alcançar 17

Download Alcançar 17

Post on 08-Jan-2017

216 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Alcancar17A N O 0 6

    Boletim Informativo da Cmara Municipal de Moimenta da BeiraJulho de 2015

    Presidente da RepblicaCavaco Silva Inaugura investimentos de 7,5 milhes de euros

    Tributo aos melhores

    Gala do Desporto

    Certame a 25, 26 e 27 de setembro

    Expodemo

  • 03 Nota de Abertura

    04 Aconteceu

    12 Acontecer

    14 Destaque I . Visita do Presidente da Repblica

    20 Mais Comemoraes I . Celebrao dos 41 anos do 25 de Abril

    24 Mais Comemoraes II . Dia mundial da rvore

    28 Certames . Expodemo a 25, 26 e 27 de setembro

    30 Festas . Festejos de S. Joo

    32 Mais Investimento . Obras municipais

    35 Sugestes de visita . Museu de Alvite

    36 Mais Cultura .Prmio Nacional Aquilino Ribeiro

    38 Cincia .Estudantes constroem micro-satlite

    40 Memrias .Revoluo da Mata de Sto Andr, em Vila Cova

    42 Destaque II .Gala do Desporto

    48 Empresas .Grupo Macodemo

    50 Mais Ambiente .Seges, zona de Lazer . Reaproveitar recursos

    52 Instituies .ARCA

    54 Mais Cultura .Pedro Veiga, um pessoano de Moimenta da Beira

    56 Deliberaes .Actas da Cmara

    58 Informaes .Contactos teis

    59 Ficha Tcnica

    index

    Alcanar | index

  • | 03

    Nota de AberturaA visita a Moimenta da Beira do mais alto magistrado da Nao, foi para ns motivo do maior orgulho. At por ter aceitado parti-lhar connosco a simbologia de entregar alguns equipamentos ao Povo, a quem pertencem, a quem, alis, tudo pertence.

    Creio mesmo que dificilmente poderemos ter maior honra do que aquela que a presena de Sua Excelncia o Presidente da Repblica nos proporcionou, pelo que significou de apreo pela abnegao diria de cada cidado, nesta parte do territrio na-cional.

    Esta honra foi tanto maior, quanto nos permitiu prestar, com a sua presena, um tributo a todos os que nos antecederam e criaram as condies para sermos o povo que hoje somos: um Povo que se orgulha do que faz e do pas a que pertence e que ajuda a crescer todos os dias, porque no se resigna e acredita em si prprio e nos outros. Que faz da solidariedade social e ter-ritorial uma marca forte da sua identidade.

    Quero sinalizar, especialmente, o facto de Sua Excelncia o Presidente da Repblica ter aceitado deslocar-se a S. Martinho, uma pequena aldeia deste concelho, como tantas outras peque-nas aldeias deste pas, que nunca viram o seu Presidente da Repblica. Tambm aqui h um sinal que quero valorizar. Temos hoje um pas que se desenvolve a ritmos distintos. Nas ltimas dcadas Portugal cresceu muito, desenvolveu-se muito, mas est mais desigual. Temos agora esse desafio: aproveitar os prxi-mos anos no apenas para o crescimento, mas tambm para a coeso direi mesmo principalmente para a coeso. H hoje vas-tos territrios que esto beira do ponto de no retorno. Temos que ser capazes de evitar o despovoamento e a desertificao desses territrios e no temos muito tempo. Espero bem que o quadro comunitrio que agora se inicia tenha esse fim: promover a coeso territorial.

    H meios aqui que podem garantir a nossa sustentabilidade, e

    boas razes para apostar nestes territrios. Direi mesmo boas razes nacionais. Temos que exigir que aqui fique uma parte dos proveitos que aqui so gerados.

    Fizemos com o Presidente da Repblica um priplo pelos camin-hos do nosso desenvolvimento: a educao, como rea prioritria de interveno municipal, por no existirem regies desenvolvi-das sem desenvolvimento social e individual e por o conheci-mento ser talvez o maior instrumento do desenvolvimento e da igualdade; a ao social, onde cuidamos uns dos outros, com Instituies excelentes, onde tambm somos competitivos e as atividades econmicas, onde foi possvel verificar a aplicao, com sucesso, das mais modernas tcnicas e tecnologias aos nossos melhores produtos endgenos.

    Na verdade, esta a sociedade que pretendemos construir to-dos os dias: mais coesa, mais solidria, mais capaz de tratar do outro e se desenvolver com ele.

    Jos Eduardo Ferreira(Presidente da Cmara)

    nota de abertura | Alcanar

  • Deputados visitam Moimenta da Beira Jos Junqueiro e Accio Pinto, deputados da Assembleia da Repbli-ca, eleitos pelo crculo de Viseu, estiveram de visita a Moimenta da Beira, a 16 de maro. Foram recebidos, nos Paos do Concelho, pelo presidente da autarquia, Jos Eduardo Ferreira, que os levou depois a conhecer dois dos maiores investimentos actualmente em curso no concelho: as obras de ampliao do Parque Industrial e a constru-o da circular rodoviria que ligar o parque EN226 e ao Plo Empresarial da Portela, em Leomil, investimentos que custaro cerca de trs milhes de euros.Ainda no parque industrial, e j com a presena do presidente da Assembleia Municipal, Alcides Sarmento, os deputados visitaram tambm um dos grandes entrepostos de ma do pas: a Desfruta

    Comrcio de Frutas, Ld, uma estrutura moderna, com sistemas e instrumentos robotizados, num edifcio acabado de construir que custou 6,5 milhes de euros.A visita de Jos Junqueiro e Accio Pinto terminou na sede do agru-pamento de escolas de Moimenta da Beira, onde funciona o Centro para a Qualificao e o Ensino Profissional (CQEP) criado o ano passado, e que se destina a todos os que procuram uma qualificao tendo em vista o prosseguimento de estudos e/ou uma transio/re-converso para o mercado de trabalho. um centro que se encontra igualmente vocacionado para dar resposta aos cidados com defi-cincia e incapacidade, com o intuito de assegurar a sua integrao na vida activa e profissional.

    aconteceu

    Alcanar | aconteceu

  • | 05

    Moimenta da Beira, Sernancelhe e Tabuao assinalaram no dia 26 de abril, em conjunto, os 50 anos da inaugurao da Barragem de Vilar, uma estrutura erguida no curso do rio Tvora, perto da aldeia de Vilar, Moimenta da Beira, que alm de regularizar os caudais deste rio, serve ainda para abastecer de gua a central hidroelctrica localizada em Tvora, Tabuao, destinada produo de energia elctrica. A albufeira tambm utilizada, actualmente, para a capta-o de gua destinada ao abastecimento pblico de parte daqueles trs concelhos, que constituem a Associao Regional dos Munic-pios do Vale do Tvora.

    A cerimnia contou com a presena do secretrio de estado da Admi-nistrao Local, Antnio Leito Amaro, e incluiu o descerramento de trs placas comemorativas da efemride. A primeira, na central hi-droelctrica, em Tvora; a segunda, na estrutura da ponte da prpria barragem, na aldeia homnima; e a terceira, no Centro Interpretati-vo, na aldeia da Faia, Sernancelhe, povoado que ficou submerso com o enchimento da albufeira.A Barragem de Vilar foi inaugurada, em 29 de abril de 1965, pelo ento Presidente da Repblica Amrico Thomaz.

    Poemas dependurados em rvores para serem lidos, em Moimen-ta da Beira, no Dia Mundial da Poesia, da rvore e da Floresta, e Dia Mundial da gua, assinalados a 21 e 22 de maro. Poesia suspensa em troncos de rvores frondosas, de copa grande ou de copa pequena. Poesia de autores vrios, locais e nacionais, contemporneos, modernos e menos modernos, que foram lidos individualmente e em grupos de pessoas que deambularam pelos stios poticos de rvores que do sombra ao corpo e aconchego alma. Ao todo em sete locais de trs freguesias do concelho. Na

    vila, sede do municpio, a poesia esteve pendida nos ramos e nos troncos das rvores dos largos do Tabolado e das Tlias, e no Terrei-ro das Freiras. Depois, em Soutosa, terra de Aquilino Ribeiro, nas rvores que o mestre plantou h mais de meio sculo, em frente casa onde viveu e que hoje sede da sua Fundao. E ainda na Soutosa aquiliniana, no largo em frente matriz e no parque do Senhor da Aflio. Finalmente, na Quinta do Ribeiro, freguesia de Rua, nos terrenos verdejantes que circundam a Escola Profissional de Moimenta da Beira.

    Trs concelhos celebraram os 50 anos da Barragem de Vilar

    Poesia dependurada em rvores

    aconteceu | Alcanar

  • Vinhos e espumantes Terras do Demo no Brasil

    Llia Dias brilha nos dolos

    Alcanar | aconteceu

    a maior feira de vinhos do Brasil e da Amrica do Sul, e uma das dez mais importantes do mundo. Realizou-se em S. Paulo, nos dias 22, 23 e 24 de Abril, e a Cooperativa

    Agrcola do Tvora, sedeada em Moimenta da Beira, voltou a marcar presena no certame, ocupando parte do pavilho do seu representante e distribui-dor para as cidades de S. Paulo

    e Rio de Janeiro, a JOBTOTAL, que comercializa para o Brasil cinco marcas de vinhos nacio-nais, entre elas o Terras do Demo e o Malhadinhas.O Brasil, segundo o presidente

    da Cooperativa, Joo Silva, e o gestor, Vtor Pereira, comea a ser importante na dinmica expansionista das marcas da Cooperativa, especialmente dos seus espumantes.

    Chegou, viu e venceu! E encantou tambm. Llia Dias, 16 anos, nasceu em Moimenta da Beira, tal como os pais, Ftima e Pedro Dias. Estuda na Secundria da vila (11 ano) e, no dia 19 de abril, encantou o pas e os jurados do dolos, programa da Sic, can-tando com garra e emoo In The Arms of An Angel, de Sarah McLachlan. A interpretao, que valeu trs sims do jri, atirou Llia para a fase seguinte do dolos, com todo o mrito.

    Llia Dias tem aulas de canto, na Academia de Msica Rodrigues Silveira, de Moimenta da Beira, e integra com Abel Rodrigues, Catarina Costa e Filipa Pimenta, a banda moimentense Vagamun-do, que toca todo o gnero de msicas.

  • | 07

    Em maro e abril, nos dias teis, tcnicos da autarquia de Moimen-ta da Beira andaram de aldeia em aldeia, 42 povoados ao todo, a ajudar as populaes do concelho a preencherem a declarao de rendimentos (IRS), em especial aos mais idosos e aos cidados com maior dificuldade em lidarem com a burocracia do fisco. Si-multaneamente, funcionou no edifcio da Cmara um gabinete fixo que prestou tambm esse servio. A deslocao dos tcnicos fez-se atravs da carrinh