice de Fora Relativa) ....................................................................... 383.4.1 Definies............................................................................................... 383.4.2 Interpretao do IFR............................................................................... 393.5 Estocstico (Stochastic).................................................................................. 403.5.1 Sinais de compra de venda do estocstico.............................................. 40CONCLUSO............................................................................................................... 43REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS ....................................................................... 44ANEXO.......................................................................................................................... 459INTRODUOParaelaboraodestapesquisa,otrabalhofoidivididoemtrspartes.No captulo I, tratado o embasamento terico do trabalho que apresenta os tipos de aes, descreve o funcionamento de uma negociao no mercado vista de aes destacando o papel da bolsa de valores e as sociedades corretoras de valores e mostraos dois tipos de analise de aes: anlise fundamentalista e anlise tcnica.NocaptuloII,soespecificadosaspectosrelacionadosmetodologiaaplicada paradesenvolvimentodestetrabalho,taiscomoobjetivos,problemaehipteses,material e mtodos e tipos de pesquisa.NocaptuloIII,soapresentadosalgunsdososciladoreserastreadoresde tendnciamaiscomumenteutilizadosnaanlisetcnica. Soressaltadasas particularidades do uso de mdias mveis, MACD, IFR, e estocstico.Destaforma,concluiu-sequeaeficinciadousodosindicadorestcnicos dependediretamentedoperodoempregadoneles,eoperododependedaaoem questo.A anlisetcnicadeveservircomoumapoiodecisoedeveserusadaem conjunto com outros tipos de anlise.10CAPTULO I FUNDAMENTAO TERICAEstecaptulopretendeabordarconceitoselementaresrelativosaomercado acionrio.Seroapresentadosdiferentestiposdeaesesuascaractersticas,como feitaumanegociaonomercadovistadeaeseconceitossobreanlise fundamentalista e anlise tcnica voltadas para o mercado acionrio.1.1 Captao de recursos no mercado financeiroParaodesenvolvimentodeumaempresa,necessrioqueelacapterecursos financeiros para investir no seu prprio crescimento. Todavia, necessria antes de tudo uma estrutura que viabilizeessa transferncia entre as pessoas que gastam menos, para aspessoasqueprecisamderecursos.Dessaforma,oSistemaFinanceiroNacionalo conjuntodeinstituieseinstrumentosfinanceirosqueefetuaatransfernciade recursos dos doadores finais para os tomadores finais.Conforme o Guia OnLine do Mercado(2006)1, os tomadores finais de recursos soaspessoas,fsicasejurdicas,queprecisamdocomplementodepoupanade terceirosparaexecutarseusplanoseatividades,epagamjurospelocapitalque conseguirem.Geralmentegastammaisdoqueasuarendaemconsumoe/ou investimento. Jos doadores finais de recurso sopessoas que gastam menos do que a sua renda, e aplicam os recursos de sobra.AsinstituiesdoSFN(SistemaFinanceiroNacional)soasquefazemas intermediaesentreessaspessoas,administrandoaofertadosrecursosdosdoadores finais para os tomadores finais.OBancodeInvestimentoumainstituiofinanceiraprivadaquetemcomo objetivoprincipalproverfinanciamentos,amdioelongoprazo,parasuprimentode capitalfixooudefuncionamento,medianteaaplicaoderecursosprpriosou captados juntoao pblico.Essesrecursos sofeitosprincipalmente atravsda emisso deCDBeRDBesoinvestidosememprstimosefinanciamentosespecficospara aquisio de bens de capital pelas empresas.1 Cf.http://www.enfin.com.br/bovac/main.asp11Outra forma de captao de recursos a abertura de capital da empresa ondeela emitiraesparaomercadoealgunsinvestidoresirocomprarpodendotalempresa utilizar desses recursos para investir no seu desenvolvimento.1.2Ao DeacordocomoGuiaOnLinedoMercadodeAes (2006),aaoa representao da menor parcela em que se divide o capital da companhia. Ela o ttulo depropriedadecaractersticodacompanhiaS.A(SociedadeAnnima)queconfereao seu proprietrio o status de scio, ou acionista. Sobre ao, Pinheiro (2001) define:Asaessottulosdeparticipaonegociveis,querepresentampartedo capital social deuma sociedadeeconmica,queconfere aoseu possuidor o direitodeparticipaonosresultadosdamesma.Podemserconsideradas comoumcertificadooutitulodepropriedade,representativodaspartesdo capitalsocialdeumaempresa,correspondenteaonmerodeaesque possui. (p. 111)Asaessodivididasdeacordocomosdireitosqueoutorgamaseus proprietrios, podendo ser Ordinrias ou Preferenciais.1.2.1 Ordinria Nominativa (ON)Confere ao titular os direitos essenciais do acionista, especialmente participao nosresultadosdacompanhia(dividendos)edireitodevotoemAssembliasde acionistas.Nassociedadesporaes,aautoridademximaaassembliados acionistas.Aelacabeauferirosdireitoseresultados,ecumprircomobrigaes societrias. (PINHEIRO, 2001, p.115)Objetivandoreforararesponsabilidadedotitulardessaaonasassemblias, Mellagi Filho e Ishikawa (2000) acrescentam que nas assemblias gerais dos acionistas aprovadoobalanopatrimonialedemonstraodoresultadodoexerccio.Nas assembliasgeraisextraordinrias,sotomadasdecisesquepodemexercerefeito sobre todos acionistas, tais como: venda de imvel, aquisio de outra empresa, emisso de novas aes, etc.12No mercado de aes, tanto nas assemblias gerais quanto em assemblias gerais extraordinrias,cadaaorepresentaumvotosendoqueoacionistaquepossuirmais que50%dototaldeaesONserosciomajoritrio,que,conseqentemente,ter plenascondiesparadecidirorumodaorganizaosemprecisardovotodeoutros acionistas.Pinheiro(2001)ressaltaalgumasvantagensedesvantagensempossuiraes ordinrias.Asvantagenssoqueelasnoacarretamencargofixoparaaempresa,no possuemprazopararesgateeaumentamagarantiacontraperdasparaoscredoresda empresa. Por outro lado,a venda de novas aes ordinrias estender o direitode voto oucontroleedireitosdeparticipaodoslucrosaosnovosacionistasenoso dedutveis como despesa para o clculo de imposto de renda.1.2.2 Preferencial Nominativa (PN)AocontrriodasaestipoON,aspreferenciaisnododireitoavotona assembliadeacionistas.Estas,basicamente,conferemaotitularprioridadena distribuiodedividendos.Mellagi (2003)afirmaqueosdividendospagossaes preferenciais devem ser 10% maiores que os atribudos s aes ordinrias.Pinheiro (2001)acrescentaqueemumaeventualdissoluodaempresa,o acionistadaaopreferencialterprioridadenorecebimentodesuaparte,sendoo restante destinado aos outros tipos de aes.SanvicenteeMellagiFilho (1998)afirmamquehsituaesemqueas preferenciaispassamaterdireitoavoto:1) quandoaempresaficarportrsanossem pagardividendosaosacionistasdeaespreferenciais,2)quandoaaopreferencial forconvertidaparaordinria,3)quandoprevistonoestatutodaempresa.Tais afirmaessoembasadasnaLei6404/76emseuartigo111,atualizadapelaLei 10303/01. ConformeoGuiaonlinedoMercadodeAes(2006),aindapossvel encontrarsubclassesdeaes,comoporexemplo,PNAouPNB.Comisso,cada subclasse de ao tem seu respectivo perfil dentro do escopo do seu tipo de ao. Cada tipodeaotembasicamenteessascaractersticas.Todainformaosobreum determinado tipo de ao estar no estatuto social da organizao. Detalhes sobre outras prefernciasouvantagensquesejamatribudasaosacionistassemdireitoavoto,com 13direitoavoto,oucomvotorestrito,formasdedistribuiodedividendos,so detalhadas no seu respectivo estatuto.1.3Bolsa de Valores naBolsadeValoresondecorretores(intermedirios),representando investidoresinstitucionaiseindividuais,renem-separarealizarcompraevendade aesemmercadoaberto,organizadoeauto-regulado.Nelapossvelentrarcomo scionumasociedade poraes, sairdasociedade,negociar atravsderepresentantes, formalizar e legitimar as operaes de compra e venda de aes. NoBrasil,tem-seaBOVESPA(BolsadeValoresdeSoPaulo).Elauma associaosemfinslucrativos.Objetivamanterlocalousistemadenegociao eletrnicaadequadarealizaodetransaesdecompraevendadettulosevalores mobilirio registrados na CVM (Comisso de Valores Mobilirios), em mercado livre e aberto,especialmenteorganizadoefiscalizadopelosseusmembros,pelaautoridade monetria e, em especial, pela prpria.ABOVESPAfoiconstitudapelavendadettulospatrimoniaisparaas sociedadescorretorasdevalores.Atualmente,omaiorcentrodenegociaescom aes da Amrica Latina. 1.4Sociedade Corretora de ValoresEfetua as operaes de compra e venda de valores mobilirios para seus clientes ouparaoutrasinstituiesfinanceiras,nossistemasmantidospelabolsadevaloresda qualmembro.Paraadquirirodireitodefazeroperaes,essa instituiocompra um ttulo patrimonial e depois admitida como membro dessa bolsa.Em operaes de compra e venda de aes, cada corretora cobra uma corretagem dependendo da quantidade que estiver sendo negociada.14Figura 1: Operao de compra pela Corretora de Valores InvestShopFonte: InvestShop, 2006.Afigura1mostraumaordemdecomprafeitapelosistemahomebroker,que permiteoperaesdecompraevendadeaesfeitaspelaInternet.Trata-sedeuma ordemdecompralimitadaaR$8,16de200.000aesdaBrasilTelecomPN.Nessa ordem de compra acima, a corretagem ser de R$6,90, adicionando-se os emolumentos, que so calculados conforme for o volume negociado do dia.Acorretagempodevariardecorretorapracorretoraetambmconformeforo horriodenegociao.Algumascobramcorretagemfixaindependentementeda quantidade negociada.151.5Negociao na Bolsa de ValoresDe acordo com o Guia on line do Mercado de Aes(2006), o prego a sesso em que se efetuam negcios com ativos registrados por meio de sistemas de negociao eletrnica, tendo-se incio s 10:00 at 17:30. No incio do prego, o valor da ao o preo de abertura e no final do prego preo de fechamento. Desse modo, o preo de fechamento ser o preo de abertura do prego seguinte.As negociaes ainda seestendem pelo after market2, 17:30 at 19:00. Todavia as ordens de compra e venda no podem exceder o limite 2% do fechamento da ao do horrio do prego. Tanto o prego quanto o after market so realizados apenas nos dias teis.Asoperaessofeitasporintermdiodecorretorasdevalores.Algumas corretorasdeterminamovalordacorretagemconformeovolumedatransao. Outras mantmumvalorfixo.Oinvestidorfazaordemdecompraouordemdevenda indicando a quantidade de aes e a corretora executa conforme for e a disponibilidade domercado.Olivrodeofertasmostralistadospreosqueosinvestidoresesto dispostos a pagar ou venderuma determinada ao.2 Preo das ordens de compra e venda pode variar at o limite de 2% em relao s cotaes de fechamento do prego do horrio normal. Negcios no influem nos ndices da Bolsa, por ocasio do fechamento do preo da ao.16Figura 2: Livro de Ofertas Contax ONFonte: BanifInvest, 2006A figura 2 o livro de ofertas da ao ON Contax do dia 04/09/2006. Tanto na coluna de oferta de venda quanto na coluna de oferta de compra aparecem os cdigos da corretora, a quantidade de aes e o valor da ao. A transao efetuada quando h um valor da oferta de compra igual ao valor da oferta da venda. A melhor oferta de compra deR$3,19eamelhorofertadevendadeR$3,26.Ovalordacotaoatual corresponde ltima negociao realizada, que foi de R$3,25. Nessa situao, se algum investidor fizer uma ordem de compra a um valor de R$3,26, a transao ser feita, pois existeumaordemdevendadomesmovalor.Conseqentementeacotaoatualda empresa ContaxONmudar paraR$3,26,poisovalor da cotaosempreser ovalor da ltima negociao.1.6 Resultados Financeiros de AesOsrendimentosdeaespodemseradvindosdomercadoouempresa.Os movimentosdealtaoubaixanovalordopreodaaosooquedeterminaseo investimentoretornarcomlucroouprejuzo.Essesmovimentosestorelacionados 17comasexpectativasdoscompradoresedosvendedoresemrelaoorganizaoem questo, considerando suas perspectivas de gerao de resultados financeiros. Conforme oexemplodotpicoanterior,acotaodaao,ouvalordemercado,serefereao ltimo negcio realizado. As perspectivas de gerao de resultados e o valor de mercado da ao so fatores que fazem variar o preo de um ativo. Identificar apuradamentequais asperspectivasfinanceiras daempresa,saber se opreodesuaaoestabaixodopreojustosodeterminantesparaconseguir maximizarorendimentopormeiodavalorizaodaao.Poroutrolado,a desvalorizao da ao causa prejuzo.Pinheiro(2001)afirmaqueosResultadosdaCompanhiasorendimentos advindosdaempresa.Sopagosprincipalmenteemformadedividendos,direitosa subscries da ao ou bonificao, assim definidos:a) Dividendos:distribuiodeparceladaempresapagaemespcieaoacionista. Trata-sedadistribuiodelucrosaosscios.obrigatrioorepassedepelo menos25%dolucroanualdaempresaparaosscios,adicionadocotasque serodestinadassreservaslegaisoureservasdecontingncia.Orestantedo lucro pode ser usado para ser reinvestido na empresa.b) Subscrio:quandoaempresadesejaraumentarseucapitalsocialouobter recursosparaaumentarseucapitaldegiroouexpandirseuinvestimento,ela podeemitirsubscriesdesuasaes.OGuiaonlinedoMercado(2006),informaqueasubscriopodeserrestritaacertogrupodepessoasepodeser feitapordeliberaodossubscritoresemassembliageralouporescritura pblica,considerando-sefundadorestodosossubscritores.Noaumentode capital por subscrio particular, tambm garantido o direito de preferncia aos atuais acionistas, na proporo do nmero de aes que possurem.Gitman(1997), exemplifica como feito o processo de subscrio de ttulos:AGiganticaCorporation,umbancodeinvestimentoregional,realizoua subscrio de uma nova emisso de aes ordinrias no valor de $50 milhes, paraaLeader Eletronics,fabricantedeprodutoseletrnicos.Concordouem comprarasaespor$48milhes.JqueaGiganticaprecisapagar$48 milhesLeaderpelasaes,deveobterumrecebimentolquidodepelo menos $48milhes em suavenda.Naverdade,tentarvender asaes pelo menos$50milhes,obtendoumacomissode$2milhes.Senopuder levantaros$50milhes, obancodeinvestimentoperderacomissode$2 milhes e possivelmente parte dos $48 milhes gastos inicialmente. (p.486)c) Bonificao:SegundoSanvicenteeMellagiFilho(1998),abonificaoocorre quandoaempresaincorporaasreservasaocapitalsocial,aumentando-seo 18nmerodeaes.Consequentemente,osacionistasrecebemnovasaes proporcionalmentequantidadequejpossuem.Porexemplo:quandohuma bonificao de50%,cadaacionistarecebergratuitamenteumaaoparacada duas que possuir.1.7Anlise de AesConheceraperspectivadecrescimentodaorganizaoantesdecomprarseu ativofundamentalparaosucessodoinvestimento.Paratanto,existemanlisesque podem auxiliar nessa tarefa, tais como a anlise fundamentalista.1.7.1 Anlise FundamentalistaTendo em vista conhecero preo justo de uma determinadaempresa, a Anlise Fundamentalista estuda essencialmente aspectos micro e macroeconmicos. De acordo com Pinheiro (2001), este mtodo de anlise faz projeo do lucro da empresaparaosprximosexerccios,procuraobterinformaesparasaberos investimentosconcludospela empresaetambmosinvestimentosa seremrealizados, paraajudarnadeterminaodopreointrnseco3.Almdisso,elasebaseiaemtrs pontos:a) Averiguaodohistricodedemonstrativosfinanceirosdaempresa conjuntamentecomoutrasinformaesquepermitamamaisprovvel evoluo da empresa.b) Atual situao da economia e estimativas de indicadores econmicos que tero influncias sobre o volume e preo de negociao.c) Considerar a atual conjuntura poltica em relao ao grau de confiana do investidor.O autor supracitado divide o trabalho de anlise em etapas. A primeira delas o levantamento de informaes acerca da empresa. A pessoa que estiver fazendo a coleta dedadosdeversaberdasvariveisqueenvolvemdiretamenteodesempenhoda empresa.Essesdadospodemserobtidospormeiodeentrevistascomstackholders,3 Valor avaliado no processo de Anlise Fundamentalista (Pinheiro, 2006, p. 124).19leituraderelatriosmacroeconmicos,relatriossetoriais,relatriosdaadministrao, demonstraes contbeis publicadas, imprensa especializada e publicaes especiais.Apsessaetapadecoletadedados,torna-senecessrioextrairinformaes pertinentes anlise. Segundo Pinheiro (2001), essa etapa chamada de transformao da informao em idia. nesse momento que o conhecimento do analista ser crucial paraosucessodaanlise.Terconhecimentodemtodosanalticos,habilidadepara conseguirinformaes,bomsenso,TI,eexperinciasoferramentasqueauxiliam nessaetapa.Depoisdeasinformaesseremprocessadaspeloanalista,finalmente resultar em projees financeiras e as recomendaes de compra ou venda do ativo.Aanlisefundamentalistaresume-se,basicamente,emfazerumlevantamento detalhado das informaes da empresa, analisar o balano e outros relatrios contbeis, conheceroestilodegestodoscontroladores,saberdasperspectivasdosetorquea empresaseencontraparafinalmenteidentificarseupotencialnomercado.Tudoisso aliado comelaborao de projeesajuda a determinaro preojusto daao, queest diretamente relacionado sua capacidade de gerar retorno financeiro.Aanlisefundamentalistageralmenteusadaparaescolheraaoaser comprada.Existeoutrotipodeanlisequeajudaadeterminaromelhormomentode comprar ou vender uma ao. Ela conhecida como anlise tcnica.1.7.2 Anlise TcnicaAAnliseTcnicaestudaessencialmenteohistricodopreoevolume negociado. Ela objetiva analisar como os preos se movimentam no se preocupando do porque estes se movimentam. Borges(2006)4, justifica:Mesmoquealgumtenhaconhecimentodetodososfatoresfundamentais queafetamopreodeumamercadoria(clima,greves,decisespolticas, fatores de demanda, etc), ele ainda assim no ter todos os dados necessrios para compreender a formao dos preos, porque no so estes dados em si queosafetam,massimamaneirapelaqualosparticipantesdomercadoa ele reagem. Todos os fatores que podem influir no preo de um determinado ativo so descontados pelo mercado no processo contnuo de negociao.Pinheiro(2001) conceitua a anlise tcnica como sendo o estudo dos movimentos passadosdospreosedosvolumesdenegociaodasaes,objetivandofazer previsessobreocomportamentofuturodospreos.Oautoracrescentaqueissose 4 Cf. http://www.ricardoborges.com/analise_tecnica.htm20baseianatesequeospreosdenegociaesfuturassofortementedependentesdos preosdasnegociaesanteriores,sendopossvelprevertendnciasdepreos observandoosmovimentospassados,ouseja,oprincipalfocodaanlisetcnicao histrico de preos.O preo da ao definido pelo mercado. O conjunto de investidores define qual serorumodomercado.Paraqueuminvestimentosejabemsucedidonecessrio saberqualseramentalidadedomercado,qualrumotomaropreoatualdeuma determinada ao, moeda ou produto financeiro. Pinheiro(2001) separa a anlise tcnica em dois tipos: A anlise tcnica (que usa principalmenteindicadores)eaanlisegrfica(outradicional).AAnliseTcnica realizaclculosutilizandoohistricodepreoseatovolume,paradeterminarou descobrirsituaestpicaseprevisveisemtendncias.JaAnliseGrfica,tambm conhecidacomografistaoutradicional,sebaseianoestudodefigurasformadaspelos preos como um sinal de reverso ou continuidade de uma tendncia. Retas de suporte e resistncia, que so utilizadas para ajudar na projeo de tendncia de uma ao. DeacordocomLopeseAssociados(2006)5,antesdeconheceroconceitode SuporteeResistncia,necessrioassimilarqueatendnciadealtaresultadeuma foracompradorademaiormagnitude.Issoremeteleideofertaedemanda,pois quando h mais pessoas querendo comprar, maior ser a demanda levando ao aumento do preo. Do mesmo modo, a tendncia de baixa reflete o domnio dos vendedores, ou seja,maispessoasquerendovenderaumentaaofertaeopreodiminui.Destaforma, quandosetratadeofertaedemanda,hlimitesestabelecidospelomercadoque,ao serem quebrados, ou se tornam suporte ou resistncia. 1.7.3 Suporte e ResistnciaAntesdeentenderoconceitodesuporteeresistncia,tambmnecessrio reconhecerostoposefundos.Ostopossoospicosdealtanopreodaao.Fundos so os picos de baixa no preo da ao.5 Cf. www.ondeinvestirbylopesfilho.com.br21Grfico 1: Fundos e Topos da Brasil Telecom PN (adaptado pelo autor do trabalho) Fonte: Projeo, 2006Identificar quais os fundos (menores nveis de preo) e os topos (maiores nveis depreo)facilitatraarasretasdesuporteeresistncia.Nogrfico1,ostoposesto dentrodoscrculosdecorazuleosfundosseencontramdentrodoscrculosdecor vermelha. Note que, quanto maior for volume no fundo ou topo, maior ser o potencial de inverso. Pinheiro(2001),julgaqueasretasdesuporteeresistnciarepresentamas principaistendncias.Oautorsupracitadotambmdefendequeexistemnveisdecotaesemqueasaltasoubaixasdopreodaao,nosofortesobastantepara continuao da tendncia e, conseqentemente, h uma reverso do movimento. O autor define o conceito de suporte e resistncia: Podemos conceituar uma retade suporte como sendo um nvel de cotaes dogrficoapartirdoqualointeressedoscompradoressuperaaodos vendedores,oqueprovocaumrepiquedacotaoefazcomqueelasuba novamente.Umaretaderesistncia teriaoconceito contrriodosuporte, ouseja,representaumnveldepreosdogrficoemqueointeressedo vendedor supera ocomprador,oqueprovoca uma frenagem dascotaes e sua conseqente queda. (p. 309)Segundo Lopes e Associados(2006), os suportes e resistncias funcionam como umaespciedebarreiratemporrianasoscilaesdepreodasaes.Atendnciade altapodeacabarquandoaforadosvendedoressuperaaforadoscompradores, demonstrando assim o conceito de Resistncia.Ela aparece no nvel de preo em que a presso vendedora supera a presso compradora, interrompendo o movimento de alta. J 22o conceito de Suporte aparece quando os compradores se igualam ou prevalecem sobre os vendedores.Ainda segundo o autor, o nvel de preo em que a presso compradora supera a vendedora e h interrupo do movimento de baixa sinaliza o suporte. J a resistncia identificada pelo nvel de preo em que a presso vendedora supera a compradora e h interrupo do movimento de alta.Grfico 2: Suporte e Resistncia da Copel PNBFonte: Lopes, 2006.O grfico2mostraasresistnciasdealta(RA)eresistnciasdebaixa(RB) assimcomosuportesdealta(SA)comosuportesdebaixa(SB).Abaixodogrficode cotaes,ovolumenegociadododiaestsendoapresentadocomasbarrasdecor vermelha.FinalmentetemosondicedeForaRelativa(IFR),cujascaractersticas sero abordadas neste trabalho na Apresentao dos Dados.Lopes(2006),acrescentaaindaqueomomentomaisadequadoparacompra ocorre quandoalinhadepreopenetraalinhaderesistnciadebaixoparacima.Jo sinal de venda acontece quando a linha de preo penetra a linha de suporte de cima para baixo.Almdisso,geralmentehumaumentodevolumenegociadoseguindoum rompimentodeumsuporteouresistncia.Quantomaisrecenteforosuporteoua resistncia, maior a sua significncia.Os desenhos de um grfico podem dar boas indicaes do mercado. Todavia so, svezes,subjetivosporpossibilitaresmaisdeumainterpretao.Murphy(apud CHAVESp.9),dizqueaanlisegrficacomoumaarte,poiscadaanalistapode interpret-lademaneiradiferente.Poressemotivo,ousodeindicadorestcnicosso bastante empregados para complementar a anlise grfica e deix-la mais objetiva. 231.8Anlise Tcnica x Anlise FundamentalistaLopes e Associados(2006) acredita que ambas tm que ser usadas em conjunto, como a seleo dos ativos feita pela Anlise Fundamentalista, e a utilizao daAnlise Tcnicaparadecidiromelhormomentodecompraouvenda.AAnlisefundamentalista recomendada para ser usada na escolha dos ativos, tendo seu melhor aproveitamento em operaes de longo prazo.Pinheiro(2001) diz ser raro encontrar no mercado analistas de investimentos que utilizam exclusivamente um tipo de anlise. Concordando com este autor, Lopes afirma que,emgeral,ambassousadassimultaneamenteeaindaapresentaumatabela destacando suas principais diferenas.24ITENS FUNDAMENTALISTA TCNICAIdade 30 anos 100 anosOrigem Acadmica ProfissionalUsurio Administradores de fundose investidores de longo prazoEspeculadorPergunta Por qu? Quando?Anlises Econmico-financeira Grfica/IndicadoresHipteses bsicas Existe um valor real ou intrnseco que est diretamente correlacionado com o desempenho da empresaOs preos das aes se movimentam em tendncias e existe uma dependncia significativa entre as oscilaes dos preos que se sucedemObjetivos Determinar o preo justo da aoDeterminar a tendncia de evoluo das cotaes no curto prazo, a fim de se aproveitar s rpidas oscilaes para auferir ganhos de capital (vender aes por um preo superior de compra)Tabela 1: Comparao entre as escolhas de anlise de aesFonte: Pinheiro, 2001.Tendosuasprincipaiscaractersticaslevantadas,Pinheirofinalizaadiscusso julgandonecessriosaberponderarousodeambasanlises,poisemgeral,possuem caractersticas subjetivas muito fortes.Emsuma,essecaptulomostrouqueumaaoamenorpartedeuma organizaoequeexistemdiferentestiposdeaesqueauferemaoseuproprietrio benefcios.AsaessonegociadasnaBolsadeValoreseascorretorasfazema intermediaodasoperaesduranteopregoouaftermarket.Foiapresentadaa Anlise Fundamentalista que se baseia na anlise de fatores micro e macroeconmico e aAnliseTcnicaqueestudaohistricoevolumedepreosdeaes.Formaesde grficos podem ter mais de uma interpretao, portanto o uso de indicadores estatsticos torna a Anlise Tcnica menos subjetiva.25CAPTULO II METODOLOGIANestecaptulo,serapresentadaametodologiausadaparaelaboraodeste trabalho. Primeiramente ser mostrado o problema e hipteses, seguido pelos objetivos geraiseespecficos.Sero tambmapresentadosostiposdepesquisaemateriaise mtodos utilizados para o desenvolvimento deste trabalho.2.1 Problema e HipteseOcrescimentodaparticipaodosinvestidorespessoafsicanosnegciosda Bovespa,vemcrescendoacadaano.Umdosfatoresquecontribuemparaissoo sistemahomebroker,quepermiteacompraevendadeaesviaInternet. Comesse grandenmerodeinvestidoresiniciantes,torna-senecessrioalgumesclarecimento sobreusodeindicadorestcnicos,demodoqueajudeoinvestidordecidirqualao comprar, vender ou manter. Conhecendoumpoucodascaractersticasdosindicadores,oinvestidorpoder fazer sua prpria anlise de compra ou venda de uma ao.2.2ObjetivosDe modo geral, este trabalho pretende apresentar aspectos elementares relativos negociaonaBolsadeValoresdeSoPaulo,descrevendocomofuncionauma negociao no mercado vista de aes. Mostrar os diferentes tipos de anlise de ativos, focando a anlise de ativos por meio de indicadores tcnicos.J,demodoespecfico,objetiva-sedescreverasprincipaiscaractersticasdos principais osciladores e rastreadores de tendncia.262.3 Tipos de PesquisaFoielaboradaumapesquisabibliogrficaparaencontrarinformaesrelativas ao mercado decapitais esobre osindicadores quesero estudados.Paraaplicao dos indicadores,sernecessrioteracessoaosdadoshistricodasnegociaesnabolsa.Assim foi feita, tambm, uma pesquisa exploratria.2.4 Material e MtodosParaexemplificaraaplicaodosindicadorestcnicos,serusadaplanilha eletrnica e o software gratuito Grafix para gerao de grficos.Aplanilhaserresponsvelpelabuscadeaesqueestejamdentrodocritrio especificado.Paratanto,aplanilhasermunidademacrosqueacessaroarquivosem formatotexto.Nessesarquivos,inicialmentecompactadosemformatozip,contmas cotaes de um determinado perodo, e so fornecidas pelo Boletim Dirio da Bovespa6. Dessa forma, ser possvel, por exemplo, retornar os ativos que esto com IFR9 abaixo de 30. OGrafixumsoftwaregratuitoquegeragrficosdohistricodopreodas aes.possveltambminseririndicadorestcnicos,tais\como,MM,MME,IFR, MACD, Estocstico, entre outros.AplanilhadoExcelirpesquisarasaesdentrodocritrioespecificado,e retornar seu cdigo de identificao. Desse modo, as aes sero estudadas no Grafix, pois se trata de uma ferramenta pronta para anlises tcnicas.6 Cf. www.bovespa.com.br/InstDados/Negociacao/boletimBDI.htm27CAPTULO III APRESENTAO E DISCUSSO DOS DADOS3.1Introduo a indicadores tcnicosConforme Stockcharts(2006), um indicador tcnico uma srie de pontos que obtidapelaaplicaodeumafrmulaaovalordopreodaao,sendoquealguns podemincorporarmaisdados,taiscomovolume,preomximo,preomnimoeetc. Depoisdecalculadaessasriedepontos,osresultadossogeralmentetraadosno mesmo grfico do preo da ao ou em grficos acima ou abaixo. Isso possibilita que se faaumacomparaodohistricodopreodaaoetambmdocomportamentodo indicadortcnicoacimaounomesmogrficodopreodaao. Hdoistiposde indicadores tcnicos: rastreadores de tendncia e osciladores.Osrastreadoresdetendnciasoindicadoresqueseadequamsaesque tenhamtendnciasdefinidas.Umadasprincipaisvantagensdessesindicadoresa habilidade de se manterem no mesmo movimento da tendncia. Porm, esse benefcio anuladoquandoopreodeumaaoficavariandodentrodeumafaixa.Seforem usadosnomercadodecapitais,elespoderoemitirmuitossinaisfalsos.Outroponto negativoqueossinaisemitidospelosrastreadoresdetendnciaemgeraltendemser atrasados. Quanto maior for o perodo empregado neles, maior ser o atraso.Osciladoressoindicadoresquevariamouemrelaoaumalinhacentralou dentrodeumintervalo.Elespodempermaneceremnveisextremosporalguns perodos, porm isso no permanece pormuitotempo.No importaqualfor o perodo empregado, seus movimentos sempre estaro limitados a seu intervalo.Hmuitosbenefciosemusarososciladores.Elespodemsinalizarvendaou compracedo,ouseja,emmomentosrealmentepropcios.Issopossibilitamais oportunidades para negcios na bolsa. Esses sinais tambm podem servir como aviso de foraoufraquezadeumatendncia.Emmercadosdetendnciadealta,elesajudam identificar se a ao est supercomprada, ou seja, o nvel de preo est chegando em um nvel acima do esperado pelo mercado. Nas tendncias de baixa, eles emitem sinais emque opreodaaoest subcomprado.Porm,tem-se sempreoriscodossinais falsos,poisossinaisprospectamaltoretornoe,altoretornofinanceiro, consequentemente, maior o risco. 283.2Mdias MveisAprevisodopreodaaocomclculosdemdiasmveissebaseiaemum determinado nmero dedados recentes do preo da ao. Segundo Borges(2006), ela umdosmaisversteiseamplamenteutilizados,dentreosindicadorestcnicos.Com base em padres que se repetem, muitos dos sistemas computadorizados baseiam-se no comportamento dos preos usando a mdia mvel para a gerao de sinais de compra e venda.Consideradaumrastreadortendncia,temonomedemdiamvelporque,a medida que cada valor se torna disponvel, a previso atualizada introduzindo o valor mais recente e abandonando-se o mais antigo. H trs tipos de mdia mvel amplamente usadaemanlises:MdiaMvelSimples,MdiaMvelPonderadaeMdiaMvel Exponencial.3.2.1 Mdia Mvel Simples (MM)equivalentemdiaaritmticadosltimosnpreosdefechamentodaao, ondenrepresenta onmero deperodosque seravaliado. Adefinio matemticada mdia mvel simples se d por:nRMMnin=11ondeMM= Mdia Mvel Simplesn = Nmero de perodos que ser avaliado1R= Valor da ao no perodo ni = nmero de ordem de cada um dos perodos mais recentes utilizados para apurar a mdia mvelA seguir ser exemplificado o clculo de uma 3MM , ou seja, uma mdia mvel dos 3 ltimos perodos.29Tabela 2: Dados Histricos da Vale PNA (VALE5)Fonte: Grafix, 2006Primeiramente,atabelaacimafornecerosdadosparaoclculo.Partindoda primeiracolunaesquerdaparaadireitatemos:data,opreodeabertura,mnimoe mximo,preodefechamento,nmerodenegcios,volumeemaesevolumeem Reais.Serusadopreodefechamentododia05/09/2006atodia08/09/2006. Portanto, temos:47 , 41319 , 42 35 , 41 88 , 403=+ += MM R$A interpretao se faz da seguinte maneira: a 3MMdo dia 08/09/2006 equivale R$41,47.Usualmente resultado traado juntamentecomopreo daao.Oprximo grfico mostra a 3MMe a 5MMtraadas juntas com o preo da ao.30$37,00$38,00$39,00$40,00$41,00$42,00$43,001 2 3 4 5 6 7 8 9 10PreoMM3MM5Grfico 3: MM3 e MM5 da VALE5Elaborado pelo autor deste trabalhoObservandoogrfico,enquantoaMM3estacompanhandomaisdepertoo preodaao,aMM5aindaemestmovimentodealta.notvelque, quantomaior for o perodo, maior ser a defasagem entre a tendncia da ao e o preo real da ao. Por outro lado, o uso deuma mdia de curto prazo, ou de menor perodo, faz com que ospreos defechamentosejambemprximosaovalor daao.Aprincipalvantagem dousodasmdiasmveisquesofceisdeseremcalculadas.Entretanto,sua desvantagem justamente a que foi mostrada no grfico. Todos os valores da mdia so ponderados igualmente, ou seja, o valor mais antigo tem o mesmo peso que o valor mais recente.3.2.2 Mdia Mvel Ponderada (MMP)Esseclculosemelhanteaodamdiamvelsimples,pormatribui-sepesos maiores aos preos mais recentes e divide-se o resultado pela soma dos pesos.31Tabela 3: Clculo da Mdia Mvel PonderadaElaborado pelo autor deste trabalhoConforme se observa na tabela acima, na clula D11, cada ao ponderada por sua vez. No exemplo foi considerado um perodo de trs preges, portanto o valor mais recente foi multiplicado por trs, o segundo por dois e o ltimo por um. O resultado foi dividido pela soma dos pesos. R$ 37,00R$ 38,00R$ 39,00R$ 40,00R$ 41,00R$ 42,00R$ 43,001 2 3 4 5 6 7 8 9 10PerodoPreoPreoMMMMPGrfico 4: Diferena entre MM3 e MMP3Elaborado pelo autor deste trabalhoOgrficoacimamostraopreodaao,umaMM3(mdiamveldetrs perodos)eumaMMP3(mdiamvelponderadadetrsperodos).Observa-sequeo traado da MMP3 mais sensvel aos repiques no preo da ao do que a MM3.323.2.3 Mdia Mvel Exponencial (MME)De acordo com Pinheiro(2001), a MME rene as vantagens das mdias simples emdiasponderadas,apesardeterseuclculomaiscomplexo.Pinto(1997),definea MME de uma forma simplificada:Percentual = 2 / ( Perodo + 1 )[MME] = [Cotao atual] * Percentual + [MME de ontem] * ( 1 - Percentual )Pinto(1997)acrescentaque,paraviabilizaroacompanhamentodeinmeros ativosusandoessesindicadores,necessrioadquirirouconstruirumsistema automtico,quelhepermitaaatualizarevisualizarosgrficosdospreosedos indicadores tcnicos e planejar e decidir sobre omomento mais adequado para realizar suasoperaes.NessetrabalhoutilizadoosoftwaregratuitoGRAFIX7.Comele possvelanalisarumativousandovriosindicadoresdaanlisetcnica,inclusiveas mdias mveis exponenciais.ParaPinheiro(2001),asmdiaspodemserinterpretadascomolinhasde resistncianosmovimentosdealtaesuportenosmovimentosdebaixa.Almdisso, quando as cotaes se encontram em uma tendncia de alta ou baixa, ela ainda pode ser usada para alertar possvel reverso do movimento. Pinheiro(2001), acrescenta:A anlise desse indicador feita por meio dos sinais apresentados. O sinal de compra dado quando a linha de preo cruza a linha da mdia de baixo para cima.Osinaldevendadadoquandoalinhadepreocruzaalinhada media de cima para baixo. (p. 318)7 Cf. http://www.grafix2.com/download.htm33Grfico 5: Aes Ambev ON com MME9 e MME32Fonte: Grafix(2006)Nagrfico5,hduasmdiasmveisexponenciaistraadas.Otraadoazul representa a MME dos ltimos 9 preges e o traado vermelho a MME dos ltimos 32 preges.AMME9podesertantosuportequantoresistncia.Issovaidependerdo movimento em que ela estiver inserida. Observando a figura, o sinal de compra dado quando a linha azul cruza a linha vermelha para cima, ficando assim na parte superior. Por outro lado, o sinal de venda quando a linha vermelha supera a linha azul.3.2.4 Qual tipo de mdia usar?Prings(apudNelogica8,2006),baseadoemdadosestatsticosdomercado acionrio americano entre 1968 e 1987, mostra maior efetividade das mdias aritmticas sobreasexponenciais.Porm,oscritriosutilizadosparaessaconcluso,fogemdo escopo deste trabalho.Elder(apudNelogica,2006),argumentaquemdiasimplesmuitosensvels variaesdomercado,poisseuvalorrecebeumainflunciaduplaquandoumnovo dadochega.Tratando-sedeumamdiaexponencial,oefeitodospreosantigos 8Cf. www.nelogica.com.br34permanece,mastempoucainflunciaquantomaisantigafor.Portanto,opreomais recentepossuiumpesomaioreissofazcomqueamdiareflitademaneiramais adequada o humor atual do mercado. Stockcharts(2006)9 defende que a escolha entre a MM e MME ir depender do perfil doinvestidoreestilodegesto desuacarteira.Algunsanalistaspreferemusar a MMEparaperodoscurtosparacapturarmudanasmaisrpidas.Algunsinvestidores preferemusarMMdeperodoslongosqueresultanaavaliaodohistricodaao como um todo. Adicionalmente a isso, o autor defende que o uso de uma mdia mvel podedependerdoativoemquesto.EleexemplificaqueumaMM50diasumbom rastreadordetendnciaparaidentificarosnveisdesuporteparaondiceNASDAQ,e que uma MME100 dias pode funcionar satisfatoriamente para Dow Transports.Portanto, a escolha da mdia mvel a ser usada depender da existncia de uma tendnciadefinidaoudeaesqueusualmenteapresentamtendnciasdealtaede baixa.Paraanlisesdelongoprazo,ousodeumamdiamvelsermaisadequada porque os nveis de preo do passado tero forte influncia na tendncia como um todo. Paraanlisesdecurtoprazo,amdiamvelexponencialofereceumatrasomenordo queamdiamvelsimples.Porisso,aavaliaodeperodoscurtospodesermais adequada s mdias mveis exponenciais. 3.2.5 Qual perodo adotar?SegundoBorges(2006),aaplicao comperodoscurtosfazcomqueocorram vrios cruzamentosentreopreodaaoeotraadodamdia.Isso podeser positivo ou negativo para o investidor. Em perodos curtos, a mdia reduz a defasagemem que o sinaldado.Porm,ummaiornmerodesinaisfalsossergeradodevidoa movimentos de curtssimo prazo em sentido contrrio ao da tendncia.Schwager(1948), ementrevistacom DanaGalante,afirmaquequandoamdia aritmtica de cinqenta dias supera a o preo da ao sinaliza a desacelerao no preo da ao.ParaBorges(2006),agrandeproezaestento,nadeterminaodonmerode diasparaqueumamdiamvelsejasuficientementesensvelparaqueossinaisno sejammuitodefasados,massuficientementeinsensvelapontodascorreestcnicas no tirarem o investidor do mercado.9 Cf.stockcharts.com35Sobre a determinao do melhor perodo de mdias, Nelogica(2006) conclui:Comodescobrirentocomqualmdiaoperar?Trabalhandoeutilizandoa tcnica de tentativa e erro. Comece, por exemplo, com um perodo como 22 (aproximadamente o nmero de preges em um ms) ou 30 para um grfico dirio. Varie o valor e veja se a resposta do indicador foi superior ou inferior do que no teste anterior. O processo semelhante a sintonizar um rdio com aquelesantigossistemasanalgicosnosquaiseraprecisogirarumboto.3.3MACD (Moving Average Convergence Divergence)De acordo com Nelogica(2006), o MACD foi desenvolvido por Gerald Appel e umdosrastreadoresdetendnciamaisusados.AsiglaMACD(MovingAverage Convergence Divergence), significa convergncia/divergncia de mdiasmveis. Ele composto por trs elementos principais:1. MME26 longa do preo2. MME12 curta do preo3. MME9 do MACD (linha de sinalizao)AMMElongadopreoserefereaoperodomaiordoqueaMMEcurta, podendo-seatribuir,porexemplo,umaMME26eumaMME12.Nessecaso,amdia mvel longa ser a MME26e mdia mvel curta ser a MME12. Com seus elementos apresentados, necessrio calcular a linha do MACD, cujo resultado a diferena entre a MME longa com a MME curta. Essa diferena pode ser positiva ou negativa, portanto um rastreador de tendncia e tambm um oscilador. A linha de sinalizao (ou sinal) MACD a MME9 da linha MACD. Os perodos acima fazem parte do MACD padro, porm podem ser alterados.ParaStockcharts(2006),oMACDmedeadiferenaentreduasmdiasmveis exponenciais.SeoMACDpositivo,significaqueaMME12diasestacimada MME26.QuandooMACDnegativo,aMME12estabaixodaMME26.Quandoa linha do MACD positiva e em movimento de alta, isso significa que a diferena entreasduasmdiasmveisvaiaumentando.IssoindicaqueaMME12aumentaem velocidademaiordoqueaMME26.Essasituaoconhecidacomobullish,ouseja, movimento de alta. Em situaes que o MACD est negativo em movimento de baixa, a diferenanegativaentreaMME12eaMME26estaraumentando.Estasituao conhecida como bearish, ou seja, movimento de baixa no preo da ao.363.3.1 Sinais de compra do MACDSegundo Stockcharts(2006), h trs situaes em que o MACD sinaliza compra:a) Divergncia Positiva: acontece quando o MACD comea sua trajetria de alta,masaomesmotempo,atendnciadopreodaaoestdebaixa. Nesta situao, h uma onda de alta seguida de uma segunda onda maior ainda.Adivergnciapositivaumadasmaisincomunsentreastrs sinalizaes, porm a mais confivel.b) Cruzamento entre MACD e sinal em movimento de alta: ocorre quando o MACDsuperaalinhasinal.umasituaobastantecomumdeser encontrada e tambm a menos confivel dentre as outras. Por essa razo eledevesersempreusadocomoutrosindicadorestcnicosparaevitar sinais falsos. c) CruzamentoentreMACDesinalemmovimentodealtanoeixozero: quando h o cruzamento da linha sinal com o MACD em movimento de alta prximoa regio doeixodas abscissas, ou seja, perto daregio em queambasaslinhasterovalorigualazero.Essesinalpodeserusado para confirmar a divergncia positiva, pois indica claramente a mudana de MACD negativo para positivo. Depois da situao b, esta a situao mais comum.3.3.2Sinais de venda do MACDAinda segundo Stockcharts(2006), h situaes que evidenciam movimentos de baixa no preo da ao. So eles:a) Divergncia Negativa: quando a ao est em movimento de alta, mas oMACDestemmovimentodebaixa.Assimcomoadivergncia positiva, essa uma situao menos comum, porm a mais confivel e, geralmentepodealertarsobreaproximidadedepossvelpiconopreo da ao. Para confirmar a existncia de uma divergncia negativa, deve-se observar se o indicador teve uma pequena queda e subseqentemente uma queda mais acentuada. Outra forma verificar o cruzamento entre o MACDesinalnomovimentodebaixa.Quandoissoacontece,significa 37queatendnciadoindicadordecurtoprazoestenfraquecendo,e significa que um ltimo pico foi formado.b) CruzamentoentreMACDesinalemmovimentodebaixa:umsinal bastantecomumetambmmenosconfivel,devendoserusadoem conjuntocomoutrosindicadoresparaevitarsinaisfalsosdevenda.H situaesemqueaaomantmumatrajetriadealtaconsistente,de modo que o MACD sempre acompanha o movimento se mantendo acima dalinhasinal.Nofinaldatendnciadealta,aconteceessecruzamento queanunciaoenfraquecimentodatendnciaaltista.Parasetermaior segurana, necessrio aplicar um filtro no preo, como por exemplo se atendnciadebaixadoMACDsemantiverportrsdiaspodeserque seja um sinal vlido.c) Cruzamento entre MACD e sinal em movimento de baixa no eixo zero: a interpretaodessecruzamentodependerdosmovimentosprecedentes doMACD.Casoelesejapositivodurantealgunsmesescomalgumasoscilaes,ficandonegativoevoltandoaserpositivoalgumasvezes, pode ser uma situao de correo de mercado.3.3.3 Aspectos positivos e negativosOusodemdiasmveisexponenciaistornaesserastreadordetendnciabem prximo do preo real da ao. Aliando isso anlise de convergncias e divergncias, o MACD pode ser usado para previses de mudana de tendncia tanto para investidores que lucram em prazo longo, quanto para especuladores que operam em perodos curtos. Assimcomoqualqueroutroindicador,oMACDpodeserusadoemescaladiria, semanalouatmensal.OperodopadroMACD(26,12,9),masemmercadoscom maior volatilidade, esse perodo pede ser ajustado.Suaprincipalvantagempodeser tambmconsiderada comoumadesvantagem. Ousodemdiasmveisacarretaemcertoatrasonopreodaao.Almdisso,a identificaodenveisdepreoemqueaaoestsupercompradanouma particularidadedele,porqueelecontinuasuatendnciaconformeforemosextremos histricos.Desde que o MACD foi desenvolvido, vrios indicadores foram criados e sendo descartadas ao longo do tempo. Entretanto, o MACD ainda reconhecido como um dos indicadoresmaisconfiveis.Aeficciadelepodevariardependendodomercadoeda 38aoemquestoenessescasos,operododasmdiaspodeserajustadoparamelhor aproveitamento. Assim como todos indicadores, o MACD no um indicador infalvel e deve ser sempre usado em conjunto com outros indicadores tcnicos. 3.4IFR (ndice de Fora Relativa)De acordo com Pinheiro(2001), o ndice de fora relativa foi desenvolvido por J. Welles Wilder Jr, e apresentado em 1978 em seu livro Novos conceitos em sistemas de anlise tcnica. A partir da, tornou-se o mais conhecido e popular dos osciladores. Ele tambm conhecido por RSI (Relative Strength Index).3.4.1 DefiniesEsse indicador calculado com base na mdia do incremento ou decremento nos preosdaao.Parafacilitarseuclculo,divide-seemtrsfrmulas.Primeiramente, encontra-se a primeira fora relativa (FR), que basicamente a mdia das perdas e dos ganhos no preo da ao.n TPn TGFR//1 =Onde:1FR fora relativa do preo, partindo do ponto mais antigo.TG total de ganhos: soma dos ganhos do preo da ao.TP total de perdas: soma de perdas do preo da ao.Depoisdessepontodepartida,calcula-seasforasrelativasbalanceadas,cujo clculo menos simples que o ndice fora do primeiro perodo. Com base na primeira FR e as demais, obtm-se o resultado delimitado entre zero e cem. Caso a fora relativa de algum perodo for de valor igual a zero, por definio o IFR ser igual a cem. Segue-se a frmula:| || | n n TP n FRn n TG n FRFRnnp/ ) / ( ) 1 (/ ) / ( ) 1 (11+ + =||.|\|+ =pnFRIFR110010039Onde:nototaldeperodosutilizadosparaoclculo.Seucriador,Wilder, recomenda um perodo de 14 dias. tambm bastante comum seu uso com o perodo de 9 dias.p perodo atual do preo. 3.4.2 Interpretao do IFRAssim como todo oscilador, o IFR emite sinais de compra e de venda. Segundo WilderapudPinheiro(2001),quandooIFRestacimade70,aaoest supercomprada, ou seja, ela est saturada no mercado e isto poder causar queda em seupreo.Portanto,esseumsinaldevenda.AindasegundoWilder,omomentode compra acontece quando o IFR situa-se abaixo do valor 30.Conforme Stockcharts(2006), as divergncias entre o preo da ao e o IFR so sinaisconfiveis.AdivergnciapositivaocorrequandooIFRestacimade70em movimentodealtaeopreoemumlevemovimentodequeda.Damesmaforma, quandooIFRestemmovimentodebaixacomvalorinferiora30eopreodaao estcomeandoummovimentocontrrioessalinha,umfortesinaldecompra.As divergnciaspositivasenegativasduramporpoucotempo,hajavistaqueaprpria construo desse indicador corrige essas divergncias.AlinhacentraldoIFRseencontranovalorde50.QuandoalinhadoIFRse encontra acima da linha central, significa que os ganhos foram maiores do que as perdas e, conseqentemente, h uma possvel tendncia de alta nesse momento. O momento em queoIFRestiverabaixode50,asperdasnomomentosomaiores,evidenciando-se, assim, movimento de baixa.Conforme visto, o IFR se mostra um indicador que emite sinais fceis de serem identificados.Almdisso,seucriadorpropeumperodoaserusado,quede14. Duranteapesquisadefontesbibliogrficas,foramencontradasanlisestcnicasque usam o IFR com perodo 9. Mesmo emitindo sinais fceis de serem identificados, recomenda-se o uso desse indicador em conjunto com outros, de modo que haja uma combinao de sinais e dessa forma aumentar a confiabilidade da anlise.403.5Estocstico (Stochastic)Segundo Stockcharts(2006), esse oscilador foi desenvolvido por George Lane na dcadade60.umindicadorquemostraaposiodoltimopreodefechamento frenteaosanterioresdentrodo perodoindicado.Tendoavariaoentre0e100,em nveisprximosde100,mostramaiorpressocompradora,enquantodistribuies prximas a 20 mostram maior presso vendedora.Seu clculo advm da seguinte frmula:100) () (% =n nnB AB UKOnde:U ltima cotaoA cotao mais alta do perodoB cotao mais baixa do perodoK estocstico do perodo em porcentagemn cotao do perodoUm%K14,ouseja,umestocsticodeperodo14iriausarofechamentomais recente,omaiorpreodoperododentrodoperodoeacotaomaisbaixa. Conseqentemente, onmero deperodos ir variarde acordo coma sensibilidadee o tipodesinaisdesejados.Mesmoassim,operodo14amplamenteusadoparaeste indicador.AlinhasinaldesseindicadorcorrespondeaumaMM3de%Ketambm conhecida como %D.3.5.1 Sinais de compra de venda do estocsticoNos momentos em que o indicador se encontra abaixo de 20, considera-se quea aoestsubcomprada,ouseja,momentodecompra.Quandooestocsticose encontraprximoa80,significaqueaaoestsupercomprada,ouseja,sinalde venda.Todavia,Lane(apudStockcharts,2006)dizqueopreodeumaaopode continuarsubindomesmoquandoseu%Kestiverprximode80.Domesmomodo,o preodeumaaopodeprosseguirsuaquedaquandooseu%Kestivernosnveisde 20.41Outro tipo de sinal de compra ou venda observar os cruzamentos entre o %K e sua linha sinal de aoMACD.Porm, esses cruzamentos acontecem freqentemente, ou seja, a maioria deles so falsos.Lane (apud Stockcharts, 2006) acredita que os sinais mais confiveis do que os cruzamentos soencontradosquandoesse osciladorestiver saindodosnveisde80ou de 20. Quando ele se encontra em movimento de baixa saindo da zona dos 80, significa queatendnciadealtadaaoperdeufora. Damesmaforma, quandoesse oscilador estiver em movimento de alta saindo da zona dos 20, significa que a tendncia de baixa da ao perdeu fora, sinalizando-se um sinal de compra dessa ao.Osinalmaisconsistentedecompraouvendatambmomaisdifcilde acontecer. Trata-se da divergncia positiva e divergncia negativa entre o preo da ao e o %K. Em situaes que o indicador est nas regies de deciso (80 ou 20), espera-se o momento em que o preo da ao se movimente em direo oposta ao do estocstico.O grfico abaixo mostra ambas as situaes.42Grfico 6: Divergncia positiva e negativa do estocsticoFonte: Stockcharts(2006)adaptado pelo autor deste trabalhoObserva-se no grfico que o indicador ao entrar na zona de deciso so traadas retasnosfundosetoposdoindicadorenaaotraa-seapenasretasnostopos.Com isso, possvel reconhecer as divergncias.No caso da divergncia positiva, o sentido da reta do preo da ao oposto ao sentido da reta do estocstico. Quando o estocstico superar a barreira dos 20 e houver essa divergncia,umconfivelsinaldecompra.Omesmoocorrecomadivergncia negativa,comadiferencialdequeabarreiraestarem80eosinalemitidoode venda.Usualmente aplica-se perodo 14 em seu clculo e tambm perodo 9, porm ele pode ser alterado para melhor adaptar-se s caractersticas do movimento de uma ao.Assim como todos os indicadores, este deve ser sempre usado em conjunto com outros.43CONCLUSOAanlisefundamentalistausadaparaconheceraaoasercomprada.Janlise tcnica usada para identificar o melhor momento para comprar ou vender uma ao.Aeficinciadousodosindicadorestcnicosdependediretamentedoperodo empregado neles, e o perodo depende da ao em questo. Por isso, na determinao do perodo deumaaodeve-seanalisarohistricodopreo daaoe aplicardiferentes valores para o perodo e observar se os sinais de compra ou venda sero adequados.O uso de rastreadores de tendncia tem mais aproveitamento em aes que tm uma tendncia definida. Esses indicadores sempre tero um pequeno atraso em relao ao preo, e esse atraso aumenta proporcionalmente ao perodo nele aplicado. Sinais so nveis ou formaes grficas que so observadas no grfico do preo da ao juntamente com o indicador. Cada indicador tem seu tipo de sinal, podendo ser umcruzamentodelinhas,divergncias,oufaixasespecficas.Ososciladoresso indicadoresquevariamdentrodeumafaixanumrica.Porisso,elesgerammuitos sinaisdecompraevenda.Algunsdelesaparecemcedo,ouseja,antesdaformaoda tendncia, outros sinais aparecem depois que a tendncia se formou. Aanlisetcnicadeveservircomoumapoiodeciso.Porisso,sempre importanteressaltarqueeladeveserusadaemconjuntocomoutrasanlises,assim comoovolume,padresdepreoenveisdesuporteeresistnciadevemserlevados em considerao.44REFERNCIAS BIBLIOGRFICASBANIF CORRETORA, Banif Invest, disponvel em , acesso em 18 agosto 2006.BORGES, R. Curso de Anlise Tcnica, disponvel em , acesso em 16 julho 2006.BOVESPA, Boletim Dirio da BOVESPA, disponvel em , acesso em 18 setembro 2006.BOVESPA, Guia On line do Mercado, disponvel em , acesso em 05 agosto 2006.CHAVES, D.; Anlise Tcnica e Fundamentalista: divergncias, similaridades e complementariedades, disponvel em , acesso em 08 setembro 2006.GITMAN, L. J. Princpios de Administrao Financeira, So Paulo: Harbra, 1997.GRAFIX, Grafix, disponvel em , acesso em 05 agosto 2006.INVESTSHOP.COM, InvestShop, disponvel em , acesso em 04 setembro 2006.LOPES FILHO & ASSOCIADOS, Anlise Tcnica, disponvel em , acesso em 10 agosto 2006.MELLAGI FILHO, A. Curso Bsico de Finanas, So Paulo: Atlas, 2003.MELLAGI FILHO, A. M.; ISHIKAWA, S.; Mercado Financeiro e de Capitais, So Paulo: Atlas, 2000.NELOGICA, disponvel em , 20 setembro 2006.PINHEIRO, J. L. Mercado de Capitais: fundamentos e tcnicas, So Paulo: ed. Atlas, 2001.PINTO, P. R. Z. Relatrio do Mercado de Aes Brasileiro, disponvel em , acesso em 15 setembro 2006.PROJEO, Projeo, disponvel em , acesso em 14 agosto 2006.SANVICENTE, A. Z.; MELLAGI FILHO, A. Mercado de Capitais e Estratgias de Investimento, So Paulo: Atlas, 1998.SCHWAGER, J. D.; Stock market wizards: interviews with America's top stock traders/ by Jack D Schwager, New York: HarperCollins, 1948.45ANEXOPlanilha Acoes.xlsA planilha foi desenvolvida ao longo da elaborao deste trabalho. Elatemoobjetivodeagilizarosclculosbsicosdeoperaona comercializaodeaesetambmmanterumhistricodeoperaes realizadas.Dentreasprincipaisfuncionalidades,destaca-seoclculode indicadorestcnicos(MM,MME,IFRe estocstico)assimcomoa consulta ao histrico de preos de uma determinada ao.Antes de usar a planilha necessrio popular o banco de dados. O histrico de preos encontra-se no site da bovespa (www.bovespa.com.br), clicando-seemboletimdiriodeinformaes(BDI).Najanelaseguinte, clicarnolinkcotaeshistricas. Osarquivoscomosdadosesto compactados,masestoemformatotexto.Seulayouttambm disponibilizado nesse site.Escolhaoperododesejado,baixeoarquivoeodescompacte. Aps, abra a planilha Importacao.xls. Clique no boto Importar Preos10, escolhaoarquivo.txtcomosdados.Apsotrminodoprocessosalvea planilha e feche o excel.10 Caso o Office for mais antigo que a verso 2003, digite o caminho do .txt na clula N4, pois ao clicar no boto causarar-se- um erro por falta de bibliotecas recentes.46A planilha importao sempre ser usada para atualizar o banco de dados.Elapodeserreutilizadainfinitasvezes,hajavistoqueelasempre exclui todas informaes nela contida ao copiar novos arquivos.Osdadosdosclculossoextradosdobancodedadosdo ACCESS, cuja extenso .mbd. Esse banco possui apenas uma tabela que armazenatodasinformaesnecessriasparausodaplanilha.Elatema seguinte estrutura:Paratransferirosvaloresdoexcelparaoaccess,executaros seguintes procedimentos:1. abrir o banco de dados que tem a tabela preos2. clicar no menu arquivo obter dados externos importar3. naopoarquivosdotipo,modificaraopopara MicrosoftExcel.Localizaroimportacao.xlseclicarem importar4. clicar em mostrar intervalos nomeados e em seguida, clicar duas vezes em avanar.5. escolheraopoemumatabelaexistenteeselecionara tabela preos. Em seguida clicar em concluir47Casoocorraalgumerrofaatodooprocessocomatabelapreos sem nenhum registro.Essasituao podeocorrerquandoseimporta datas que j existem no banco.Apstodoesseprocesso,abriraplanilhaAcoes.xlseselecionaro bancodedadosquetenhaosdadosatualizadosclicando-senoboto Banco de Dados.Paracalcularindicadores,informaroperododesejadoeclicarno boto Detalhar Dados Ao. Eles sero apresentados automaticamente e, comorecursodoautofiltropoderserfeitaanlisesdohistricodos preos e indicadores da ao.Os botes Comprar e Vender so usados para registrar operaes realizadas. ObotoPesquisarAtivosfazumabuscadeaesqueestejam dentrodocritrioespecificado(apenasIFReestocstico)dentrodos ltimos n ltimos preges.